Ceilândia perde e está quase fora da Série C

Parte da torcida foi embora no intervalo. Basta isto para dizer o sentimento que tomou conta dos torcedores no jogo de ontem.

20060724.gifO jogo mostrou o Ceilândia de sempre: muita vontade mas pouca técnica e ineficiência ofensiva.

O jogo era nervoso para ambas as equipes. A notícia da vitória do Ituiutaba sobre o SERC, pela manhã, praticamente colocou Ceilândia e Atlético na disputa da última vaga do grupo.

O primeiro lance violento da partida ocorreu quando Ã?der, do atlético, fez falta dura em André Luís, e merecia ser expulso e não foi.

Em seguida, Perivaldo teve a oportunidade de marcar para o Ceilândia e a bola sobrou para Esquerdinha que pegou o rebote. O meia, além de errar, ainda acabou fazendo falta em Róbston.

O primeiro gol saiu aos 13 minutos iniciais, com um deslize do zagueiro Luís Henrique, que marcou contra e abriu o placar para o Dragão.

Com a vitória dos visitantes, o clima do jogo ficou ainda pior, principalmente para o árbitro Ricardo Marques, que teve trabalho para controlar as entradas duras dos atletas das duas equipes.

Depois de ser advertido com um cartão amarelo, o lateral direito André Luís reclamou de dores musculares na coxa direita e pediu a substituição. Em seu lugar entrou Vinícius.

Em seguida, outro lance perigoso. Desta vez envolvendo Róbston e Lucas, que dividiram uma bola perigosa, em que o jogador do Ceilândia chegou com um carrinho por baixo, cometendo a falta.

Para acalmar os ânimos, ou piorar de vez a situação, já no final do primeiro tempo, Wesley chutou forte direto da entrada da área para o canto do gol de Charles. Era o segundo gol do Atlético.

O meia, que já atuou no futebol brasiliense, aproveitou para retribuir a homenagem que seus familiares faziam no estádio. â??Sabia que meus familiares estariam aqui e esse gol vai para elesâ?, comemorou Wesley.

No reinício do jogo, o Ceilândia diminuiu a diferença logo aos 2 minutos, com Esquerdinha. Em cobrança de escanteio, a bola veio curta na primeira trave, o goleiro Donizeti não saiu bem e a bola sobrou para Esquerdinha aproveitar a chance e marcar o primeiro para o time da casa.

O Ceilândia partiu para o ataque e até poderia ter empatado. O Atlético controlou a partida e empurrou o Ceilândia, que já não tinha Djalma, expulso, direto para a crise quando, aos 47, Bira deu números finais ao jogo: Ceilândia 1 x 3 Atlético-GO.

1 Ceilândia
Charles; André Luís (Vinícius/Roberto), Jean, Luís Henrique, Djalma; Perivaldo, Lucas, Péris(Bispo), Esquerdinha, Abimael, Val Araguaia. Técnico â?? Everton Goiano.

3 Atlético
Donizete; Dida, Gilson, Romildo, Ronildo; Pituca, Róbston,Wesley, Wellington Dias(Bira); André Nunes(Marlon), Ã?der(Jean Carlo). Técnico â?? Artur Neto

Árbitro
Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Cartão amarelo
Ceilândia â?? André Luís, Lucas, Vinícius.
Atlético â?? Ã?der, Pituca, Romildo.

Cartão vermelho
Ceilândia â?? Djalma

Renda â?? R$1.799

Público â?? 358 pagantes

Local â?? Estádio Abadião â?? Ceilândia

Comentarios

Comentarios