Castigo: Quarentinha comemora o empate

Difícil de engolir: Ceilândia 1 x 1 Planaltina

Antes do jogo, homenagem a Beni Monteiro, ex-presidente, falecido há uma semana
Antes do jogo, homenagem a Beni Monteiro, ex-presidente, falecido há uma semana

O Ceilândia começou a competição como um dos favoritos. A tabela reservou ao Gato Preto três jogos sob medida no início da competição. Depois desses jogos, o Ceilândia passa a enfrentar os demais favoritos.

Esperava-se que o Ceilândia se valesse do início da competição para acumular as gorduras necessárias a garantir a tranquilidade. Não foi isso que aconteceu. Em três jogos, uma vitória e dois empates contra equipes que devem lutar para não cair.

O Ceilândia foi superior o jogo inteiro, mas incapaz de criar situações claras de gol
O Ceilândia foi superior o jogo inteiro, mas incapaz de criar situações claras de gol

Na tarde deste sábado, no Estádio Regional, viu-se mais do mesmo. A SE Planaltina de Goiás veio com uma proposta muito clara de jogo: marcar a partir de sua própria intermediária. Do outro lado, o que se viu foi um Ceilândia incapaz fazer valer o seu melhor futebol.

O primeiro tempo de Ceilândia e Planaltina foi debaixo de muita chuva. O Ceilândia teve a iniciativa do jogo, mas foi incapaz de criar uma situação clara de gol. O Planaltina esperava uma bola, que também não veio no primeiro tempo.

Apesar da chuva, bom público no Regional
Apesar da chuva, bom público no Regional

Veio o segundo tempo e o Ceilândia mostrou, nos 10 primeiros minutos, uma intensidade que não se viu até o momento da competição. Empurrou o adversário contra o seu campo de defesa, retomava todas as bolas ainda na intermediária de ataque, alternou jogadas pela direita e pela esquerda e tornou o gol possível.

Aos quatro minutos, Filipe Cirne, que tivera um primeiro tempo de esquecer, foi derrubado dentro da área. Pênalti claro. Ele mesmo bateu e converteu.

Filipe sofre falta dentro da área: pênalti que ele mesmo converteu
Filipe sofre falta dentro da área: pênalti que ele mesmo converteu

O Ceilândia continuou melhor e poderia ter aumentado a vantagem. Não o fez. Aos 11, Kabrine foi expulso, deixando o Ceilândia com 10.

A superioridade do Ceilândia era tamanha que a inferioridade numérica não era algo que preocupava. Bastava manter o padrão.

Kabrine é expulso: expulsão foi determinante
Kabrine é expulso: expulsão foi determinante

A vitória se encaminhava tranquila até que aos 37, Gabriel foi extremamente infeliz. Displicente no controle de uma bola que não oferecia qualquer perigo, foi desarmado dentro da área. Na sequência, Quarentinha empatou.

O Ceilândia foi para cima na base da garra. Wisman, que entrara no lugar de Dudu (que saíra com caimbras!?) fez um belo cruzamento, mas Chefe não conseguiu chegar na bola.

Reservas assistem atônitos a falha de Gabriel que resultaria no gol de empate do Planaltina
Reservas assistem apreensivos a falha de Gabriel que resultaria no gol de empate do Planaltina

Final de jogo: Ceilândia 1 x 1 SE Planaltina de Goiás. O Ceilândia perdeu quatro pontos contra times que, a princípio, não perderia. O técnico Adelson de Almeida, há algum tempo, preocupava-se com essa possibilidade.

Castigo: Quarentinha comemora o empate
Castigo: Quarentinha comemora o empate

O seu elenco é um elenco acostumado a grandes jogos e talvez, acreditava, não entrasse suficientemente concentrado contra times menores. Os quatro pontos farão falta, a menos que o elenco realmente comprove que é um elenco talhado para grandes jogos.

Nos próximos finais de semana, o Ceilândia enfrentará Brasiliense e Gama.

Comentarios

Comentarios

Start a Conversation