Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ceilândia está nas finais do Candangão 2017

Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia
Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: Pênalti ou não, mas o árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia

Sabia-se que seria difícil. E foi. O Ceilândia venceu o Paracatu na tarde deste domingo e está nas finais do Candangão 2017. Como prêmio, enfrentará um duro adversário, o Brasiliense que venceu os dois jogos contra o Sobradinho, hoje por 4 x 1.

Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final
Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final

Foi um jogo complicado. O primeiro tempo foi jogo de um time apenas. O Ceilândia empurrou o Paracatu contra o seu campo e defesa e dominou todas as ações. Apesar de todo o domínio territorial, o Ceilândia criou apenas uma chance concreta, mas Alcione não conseguiu dominar a bola.

Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final
Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final

O resultado foi que, apesar de todo o domínio alvinegro, a melhor chance de gol foi do Paracatu. Na única jogada de ataque do time mineiro, o Paracatu perdeu a oportunidade mais clara de gol do primeiro tempo

Elivelto foi novamente importante
Elivelto foi novamente importante

Veio a segunda etapa e o Ceilândia manteve o rítmo. Domínio alvinegro, mas sem a criação de oportunidades claras de gol. Para piorar, o Paracatu mostrou que era um time perigosíssimo no contraataque e obrigou Pedro a fazer um milagre e salvar a meta alvinegra,

Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo
Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo

O jogo parecia ter retornado ao seu padrão de normalidade, com o Ceilândia controlando as ações. O destino, contudo, tinha planos diferentes. Aos 8, Carlos Henrique desferiu um chute  que era tão repleto de esperança quanto de despretensão, mas a bola enganou Pedro. Um achado para o Paracatu que abriu o marcador: 1 x 0

Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou
Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou

O Ceilândia sentiu o gol por alguns instantes, mas empurrado pela torcida logo recuperou as ações do jogo. Aos 22, Dudu levantou a bola na área e Romarinho pegou a sobra para fazer um belo gol e empatar o jogo: Ceilândia 1 x 1 Paracatu.

Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada
Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada

O gol animou a torcida e o Ceilândia manteve o rítmo. Aos 22, num lance tão repleto de despretensão quanto to de esperança, Romarinho tentou cruzar e a bola encobriu o goleiro do Paracatu e morreu no canto esquerdo da meta adversária: Ceilândia 2 x 1.

Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia
Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia

Após o gol o Paracatu tentou lançar-se à frente. O Ceilândia não repetiu o erro do jogo de Minas Gerais, quando marcou excessivamente atrás. Com a postura alvinegra, restava ao Paracatu jogar. Futebol por futebol o Ceilândia tinha mais a oferecer.

Depois de uma grande partida, comportamentos desnecessários
Depois de uma grande partida, jogadores do Paracatu foram tirar satisfação, comportamentos desnecessários

O resultado foi que nos minutos finais o Ceilândia chegou diversas vezes com mais atacantes que defensores do Paracatu. Poderia ter ampliado o marcador, mas preferiu administrar o resultado.

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário
Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ao final restou aos alvinegros comemorarem a classificação para as finais. Houve tempo para algumas cenas lamentáveis, mas nada que empanasse a festa alvinegra.

Dificuldades fazem e sempre fizeram parte do dia-a-dia do Ceilândia. Sem padrinhos fortes, o Ceilândia está na final. Ceilândia sempre se fez na resistência. 

Comentarios

Comentarios