Cansaço, resignação... tristeza: é preciso reconhecer que jogadores deixaram tudo em campo

Muita calma nessas horas

Willian fez sua melhor partida, mas parou no goleiro adversário
Willian fez sua melhor partida, mas parou no goleiro adversário. Ceilândia foi um time dedicado. Faltou um pouco mais de qualidade e sorte nas conclusões

O olhar dos jogadores do Ceilândia, ao final do jogo em que foi derrotado pelo Novo em Campo Grande dizia tudo: cansaço, decepção… tristeza. O Ceilândia não jogara mal. Quem via os últimos minutos do jogo, em que o Novo perdia seguidas chances de ampliar a vantagens, não poderia se esquecer que o jogo fora diferente. O Ceilândia, mais uma vez, criara várias oportunidades de gol, mas fora incapaz de aproveitar uma chance sequer.

Ponta dos dedos: no chute de Willian e na defesa do goleiro, o Ceilândia criava mais uma oportunidade
Ponta dos dedos: no chute de Willian e na defesa do goleiro, o Ceilândia criava mais uma oportunidade

Apenas no primeiro tempo, Willian (três vezes), Amoroso e  Klecio tiveram oportunidades claras de fazer o gol que foram desperdiçadas, pararam na trave ou obrigaram o goleiro adversário a fazer grande defesa. Faltara sorte em umas e capricho em outras. O Ceilândia tem criado, mas tem sido incapaz  de empurrar a bola para o fundo do gol. Tem tido luta, não se pode negar. O Ceilândia não sai dessa situação colocando panos quentes em tudo, mas precisa se reconstruir a partir do bom que tem.

muitas oportunidades no primeiro tempo. Desperdiçou todas e pagou alto preço
Ceilândia perdeu muitas oportunidades no primeiro tempo. Desperdiçou todas e pagou alto preço

No sábado, o Ceilândia volta a enfrentar o Novo. Matematicamente o Ceilândia depende apenas de si. Vencendo seus três compromissos chegaria a 10 pontos e, em qualquer combinação de resultados e na pior das hipóteses, chegaria empatado na segunda colocação com os demais. Por enquanto, não é possível pensar em classificação sem vencer o jogo de sábado contra o Novo. O Ceilândia precisa pensar jogo a jogo.

Cansaço, resignação... tristeza: é preciso reconhecer que jogadores deixaram tudo em campo
Cansaço, resignação… tristeza: é preciso reconhecer que jogadores deixaram tudo em campo

Adelson provavelmente terá o retorno de Didão. A entrada de Klécio deu ao time o que lhe fazia falta: personalidade no meio de campo. Willian cresceu de produção com a entrada de Mário Henrique. Falta o ataque engrenar. Em resumo: falta pouco e falta muito. Nesses momentos de dificuldades, é preciso sabedoria por parte de todos.  Dedicação em campo, não tem faltado e já é um bom começo.

Comentarios

Comentarios