Sistema defensivo do Ceilândia bateu cabeça no primeiro tempo

Ceilândia perde para América-RN e sonho da C fica para depois

Pedrão não consegue rebater. O América faria 1 x 0
Pedrão não consegue rebater. O América faria 1 x 0

O sonho da Série C  fica para depois. Jogando na noite deste sábado em Natal-RN, o Ceilândia foi derrotado pelo América e está fora das disputas pelo acesso.

Thadeu abriu o placar logo no primeiro lance do jogo
Thadeu abriu o placar logo no primeiro lance do jogo

Foi um jogo em que algumas coisas ficaram claras: o América foi superior ao Ceilândia em quase todos os aspectos relacionados com futebol. Foi superior em estrutura de jogo, foi superior tecnicamente e, se serve de consolo, o Ceilândia igualou em vontade. Vontade apenas não serve.

Sistema defensivo do Ceilândia bateu cabeça no primeiro tempo
Sistema defensivo do Ceilândia bateu cabeça no primeiro tempo

O jogo mal começou e o América fez 1 x 0 com Thadeu. Um chutão em direção à defesa do Ceilândia, a indecisão de Pedrão, Thadeu passou por Badhuga e bateu na saída de Artur que nada pode fazer.  Não haveria maneira pior de começar esse jogo.

Ceilândia dava muito espaço e jamais forçou o erro do adversário
Ceilândia dava muito espaço e jamais forçou o erro do adversário

O América continuou melhor. O Ceilândia lutava para sair de seu campo de defesa. Filipe Cirne e Carlos Henrique jogavam de costas para seus marcadores. A impressão que passava é que ambos pareciam acomodados com a marcação individual que sofriam.  Sem opções na transição, o Ceilândia era uma presa fácil.

Filipe Cirne não esteve bem, sai valorizado da competição, mas tem muito que progredir
Filipe Cirne não esteve bem, sai valorizado da competição, mas tem muito que progredir

O América continuou rondando a área alvinegra. Faltava-lhe o último passe, mas as oportunidades surgiam aqui e acolá. Foi num lance despretensioso que o jogo mudou. Sidney tentou de longe e fez América 2 x 0.

Lauro mostrou em poucos minutos ser um bom jogador
Lauro mostrou em poucos minutos ser um bom jogador

Os times voltaram para o segundo tempo diferente. O América acomodado pela vantagem, o Ceilândia com Alcione. A acomodação do América quase lhe custa caro. Aos 8, Filipe Cirne desviou a bola para Carlos Henrique e progrediu em direção ao gol e na entrada da grande área bateu para diminuir: América 2 x 1 Ceilândia.

Carlos Henrique foi o único a conseguir jogar nas costas dos volantes americanos: premiado com o gol
Carlos Henrique foi o único a conseguir jogar nas costas dos volantes americanos: premiado com o gol

O gol assustou o América, que já não conseguia envolver a defensiva alvinegra.  O Ceilândia passou a rondar a área americana, mas sem criar grandes oportunidades. A torcida alvirrubra sentiu o perigo e mostrou que torcida resolve: começou a gritar incessantemente até o time americano acordar.

Os últimos minutos foram do América. O time potiguar esteve mais próximo do terceiro que o Ceilândia do empate. O América segue adiante. O Ceilândia termina uma temporada.

Comentarios

Comentarios