Um belo jogo!

O DNA do Ceilândia é sofrer… e vencer

Novinha comemora o terceiro gol do Gato
Novinha comemora o terceiro gol do Gato

Ceilândia e Minas/Icesp enfrentaram-se na manhã deste domingo, na Cidade do Gato, em jogo que valia a liderança isolada da competição.

As meninas do Ceilândia começaram melhor. Pressionaram as adversárias na saída de bola e conseguiram fazer o primeiro gol logo no começo, com Isabela batendo falta.

Nycole lutou muito. Cansada, acabou expulsa
Nycole lutou muito. Cansada, acabou expulsa

Depois do gol, o Ceilândia caiu de produção. O Minas/Icesp mostrou se uma equipe bem treinada.

Com um time compacto, subindo ao ataque de modo equilibrado, o Minas encurralou o Ceilândia e logo chegou ao empate com Andressa (Cacá) aproveitando um rebate e rebate dentro da área.

Ceilândia precisou de raça para superar um adversário que lhe foi superior na maior parte do tempo
Ceilândia precisou de raça para superar um adversário que lhe foi superior na maior parte do tempo

Até o final do primeiro tempo, o Minas foi senhor da situação. O Ceilândia tentava sair nos contra-ataques, mas depender apenas da força de Nycole era muito pouco.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida não mudou. O Ceilândia era um time dividido. Quando subia ao ataque deixava um enorme vazio em seu meio de campo.

Minas mostrou que é um time muito bom
Minas mostrou que é um time muito bom

O Ceilândia dependia de suas individualidades, porque o Minas, como time, era melhor naquele momento.

Acontece que o DNA do Ceilândia é sofrer. Não importa se seja no masculino, feminino, infantil, juvenil ou profissional. O Ceilândia é um time que normalmente ressurge da adversidade.

Novinha correu muito. Boa técnica e dois gols
Novinha correu muito. Boa técnica e dois gols

Após ser reduzida a 10 jogadoras, após a expulsão de sua lateral-direita, por incrível que pareça o Ceilândia melhorou. Equilibrou o jogo e a pressão do Minas diminuiu.

Apesar disso, foi em uma jogada de individualidade que o Ceilândia passou à frente no marcador. Nycole ganhou de duas defensores e cruzou rasteiro para Novinha fazer Ceilândia 2 x 1.

Isabela: sofreu com um Ceilândia dividido entre ataque e defesa
Isabela: sofreu com um Ceilândia dividido entre ataque e defesa

A alegria não durou muito. Cansada, Nycole usou de força desproporcional e o Ceilândia ficou reduzido a 9 jogadoras. Foi aí que apareceu a goleira do Ceilândia com defesas importantes.

No final, vitória alvinegra e confraternização
No final, vitória alvinegra e confraternização

Quando se acreditava que o Minas empataria, aconteceu aquilo que somente o Ceilândia consegue fazer. Com duas jogadoras a menos, Novinha aproveitou-se do erro da defensora do Minas, avançou contra outras três, ganhou a área e fez o terceiro do Ceilândia.

Faltando pouco minutos, o Ceilândia ainda sofreu o segundo gol quando Katia fez para o Minas.  Não dava mais tempo, bela vitória alvinegra contra um adversário que se mostrou consistente, bem armado e muito forte.

Um belo jogo!
Um belo jogo!

Quando se acreditava que o Minas empataria, aconteceu aquilo que somente o Ceilândia consegue fazer. Com duas jogadoras a menos, Novinha aproveitou-se do erro da defensora do Minas, avançou contra outras três, ganhou a área e fez o terceiro do Ceilândia.

 

Comentarios

Comentarios