Categoria: Feminino

Alane artilheira; Bia e Valéria: parabéns meninas

Feminino: Ceilândia campeã

Alane artilheira; Bia e Valéria: parabéns meninas
Alane artilheira; Bia e Valéria: parabéns meninas

O Ceilândia feminino, meninas e comissão técnica, mereciam terminar o ano em alto estilo. A vitória sobre o Recanto das Emas na final da Taça das Favelas vem coroar um trabalho difícil,  mas que tem produzido resultados positivos nas vidas dessas guerreiras.

Não foi uma vitória fácil: Recanto das Emas mostrou ter um bom time
Não foi uma vitória fácil: Recanto das Emas mostrou ter um bom time

Outro aspecto a ser destacado foi a boa atuação do time do Recanto das Emas. Sabe-se que Ceilândia tem um futebol feminino forte, com jogadoras na seleção brasileira e nos principais times da cidade.

Alane fez o 3 gols da decisão
Alane fez o 3 gols da decisão

Jogadoras como Novinha e Victoria, ambas atualmente no Minas, não formaram o time da cidade. Mesmo assim, Ceilândia foi campeã com uma campanha impecável. 

Comissão Técnica também de parabéns
Comissão Técnica também de parabéns

Na primeira rodada Ceilândia venceu Sobradinho por 4 x 2.  Na segunda o adversário foi o Riacho Fundo e nova vitória 4 x 1. Na semifinal Ceilândia enfrentou Gama e garantiu a passagem para a final com vitória por 3 x 1. 

Banho da comemoração
Banho da comemoração

Na final, com três gols de Alane, vitória por 3 x 0 sobre o interessante time do Recanto das Emas. 

Vitória da cidade, mais que do Ceilândia, mas também vitória do Ceilândia
Vitória da cidade, mais que do Ceilândia, mas também vitória do Ceilândia

Alane foi artilheira da competição com 6 gols. Valéria garantiu o prêmio de goleira menos vazada. Parabéns a todos, meninas e comissão técnica por terem elevado o nome da nossa cidade.

A mais bela bandeira: Ceilândia também campeão no masculino da Taça das Favelas
A mais bela bandeira: Ceilândia também campeão no masculino da Taça das Favelas

E não ficou por aí. Ceilândia também sagrou-se campeã no futebol masculino. Depois de passar por Samambaia Sul nas semis, foi a vez de Ceilândia disputar a final com Samambaia Norte. Depois de 1×1 com a bola rolando, Ceilândia sagrou-se campeã nos pênaltis.

Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas

Decisão: Ceilândia tem enorme desafio na final

Time da final em 2015 não foi páreo para o Cresspom.
Time da final em 2015 não foi páreo para o Cresspom.

Neste sábado, 13h, o time de futebol feminino do Ceilãndia tem um enorme desafio na decisão do Campeonato Candango de 2017.

O Ceilândia enfrentará o Minas, atual campeão do DF e grande favorito ao título. O Minas venceu todos os seus compromissos na fase de classificação, inclusive o próprio Ceilândia, por três ou mais gols de diferença.

Desta vez a final será no Mané Garrincha contra o Minas
Desta vez a final será no Mané Garrincha contra o Minas

O Ceilândia conta com o retorno de Isabella, ainda um pouco fora de forma depois de longo tempo se recuperando de uma lesão no tornozelo.Nycole, artilheria da competição, é presença garantida.

Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas
Ceilândia volta a enfrentar o Minas e vai ter que se superar se quiser ser campeão

No papel o Minas é o franco favorito. O time do Ceilândia cresceu de produção durante a competição. Ainda vai ter que se superar muito se quiser sagrar-se campeão, mas no futebol tudo é possível. As meninas já venceram o Minas antes e podem fazê-lo novamente.

Essa não é a primeira vez que o time feminino do Ceilândia chega a uma decisão. Em 2015 chegou na final diante do Cresspom. Tal como agora, o jovem time do Ceilândia enfrentava um time muito superior e daquela vez não teve jeito e o Gato Preto foi derrotado na final.

 

 

dkdkdk

kdkdkd

kdkdk

Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição

Ceilândia vence e está na final do Candangão Feminino de 2017

O resultado não reflete as dificuldades enfrentadas pelo Ceilândia
O resultado não reflete as dificuldades enfrentadas pelo Ceilândia

O Ceilândia classificou-se para as finais do Candangão Feminino de 2017. Jogando na manhã deste domingo no Estádio Regional do Ceilândia, o Gato Preto venceu valente time do São Sebastião por 4 x 1. Como havia também vencido o jogo de ida, o Ceilândia disputará, provavelmente contra o Minas,  quem será o campeão do DF de 2017.

São Sebastião compensava dificuldades técnicas com muita luta
São Sebastião compensava dificuldades técnicas com muita luta

Não foi um jogo fácil. O São Sebastião compensava o fato de ser tecnicamente inferior com um forte espírito de luta. Com isso, o time da zona leste do Distrito Federal manteve o jogo de intermediária a intermediária. A diferença é que o Ceilândia possui talentos individuais superiores. Com isso, Nycole e Laíssa fizeram 2 x 0 no primeiro tempo.

Laíssa fez Ceilândia 2 x 0
Laíssa fez Ceilândia 2 x 0

Veio o segundo tempo e o Ceilândia veio com uma surpresa. Isabella, que pouco  participou da fase de classificação, entrou para compor o meio. A jogadora mostrou parte do conhecido talento, mas ainda parecia fora ritmo de jogo. Mesmo assim, foi importante nos dois gols que Nycole fez para abrir 4 x 0.

Isabella voltou a formar dupla com Nycole.
Isabella voltou a formar dupla com Nycole.

Com a larga vantagem no placar, o Ceilândia caiu de produção e permitiu ao São Sebastião que descontasse com Da Rosa. 

Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição
Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição

O Ceilândia está classificado para as finais. O provável adversário é o forte time do Minas que goleou o Ceilândia na estreia por 4 x 0. Há duas verdades relacionadas a esse confronto. No primeiro jogo o Ceilândia ainda engatinhava em sua preparação. Era um time ainda em formação. 

São Sebastião teve o espírito de luta recompensado com um gol no final
São Sebastião teve o espírito de luta recompensado com um gol no final

A outra verdade é que o Minas, atual campeão do DF, é um time muito forte para os padrões do Distrito Federal. Do lado do Ceilândia espera-se superação, o resultado é um consequência dos desíginios de futebol.

A final será disputada em única partida, no próximo domingo, em local a ser definido.

Veja, abaixo, algumas imagens do jogo.

Ceilândia goleia São Sebastião e fica próximo das finais do Candangão Feminino 2017

Ceilândia deu um grande passo por um lugar nas finais do Candangão Feminino 2017
Ceilândia deu um grande passo por um lugar nas finais do Candangão Feminino 2017

O time de futebol feminino do Ceilândia deu um gigantesco passo em direção às finais do Candangão 2017. Jogando na tarde deste domingo, no mesmo horário em que o profissional, as meninas do Ceilândia golearam o São Sebastião por 9 x 1 e somente um gigantesco desastre afasta o Gato Preto das finais do campeonato deste ano.

A vitória alvinegra foi construída com relativa facilidade. Nycole abriu o marcador para o Ceilândia. Logo em seguida Amanda fez 2 x 0. Nycole fez o terceiro. Lauana, Laíssa e Nycole novamente fizeram Ceilândia 6 x 0.

Nycole e Alane conduziram o Ceilândia a importante vitória
Nycole e Alane conduziram o Ceilândia a importante vitória

O São Sebastião descontou com Andreia cobrando penalidades. Alane, uma das grandes revelações deste ano, fez Ceilândia 7 x 1.  A mesma Alane fez o oitavo e o nono gol alvinegros.

Os times voltam a se enfrentar no próximo final de semana. Na outra semifinal, o grande favorito ao título deste ano, o Minas enfrenta o Gama.

Ceilândia desperdiçou muitas oportunidades

Feminino avança às semifinais do Candangão 2017

Ainda abaixo do que jogou em 2016, Ceilândia está na semifinal
Ainda abaixo do que jogou em 2016, Ceilândia está na semifinal

O Ceilândia venceu o São Sebastião por 4 x 2 na manhã deste domingo. Com o resultado, o Gato Preto avança às semifinais do Candangão Feminino 2017.

O Ceilândia enfrentará o São Sebastião nas semis
O Ceilândia enfrentará o São Sebastião nas semis

Não foi um jogo fácil. A partida começou truncada no meio de campo, com o Ceilândia sendo mais perigoso nos contra-ataques. 

Jogo começou truncado
Jogo começou truncado

Após as dificuldades iniciais, o Ceilândia construiu a vitória com dois gols de Nycole e outros dois gols de Alane. 

Nycole fez dois e chegou a 14 gols na competição
Nycole fez dois e chegou a 14 gols na competição

Com esse resultado o Ceilândia terminou a fase de classificação em segundo lugar e enfrentará o próprio São Sebastião.

Ceilândia desperdiçou muitas oportunidades
Ceilândia desperdiçou muitas oportunidades

Na outra semifinal enfrentam-se o grande favorito, o Minas Icesp e o Gama. 

Ceilândia teve que correr para garantir a vitória
Ceilândia teve que correr para garantir a vitória

O Ceilândia espera contar com Isabella para os jogos das semifinais.

Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany

Com 10 gols de Nycole, Ceilândia se reabilita

Taguatinga assustou, mas o ataque garantiu a vitória
Taguatinga assustou, mas o ataque garantiu a vitória

O Ceilândia conquistou a sua primeira vitória no Candangão 2017 ao vencer o Taguatinga por 22 a 2. O placar bem revela o desnível entre as diversas equipes que disputam a modalidade feminina no Distrito Federal.

Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany
Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany

O jogo se manteve equilibrado até os 20 minutos do primeiro tempo. Até ali o placar apontava 3 x 2 para o Ceilândia. Stephany abriu o marcador aos 6, Marcela amplicou aos 9 e Alani fez 3×0. O Taguatinga rapidamente reduziu o marcador com gols de Meire aos 13 e Priscila aos 19. 

Nycole demorou a fazer o primeiro. Depois, fez 10 gols
Nycole demorou a fazer o primeiro. Depois, fez 10 gols

Depois disso começou o show pessoal de Nycole. Convocada para a seleção brasileira sub 20, a atacante fez mais dez (!) gols (25, 29, 36 e 41 do primeiro tempo e 9, 11, 13, 22, 40 e 44 do segundo). Marcela e Alani voltaram a marcar aos 28 e 43 do primeiro tempo. 

Bruna também fez o dela
Bruna também fez o dela

Stephany marcou outros três gols (aos 46 do primeiro, 3 e 19 do segundo tempo). Bruna fez aos 15 do segundo tempo enquanto que Laíssa fez três gols (aos 24, 35 e 42 do segundo tempo). 

Elenco do Ceilândia é mais rodado: enorme diferença de maturidade
Elenco do Ceilândia é mais rodado: enorme diferença de maturidade

O resultado demonstra que o Ceilândia é uma força da competição. A Comissão Técnica, contudo, não se empolga: sabe que o grande adversário é o Minas e por isso prega seriedade para encurtar a distância para o atual campeão do DF.

Nycole comemora um de seus dez gols
Nycole comemora um de seus dez gols

O jogo contou com a arbitragem da nova geração de árbitros do Distrito Federal: Matheus Moraes foi auxiliado por Vinício Assis e Adão de Jesus. Cláudia Rodrigues foi o 4o árbitro.

Matheus Morais: nova geração de árbitros
Matheus Morais: nova geração de árbitros

Na próxima semana o Ceilândia volta a folgar no campeonato local. Tempo para Isabela recuperar-se.

Feminino: Um difícil começo

 
Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas
Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas
Ceilândia estreou no CANDANGÃO FEMININO 2017 com derrota. O jogo deste domingo 19/03 foi contra a atual campeã do campeonato o MINAS ICESP. 
 
 O jogo foi disputado sob um clima frio. O primeiro tempo de jogo não foi fácil para a goleira do Gato e sua equipe. A diferença entre os níveis de preparação entre as equipes era evidente. O Ceilândia foi dominado por seu adversário na maior parte do tempo. O primeiro gol do Minas, contudo, somente veio em um lance de  bola parada.
 
Dez minutos depois, o Minas fez o segundo. O resultado fazia jus ao estágio de preparação do adversário. O Ceilândia era valente, teve algumas oportunidades de finalizar, mas, de concreto, nada fez.
 
Veio o segundo tempo e o Minas manteve sua superioridade. O adversário era mais organizado e fisicamente mais inteiro que o Ceilândia. O terceiro gol era só uma questão de tempo. E aconteceu.
 
O segundo tempo pareceu uma eternidade para as meninas do Ceilândia. Fisicamente esgotadas, restava ao Gato Preto compensar as deficiências com muita luta.
 
A luta não impediu que o Minas fizesse o quarto gol. O campeonato começa com o Ceilândia aprendendo algumas lições. A principal delas é que o time vai precisar trabalhar muito para repetir a campanha de 2016.
Enquanto Isabella saía de campo sozinha, demais jogadoras eram solidárias

Feminino está fora da final: meninas guerreiras

Arbitragem de final do Candangão 2016
Arbitragem de final do Candangão 2016

O sonho de chegar à final do Candangão 2016 chegou ao fim. Na tarde deste domingo, no Augustinho Lima, as meninas do Ceilândia surpreenderam o Cresspom e fizeram uma partida muito boa, mas ainda insuficiente para garantir-lhes uma vitória diante do atual campeão candango.

Cresspom começou melhor, mas o Gato Preto comandou as ações
Cresspom começou melhor, mas o Gato Preto comandou as ações

O jogo contou com a arbitragem do Rodrigo Raposo, que apitou a final do campeonato profissional de 2016.

O Cresspom começou melhor os primeiros quinze minutos de jogo. Aos poucos, contudo, o Ceilândia assumiu a iniciativa do jogo e passou a rondar a área adversária.

A garra do time, de Amanda em especial, é cativante
A garra do time, de Amanda em especial, é cativante

Apesar da iniciativa, o Ceilândia não criou oportunidades claras de gol, mas levou perigo ao menos duas vezes na primeira etapa.

Veio o segundo tempo e havia o temor de que a consistência do time do Cresspom fizesse a diferença. A juventude do Ceilândia cobra um preço em consistência no jogo mental e na consistência como equipe

Isabella pareceu desconfortável com a cobrança: apagada em campo
Isabella: muito talento e muito que aprender

O Ceilândia voltou mantendo o mesmo ritmo do primeiro tempo. Era uma surpresa para quem esperava que o Cresspom voltasse melhor. A sorte, contudo, desempenhou um papel importante ainda aos 4 minutos de jogo no segundo tempo.

Num lance de bola na mão, Valéria fez uma grande defesa  e cedeu o escanteio. Na cobrança, o Cresspom fez o primeiro gol da partida. A comemoração do Cresspom demonstra o quanto o atual campeão sofria naquele momento.

20160515cesspom3x0ceilandia_097

O Ceilândia não sentiu o gol. Continuou na sua batida, mas sem criar oportunidades claras de gol. O time do Cresspom é experiente, consistente e não se enerva… esperava um momento para matar o jogo. No contra-ataque, penalti para o Cresspom que fez 2 x 0 aos 29 minutos.

Comemoração do Cresspom demonstra o quanto estavam tensos com o domínio do Ceilândia
Comemoração do Cresspom demonstra o quanto estavam tensos com o domínio do Ceilândia

O gol definia a classificação. O Ceilândia perdeu em estrutura, mas continuou lutando, em busca de um gol que lhedevolvesse a esperança. Aos 36, o golpe fatal: Cresspom 3 x 0.

A diferença pode parecer excessiva, mas dá a exata noção da maturidade dos trabalhos.

Enquanto Isabella saía de campo sozinha, demais jogadoras eram solidárias
Enquanto Isabella saía de campo sozinha, demais jogadoras eram solidárias: time de meninas guerreiras

O resultado, para quem vive o futebol, espelha a diferença da estrutura dos dois times. O Ceilândia é um time jovem em todos os aspectos… mas honra a mística da camisa alvinegra com muita luta… isso é que é importante.

Valeria mais uma vez foi importante

Feminino: Ceilândia está vivo nas semifinais

Jogo muito disputado: Ceilândia fez a sua melhor partida até hoje contra o Cresspom
Jogo muito disputado: Ceilândia fez a sua melhor partida até hoje contra o Cresspom

O Ceilândia jogou na manhã deste domingo contra o Cresspom no Estádio Regional em jogo válido pelas semifinais do Candangão Feminino de 2016.

O Ceilândia começou melhor e logo aos 5 minutos Nycole roubou a bola da goleira adversária e serviu para que Isabella abrisse o marcador: Ceilândia 1 x 0.

Isabella depende do time e o time de Isabella: melhor do jogo
Isabella depende do time e o time de Isabella: melhor do jogo

O Ceilândia continuou melhor durante boa parte do primeiro tempo. Bem postado e controlando a ansiedade, o Ceilândia trocava bolas como ainda não havia neste campeonato.

Com o passar do tempo, o  Cresspom foi se impondo no jogo. Num lance isolado, Valéria acabou cometendo penalti, mas em seguida se redimiu e fez uma espetacular defesa.

Nycole não fez, mas teve participação decisiva nos dois gols alvinegros
Nycole não fez, mas teve participação decisiva nos dois gols alvinegros

O Ceilândia voltara a depender unicamente da ligação direta para Novinha e Nycole ou da genialidade de Isabella. Defensivamente, o Gato Preto ia bem, mas não demorou  e o Cresspom empatou com Pitbull. A defesa do Ceilândia reclamou (e muito possivelmente com razão) de impedimento.

O Gato Preto sentiu o gol do adversário. O Cresspom continuava a rondara grande área alvinegra até que Dani fez o segundo gol do Cresspom.

Valeria mais uma vez foi importante
Valeria mais uma vez foi importante

O Ceilândia não se achava em campo. Compensava as dificuldades do momento com muita luta. O time talvez não entendesse o quanto que Isabella pode fazer para o time e Isabella talvez não compreendesse o quanto o time faz por ela.

O fato é que, na base da superação, o Ceilândia terminou o primeiro tempo perdendo apenas por 2 x 1.

Novinha compõe ao lado de Isabella e Nycole o trio de ouro do Ceilândia: o time precisa delas e elas precisam do time
Novinha compõe ao lado de Isabella e Nycole o trio de ouro do Ceilândia: o time precisa delas e elas precisam do time

Veio o segundo tempo e assistiu-se a algo que não se vira em todos os confrontos entre Ceilândia e Cresspom até hoje. O Ceilândia tomou, consistentemente, a iniciativa do jogo.

Isso não significa que o Ceilândia criava chances claras de gol, mas fez o suficiente para que o Cresspom  passasse a jogar com bolas longas, algo que não se vira em qualquer dos confrontos.

CEC teve muito trabalho: consciente na defesa, CEC não deu vida fácil para o Cresspom
CEC teve muito trabalho: consciente na defesa, CEC não deu vida fácil para o Cresspom

Aquele momento da partida mostrou o quanto que o Ceilândia evoluíra nos confrontos diante do Cresspom.  Nos primeiros minutos da partida, quem piscasse primeiro levaria o gol… o Ceilândia levou.

Aos 23, o Ceilândia estava reduzido a dez mulheres: a lateral direita permaneceu caída na entrada da área. O Cresspom recuperou a bola no seu campo de defesa, avançou pela direita e, após o cruzamento, Pitbull fez o seu segundo gol.

Valéria foi corajosa: impediu que o adversário ampliasse a vantagem
Valéria foi corajosa: impediu que o adversário ampliasse a vantagem

Uma ducha de água fria na meninas alvinegras.

O Cresspom que até então estava em dificuldades recuperou a confiança e o domínio do jogo. Por ao menos três oportunidades poderia ter aumentado. Em duas a bola explodiu no travessão, na terceira a competente Valéria impediu.

Isabella recebeu de Nycole para tocar com "nojo" no canto esquerdo da goleira adversária: um golaço!
Isabella recebeu de Nycole para tocar com “nojo” no canto esquerdo da goleira adversária: um golaço!

Nos minutos finais, o Ceilândia parecia fisicamente esgotado… mas o Ceilândia tem Nycole e o Ceilândia tem Novinha e, principalmente, Isabella.

Aos 43 minutos, Nycole ganhou a disputa na intermediária. Avançou e tocou para Isabella. Isa não se assustou com a presença da goleira adversária e, da entrada da grande área, tocou, com muita categoria, no canto esquerdo da goleira. Um golaço.

As meninas do CEC que entraram no decorrer do jogo mantiveram a pegada. Decisão, agora, no jogo de volta
As meninas do CEC que entraram no decorrer do jogo mantiveram a pegada. Decisão, agora, no jogo de volta

Após o gol, o jogo ficou franco. O Ceilândia rondou a área adversária sendo parado por faltas sucessivas, mas o Cresspom também é perigoso nos contra-ataques e poderia ter ampliado.

No final, o Ceilândia perdeu por 3 x 2. Perdeu o jogo, mas sabe, se fizer uma partida perfeita, pode superar as atuais campeãs e voltar a final em 2016.

Fotos do Jogo:

 

 

Feminino: Ceilândia vence Ascoop e vai enfrentar Cresspom nas semifinais

O jogo teve belas jogadas
O jogo teve belas jogadas

As meninas do CeilândiaEC jogaram na manhã deste domingo e venceram a Ascoop por 2 x 1.  O grande destaque do time alvinegro foi a goleira Rafa, autora de grandes defesas.

Muito desfalcado, o Ceilândia sentiu-se muito da ausência de Isabella. Na verdade o isolamento de Nycole e Novinha no ataque não é bem uma novidade: é a maneira como o Ceilândia joga.

O Ceilândia estava muito modificado
O Ceilândia estava muito modificado

O time alvinegro tem apostado num forte sistema defensivo. Com isso, costuma explorar os contra-ataques com as duas atacantes.

Foi exatamente isso que aconteceu. No primeiro tempo, o Ceilândia aproveitou um contra-ataque e Novinha fez 1 x0.

Nycole cativa por sua humildade e disciplina em um time que explora os contra-ataques
Nycole cativa por sua humildade e disciplina em um time que explora os contra-ataques

No segundo tempo despontou a estrela da goleira Rafa, autora de ao menos quatro importantes defesas. No final do jogo, em novo contra-ataque, Novinha fez Ceilândia 2 x 0.

O valente time da Ascoop não poderia sair de campo sem fazer ao menos um gol.  No último minuto o time da Ascoop descontou.

As dificuldades de treinamento tem cobrado um preço do Ceilândia: mas time chega às semis com a mesma campanha dos demais líderes
As dificuldades de treinamento tem cobrado um preço do Ceilândia: mas time chega às semis com a mesma campanha dos demais líderes

O Ceilândia vai enfrentar o Cresspom nas semifinais. O atual campeão candango tinha tudo para descontar a diferença de 10 gols que o separava da liderança.

Rafa salvou o dia alvinegro com boas defesas
Rafa salvou o dia alvinegro com boas defesas

As informações são de que o jogo contra o Planaltina terminou quando já se encontrava com uma vitória do Cresspom por 6 x 0. O Planaltina, que entrara com apenas 8 jogadoras, viu-se em campo com o número inferior ao permitido.

Na outra semifinal o Minas vai enfrentar o Gama.

Ceilândia deve enfrentar o Cresspom na semifinal, único adversário que o derrotou

Feminino: Ceilândia enfrenta Ascoop de olho no Cresspom

Ceilândia deve enfrentar o Cresspom na semifinal, único adversário que o derrotou
Ceilândia deve enfrentar o Cresspom na semifinal, único adversário que o derrotou

O Ceilândia folgou no último final de semana. A rodada trouxe resultados já esperados. Tudo indica que Ceilândia, Cresspom e Minas terminarão a fase de classificação empatados em pontos. Nos critérios de desempate, o Ceilândia provavelmente terminará na terceira colocação.

No último final de semana, o Cresspom venceu a Ascoop por 5 x 0, enquanto o Minas/ICESP venceu o Gama por 3 x 0. Com esses resultados, o Minas chegou a 15 pontos, com saldo de 30 gols positivos. Cresspom e Ceilândia tem atualmente 12 pontos, com o Cresspom possuindo o saldo de 20 gols positivos e o Gato Preto com apenas 9 gols positivo.

Ceilândia tem pouco a comemorar, mas muito a trabalhar se quiser repetir 2015
Ceilândia tem pouco a comemorar, mas muito a trabalhar se quiser repetir 2015

O cenário que se apresenta colocará o Ceilândia diante do Cresspom nas semifinais, único time que o derrotou na fase classificatória. O Minas/ICESP garante o primeiro lugar no geral, desde que o Cresspom vença o Planaltina por menos de 10(dez) gols de diferença.

O Gato Preto teve uma semana de folga. A esperança é que o time tenha tirado lições da derrota diante do Cresspom. Naquela partida, o Cresspom foi mentalmente mais forte que o Ceilândia. Truncou a partida, irritou o Ceilândia e saiu de campo com a vitória.

Para a partida deste final de semana, domingo, 10h, no Rorizão, o Gato Preto precisa exercitar a paciência contra um adversário que tem um bom sistema defensivo. Será um jogo de paciência, um bom exercício mental para os jogos das semifinais.

 

 

Curva de aprendizado: Cresspom ainda está melhor

Valéria foi muito exigida... suas defesas foram muito importantes
Valéria foi muito exigida… suas defesas foram muito importantes

Comissão Técnica e jogadoras do Ceilândia tiveram e terão, no jogo de hoje e nos próximos dias, uma das maiores oportunidades de aprender como o futebol funciona. O Ceilândia está mais próximo, mas precisa trabalhar e trabalhar para chegar no nível do Cresspom.

Alegria do Cresspom: time mais maduro com o CEC
Alegria do Cresspom: time mais maduro com o CEC

No jogo da manhã deste domingo, o Ceilândia pode ter sido inferior ao seu adversário,  em termos de organização tática e do ponto de preparação mental para o jogo, mas jamais faltou coração.

O Ceilândia é um time de grande coração, mas, como ficou claro, apenas coração e talentos individuais não são suficientes: é preciso estar preparado em todos os aspectos para vencer.

Ceilândia foi envolvido na maior parte do tempo
Ceilândia foi envolvido na maior parte do tempo

De maneira geral, o jogo foi muito equilibrado com as defesas levando vantagem sofre os ataques. Mas havia uma diferença: o Cresspom era um time mais maduro e consistente em campo. A transição defesa para o ataque do Cresspom sempre foi mais consistente. O time do Cresspom era mais sereno em campo.

Não faltou luta
Não faltou luta

O que o Ceilândia não tinha de organização tática, tinha de coração. Talvez coração demais. Na verdade, o time do Ceilândia precisava de tranquilidade e, principalmente, de uma liderança firme, mas serena. Fora disso, o Gato Preto era apenas um time talentoso tentando vencer na base da força e do coração.

Novinha luta contra duas: time depende das ligações diretas para Novinha e Nycole. Muito pouco
Novinha luta contra duas: time depende das ligações diretas para Novinha e Nycole. Muito pouco

Enquanto o time do Ceilândia era um time nervoso, incapaz de trocar três passes em profundidade sem apelar para os chutões dirigidos a Nycole e Novinha, o Cresspom forçava o erro do Ceilândia. Seria uma questão de tempo  que o erro acontecesse e esse erro veio no finalzinho do primeiro tempo. O Cresspom aproveitou-se e fez 1 x 0.

Luta desigual no campo de ataque:
Luta desigual no campo de ataque:

Veio o segundo tempo. O Cresspom continuou melhor porque era mais consistente. Era um time que não se enervava e a sua transição da defesa para o ataque era melhor. O Ceilândia era um time valente e se esquecia que o talento de Isabella, Novinha e Nycole precisa do time e o time precisa de Isabella, Novinha e Nycole.

Nycole é vítima do próprio talento: time acredita que ela resolverá sozinha
Nycole é vítima do próprio talento: time acredita que ela resolverá sozinha

O resultado disso é que Valéria foi muito exigida e fez diversas defesas difíceis. A defesa do Ceilândia lutava, lutava, lutava, mas o gol do Cresspom era uma questão de tempo. E aconteceu aos 32 do segundo tempo.

Isabella esteve nervosa: poderia ter sido expulsa
Isabella esteve nervosa: poderia ter sido expulsa

O Ceilândia é um time valente e tem que se recusar o papel de vítima. A valentia foi recompensada com o gol de Nycole. Foi talvez, o jogo mais equilibrado entre Ceilândia e Cresspom na história recente. Comissão técnica tem muito que aprender com esse jogo.

Zagueira do Gato levou uma cotovelada acidental: todos ficaram preocupados
Thauane levou uma cotovelada acidental: todos ficaram preocupados

O Ceilândia precisa aprender e trabalhar (e muito) se quiser vencer um time maduro como o Cresspom. O jogo, mais que o resultado, mostrou que o Ceilândia é um time menos rodado e menos treinado que seu adversário.  Não é o fim do mundo. O Ceilândia é um bom time, mas quem se pretende campeão, precisa melhorar sempre.

CEC terá que trabalhar muito, se quiser desafiar o Cresspom
CEC terá que trabalhar muito, se quiser desafiar o Cresspom

Menos verdadeira é a constatação de que Comissão Técnica e jogadores possuem  o material necessário para ser um grande time: talento e garra. Resta trabalhar.

 

 

Desfalcado, Ceilândia goleia Brazlandense

Ceilândia teve dificuldades contra Brazlandense
Ceilândia teve dificuldades contra Brazlandense

As meninas do Ceilândia tiveram uma mostra, na manhã deste domingo, que não basta ser melhor para vencer: é preciso jogar.

A lição espelhada aplica-se ao Brazlandense: a disposição permite que você equilibre o jogo, mas é sempre necessário algo mais.

Na maior parte do tempo, o CEC deu campo para o Brazlandia
Na maior parte do tempo, o CEC deu campo para o Brazlandia

Apesar do placar, foi um jogo difícil. O Brazlandense aproveitou-se do peculiar estilo de jogar do Ceilândia e tomou a iniciativa do jogo. O Ceilândia é um time que se defende bem e depende dos contra-ataques. Algo que lembra o time profissional.

Condições do campo também influenciaram: jogo complicado
Condições do campo também influenciaram: jogo complicado

Diferente da categoria profissional, o time feminino do Ceilândia tem jogadores que desequilibram técnica e fisicamente. Isso foi fundamental na manhã de hoje.

Adversário mostrou alguma qualidade, mas faltou pernas
Adversário mostrou alguma qualidade, mas faltou pernas

O Brazlandense surpreendeu o Ceilândia e saiu na frente. Assim terminou o primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o Brazlandense continuou tendo o surpreendente comando do jogo. Acontece que o Ceilândia tem Novinha. A atacante empatou no começo do segundo tempo, cobrando pênalti.

o Ceilândia tem melhores valores individuais
o Ceilândia tem melhores valores individuais

Não demorou muito e Novinha colocou o CEC em vantagem. Logo em seguida, Bruna ampliou.

O Brazlandense ainda diminuiu, mas Novinha fez mais dois e Bia deu números definitivos ao jogo.

e o Ceilândia tem Novinha
e o Ceilândia tem Novinha

Foi uma partida com muitos aprendizados de lado a lado. Sem suas maiores estrelas, o Ceilândia teve dificuldades para se impor diante de um apenas esforçado Brazlandense. No próximo final de semana, campeão e vice de 2015 vão se enfrentar. Boa hora para o CEC mostrar que está pronto para maiores desafios.

Um belo jogo!

O DNA do Ceilândia é sofrer… e vencer

Novinha comemora o terceiro gol do Gato
Novinha comemora o terceiro gol do Gato

Ceilândia e Minas/Icesp enfrentaram-se na manhã deste domingo, na Cidade do Gato, em jogo que valia a liderança isolada da competição.

As meninas do Ceilândia começaram melhor. Pressionaram as adversárias na saída de bola e conseguiram fazer o primeiro gol logo no começo, com Isabela batendo falta.

Nycole lutou muito. Cansada, acabou expulsa
Nycole lutou muito. Cansada, acabou expulsa

Depois do gol, o Ceilândia caiu de produção. O Minas/Icesp mostrou se uma equipe bem treinada.

Com um time compacto, subindo ao ataque de modo equilibrado, o Minas encurralou o Ceilândia e logo chegou ao empate com Andressa (Cacá) aproveitando um rebate e rebate dentro da área.

Ceilândia precisou de raça para superar um adversário que lhe foi superior na maior parte do tempo
Ceilândia precisou de raça para superar um adversário que lhe foi superior na maior parte do tempo

Até o final do primeiro tempo, o Minas foi senhor da situação. O Ceilândia tentava sair nos contra-ataques, mas depender apenas da força de Nycole era muito pouco.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida não mudou. O Ceilândia era um time dividido. Quando subia ao ataque deixava um enorme vazio em seu meio de campo.

Minas mostrou que é um time muito bom
Minas mostrou que é um time muito bom

O Ceilândia dependia de suas individualidades, porque o Minas, como time, era melhor naquele momento.

Acontece que o DNA do Ceilândia é sofrer. Não importa se seja no masculino, feminino, infantil, juvenil ou profissional. O Ceilândia é um time que normalmente ressurge da adversidade.

Novinha correu muito. Boa técnica e dois gols
Novinha correu muito. Boa técnica e dois gols

Após ser reduzida a 10 jogadoras, após a expulsão de sua lateral-direita, por incrível que pareça o Ceilândia melhorou. Equilibrou o jogo e a pressão do Minas diminuiu.

Apesar disso, foi em uma jogada de individualidade que o Ceilândia passou à frente no marcador. Nycole ganhou de duas defensores e cruzou rasteiro para Novinha fazer Ceilândia 2 x 1.

Isabela: sofreu com um Ceilândia dividido entre ataque e defesa
Isabela: sofreu com um Ceilândia dividido entre ataque e defesa

A alegria não durou muito. Cansada, Nycole usou de força desproporcional e o Ceilândia ficou reduzido a 9 jogadoras. Foi aí que apareceu a goleira do Ceilândia com defesas importantes.

No final, vitória alvinegra e confraternização
No final, vitória alvinegra e confraternização

Quando se acreditava que o Minas empataria, aconteceu aquilo que somente o Ceilândia consegue fazer. Com duas jogadoras a menos, Novinha aproveitou-se do erro da defensora do Minas, avançou contra outras três, ganhou a área e fez o terceiro do Ceilândia.

Faltando pouco minutos, o Ceilândia ainda sofreu o segundo gol quando Katia fez para o Minas.  Não dava mais tempo, bela vitória alvinegra contra um adversário que se mostrou consistente, bem armado e muito forte.

Um belo jogo!
Um belo jogo!

Quando se acreditava que o Minas empataria, aconteceu aquilo que somente o Ceilândia consegue fazer. Com duas jogadoras a menos, Novinha aproveitou-se do erro da defensora do Minas, avançou contra outras três, ganhou a área e fez o terceiro do Ceilândia.