Segundo tempo prova que corre sangue nas veias alvinegras, mas Real 2 x 0.

No primeiro lance do jogo o Real abriu o marcador

O CeilandiaEC Torcedor é acima de tudo torcedor. E como torcedor ainda estava magoado com a derrota e, por momentos, imaginou deixar para amanhã relatos do jogo de jogo. O coração pesou porque a entrega dos jogadores merecia algo mais, merecia que o reconhecimento pela entrega ocorresse hoje e agora.

O Ceilândia errou muito nos primeiros 15 minutos. A defesa segurou as pontas. Jonatan foi quase perfeito.

O primeiro tempo foi difícil para o Ceilândia. O Gato Preto simplesmente não se encontrava, mas era possível ver que os jogadores tentavam de todos os jeitos acertar, encontrar uma saída.

A arbitragem deu gol contra de Filipe no segundo gol do Real. Filipe mais uma vez foi bem.

Os 15 primeiros minutos mostraram um domínio absoluto do Real. Apesar do domínio massacrante, o primeiro  gol saiu cedo, em um escanteio,  e não como fruto de uma jogada estruturada do adversário. Pedrão marcou. Isso não retira o mérito do adversário.

Jonatan jogou na zaga e foi bem.

Também não retira o fato de que se o Ceilândia não saiu do primeiro tempo massacrado pelo Real foi porque os jogadores lutaram, lutaram muito. Pode ter faltado futebol aqui e acolá, mas nunca faltou luta.

Mateus Dias foi muito exigido e não se escondeu.

O time voltou para o segundo tempo como se espera de um time do Ceilândia: Ligado. Historicamente algum time pode ganhar do Ceilândia porque o supera em futebol, mas não no quesito vontade. O time que voltou para o segundo tempo não perdeu dividida. Era isso que se esperava.

Lucas prendeu a bola demais no primeiro tempo. No segundo, melhorou como todo o time

O problema é que o futebol escreve a sua própria história. Wisman tentou cruzar, a bola desviou em Filipe e enganou Leandro. O gol logo aos 6 do 2o tempo foi fatal. O Ceilândia não desistiu. Os jogadores se despiram do figurino para inglês ver e se lançaram com vontade. 

No primeiro tempo o Ceilândia chegou uma vez apenas e em bola parada

Na base da vontade igualaram as ações. Na base da vontade rondaram a área do Real. Na base da vontade chegaram a fazer um gol anulado pela arbitragem. Na base da vontade reclamaram de um pênalti não marcado. Na base da vontade sentiram câimbra. Na base da vontade enfim estrearam no Campeonato Candango 2019.

Vinicius entrou no segundo tempo. A atitude do Ceilândia era outra e o time melhorou

A derrota deixa muitas lições. O Ceilândia ainda tem muito a evoluir como time. O Ceilândia tem alguns jogadores que jogaram muito hoje (defesa principalmente). Com essa vontade é possível sonhar… mas é preciso ter em mente que algum time pode ganhar do Ceilândia porque joga mais e tem o mesmo nível de vontade… mais vontade que o Ceilândia ninguém pode ter.

Esta foi a melhor chance do Ceilândia no jogo. Desperdiçada

Os jogadores tem o nosso respeito por hoje e pelas lições aprendidas.

Comentarios

Comentarios