CEC voltará ao Estádio Nacional para um jogo de vida ou morte

Final do Candangão 2016 – Adelson admite culpa e afirma que todos precisam assumir responsabilidades

Claudecir sofre com a marcação tripla do adversário
Claudecir sofre com a marcação tripla do adversário

O Ceilândia volta aos treinamentos nesta segunda-feira com a cabeça inchada. Quem conhece o dia-a-dia do Ceilândia sabe como os dias pós-derrotas são difíceis. O técnico  Adelson de Almeida falou com o CeilandiaEC e foi muito franco em sua análise, admitindo parcela de culpa por não conseguir fazer o time jogar um futebol solidário.

“No afã de ajudar, os atletas querem fazer as coisas de qualquer jeito, mas não é assim que as coisas se resolvem. Na verdade, é muito difícil quando atletas rodados e experientes fazem o que querem dentro de campo. Por várias razões: a principal é que,  por serem jogadores experientes,  o treinador sempre lhes dará um pouco de crédito”. 

Adelson admite responsabilidade por não ter exigido de seus atletas solidariedade
Adelson admite responsabilidade por não ter exigido de seus atletas solidariedade

Adelson disse que o Ceilândia demorou para encontrar uma forma de jogar :

“A verdade é que nos últimos jogos, embora o Ceilândia tenha melhorado seu volume de jogo, o time ainda está muito afobado quando se aproxima do gol adversário. É justamente nesse ponto que precisa jogar como time, estar compacto, concluir bem e evitar o contra-ataque adversário.” 

Ceilândia decepcionou seus jovens torcedores
Ceilândia decepcionou seus jovens torcedores

Adelson reconhece que nunca faltou luta, faltou solidariedade. Para ele o time perde a concentração e a estrutura no decorrer do jogo. Adelson avalia que a queda no rendimento se deve, e muito, à queda no rendimento físico e talvez seja por isso que o time sempre faz maus segundos tempos.

Aqui, admite o treinador, poderia ter sido mais enérgico, mais enfático, mas como antes dissera, para ele os jogadores tem crédito,  mas todos precisam se dar conta, como ele Adelson parece ter-se dado,  que não deu certo nos últimos jogos. Dará certo domingo ou não dará certo dia nenhum.

2CEC voltará ao Estádio Nacional: uma partida para resolver
CEC voltará ao Estádio Nacional: jogo de vida ou morte

Quando perde a concentração e cai fisicamente, afirma o treinador, cada um quer fazer o que acha que é bom para o time e não aquilo que é preciso que seja feito para o bem do time. Daí os espaços deixados entre as linhas de ataque, meio e defesa. Obviamente que melhoraria muito se o time estivesse no auge de suas formas técnicas e física, porque aproveitaria as chances criadas.

Indagado se está jogando a toalha, Adelson respondeu que não. Disse  que está sendo apenas realista: “Os erros são humanos e nos dá, a cada um de nós, jogadores e comissão, a oportunidade de tentar algo diferente. Não existe fórmula.” Concluiu: É da natureza do Ceilândia lutar e lutar. Se não der de um jeito, dará de outro”.

Related Images:

Comentarios

Comentarios