Coragem, violência e vergonha!

Juvenil reclamou muito, mas segurou o empate
Juvenil reclamou muito, mas segurou o empate

A rigor, no futebol de base, há uma linguagem raivosa que não se coaduna com o moderno futebol ou com o que se deseja numa sociedade ideal. Boa parte de pais e professores parece estar sempre projetando seus insucessos para o campo de jogo, para o filho em particular, como se uma vitória, a qualquer custo, diminuísse as suas frustrações como pessoa.

O resultado é um só: em vez do futebol produzir melhores pessoas, melhores cidadãos, produz exatamente o contrário porque a linguagem raivosa, a intimidação, a violência  passam a ser tidas como algo aceitáveis para que se consiga um objetivo que, no final das contas, nada acrescenta. Lamentável!

Os meninos do Ceilândia tiveram uma importante lição de vida na terceira rodada da Copa Agap 2013: jogar no Ceilândia tem um custo.  Alguns tentarão ganhar de você utilizando-se de todos os meios, da intimidação à violência e você não deve se deixar abater ou procurar alcançar o sucesso com os mesmos meios.

O final de semana não foi dos melhores para os times infantil e juvenil do CEC. O time reclamou muito da violência do Sobradinhense e da conivência da arbitragem.

Infantil foi dominado e teve dois jogadores retirados de campo por contusão
Infantil foi dominado e teve dois jogadores retirados de campo por contusão

JUVENIL SOFRE COM A VIOLÊNCIA, MAS EMPATA

O CEC foi melhor toda a partida, mas foi contido pela violência do Sobradinhense e permissividade da arbitragem. Dois jogadores sofreram muito com a violência do Sobradinhense: Kaio Nunes e principalmente Keven.

O Juvenil desperdiçou muitas oportunidades, mas saiu na frente com Kaio Nunes. Keven foi caçado no primeiro tempo e era parado sempre com violência. Veio o segundo tempo e Keven não resistiu e saiu contundido.

Tanta pressão, dentro e fora de campo testou os nervos dos meninos, embora o adversário tenha chegado ao empate. No final, ficou a lição: ´sob qualquer que seja o nível de pressão é importante manter a pegada, o ritmo e a cabeça.

INFANTIL É GOLEADO

O time infantil não teve a mesma estrutura. O Sobradinhense começou melhor e fez 1 x 0. O CEC ainda sofria com a violência do adversário, muito fruto do comportamento que vinha de fora.

Num desses lances, Tiago Gomes recebeu um chute na boca que lhe arrancou alguns dentes. Sangrando, o  atleta teve que ser socorrido ao Hospital de Base para reimplante dentário. No final da partida, Leonardo deixou o campo em virtude da violência adversária.

O resultado final foi 4 x 0 para o Sobradinhense. Para os meninos, ficou a lição: nem sempre vão jogar num ambiente adequado à prática do futebol. Para alguns, é necessário vencer a qualquer custo.

Para o Ceilândia, não fica bem o discurso de vítima. Mas a organização deve dar as condições mínimas para que o futebol seja praticado e isso inclui responsabilidade do mandante e uma boa arbitragem.

Comentarios

Comentarios

Start a Conversation