Ceilândia sem tempo para respirar: Quarta, Brasiliense.

Ceilândia é um time confuso com a bola e perdido sem ela. Meio de campo tem dificuldades defensivas e ofensivas. Para resolver só trabalho, muito trabalho.

O Ceilândia ainda junta os cacos da goleada sofrida diante do Gama. Antes do campeonato começar dizia-se que o time tinha uma tabela complicada para quem começara a preparação tão tarde. Dizia-se que se deveria esperar resultados a partir da quarta rodada.

3 jogos já se foram e a verdade é que ninguém esperava o vareio do último sábado.  Quem olha de fora vê um copo quase que inteiramente vazio. O time procura ver o que tem de positivo no copo: uma base suficiente para sobre ela montar um time. Só essa base não resolve, para dar a volta por cima o time vai precisar de união e trabalho. Se conseguirá saberemos ao fim do campeonato.

Gauchinho tem muito trabalho pela frente

Para o jogo desta quarta-feira o Ceilândia deve sofrer algumas modificações. Gauchinho não terá tempo para trabalhar. A maior parte do trabalho deve estar voltada para o aspecto psicológico. O time precisa acreditar que tem condições de dar a volta por cima. O problema é que o adversário vem de uma goleada ainda maior que a sofrida pelo Ceilândia.

Para esta semana o time deve receber dois reforços: um zagueiro e um atacante. O meio de campo tem sido muito criticado por não conseguir proteger a defesa e não conseguir realizar a transição da defesa para o ataque. Para esse setor só a mão mágica de Gauchinho.

O jogo desta quarta será às 15h30, no Serejão, contra o Brasiliense.

 

 

Comentarios

Comentarios