Ceilândia vive dias de definições dentro e fora de campo

Ceilândia volta a enfrentar o Gama: Em 2019 derrota em casa por 1 x 0.

Tudo que o Ceilândia precisava era de uma semana tranquila de trabalho antes do jogo importante deste sábado diante do Gama. Quem conhece um pouco de futebol sabe que isso dificilmente aconteceria após duas derrotas consecutivas. As cobranças iriam aparecer. Estão acontecendo.

Marcelo Conte, à direita, sai do Ceilândia

A pressão por resultado faz parte do dia-a-dia. Se o resultado não vem, há cobranças dentro e fora de campo. Vão ser necessários  paciência e equilíbrio. Nem sempre esses produtos estão à disposição.

Péssima primeiro tempo contra o Real. Time não evoluía

Dentro de campo a primeira vítima foi o técnico Marcelo Conte, demitido nesta terça. As cobranças pareciam visíveis já na semana passada. Havia questionamentos sobre a dificuldade de evolução do time e até mesmo dos métodos de treinamento, considerados antiquados. O primeiro tempo ruim diante do Real pesou e houve intervenção durante o jogo.

Marcelo Conte não é mais treinador do Ceilândia

Fora de campo as estruturas de poder ainda estão se acomodando. As disputas são naturais no mundo do futebol e tendem a ficar mais evidentes no início de trabalho. Aqui também vai ser necessário equilíbrio porque o tempo não para e sábado, 15h30, tem jogo importante.

Os dias são de instabilidade, mas os jogadores, técnicos e dirigentes  sabem o mundo que vivem.  A direção agiu rápido e trouxe Gauchinho que dirigirá o Ceilândia no próximo sábado.

Comentarios

Comentarios