O Gosto Amargo do Empate!

Elvis comemora: time correu muito e cansou. Castigo veio no final
Elvis comemora: time correu muito e cansou. Castigo veio no final

O Ceilândia enfim quebrou a sequencia de derrotas, mas ainda assim não saiu da lanterna da competição. Para complicar, agora tem um jogo a mais que os seus mais diretos concorrentes.

Jogando na noite dessa quarta-feira no Bezerrão contra o Brasilia, o Gato Preto foi um time diferente.

Alisson e Gilmar Herê deram muito trabalho ao adversário, além de terem sido importantes defensivamente.
Alisson e Gilmar Herê deram muito trabalho ao adversário, além de terem sido importantes defensivamente.

O técnico Adelson de Almeida fez muitas mexidas. Dudu, Renato, Elvis, Alisson e Gilmar Herê entraram… e o time melhorou.

A primeira prova de que o time melhorou está no fato de que nos sete primeiros minutos teve cinco escanteios a seu favor.  Na essência o Ceilândia controlou o Brasília o jogo inteiro. O adversário somente chegava em chutes de longa distância e em bolas paradas.

Sofrimento alvinegro continua
Sofrimento alvinegro continua

Apesar de ter sido melhor, o Ceilândia não criou situações claras de gol, Ao contrário, o Brasília teve uma chance num escanteio e por pouco abriu o placar.

No segundo tempo, o Ceilândia abriu o placar logo aos cinco minutos. Alisson conseguiu desvencilhar-se dos zagueiros e bateu na saída do goleiro. No rebote, Elvis abriu o placar.

Agora, Ceilândia terá a vantagem de jogar em casa
Agora, Ceilândia terá a vantagem de jogar em casa

O Ceilândia continuou melhor. O Brasília não chegava e o Gato Preto desinteressou-se pelo jogo. Foi o erro alvinegro: dar chance ao azar.

Quando a partida se encaminhava para a primeira vitória alvinegra, Kaka aproveitou o vacilo alvinegro e empatou o jogo. Castigo, muito castigo para o alvinegro.

 

Related Images:

Comentarios

Comentarios

Start a Conversation