Categoria: Juniores

Juniores

Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença

Juniores: Paranoá vence e amplia vantagem

Ceilândia não teve vida fácil contra o Paranoá
Ceilândia não teve vida fácil contra o Paranoá

O Ceilândia jogou na tarde deste sábado no Estádio Chapadinha, em Brazlândia, contra o Paranoá, partida válida pelo jogo de ida das quartas de final do Campeonato de Juniores do DF 2016.

Dono da melhor campanha da competição, o Paranoá encontrou um Ceilândia muito diferente daquele da fase de classificação. O resultado, contudo, foi o mesmo: vitória do Paranoá.

Ceilândia deixava muito espaço para os contra-ataques do Paranoá
Ceilândia deixava muito espaço para os contra-ataques do Paranoá

Dono de um melhor conjunto, o Paranoá foi melhor na maior parte do jogo. O Ceilândia compensava a falta de conjunto com muito espírito de luta. Por isso, equilibrou o jogo no segundo tempo.

Um erro da defesa, contudo, selou a sorte do jogo quando o Paranoá fez 2 x 0.

Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença
Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença

O Ceilândia continuou insistindo, um tanto quanto sem inspiração e muito mais na transpiração. Tanto esforço foi recompensado com um gol de pênalti.

Falta entrosamento ao Ceilândia
Falta entrosamento ao Ceilândia

Depois do gol, pela primeira vez nos últimos confrontos, o Paranoá mostrou-se intranquilo. O Ceilândia foi para cima, mas faltava aquilo que o Paranoá tem de sobra: conjunto e força física.

Para a partida de volta,  o Ceilândia precisa vencer por dois gols de diferença para classificar-se. O Paranoá, até aqui, jogou seis vezes com seis vitórias. O Ceilândia vai precisar mostrar mais do que mostrou até agora.

Juniores vencem Brazlândia: 2 x 1

Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda

O time de juniores do Ceilândia, comandado pelo técnico Paulo Henrique Ferreira, venceu a segunda partida no Candangão 2016.

Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Rafael levou a pior na disputa com o goleiro.

Jogando em Brazlândia, debaixo de um sol escaldante, o alvinegro teve dificuldades para vencer o Brazlândia por 2 x 1.

Ceilândia dependeu muito da bola paradaJogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Ceilândia dependeu muito da bola paradaJogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda

A partida começou com uma tocante homenagem do Brazlândia, de seu presidente Moacir Ruthes em particular, ao eterno presidente do Ceilândia,  Beni Monteiro.

O Gato Preto começou melhor e logo  tomou a iniciativa do jogo. O Brazlândia equilibrou o jogo e poderia ter saído na frente do marcador quando Marcus Henrick saiu mal e Ruan salvou sobre a linha.

CEC esteve consistente defensivamente, mas prendeu a bola excessivamente no meio e no ataque
CEC esteve consistente defensivamente, mas prendeu a bola excessivamente no meio e no ataque

No segundo tempo, o Ceilândia voltou melhor. Não demorou muito e Lucas Henrique fez o primeiro gol alvinegro, cobrando pênalti.

Ceilândia é um time penso: a única transição de lado a lado ocorreu depois de 80 minutos de jogo
Ceilândia é um time penso: a única transição de lado a lado ocorreu depois de 80 minutos de jogo

Logo em seguida, Lucas Henrique fez o seu segundo gol na partida, o terceiro na competição. O Ceilândia, apesar de não apresentar um jogo convincente, era melhor e o placar era justo.

Marcus Henrick: começou mal, depois se redimiu e salvou o marcador
Marcus Henrick: começou mal, depois se redimiu e salvou o marcador

Depois do gol, o Ceilândia deu campo para o seu adversário. Marcus Henrick, que falhara no primeiro tempo, foi o personagem do jogo.

Mais uma vez Marcus Henrick falhou. Dessa vez não conseguiu socar a bola e permitiu que o Brazlândia diminuísse.

A defesa do Ceilândia trabalhou mais que deveria: CEC era mais superior que o placar pode fazer crer
A defesa do Ceilândia trabalhou mais que deveria: CEC era mais superior que o placar pode fazer crer

Marcus Henrick recusou-se a ocupar o papel de vilão. Em seguida fez ao menos duas defesas difíceis e garantiu a vitória alvinegra.

Ao final do jogo o técnico Paulo Henrique Ferreira admitiu que o Gato Preto não fizera uma boa partida. Argumentou que o time começara a preparação pouco antes do início do campeonato.

Lucas comemora o primeiro gol do Ceilândia: foram dele os gols da vitória
Lucas comemora o primeiro gol do Ceilândia: foram dele os gols da vitória

Paulo Henrique estava satisfeito com retorno dado pelos jogadores. Apesar do pouco tempo de preparação, o Gato Preto conseguiu duas vitórias em dois jogos. A tendência, segundo o treinador, é melhorar.

Para quem assistiu, pareceu claro que o Ceilândia era um time mais consistente em campo que o Brazlândia. Obviamente, ficou claro que o Ceilândia precisa melhorar muito como time. Como disse o treinador, o Ceilândia tem potencial e treina há pouco tempo. O importante nessas duas primeiras rodadas é ganhar corpo.

Juniores: CEC não se classifica

O resultado da enquete do SIteCEC bem demonstra o nível de desconfiança em relação ao time de juniores do Ceilândia. Com um time montado à s pressas, o CEC tinha tudo para se classificar, mas sofreu três derrotas nos últimos três jogos e ficou de fora da semi-final do Metropolitano 2008.

Apesar das derrotas anteriores, contra Dom Pedro e Unaí, o Ceilândia chegou diante do Brazlândia, em casa, precisando apenas da vitória. Não deu. O Brazlândia venceu por 3 x 1.

Os gols aconteceram todos no segundo tempo: Dida, Hudson e Alan fizeram para o Brazlândia ao passo que Iuri fez o gol do Ceilândia.

Juniores é surpreendido: 0x1 Dom Pedro

O time de juniores do Ceilândia perdeu uma grande oportunidade de se firmar entre os primeiros colocados do Metropolitano 2008. Jogando na tarde desse sábado, no Abadião, o Gato perdeu para o Dom Pedro por 1 x 0. Apesar do resultado desfavorável, o CEC permanece na zona de classificação.

Para quem assistiu o jogo ficou a impressão de que faltou tranquilidade ao Ceilândia. O Dom Pedro abriu o marcador logo no início da partida e daí em diante o Ceilândia procurou o gol de maneira afobada e revelou aquilo que já se sentiu em jogos passados: o time carece de uma melhor transição da defesa para o ataque. Além do defeito conhecido, restou a impressão de que o time subestimou o Dom Pedro.

As observações anteriores em nada afetam a constatação de que o CEC lutou a partida inteira, mas não conseguiu reverter o placar.

Agora o CEC vai a Unaí enfrentar o time homônimo daquela cidade. A rigor o jogo pode representar a diferença entre classificar-se ou não para a semi-final.

Juniores: CEC atropelou o Gama: 3 x 0

Misael, volante do CeilândiaCeilândia e Gama são clubes irmãos. São os times mais antigos do DF a permanecerem na primeira divisão, os últimos remanescentes da década de 1970. Por essa razão e por viverem problemas de certo modo parecidos, os torcedores do Ceilândia sofrem também com a atual situação do Gama.

Misael em jornada dupla: Destaque nas vitórias pelo juniores e juvenil

Na tarde desse sábado, mais uma prova das dificuldades do outrora bicho-papão do Distrito Federal: com um time formado à s pressas e ainda em formação, além de contar com três juvenis entre titulares, o Gato goleou o adversário no Mané Garrincha por 3 x 0.

A vitória foi construída no primeiro tempo com os gols de Pedro e de Werley. O terceiro gol veio no segundo tempo, numa infelicidade de defesa adversária que jogou contra a própria meta.

O Ceiândia teve Niuri expulso.

O resultado deixa o Ceilândia provisoriamente em terceiro lugar, no aguardo da partida entre Unaí e Esportivo, que será disputada no meio de semana.

No próximo sábado o Ceilândia enfrentará o Dom Pedro, Ã tarde, no Abadião.

Juniores: Deu a lógica

Ceilândia perde oportunidade de golO time de juniores do Ceilândia foi valente, mas no final valeu o melhor futebol do Brasiliense.

Chance perdida: a bola vai parar na trave

Fazendo a sua terceira partida no Metropolitano 2008, o Ceilândia recebeu o Brasiliense na tarde desta quarta-feira, no Abadião, e perdeu para o seu rival por 2 x 1.

O Brasiliense foi melhor na maior parte do tempo. Na verdade o jogo mal começou e o adversário abriu o marcador. O Ceilândia voltou a apresentar dificuldade na transição da defesa para o ataque. Desse modo entregou a iniciativa da partida para o adversário. Apesar do domínio, o Brasiliense também encontrou dificuldade para superar o sistema defensivo do Ceilândia. O resultado desse quadro foi que o primeiro tempo terminou 1 x 0 para o Brasiliense.

No segundo tempo o quadro permaneceu inalterado. O Ceilândia até que conseguia se aproximar do gol do adversário, mas faltava a qualidade do último passe. Apesar disso, o Ceilândia foi agraciado com um gol , fruto mesmo da disposição de seus atletas que jamais se entregaram: Pedro marcou em jogada individual.CEC1x2Brasiliense

Esse gol de pouco adiantou porque naquele momento o  Brasiliense já vencia por 2 x 0. A vitória do Brasiliense por 2 x 1, até mesmo a dinâmica da partida, teria refletido o estágio de preparação das equipes. Para o Ceilândia ficou a lição de que apenas superação não é suficiente para garantir um bom resultado: é preciso trabalhar mais e mais.

O Ceilândia voltará a campo no próximo Sábado, Ã s 15h30, no Mané Garrincha, quando enfrentará o Gama.

Demais resultados: Brazlândia 3 x 0 Gama, Esportivo 2 x 1 Dom Pedro, Legião 4 x 1 Unaí.

Classificação conforme a FBF:

COLOCAÃ?Ã?O JUNIORES ANO 2008

PG

J

V

E

D

PG

GC

Saldo

1º

BRASILIENSE FUTEBOL CLUBE

09

03

03

00

00

12

03

09

2º

LEGIÃ?O FUTEBOL CLUBE

09

03

03

00

00

08

03

05

3º

SOCIEDADE E. UNAI/ITAPUÃ?

06

03

02

00

01

03

04

-1

4º

SOCIEDADEÂ E. BRAZLÃ?NDIA

04

03

01

01

01

05

03

02

5º

CEILÃ?NDIA ESPORTE CLUBE

03

03

01

00

02

07

07

00

6º

CLUBE ESPORTIVO GUARÁ

03

03

01

00

02

04

11

-7

7º

ESPORTE C DOM PEDRO II

01

03

00

01

02

05

08

-3

8º

SOCIEDADE E. DO GAMA

00

03

00

00

03

00

05

-5

Juniores: Ceilândia espanta problemas e vence Esportivo

Juniores: CEC vence Esportivo no AbadiãoO Ceilândia, que já fizera uma boa partida diante do Legião, apesar de montado na última hora, venceu o seu primeiro jogo no Campeonato Metropolitano 2008. O Gato bateu o Esportivo Guará por 4 x 2.

Antes da partida o Ceilândia se viu sem poder contar com 4 titulares, por essa razão o técnico Paulo Evaristo teve que substituí-los por juvenis.

Não foi um jogo bom de se ver. O Ceilândia logo demonstrou que é um time em formação. Apesar de ser um time bem distribuído em campo, notava-se a falta de articulação entre os setores. De maneira geral, as jogadas de ataque nasciam diretamente da defesa, com pouca participação dos homens de meio. Apesar do desentrosamento o Ceilândia era melhor que o Esportivo, mas o primeiro gol veio de um lance fortúito: no longo lançamento, o goleiro do Esportivo se atrapalhou e Reinaldo tocou para o gol.

Não deu para comemorar. Numa bobeira da defesa, o Esportivo logo empatou. Depois do empate o Ceilândia retomou as rédeas da partida e construiu o placar até os 25 minutosReinaldo comemora o primeiro gol do CEC do segundo tempo: Felipe, zagueiro, fez 2×1; Reinaldo, de falta, fez 3 x 1 e Vitor, de cabeça, Â fez 4 x 1. Nos minutos finais o CEC, que jogou a partida inteira com dois juvenis entre os titulares, contava com quatro juvenis. Disto o Esportivo se aproveitou para diminuir o placar.

Reinaldo, no centro, comemora o primeiro gol do CEC

O técnico Paulo Evaristo entendeu que o importante foi a vitória, mas fez ressalva com relação a atuação da equipe. Paulo afirmou ao SiteCEC que o time ainda precisa evoluir e que a vitória dá chance do Ceilândia de entrar na briga por uma vaga nas semi-finais.

Na previsão da Comissão Técnica, é possível que o Ceilândia ainda se reforce para a competição. A próxima partida do Ceilândia será contra o Brasiliense, à s 15h30, no Abadião. O Brasiliense é apontado por todos como o melhor time da competição e, diante de um CEC que há pouco iniciou os trabalhos, é franco favorito.

Ceilândia perde para o Sorriso

No modesto plano da comissão, o CEC voltaria de São Paulo com no mínimo 3 pontos. Nem isso conseguiu. Foram três derrotas.A última, nesse sábado, foi diante do Sorriso de Mato Grosso.

O time matogrossense marcou primeiro com Juliano, aos 23 minutos da etapa inicial. Na volta do intervalo, ampliou a vantagem com o meio-campista Coquinho. O CEC diminuiu com Betson cobrando pênalti, aos 26 minutos da etapa complementar.

No final da partida Luciano, que havia entrado no lugar de Du, fez o terceiro do Sorriso, aos 41 minutos, fechando a contagem.

Ficha técnica:

Ceilândia-DF – 1
Erick Gustavo; Erick Borba, Cássio, Ícaro e Bruno; Laerte, Betson (Gutierrez), Niuri (Victor) e Tiago; Erick Boleli e Gutemberg. Técnico: Ricardo Silva.

Sorriso-MT – 3
Negão; Du (Lucian), Leandro, Juliano e Juninho; Tiago Vinícius, Coquinho, Diego Rocha e André; Jeison (Gustavo) e Léo Bahia (Cremosinho). Técnico: Leonor Picolli.

Gols: Juliano aos 23 minutos do 1º tempo. Coquinho aos 23, Betson (pênalti) aos 26 e Lucian aos 36 minutos do 2º tempo. Árbitra: Regildenia de Holanda Moura. Expulsão: Bruno e André. Local: estádio Teixeirão, em Rio Preto, ontem à tarde.

Copa São Paulo: Ceilândia sem chance

20080108cec0x1america.jpgO Ceilândia fez uma partida sem inspiração e perdeu para o América-SP nessa terça-feira por 1 x 0.No primeiro tempo o América-SP dominou a partida completamente e perdeu seguidas oportunidades. O gol somente veio aos 32 da etapa inicial quando Cezinha chutou forte e Eric não conseguiu defender.

No segundo tempo o CEC voltou melhor e equilibrou as ações, mas o jogo continuou ruim. Nessa etapa ao menos o América deixou de ameaçar o gol do CEC.

No final da partida o Gato até teve chances para empatar e pode reclamar de ao menos uma situação em que poderia ter sido beneficiado por um pênalti. Se não teve o pênalti marcado, o CEC teve um jogador expulso: Uillian, por colocar a mão na bola.

Com o resultado o CEC não tem mais chances de classificação.

Copa São Paulo: CEC enfrenta América com TV

O Ceilândia enfrentará o América nesta terça, Ã s 18h30, com transmissão pela televisão (SporTV e Espn).Depois da derrota diante do Corinthians, o CEC encontra-se na obrigação de uma vitória contra o América. A comissão técnica tem trabalhado para motivar a equipe, fazê-la reconhecer que tem condições físicas e técnicas de vencer o adversário.

Noutra ponta a novidade pode ser André. O volante que se destacou durante 2007 a ponto de figurar na equipe profissional, ainda sente a pancada recebida no jogo contra o Vila Nova-GO. Deverá fazer testes antes da partida.

Taça SP: CEC perde para Corinthians na estréia

20080601cec0x3corinthians.jpgO Ceilândia fez uma partida no mínimo razoável, mas o resultado deixou claro: faltou experiência.O Gato começou a partida sem André, que ainda sente uma pancada no joelho. Apesar disto, o CEC foi melhor no primeiro tempo e poderia ter saído na frente. Apesar disto foi o Corinthians quem marcou primeiro. Aos 33 minutos, Marcelinho chutou de fora da área e a bola enganou Eric.

No segundo tempo o Corinthians foi melhor. Contou com a necessidade do Ceilãndia sair para o jogo, o quê lhe permitiu conseguir espaços que não tivera no primeiro tempo. Desse modo, aos 10 com Marcelinho e aos 19 com Caju deu números finais ao jogo.

De concreto ficou a certeza de que o time carece de experiência. Técnica e taticamente não ficou a dever ao prestigiado time paulista.

A experiência, nessas condições, permite que se gaste menos energia realizando os mesmos movimentos; permite que se tenha uma noção precisa da própria capacidade, do próprio valor e, acima de tudo que eficiência quando a oportunidade aparece.

Corinthians – 3
Rafael Santos; Renato, Léo e Bruno; Tiago Ulisses, Cássio, Lucas e Jô (Lucas Osório); Asprila (Juninho), Caju (Ronaldo) e Marcelinho. Técnico: Adaílton Ladeira.

Celiândia-PE – 0
Eric; Erick Borba, Ícaro, Uillian (David) e Vítor; Laerth, Betson, Bruno e Thiago; Gutierrez (Jackson Cássio) e Herick Boleli (Gutemberg). Técnico: Ricardo Antonio.

Gols: Marcelinho aos 33 minutos do 1º tempo. Marcelinho aos 10 e Caju aos 20 minutos da etapa final. Árbitro: Juliano Basalia Pereira. Público: estimado de 7 mil torcedores.

Juniores: Duelo de contrastes

juniorestcsp1.jpgDe um lado um time seis vezes campeão da Taça São Paulo, o Corinthians. De outro, um time diversas vezes campeão juvenil e infantil do DF, mas com inexperiência em competições nacionais, o Ceilândia.De um lado um time que faz futebol de base profissionalmente, o Corinthians. De outro, um time que sempre fez futebol com uma visão social e que já tirou milhares de crianças das ruas numa cidade assolada pela pobreza, o Ceilândia.

De um lado um time que procura se reencontrar no futebol, o Corinthians. De outro, um time que procura encontrar o seu espaço e que, por isso mesmo, mudou o seu projeto, o Ceilândia.

Isso já serve para demonstrar um pouco as diferenças entre o CEC e o Corinthians e tornar o dia histórico para o Gato. Não bastasse isto, o Corinthians mandará a campo uma base com jogadores do time que foi campeão invicto de São Paulo em 2007 (sub 17) e terceiro colocado do campeonato de juniores. De se recordar que o limite de idade para a Copinha mudou.

O favoritismo é do Corinthians, ninguém duvida, mas de qualquer forma o Ceilândia já é vencedor. Estar na Taça São Paulo, depois de seguidamente firmar-se como o segundo melhor time do Metropolitano, e perder as batalhas no campo político, representa vencer as barreiras do Distrito Federal. Isto não basta, mas é um fato a ser comemorado

Relação dos Atletas para a Taça São Paulo com nome completo, posição e data de nascimento

20080301ctecjuniores.jpgO Técnico RICARDO ANTONIO, segundo a partir da esquerda, ex-treinador de equipes de base do Atlético-MG e que levou o CEC ao vice-campeonato candango de 2007, relacionou os seguintes atletas para a disputa da Taça São Paulo 2008.

ATLETAS ERIC GUSTAVO DA S. ROCHA – ERIC – GOLEIRO – 06.05.1990 – 1,90m – 70kg
——————————–
EDIVAR JOSE ALVARES – EDIVAR – GOLEIRO – 01.07.1990 – 1,86m – 73,3 kg
——————————–
BRUNO DE OLIVEIRA – BRUNO OLIVEIRA – LATERAL – 10.05.1990 – 1,79m – 69,1 kg
——————————–
VITOR EUESLIO VIEIRA BEZERRA – VITOR – LATERAL – 05.01.1990 – 1,74m – 67,7 kg
——————————–
GLEISON CARDOSO DA SILVA – GLEISON – LATERAL – 30.01.1990 – 1,65m – 57,2kg
——————————–
FRANCISCO DA SILVA SENA – SENA – LATERAL – 28.01.1990 – 1,74m – 64,5kg
——————————-
DAVID DANTAS MARTINS BARROS – DAVID – ZAGUEIRO – 27.06.1991 – 1,86m – 74kg
——————————-
ICARO DO CARMO SILVA – ICARO – ZAGUEIRO – 16.04.1989 – 1,81m – 71kg
——————————
UILIAM SANTOS DE SOUZA – UILIAM – ZAGUEIRO – 26.02.1989 – 1,90m – 79,7
——————————
BETSON RODRIGUES DE SOUZA NETO – BETSON – VOLANTE – 03.08.1990 – 1,73m – 74kg
——————————
RENAN VIINICIUS DA SILVA – RENAN – VOLANTE – 18.07.1989 – 1,82m – 74,2kg
——————————
ANDRE BRITO FONTENELE – ANDRE – VOLANTE – 01.03.1989 – 1,79m – 81,3kg
—————————–
LAERTH DE OLIVEIRA SOUZA – VOLANTE – 03.02.1990 – 1,77m – 66,5kg
—————————–
TIAGO FERREIRA GOMES – TIAGO – MEIA – 13.01.1989 – 1,79m – 73,1kg
—————————-
ERICK BORBA FERREIRA – ERICK BORBA – MEIA – 08.10.1989 – 1,63m – 55,7kg
—————————-
GUTEMBERG DOS SANTOS – GUTEMBERG – MEIA – 20.05.1990 – 1,75m – 75,5 kg
—————————-
JACKSON KASSIO REIS DE SOUZA – KASSIO – ATACANTE – 01.06.1989 – 1,90m – 73,1kg
—————————-
HERIK BOLELI NASCIMENTO HERIK – ATACANTE – 30.03.1990 – 1,73m – 64,8kg
—————————-
GUTIERRES ALEXANDRE A. DE SOUZA – GUTI – 01.03.1989 – 1,75m – 65,9kg
—————————-
WENDER CAMPISTA MACHADO – WENDER – ATACANTE – 12.01.1989 – 1,82m – 81,2kg

COMISSÃ?O TECNICA

Gerente – Neimar Frota
Coordenador – Joao Kleber
Supervisor – Pedro Paulo
Tecnico – Ricardo Antonio
Auxiliar tecnico – Marcus Sena
Preparador fisico – Andre Rocha
Marcos França – Preparador de goleiros

Juniores já estão em São Paulo

20080401juniores.jpgA delegação do CEC chegou a São José do Rio Preto à s 4h da madrugada de hoje. Apesar da demora inesperada, a viagem foi tranquila.Segundo o gerente de futebol, NEIMAR FROTA, a viagem foi cansativa, mas transcorreu sem incidentes. A delegação encontra-se descansando no Hotel Plaza Inn.

Ainda segundo NEIMAR, o volante ANDRE, que reclama de dores no joelho desde o jogo contra o Vila Nova-GO, viajou com a delegação e, a princípio, não preocupa.

CEC vai a São Paulo confiante. Atletas já estão definidos

juniorestcsp.jpgO Ceilândia embarca para São Paulo, mais precisamente para a cidade de São José do Rio Preto à s 15h desta quinta-feira, dia 3 de janeiro de 2008.A delegação sairá do Posto Campeão, do Setor O, ao lado da BR-070, para São Paulo e tem chegada prevista para os primeiros minutos do dia 4. Uma viagem de estimadas nove horas de duração.

O vice-campeão de juniores do DF disputará a Taça São Paulo pela primeira vez, embora já o tenha feito por merecer outras vezes. Localmente o CEC é um verdadeiro garimpador de talentos o que o levou a ser campeão infantil e juvenil da cidade por diversas vezes. A falta de estrutura, agora superada, sempre impediu que se formasse equipes de juniores de qualidade, pois os atletas sempre migravam para as equipes maiores.

A comissão técnica tem confiança no talento dos atletas e encara o desafio com esperança. Para a comissão, a equipe deve superar, acima de tudo, a inexperiência em competições de grande porte.

A delegação foi definida com 20 atletas:

Goleiros – Eric e Edvar
Laterais – Bruno Oliveira, Vitor Eueslio, Gleison e Sena
Zagueiros – David, Icaro, Uilian
Volantes – Bedson, Renan, Andre e Laerte
Meias – Thiago Ferreira, Eric Borba, Gutemberg
Atacantes – Cassio, Eric Boleli, Gutierres e Wender
Comissão tecnica –

Gerente – Neimar Frota
Coordenador – Joao Kleber
Supervisor – Pedro Paulo
Tecnico – Ricardo Antonio
Auxiliar tecnico – Marcus Sena
Preparador fisico – Andre Rocha
Marcos França – Preparador de goleiros