Michael deu um susto, mas fez duas defesas importantes

CEC empata e vê liderança mais distante

Ceilândia esteve mal nos primeiros minutos: muitos passes errados
Ceilândia esteve mal nos primeiros minutos: muitos passes errados

O Ceilândia desperdiçou uma boa oportunidade de se aproximar do Luziânia ao empatar sem gols na tarde deste domingo com o Atlético Taguatinga.

Jogando no Augustinho Lima, em Sobradinho, o Ceilândia foi incapaz de vencer um adversário que jogou o tempo inteiro a partir do seu próprio campo de defesa. A estratégia do Taguatinga era simples: atraía o Ceilândia até a sua intermediária e saía em contragolpes rápidos.

No primeiro tempo, a melhor chance veio com Liel. Para fora.
No primeiro tempo, a melhor chance veio com Liel. Para fora.

O primeiro tempo foi especialmente complicado para o Ceilândia. Até os 35 minutos do primeiro tempo, o Ceilândia errou muitos passes em sua intermediária. A consequência foi permitir que o Taguatinga rondasse a área alvinegra em contra-ataques rápidos.

Apesar de rondar a área alvinegra, Michael, que estreava no gol do Ceilândia, não foi exigido. A presença constante do Taguatinga, contudo, incomodava.

CEC dominou boa parte do jogo, mas faltou o último passe
CEC dominou boa parte do jogo, mas faltou o último passe

A partir dos 35 minutos, o Ceilândia pareceu ter se encontrado em campo. Como resultado, o Gato passou a chegar, com a bola dominada, próximo à meta rubro-negra. A verdade, entretanto, é que o CEC somente trouxe perigo em bolas paradas.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia voltou melhor. Liel passou a errar menos passes. Quando ele melhora, o Ceilândia melhora.

CEC esteve bem melhor no segundo tempo. Na melhor oportunidade, Wisman mandou no travessão
CEC esteve bem melhor no segundo tempo. Na melhor oportunidade, Wisman mandou no travessão

Apesar do Ceilândia ter assumido o controle do jogo, as oportunidades de gol foram poucas. Numa delas, Wisman sozinho, cabeceou no travessão.

Nos 15 minutos finais do segundo tempo, o sinal se inverteu. O Ceilândia, que até então dominara completamente o Taguatinga, começou a se expor aos contra-ataques adversários. Michael, que momentos antes falhara em um cruzamento despretensioso, foi chamado a atuar e fez ao menos duas intervenções importantes.

Michael deu um susto, mas fez duas defesas importantes
Michael deu um susto, mas fez duas defesas importantes

Adelson, sentido que o time perder um pouco do ímpeto ofensivo, fez três mudanças, colocando Cassius, Romarinho e Maninho nos lugares de Kabrine, Gabriel e Sandro. Foram substituições ousadas, mas que não surtiram efeito.

De maneira geral, o Ceilândia teve mais a bola, mas não há como negar que os contra-ataques do Taguatinga incomodaram bastante.

Romarinho e Cassius entraram: pouco produziram
Romarinho e Cassius entraram: pouco produziram

O resultado não foi bom para as pretensões alvinegras. No próximo final de semana, o Ceilândia enfrenta o Luziânia.

O CEC jogou com Michael, Gabriel (Romarinho), Madruga, Badhuga, Kabrine (Cassius); Liel, Sandro (Maninho) , Allan Dellon e Wisman; Filipe Cirne e Mario Henrique.

Comentarios

Comentarios