Defesa do Ceilândia foi muito exigida. Consistência defensiva tem sido a chave até o momento

FEMININO: Guerreiras alvinegras superam desfalques e vencem o Gama

Maria Yrla teve a difícil missão de substituir a insubstituível Isabella
Maria Yrla teve a difícil missão de substituir a insubstituível Isabella

Ceilândia e Gama fizeram uma partida eletrizante neste domingo, jogo válido pela terceira rodada do Candangão Feminino de 2018.

Kaká fez a sua melhor partida pelo Ceilândia. No segundo tempo, cansou e o Ceilândia junto
Kaká fez a sua melhor partida pelo Ceilândia. No segundo tempo, cansou e o Ceilândia junto

Foi um jogo difícil, como se sabia que seria. Foi um jogo sofrido, como se sabia que seria. Para tanto, contribuiu o fato de o Ceilândia jogar mais uma vez sem Isabella, sua referência técnica. Outra ausência muito sentida foi a de Lauana, xerife do meio de campo alvinegro. O Ceilândia estava desfalcado de duas de suas melhores jogadoras.

Alessandra foi muito exigida: importante taticamente
Alessandra foi muito exigida: importante taticamente

O coração do torcedor poderia temer pelo pior, mas não os corações das guerreiras alvinegras. Talita, Maria Yrla, Kaká e Alessandra compensaram as diferenças para  Isabella e Lauana com entrega. O mesmo se diga do restante da equipe.

Amanda voltou ao time: partida quase perfeita
Amanda voltou ao time: partida quase perfeita

No primeiro tempo, embalado pelo vento, o Ceilândia foi melhor. Rondou a área alviverde por diversas oportunidades, mas sempre faltou o último passe ou o último toque. O Ceilândia abusava dos lançamentos e a verdade é que esses lançamentos machucavam a defesa do Gama.

Eliane controlou o lado esquerdo do campo
Eliane controlou o lado esquerdo do campo

Em um desses lançamentos, Gabi ficou cara a cara com a goleira adversária e fez Ceilândia 1×0 contra o time dirigido pelo ex-zagueiro do Ceilândia de 2001, Célio Lino.

Gabi deu muito trabalho para a defesa do Gama: premiada com o gol da vitória
Gabi deu muito trabalho para a defesa do Gama: premiada com o gol da vitória

Veio o segundo tempo e o sofrimento mudou de lado. Logo aos 30 segundos o Gama perdeu chance incrível de empatar. O alviverde continuou melhor, mas ora a defesa, ora Valéria impediam o gol adversário.

Quando tudo dava errado, lá estavam as mãos salvadoras de Valéria
Quando tudo dava errado, lá estavam as mãos salvadoras de Valéria

O Gama pressionava. Aos 21, no bate-rebate dentro da área, o Gama teve a oportunidade e empatar, mas a bola explodiu no travessão. O Ceilândia, mesmo cansado, conseguiu equilibrar o jogo nos últimos 20 minutos. Levou um ou outro susto, mas também poderia ter matado o jogo com Suyane.

Defesa do Ceilândia foi muito exigida. Consistência defensiva tem sido a chave até o momento
Defesa do Ceilândia foi muito exigida. Consistência defensiva tem sido a chave até o momento

Ao final, o Gato Preto controlou as ações do Gama e conquistou importante vitória. Agora, o Ceilândia folga no próximo final de semana. Tempo para recuperar Lauana e Isabella e entrar mais forte na reta final da competição.

No outro jogo da rodada, Cresspom e Minas/Icesp, os times de maior investimento da competição, empataram por 1 x 1.

Comentarios

Comentarios