Com cara de decisão: CEC e Sobradinho empatam

No clássico alvinegro do DF, as defesas levaram vantagem sobre os ataques
No clássico alvinegro do DF, as defesas levaram vantagem sobre os ataques

Pode-se dizer que o Ceilândia enfrentou hoje a sua primeira partida de mata-mata. É claro que ainda faltam duas rodadas, mas o jogo teve todo o tempero de um jogo decisivo.

Mais uma vez sem público, o Ceilândia enfrentou o Sobradinho na tarde desta quarta-feira, no Estádio Regional de Ceilândia. Assim como aconteceu nos últimos três jogos, o confronto terminou empatado, agora sem gols.

Tarta teve a sua mais discreta atuação dos últimos jogos
Tarta teve a sua mais discreta atuação dos últimos jogos

Um observador pouco atento ficaria tentado a dizer que o Sobradinho jogou melhor. Na verdade, o que se viu em campo foram dois times com propostas distintas de jogo. Isso faz toda a diferença.

O Sobradinho é um time que avança do meio para o ataque procurando estruturar bem o seu jogo. O Ceilândia dá campo ao adversário e tenta se aproveitar do contra-ataque. São formas assimétricas de fazer futebol.

Cassius teve duas oportunidades no primeiro tempo, ambas sem angulo
Cassius teve duas oportunidades no primeiro tempo, ambas sem angulo

O Sobradinho começou melhor no primeiro tempo. Procurou envolver o CEC nos primeiros minutos. O Gato Preto reagiu e teve a iniciativa na maior parte da primeira etapa. Os goleiros pouco trabalharam. As chances estiveram nos pés de Cassius por duas vezes, ambas com pouco ângulo e em jogadas de bola parada.

O segundo tempo  pode ser dividido em dois períodos. Até os 20 minutos, o Gato Preto conseguiu opor alguma resistência ao volume de jogo do Sobradinho. O CEC teve ao menos duas oportunidades, uma delas muita clara com Filipe Cirne.

Filipe Cirne fez bela jogada, mas falhou na conclusão
No segundo tempo, Filipe Cirne fez bela jogada, mas falhou na conclusão

Depois dos 25 minutos, o CEC perdeu a sincronia na passagem da defesa para o ataque. Daí para a frente o Sobradinho dominou e poderia ter saído na frente do marcador, se não fosse a má pontaria de seus atacantes.

Na oportunidade mais clara, Vitão salvou sobre a linha após o cabeceio adversário.

Sem conseguir sair da defesa para o ataque, Adelson mexeu na estrutura ofensiva: colocou Mário, Pablo e Caio nos lugares de Filipe Cirne, EdiCarlos e Cassius.

EdiCarlos obrigou Pedro a fazer boa defesa: 0 x 0 justo
EdiCarlos obrigou Pedro a fazer boa defesa: 0 x 0 justo

Se não funcionou, permitindo que o CEC ameaçasse a meta adversária, ao menos serviu para empurrar o Sobradinho alguns metros distantes da grande área do Gato Preto.

No final o empate sem gols que classificou o Ceilândia para as quartas-de-final.

Cassius: papel importante na equipe alvinegra
Cassius: papel importante na equipe alvinegra

Após a partida, o técnico Adelson de Almeida elogiou a postura de sua equipe. Adelson disse que o comportamento de seu jovem time demonstrou que a equipe tem evoluido mentalmente. O resultado disso é que a equipe tem oscilado menos, tal como ocorrera no início da competição.

Apesar dos elogios a seus comandados, Adelson reiterou que se a equipe precisa de uma ou duas peças para poder sonhar um pouco mais. Acrescentou, contudo, que os reforços esbarram na política de pés-no-chão implantada na equipe.

No sábado, o CEC volta a jogar, agora contra o Cruzeiro. O CEC precisa da vitória para almejar uma melhor posição para as quartas-de-final. Fora disso, o CEC entrará no mata-mata em desvantagem. Em 2014 isso pesou muito.

Related Images:

Comentarios

Comentarios