Ceilândia derrotado pelo Taguatinga. Agora joga apenas pela honra.

Dudu fez a sua estreia e sofreu num time que parecia desestruturado.

O Ceilândia foi derrotado pelo Taguatinga na tarde deste domingo por 3 x 1. O resultado deixa o Gato Preto em situação complicada no Candangão 2020. A rigor as chances de classificação são meramente teóricas.

Cassiano, isolado no ataque: presa fácil para a defesa adversária

O Taguatinga começou melhor. O Gato Preto alterou o lado direito da defesa, mas ainda assim mostrava fragilidades pela direita. O  Ceilândia tinha dificuldade para conter o seu adversário na intermediária e somente o controlava na entrada da grande área. 

Gauchinho recuou Daniel: não deu certo e não foi por culpa de Daniel

A partir da metade do primeiro tempo, o Ceilândia igualou as ações e passou a levar perigo para a meta do adversário. Aos 37, Daniel cobrou falta na área e Piá desviou para o fundo das redes: Ceilândia 1 x 0.

Piá desvia para fazer Ceilândia 1 x 0: Alegria durou pouco.

Não demorou muito e veio o troco. Jogada muito parecida. Cobrança de falta e desvio de Junior Alves para empatar.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia pareceu sonolento. Erro na saída de bola e Daniel Felipe fez Taguatinga 2 x 1. Não demorou e Marquinhos fez 3 x 1. O terceiro gol foi muito contestado. O Ceilândia queria impedimento, o bandeira assinalou sabe-se lá o quê e o árbitro deu gol. 

Restante da defesa não esteve à altura de Piá.

Com a desvantagem, o Ceilândia foi todo ao ataque. O Ceilândia era valente, mas faltava estrutura de jogo. O Gato Preto pressionou, mas não criou situações claras de gol.  A rigor, no contra-ataque, o Taguatinga era mais perigoso. 

As alterações não surtiram efeito: Ceilãndia era valente, mas desorganizado.

A derrota, no final, representa uma ducha de água fria nas pretensões alvinegras. Teoricamente, o Ceilândia ainda pode chegar em 8o, mas nem mesmo a perda de 3 pontos pelo Capital deve ajudar muito. O Ceilândia agora joga apenas pela honra, para fazer a melhor campanha possível e pensar em 2021.

 

Comentarios

Comentarios