Ainda restam 90 minutos

O Brasília começou envolvendo o Ceilândia
O Brasília começou envolvendo o Ceilândia

O Ceilândia foi derrotado pelo Brasília por 2×1, partida válida pelas quartas-de-final do Campeonato Candango 2014. Agora o alvinegro precisa vencer o adversário por dois gols de diferença para alcançar as semi-finais.

Foi um  excelente espetáculo, se não pela técnica apresentada pelas equipes, mas porque houve de tudo que um torcedor espera: gols,  polêmica, emoção e muito, muito espírito de luta.

Na cabeçada de Badhuga, o Ceilândia levou perigo: time dependente da bola aérea
Na cabeçada de Badhuga, o Ceilândia levou perigo: time dependente da bola aérea

O Brasília começou melhor. O Ceilândia até que tentou impedir o melhor que o Brasília tem, que é a jogada trabalhada desde a sua linha de defesa.

Como não marcou a saída de bola adversária, o Ceilândia permitiu que o Brasília aos poucos o empurrasse para o seu campo de defesa. Não que o Gato Preto estivesse acuado, mas era claro que o Brasília chegava com mais qualidade ao ataque.

Thiaguino foi atingido: mais confusão
Thiaguino foi atingido: mais confusão

Não demorou muito e o alvirrubro abriu o marcador. Alekito cortou para dentro, tirando Jeff Silva da jogada, e bateu forte no canto direito de França.

Com seis minutos e atrás no marcador e sem inspiração, restava ao Ceilândia o coração. Foi na base da raça que o Ceilândia equilibrou o jogo.

Chances de empatar até houve, mas o Gato Preto não chegou com qualidade. O Brasília também não chegou.

Jeff Silva: falhou no primeiro gol e isso fica. Depois, deu muito trabalho à defesa do Brasília
Jeff Silva: falhou no primeiro gol e isso fica. Depois, deu muito trabalho à defesa do Brasília

Tudo mudou quando Juninho foi expulso. Com um a menos e atrás no marcador, parecia que o Ceilândia estava morto na partida: não foi isso que aconteceu.

Mesmo em desvantagem numérica, o Gato Preto manteve o jogo equilibrado, mas o primeiro tempo terminou com o Brasília à frente.

Juninho foi expulso: jogador importante, vai fazer muita falta
Juninho foi expulso: jogador importante, vai fazer muita falta

 

Veio o segundo tempo e o CEC empatou logo aos 3 minutos, com Gilmar Herê em boa jogada com Cassius.

O Ceilândia tinha um corredor aberto pela esquerda de ataque. Inexplicavelmente, Gilmar Herê deixou a esquerda e foi para a direita. O Ceilândia continuou melhor pela esquerda, obrigando o técnico do Brasília a trocar o seu lateral.

E deu certo. O Brasília recuperou o controle do jogo e, aos 25, passou novamente à frente no marcador com Daniel.

Thiaguinho e Elvis: apagados em um jogo vibrante
Thiaguinho e Elvis: apagados em um jogo vibrante

O Ceilândia, que naquele momento já não contava com Elvis e Alan Delon e sim com Adriano Felício e Caio, sentiu o golpe. O Brasília passou a administrar o jogo até que, em um lance fortuito, Andre Nunes deu um carrinho violento em Gilmar Herê e foi expulso.

O Ceilândia, na base do coração, foi todo ao ataque. Perdeu algumas chances de gol e poderia ter empatado.

No final, a derrota deixa o Gato Preto numa situação desconfortável para a partida desse domingo, 20h30, no Serejão: precisa vencer o Brasília por dois gols de diferença.

Ao que se viu dessa sexta, não vai faltar coração, mas vai ser preciso jogar mais.

 

Comentarios

Comentarios