Ceilândia enfrenta Capital. Iranildo pode voltar.


Em 2006 o CEC goleou o Guará por 8x2 com Didão, Humberto, Luiz Fernando, Paulinho e Branco (em pé); Miron, Cassius, Wagner, Thiago, Reinaldo e Ewerton
Em 2006 o CEC goleou o Guará por 8x2 com Didão, Humberto, Luiz Fernando, Paulinho e Branco (em pé); Miron, Cassius, Wagner, Thiago, Reinaldo e Ewerton, mas não enfrentou o Capital.

No próximo sábado, 16h00, no Abadião, o CEC fará o seu terceiro amistoso de preparação para o campeonato. O adversário será o Capital, time que retorna a primeira divisão do futebol do Distrito Federal depois de seis anos. A partida será realizada com portões abertos.

Detalhe interessante é que CEC e Capital jamais realizaram qualquer partida oficial. Em 2006 o campeonato foi disputado por 10 equipes divididas em duas chaves. O Capital estava no Grupo A (juntamente com Brasiliense, Unaí, Gama e CFZ) e o Ceilândia no Grupo B (com Guará, Dom Pedro e Luziânia), mas as equipes jogavam em turno e returno apenas contra times do seu próprio grupo.

IRANILDO VOLTA

Iranildo deve voltar aos trabalhos nesta quarta-feira. Depois de se queixar de incômodos na musculatura, fruto do esforço inicial de preparação física, o atleta de 35 anos deve ser reavaliado nesta quarta-feira pelo departamento médico. O prognóstico é que  Iranildo possa retomar o trabalho de preparação nessa reta final.

O trabalho de preparação, a cargo do preparador físico Ferreira tem sido meticuloso e se percebe isso no dia-a-dia dos jogadores. No último final de semana, enquanto o time jogava contra o Brazlândia, os demais jogadores, dentre eles Dimba, corria à beira do gramado. O Ceilândia pensa grande e por isso os jogadores compraram a idéia e se entregam aos treinamentos. O discurso geral é o de que a recompensa virá depois.

Os jogadores com maior rodagem sofrem um pouco. Dimba parece ser uma exceção. No alto dos seus 38 anos parece querer com o seu exemplo puxar a gurizada ou ao menos é isso que se vê nos treinos.

Diego Batata nem chegou e já estreou: carência nas laterais
Diego Batata nem chegou e já estreou. Adriano também teve a sua chance: carência nas laterais

REFORÇOS

Depois de liberar três dos quatro laterais de uma única vez, a direção corre contra o relógio para recompor o elenco. Não tem sido fácil. Com apenas Wallison e Diego Batata no elenco, Marquinhos Bahia não pode realizar experiências. Adelson de Almeida promete resolver o problema nos próximos dias. Espera-se que ainda hoje, quarta-feira, o CEC anuncie a contratação de um lateral esquerdo.

Related Images:

Comentarios

Comentarios

Start a Conversation