Semifinal Feminino: Minas segura o Ceilândia – 2×1

Thauane estreou e voltou a sentir o joelho. Sorte que parece ser menos grave

Nada mudou par ao Ceilândia: já era difícil. Continua difícil. A diferença é que ontem o time mostrou qualidade. O resto fica por conta do futebol.

Melissa voltou a fazer boa partida.

No primeiro jogo das semifinais do Candangão Feminino 2019, o Ceilândia começou tomando a iniciativa do jogo. Era um Ceilândia diferente do que se vira no campeonato. Uma boa transição da defesa para o ataque era contida pela boa defesa do Minas.

Karen foi bem quando exigida. Nada pode fazer nos gols.

O Ceilândia ainda era melhor quando o Minas foi ao ataque pela primeira vez. No cruzamento na esquerda de defesa do Ceilândia a bola cruza a área e encontra Juliana livre: Minas 1 x 0.

Bruna correu muito, como sempre. Sofreu com a forte marcação.

O Ceilândia sentiu o gol.  O Minas passou a ter a iniciativa do jogo. Tal qual ocorrera com o Ceilândia, as iniciativas do adversários eram contidas pela defesa do Ceilândia. Karen não trabalhou.

Nos minutos finais do primeiro tempo, os times trocavam ataques de intermediária a intermediária. Thamirys dava trabalho à defesa do Minas e empatou o jogo aos 41: 1 x 1. Em seguida, em novo ataque do Ceilândia, Thamirys foi covardemente agredida por uma defensora do Minas.

Ceilândia comemora o gol de empate.

Veio o segundo tempo e logo no primeiro lance o árbitro Pedro Copatt viu um penalti a favor do Minas. Pênalti daqueles que o árbitro brasileiro marca, no qual o atacante, na iminência da disputa de bola, se joga. Não houve toque… mas os árbitros brasileiros marcam. Hulk fez Minas 2 x 1.

Thamirys foi agredida logo depois do gol.

Precisando do empate, o Ceilândia foi ao ataque. O Minas, com espaço, rondou a área alvinegra e obrigou Karen a trabalhar. Eliane perdeu a melhor chance do empate. O Ceilândia foi sempre contido na intermediária. Teve o domínio nos minutos finais, mas não conseguiu chance clara de gol. 

Tamires foi um dos destaques do jogo

No final e para além de eventuais queixas contra a arbitragem, ficou a sensação que o Ceilândia fez o seu melhor jogo no campeonato, mas ainda há uma sutil mas importante diferença a favor do Minas. O Gato Preto tem uma semana de trabalho pela frente para reverter.

Comentarios

Comentarios