Sem falsas ilusões: Minas 2 x 0 Ceilândia

Melissa foi peça importante. Nesse lance sofreu falta não marca pelo árbitro que quase resultou em gol do Minas

O Ceilândia foi derrotado pelo Minas no encerramento da 5a rodada do Candangão Feminino 2019 por 2×0. Por mais que o Ceilândia tenha tido momentos em que foi melhor que o seu adversário, a verdade é que o Minas, como já se esperava,  foi mais consistente durante o jogo e mereceu o resultado.

Tálita foi improvisada na direita.

A avaliação fora de campo era de que o resultado refletiu o estágio de maturação dos trabalhos. O Ceilândia foi valente, mostrou bons valores individuais, mas não funcionou como equipe, ao menos como se esperava. 

Karen fez ao menos dois milagres

O Ceilândia começou melhor que o Minas. Aproveitando jogadas trabalhadas pelas laterais, o Gato Preto rondou a meta adversária, mas sem criar situações claras de gol.

Tatiane mais uma vez segura.

O Minas equilibrou a partida e o Ceilândia perdeu a estrutura de seu jogo. Passou a jogar com ligações diretas e abusou dos chutões na saida de bola. Melhor em campo, o Minas poderia ter aberto o marcador, mas Karen fez um milagre e impediu. No final do primeiro tempo, numa jogada despretensiosa, o Minas ainda acertou o travessão.

O Minas contou com uma arbitragem complacente, mas não foi por isso que venceu. Venceu porque foi melhor.

O Ceilândia veio para o segundo tempo buscando avançar com a bola no chão. O Gato Preto foi melhor até por volta dos 12 minutos. Chegou a obrigar a boa goleira adversária a duas boas defesas, coisa que não havia conseguido no primeiro tempo.

Bruninha arrisca de fora e obriga a goleira adversária a fazer grande defesa

O futebol tem lá os seus caprichos. No melhor momento do Ceilândia e na primeira subida do Minas no segundo tempo, o adversário fez 1 x 0. O Ceilândia se perdeu em campo e o Minas fez 2×0 logo depois.

Sâmila entrou no segundo tempo. Lutou, lutou…mas o gol não veio

O Ceilândia foi para a frente na base da valentia. O Ceilândia foi um time valente. Obrigou a goleira adversária fazer ao menos duas boas defesas, ora com Bruninha, ora com Rafa e mesmo no cabeceio de Melissa.

Katyelle ficou presa na marcação. Sofreu falta violentíssima na sequencia deste lance.

Não deu. O Ceilândia mostrou que o seu jogo ainda não está maduro. Precisava de uma lição e a teve. Agora, preparar para lutar pela melhor colocação possível nessa primeira fase. Para isso, precisa de calma e de vitórias contra Santa Maria e Real.

 

 

Comentarios

Comentarios