Ceilândia desperdiça oportunidades e sai em desvantagem nas Oitavas de Final

Com boa atuação no primeiro tempo e irreconhecível na segunda etapa, Ceilândia foi castigado com um gol que colocou o Gato Preto em desvantagem para o decisivo jogo de volta em Natal.

Diante de bom público, a equipe do Ceilândia entrou em campo para receber o América-RN e nos momentos iniciais fez valer a vantagem de jogar em seu território. A equipe entrou concentrada para a partida e controlou o adversário nos minutos iniciais, ainda no 1º minuto o Ceilândia assustou a meta adversária com chegada de Emerson Martins.

O Ceilândia manteve pressionando e controlando o adversário, a equipe era capaz de executar trocas de passe produtivas que resultavam em chances de abrir o placar. Em uma dessas chegadas, antes dos 15 minutos de jogo, após bola alçada na área e rebatida da defesa, a bola sobrou para Dim, dentro da área, ser derrubado e sofrer pênalti. Felipe Cirne se encarregou da cobrança, mas mais uma vez o Gato Preto desperdiçou a oportunidade de assinalar gol em cobrança de pênalti.

Nos momentos seguintes o Ceilândia pareceu sentir o peso da oportunidade não aproveitada, e apesar de não ser ameaçado pela equipe do América-RN não conseguia incomodar a meta adversária mais.  A síndrome dos 15 minutos marcou presença mais uma vez, e o Ceilândia só foi capaz de tomar o controle do jogo novamente a partir dos 30 minutos, voltando a animar a torcida e dar trabalho ao arqueiro adversário. No entanto, o gol não apareceu.

No segundo tempo o jogo mudou completamente de aspecto. A mesma falta de criatividade que se observava na equipe visitante marcou presença do lado da equipe do Ceilândia. Irreconhecível, o time praticamente não chegou ao ataque, embora também não fosse ameaçado. O jogo ficou chato, o Ceilândia não conseguiu retomar o ritmo do primeiro tempo e infelizmente foi castigado por sua postura. Aos 30 minutos da etapa final, Cascata recebeu a bola com liberdade e conseguiu desmontar o até então eficiente sistema defensivo do Ceilândia, talvez na única chance real da equipe adversária.

O Ceilândia chegará em desvantagem para a partida de volta, mas mostrou que tem condições de superar a defesa do América.  O time terá que lutar, mas se repetir a atuação do primeiro tempo e aproveitar as oportunidades que tiver, o desfecho final pode ser diferente do visto na partida deste sábado.

 

 

Comentarios

Comentarios