Categoria: Profissional

Futebol Profissional

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

Ceilândia prossegue rotina de trabalho para a decisão

Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão
Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão

O Ceilândia continua na sua rotina de treinamentos com vistas ao primeiro jogo da final do Candangão 2017. Nessa quarta os jogadores fizeram um treino técnico-tático.

 O técnico Adelson de Almeida  terá todo o seu elenco à disposição para o primeiro jogo da final. Alguns jogadores reclamam de algumas dores, mas nada que efetivamente preocupe.

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição
Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

O clima na Cidade do Gato é de tranquilidade possível em dias que antecede jogos decisivos. Nada que não tenha sido vivido pela maior parte do elenco, mas um ingrediente que não pode ser ignorado para o bem ou para o mal.

 

 

 

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ceilândia está nas finais do Candangão 2017

Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia
Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: Pênalti ou não, mas o árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia

Sabia-se que seria difícil. E foi. O Ceilândia venceu o Paracatu na tarde deste domingo e está nas finais do Candangão 2017. Como prêmio, enfrentará um duro adversário, o Brasiliense que venceu os dois jogos contra o Sobradinho, hoje por 4 x 1.

Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final
Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final

Foi um jogo complicado. O primeiro tempo foi jogo de um time apenas. O Ceilândia empurrou o Paracatu contra o seu campo e defesa e dominou todas as ações. Apesar de todo o domínio territorial, o Ceilândia criou apenas uma chance concreta, mas Alcione não conseguiu dominar a bola.

Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final
Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final

O resultado foi que, apesar de todo o domínio alvinegro, a melhor chance de gol foi do Paracatu. Na única jogada de ataque do time mineiro, o Paracatu perdeu a oportunidade mais clara de gol do primeiro tempo

Elivelto foi novamente importante
Elivelto foi novamente importante

Veio a segunda etapa e o Ceilândia manteve o rítmo. Domínio alvinegro, mas sem a criação de oportunidades claras de gol. Para piorar, o Paracatu mostrou que era um time perigosíssimo no contraataque e obrigou Pedro a fazer um milagre e salvar a meta alvinegra,

Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo
Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo

O jogo parecia ter retornado ao seu padrão de normalidade, com o Ceilândia controlando as ações. O destino, contudo, tinha planos diferentes. Aos 8, Carlos Henrique desferiu um chute  que era tão repleto de esperança quanto de despretensão, mas a bola enganou Pedro. Um achado para o Paracatu que abriu o marcador: 1 x 0

Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou
Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou

O Ceilândia sentiu o gol por alguns instantes, mas empurrado pela torcida logo recuperou as ações do jogo. Aos 22, Dudu levantou a bola na área e Romarinho pegou a sobra para fazer um belo gol e empatar o jogo: Ceilândia 1 x 1 Paracatu.

Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada
Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada

O gol animou a torcida e o Ceilândia manteve o rítmo. Aos 22, num lance tão repleto de despretensão quanto to de esperança, Romarinho tentou cruzar e a bola encobriu o goleiro do Paracatu e morreu no canto esquerdo da meta adversária: Ceilândia 2 x 1.

Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia
Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia

Após o gol o Paracatu tentou lançar-se à frente. O Ceilândia não repetiu o erro do jogo de Minas Gerais, quando marcou excessivamente atrás. Com a postura alvinegra, restava ao Paracatu jogar. Futebol por futebol o Ceilândia tinha mais a oferecer.

Depois de uma grande partida, comportamentos desnecessários
Depois de uma grande partida, jogadores do Paracatu foram tirar satisfação, comportamentos desnecessários

O resultado foi que nos minutos finais o Ceilândia chegou diversas vezes com mais atacantes que defensores do Paracatu. Poderia ter ampliado o marcador, mas preferiu administrar o resultado.

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário
Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ao final restou aos alvinegros comemorarem a classificação para as finais. Houve tempo para algumas cenas lamentáveis, mas nada que empanasse a festa alvinegra.

Dificuldades fazem e sempre fizeram parte do dia-a-dia do Ceilândia. Sem padrinhos fortes, o Ceilândia está na final. Ceilândia sempre se fez na resistência. 

Filipe Cirne teve marcação individual no primeiro jogo

No quinto mata-mata do ano, Ceilândia decide vaga para a final

Com Badhuga, o Ceilândia é mais forte. Com Artur, Alcione e Didão é ainda mais forte
Alcione comanda o meio de campo no primeiro mata-mata do ano. O Ceilândia passou pelo Sete de Dourados-MS

O Ceilândia faz daqui a pouco, 15h30, no Abadião, o jogo decisivo contra o Paracatu. O adversário foi a grande surpresa das quartas de final: após derrota no tempo normal, passou pelo Gama nas penalidades.

Didão: o Capitão deve voltar contra o Taguatinga
Didão deve voltar neste domingo. Na imagem, o segundo desafio em mata-mata foi contra o ABC

Mata-mata não é novidade para o Ceilândia nos últimos anos. O experiente e renovado time do Ceilândia terá o quinto confronto de mata-mata em 2017. 

Esse lance aconteceu pouco antes do primeiro gol: Ceilandia intimidado sob o olhar complacente da arbitragem
O terceiro desafio foi contra o Luverdense

Neste ano, o Ceilândia enfrentou Sete de Dourados-MS, ABC de Natal-RN, Luverdense-MT e Luziânia-GO em jogos de mata-mata. Foram quatro confrontos em jogos de eliminatórios, dois contra times da Série B.

Luziânia foi na base do entusiasmo: melhor e com mais pernas, Gato Preto se impôs
O Ceilândia tem uma das melhores defesas da competição e não pode tomar gol no dia de hoje. Na imagem, o quarto desafio em mata-mata foi contra o Luziânia

O Ceiândia tem a melhor campanha do Candangão 2017. No futebol, como na vida, contudo, você é tão bom quanto o seu próximo resultado.

Romarinho foi caçado nos dois jogos contra o Paracatu
Romarinho foi caçado nos dois jogos contra o Paracatu. Precisa de proteção da arbitragem.

Para evitar riscos todos os cuidados foram tomados desde o início da temporada. Tudo começou com a montagem do elenco. Com um dos elencos mais fortes da competição, o Ceilândia procura quebrar uma seca 5 anos sem título.

Filipe Cirne teve marcação individual no primeiro jogo
Filipe Cirne teve marcação individual no primeiro jogo. Na imagem, o quinto mata-mata

Do outro lado, o Ceilândia terá um adversário perigoso. O Paracatu tem como maior virtude a sua intensidade. É um time que corre muito e provavelmente tem o melhor preparo físico da competição. O elenco do Ceilândia, mesclando juventude e experiência precisa estar preparado para o desafio que o Paracatu representa.  

Ceilândia suportou a intensidade do Paracatu no jogo de ida e poderia ter voltado com uma vitória
Ceilândia suportou a intensidade do Paracatu no jogo de ida e poderia ter voltado com uma vitória

Depois do empate no jogo de ida, somente a vitória interessa ao Ceilândia. Empate leva a partida para os pênaltis. Serão, com certeza, noventa minutos de sofrimento para o torcedor e de batalha para os jogadores.

Jogadores reuniodos: o conjunto faz a diferença
Jogadores reunidos: o conjunto faz a diferença

Espera-se um bom público no Abadião para o jogo de hoje. Tanto o Ceilândia quanto o Paracatu estarão com suas forças máximas. 

Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença

Rotina de decisões: Ceilândia pega o Paracatu por uma vaga na final

Ceilândia tem tomado muitos gols em 2017: desta vez não pode tomar
Zaga não pode tomar gol e, se possível, deve fazer

O Ceilândia pega, neste domingo, 15h30, no Abadião, o Paracatu em jogo de volta das semifinais do Candangão 2017. Na Cidade do Gato há a certeza de que o jovem time do Paracatu é um obstáculo difícil, mesmo fora de casa.  

Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença
Filipe Cirne foi o jogador mais importante do Ceilândia em Paracatu. Na volta, vai precisar fazer a diferença

Precisando da vitória, o Gato Preto vai procurar fazer o seu melhor retrospecto na competição. O empolgado time do Paracatu, contudo, já demonstrou que tem virtudes quando eliminou o Gama na semana passada nas cobranças de penalidades.

Ceilândia depende muito de Emerson Martins e Alcione
Ceilândia depende muito de Emerson Martins e Alcione

Para se contrapor à juventude do adversário, o Ceilândia mescla experiência com juventude. O técnico Adelson de Almeida deve mandar a campo o que tem de melhor. Didão, que não participou do jogo de ida, com incômodo no adutor, pode voltar.  O treinador, contudo, sempre guarda alguma surpresa. 

O Ceilândia vai precisar do melhor de todos neste domingo contra o Paracatu
O Ceilândia vai precisar do melhor de todos neste domingo contra o Paracatu

Com o empate no jogo de ida, somente a vitória classifica o Ceilândia. Empate leva o jogo para as penalidades. Almir Camargo será o árbitro da partida.

Neste sábado, entre 15h e 16h, serão distribuídas 100 cortesias para os primeiros 100 torcedores que forem ao Abadião. Amanhã os ingressos serão vendidos a partir de 10 reais.

 

 

O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu

Ceilândia empata com Paracatu e decisão fica para domingo

David substituiu Didão e não comprometeu, aliás como tem sido neste campeonato: discreto e eficiente
David substituiu Didão e não comprometeu, aliás como tem sido neste campeonato: discreto e eficiente

O Ceilândia empatou com o Paracatu em 1 x 1 na tarde desta quinta-feira e, com isso, essa perna da semifinal do Candangão 2017 está completamente em aberto. O jogo de volta será neste domingo, 15h30, no Abadião.

Dos pés de Elivelto saiu o gol do Ceilândia
Dos pés de Elivelto saiu o gol do Ceilândia

É um chavão, mas o jogo teve dois tempos completamente distintos. No primeiro tempo, o Ceilândia freou o ímpeto do adversário e foi senhor das ações. 

A arbitragem incomodou ao apitar faltas semelhantes apenas para um lado e não foi para o lado do Ceilândia
A arbitragem incomodou ao apitar faltas semelhantes apenas para um lado e não foi para o lado do Ceilândia

O Ceilândia apresentou-se muito bem no primeiro tempo. Consciente, empurrou o adversário para o seu campo de defesa e jogou na intermediária do Paracatu. O time mineiro não ofereceu qualquer perigo na primeira etapa.

Romarinho esteve muito marcado, mesmo assim levou perigo
Romarinho esteve muito marcado, mesmo assim levou perigo

O Ceilândia rondou a meta adversária durante toda a primeira etapa, mas faltou o último passe. Se Não foi possÍvel levar perigo como fruto de jogadas trabalhadas, ao menos foi possível levar perigo em jogadas de bola parada. Assim, o Ceilândia esteve próximo de marcar em duas oportunidades.

Chances no primeiro tempo apenas em bola parada
Chances no primeiro tempo apenas em bola parada

Veio o segundo tempo e o Ceilândia perdeu o controle das ações ofensivas. Antes dos dez minutos, o técnico adversário tirou um volante para colocar um atacante. Nem deu tempo para a substituição adversária fazer efeito. No primeiro ataque, Elivelto cobrou escanteio na cabeça de Badhuga e ele fez Ceilândia 1×0.

Ceilândia foi muito superior no primeiro tempo, mas não foi efetivo
Ceilândia foi muito superior no primeiro tempo, mas não foi efetivo

O gol fez mal ao Ceilândia. A substituição feita pelo técnico do Paracatu demonstrava claramente que ele queria aproveitar o fato de que o Ceilândia marcava muito atrás. O Paracatu era um time claramente dividido em dois setores: defesa e ataque. O Ceilândia facilitou a vida do Paracatu quando passou a marcar na metade do seu próprio campo de defesa.

No primeiro ataque do segundo tempo, Badhuga fez Ceilândia 1 x 0
No primeiro ataque do segundo tempo, Badhuga fez Ceilândia 1 x 0

Com o Ceilândia aceitando o jogo do adversário o Paracatu ficou rondando a meta alvinegra. Em um desses lances, bola lançada na área do Ceilândia e Breno empatou aos 24.

O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu
O Ceilândia controu as ações ofensivas do Paracatu, que ficou dependente das bolas paradas. O Gato Preto não incomodou a defesa do Paracatu

O jogo prosseguiu na mesma toada. Faltava inspiração para o adversário, para o Ceilândia faltava ambição.

Pouco importa. Em jogos decisivos, mais que a exibição, importa o resultado. Se não encaminhou a classificação, o Ceilândia teve o mérito de levar a decisão para casa.  E em casa, o Ceilândia tem tudo para vencer e chegar à final do Candangão 2017. 

Related Images:

2017 tem um começo difícil para o Ceilândia

Ceilândia inicia nesta quinta jogos das semifinais 2017

Ceilândia sabe que, para 2017, vai precisar de elenco forte mais que um time forte
Ceilândia já disputou 4 mata-mata em 2017:  agora, o mais importante

Restaram quatro times: Brasiliense, Ceilândia,  Paracatu e Sobradinho. Nesta quinta, a partir das 15h30, Brasiliense e Sobradinho se enfrentam no Estádio Nacional, no primeiro jogo das semifinais do Candangão 2017. 

Pouco depois, às 16h00, em Paracatu, o Ceilândia enfrentará o empolgado time da cidade mineira, que vem de eliminar o Gama nos penaltis. 

A previsão é de que os jogos sejam equilibrados. O Ceilândia tem, dentre os favoritos, a tarefa mais complicada.

Os jogos de volta serão disputados no próximo domingo às 15h30.

Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu

Ceilândia faz ajustes para primeiro jogo da Semifinal 2017

Em 2016, um temporal desabou sobre o Frei Norberto. Em campo, jogo pegado do começo ao fim e empate sem gols
Em 2016, um temporal desabou sobre o Frei Norberto. Em campo, jogo pegado do começo ao fim e empate sem gols

Com a confirmação pela  FFDF de que o  jogo de ida das semifinais do Candangão 2017 será  quinta-feira, 16h, no Frei Norberto, em Paracatu e não quarta como antes prevista (apenas mais uma de muitas mudanças na tabela ou no regulamento), o Ceilândia treinou na tarde dessa segunda no Abadião já com sua programação ajustada para essa data.

Ano passado, Ceilândia reclamou muito desse lance.
Ano passado, Ceilândia reclamou muito desse lance.

O Ceilândia volta à cidade mineira para enfrentar um adversário que, apesar de derrotado no tempo normal,  eliminou o Gama nos penaltis no último domingo. O Paracatu impressionou pela intensidade em um jogo disputado às 15h30. De cara, o time mineiro saiu pressionando a saída de bola do Gama, mas também se expôs demasiadamente aos contra-ataques do alviverde.  

Filipe Cirne é esperança alvinegra para vencer o forte sistema defensivo do Paracatu
Filipe Cirne é esperança alvinegra para vencer o forte sistema defensivo do Paracatu

No jogo da primeira fase, Ceilândia e Paracatu fizeram um jogo intenso do primeiro ao último minuto. O jogo foi decidido  no detalhe. O Ceilândia sabe que não pode bobear.

Este ano, Ceilândia e Paracatu se enfrentaram no Regional: jogo intenso e vitória alvinegra
Este ano, Ceilândia e Paracatu se enfrentaram no Regional: jogo intenso e vitória alvinegra

No ano passado o Ceilândia teve uma mostra do poderá esperar: jogo truncado do primeiro ao último minuto e empate sem gols.

Embora tenha criado poucas situações, o Paracatu é um time intenso e que deu trabalho no primeiro jogo
Embora tenha criado poucas situações, o Paracatu é um time intenso e que deu trabalho no primeiro jogo

O Ceilândia treinou no Estádio Regional nesta segunda. Todos os jogadores estão à disposição do treinador. Indagado sobre as condições do campo, o técnico Adelson de Almeida foi enfático ao dizer que o adversário a ser enfrentado é o Paracatu que chegou às semifinais por méritos próprios.

Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu
Romarinho é o artilheiro do campeonato, mas passou em branco diante do Paracatu

No mais, Adelson disse que  o seu time é experiente e, se quiser alçar maiores voos em 2017, precisa estar preparado para jogar em qualquer lugar e em qualquer condição. Foi assim na Série D do ano passado e foi este ano com viagens difíceis a Dourados e Lucas do Rio Verde, passando pelo jogo em Formosa.

No treino desta terça, Adelson fará os últimos ajustes para o jogo dessa quinta. Para essa partida, Adelson a princípio poderá contar com todos os jogadores. Didão saiu de maca na última partida e ainda preocupa, mas terá tempo para estar em condições de jogar na quinta. Kabrine, depois de longo tempo de inatividade, está à disposição de Adelson.

Paracatu será o adversário do Ceilândia nas semifinais do Candangão 2017

Ceilândia vai enfrentar Paracatu nas semis

Paracatu será o adversário do Ceilândia nas semifinais do Candangão 2017
Paracatu será o adversário do Ceilândia nas semifinais do Candangão 2017

Terminou a fase de quartas de final. Os confrontos de semifinais estão definidos e colocam o Ceilândia diante do Paracatu. 

Promessa de jogo complicado nas semifinais: time mineiro é o time mais intenso do campeonato
Promessa de jogo complicado nas semifinais: time mineiro é o time mais intenso do campeonato

O time mineiro enfrentou o Gama na tarde deste domingo e, depois de perder por 2 x 1 no tempo de jogo, venceu a disputa por penaltis por 3×2.

O primeiro jogo das semifinais, de acordo com a tabela da FFDF, está marcado para a próxima quarta. 

Wallace, Michel, Pedro e Gilmar: Ceilândia forte em 2017

Quando os suplentes podem fazer a diferença

Disputando a posição com Artur e Pedro, Marcelo foi o único a não ter oportunidade em 2017
Disputando a posição com Artur e Pedro, Marcelo foi o único a não ter oportunidade em 2017

O Ceilândia chegou às semifinais do Candangão 2017 com uma dinâmica diferente dos anos anteriores. Premido pelas diversas competições, o técnico Adelson de Almeida deu oportunidades à quase totalidade do elenco. Alguns jogadores aproveitaram as oportunidades, outros não.

Allanzinho queda brutal de produção: sofre o jogador, sofre o Ceilândia
Allanzinho queda  de produção: ruim para o jogador, ruim para o Ceilândia

Nas três competições disputadas até o momento, o Ceilândia utilizou-se de 26 jogadores, 25 no Campeonato Candango. Dentre aqueles elegíveis no início da temporada, apenas o terceiro goleiro Marcelo Ribeiro não entrou em campo.

Willian chegou e tem estado melhor a cada partida: Ceilândia vai precisar de todos
Willian chegou e tem estado melhor a cada partida: Ceilândia vai precisar de todos

Alguns jogadores aproveitaram bem as oportunidades, outros nem tanto. Algumas perdas foram lamentadas. Wallace Tartá foi uma dessas perdas a serem lamentadas. Com reconhecido talento, quando chamado não estava preparado. No futebol, como na vida, sorte é quando a competência encontra a oportunidade.

Kabrine tem feito bons jogos e é opção
Kabrine foi o décimo segundo jogador em 2016: lesão o tirou da equipe

Em um elenco que conta com Didão, Emerson Martins, Almeida, Felipe Cirne, Alcione, Willian Carioca e até mesmo Elivelto e Kabrine no meio de campo o lugar por espaço é muito difícil.  Allanzinho, por exemplo, tem características que são só suas e que poderiam ser úteis: precisa dar a volta por cima e estar preparado, aliás como todos precisam estar preparados.

Formiga comemora seu gol diante do Luziânia: aproveitando as oportunidades
Formiga comemora seu gol diante do Luziânia: aproveitando as oportunidades

A luta por espaço é uma noção equivocada em um futebol em que as equipes são montadas de acordo com o adversário. O jogo de ida contra o Luziânia foi uma prova disso. Formiga havia sido questionado pelos torcedores na partida anterior e entrou como titular para desempenhar uma função taticamente importante. Desempenhou a função e ainda foi premiado com um gol.

Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: virada contou com futebol e superação, como deve ser
Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: Michel tem sido importante nos jogos difíceis

Em uma luta tão renhida pela posição é preciso estar física, técnica e,  mais importante, mentalmente preparado. De modo geral, todos tiveram chance e na maior parte do tempo corresponderam.  Isso pode ser medido defensivamente e ofensivamente.

Willian Gabriel: vai precisar, como todos, está preparado para os jogos finais
Willian Gabriel: vai precisar, como todos, está preparado para os jogos finais

A prova do empenho defensivo de algum modo pode ser medido pelo número de cartões amarelos. Está bem! Os cartões podem mostrar que o jogador chegou atrasado, estava mal posicionado e outros poblemas… Dos 25 jogadors utilizados por Adelson no Candangão 2017 um total de 16 foram advertidos. 

David foi discreto contra o Luziânia: Ceilândia vai precisar muito mais que discrição se quiser ser campeão
David esteve em 9 jogos e recebeu 2 cartões amarelos em 2017: Ceilândia vai precisar muito mais que discrição se quiser ser campeão

Se os cartões não são um bom indicador do aspecto ofensivo o mesmo não se pode dizer do número de gols.  Aqui metade dos jogadores de linha fizeram gol em 2017: doze jogadores de linha do Ceilândia anotaram gol em 2017.

Didão sai contundido contra o Luziânia: estão todos prontos para substituí-lo?
Didão sai contundido contra o Luziânia: estão todos prontos para substituí-lo?

A máxima de que time ganha jogo e elenco ganha campeonatos vai ser testada a partir da próxima quarta-feira. Jogos difíceis virão e uma pergunta terá que ser respondida pelo elenco: todos estarão à altura dos desafios que virão?

Romarinho foi caçado em campo.

Ceilândia está nas semifinais do Candangão 2017

Willian Carioca foi titular no lugar de Felipe Cirne e fez boa partida
Willian Carioca foi titular no lugar de Felipe Cirne e fez boa partida

O Ceilândia está nas semifinais do Candangão 2017. O Gato Preto voltou a vencer o Luziânia, desta vez por 1 x 0 e sacramentou a sua classificação.

Gilmar Erê foi a outra surpresa: previsível, foi completamente anulado pela defesa do Luziânia
Gilmar Erê foi a outra surpresa: líder em assistências do Gato em 2017,  esteve previsível e foi  anulado pela defesa do Luziânia

Precisando do resultado, o Luziânia tentou pressionar o Ceilândia desde o princípio, mas não conseguiu. Com velocidade pelos lados, o Ceilândia respondeu  levando perigo à meta do adversário.

Wallinson pegou o rebote e fez o gol da vitória alvinegra
Wallinson pegou o rebote e fez o gol da vitória alvinegra

Aos 7, a bola sobrou para Romarinho dentro da grande área, pela direita de ataque. O atacante ajeitou para Willian Carioca que bateu em direção ao gol, a bola desviou na zaga e sobrou para Wallinson. O zagueiro alvinegro não titubeou e fez Ceilândia 1 x 0.

O Ceilândia reclamou de penalti neste lance
O Ceilândia reclamou de penalti neste lance

O Ceilândia se acomodou ainda mais com a vantagem, mas seguiu sendo melhor. O jogo ficou nervoso, o árbitro se perdeu um pouco na partida e, na tentativa de recobra-la passou a distribuir cartões. Com mais a perder, o Ceilândia diminuiu o rítmo.

Romarinho foi caçado em campo.
Romarinho foi caçado em campo.

Aos 29, o Luziânia levou perigo  em bola parada e o travessão salvou o Ceilândia. Foi o melhor lance do adversário ao longo da partida. O Ceilândia continuou melhor. Romarinho era caçado pela defesa do Luziânia. Aos 42 ele sofreu penalti. Antes, o Ceilândia já reclamara igual punição, mas o árbitro não assinalara.

Elivelto perdeu um penalti, mas foi um leão do lado esquerdo
Elivelto perdeu um penalti, mas foi um leão do lado esquerdo. Junto com Felipe Cirne e Formiga, Elivelto é peça chave no time de Adelson

Elivelton cobrou a meia altura e o goleiro do Luziânia defendeu. 

Didão sentiu e foi substituído
Didão sentiu e foi substituído

Veio o segundo tempo e o Ceilândia amarrou ainda mais o jogo. O Luziânia tinha quase que a totalidade do controle da posse de bola. O Ceilândia era um time desinteressado. Para piorar, Didão saiu machucado. 

Artur não foi exigido e nas vezes que o foi esteve seguro
Artur não foi exigido e nas vezes que o foi esteve seguro

Adelson colocou David, Felipe Cirne e Formiga, mas nada adiantou. O Luziânia continuou melhor, mas lhe faltava o último passe. O Ceilândia levou o jogo em banho maria até o final. Com a vitória, o Gato Preto dá mais um passo. 

Alcione não tem sido o jogador brilhante que pode ser: Se ele e Emerson Martins não jogam o Ceilândia não joga
Alcione não tem sido o jogador brilhante que pode ser: Se ele e Emerson Martins não jogam o Ceilândia não joga

Agora, o Ceilândia espera o resultado de Gama x Paracatu no próximo sábado. O vencedor do confronto será o adversário do Ceilândia nas semifinais do Candangão 2017.

Felipe Cirne comemora o gol contra o Luziania em 2015: empate favoreceu o adversário

Hoje Ceilândia decide vaga para as quartas

Em 2015, Ceilândia teve Dedé expulso logo no começo do jogo: empate em 1 x 1
Em 2015, Ceilândia teve Dedé expulso logo no começo do jogo: empate em 1 x 1

O Ceilândia volta a enfrentar o Luziânia na tarde desta quinta-feira, 15h30, no Estádio Regional.  O regulamento do campeonato despreza a pontuação da primeira fase.  Ceilândia, Brasiliense, Paracatu e Santa Maria estão empatados nesse momento com três pontos. 

Felipe Cirne comemora o gol contra o Luziania em 2015: empate favoreceu o adversário
Felipe Cirne comemora o gol contra o Luziania em 2015: empate favoreceu o adversário

Com a pressão do regulamento, o Gato Preto precisa fazer o que não consegue desde 3 de março 2002: vencer o Luziânia jogando no Abadião. A última vitória do Luziânia no Regional foi em 2012 e também já são 5 anos. 

Ano passado, novo empate: 15 anos sem vencer o adversário no Regional
Ano passado, novo empate: 15 anos sem vencer o adversário no Regional

A última vitória do Ceilândia no Regional faz 15 anos: Os 3 x 1 para o Ceilândia foram construídos com  gols de Ricardinho, Cassius e Maninho. Giovani descontou para o Luziânia.

Uma das esperanças alvinegras é que a escrita, que começou com um gol de Maninho aos 45 do segundo tempo em 2002, tenha terminado exatamente com um gol de Maninho aos 45 do segundo tempo em 2016, no empate em 2×2. Nesses 15 anos, 7 empates e 3 vitórias do Luziânia.

Escrita começou com um gol de Maninho aos 45 do segundo tempo. Ano passado, Maninho fez aos 45 do segundo tempo. Sinal de novos tempos?
Escrita começou com um gol de Maninho aos 45 do segundo tempo. Ano passado, Maninho fez aos 45 do segundo tempo. Sinal de novos tempos?

As escritas foram feitas para serem quebradas. É com isso em mente que o Ceilândia vai a campo precisando da vitória no jogo de hoje. Adelson a princípio não tem problemas físicos em sua equipe. As opções serão de ordem tática.

Adelson sabe que o Luziânia virá modificado: Rodrigo Santos e Alex Junior não jogarão. A saída de Rodrigo Santos modifica bastante o modo do Luziânia atuar. Formiga, que começou no jogo de ida, pode permanecer.

 

 

 

Adelson preocupado com o jogo desta quinta

Ponto fora da curva

 

Adelson preocupado com o jogo desta quinta
Adelson preocupado com o jogo desta quinta

O técnico Adelson de Almeida tem motivos para estar preocupado com a sequência do campeonato. 

O placar elástico  despertou a atenção da mídia pelo Ceilândia, que costuma trabalhar calado. O   elenco é experiente e sabe que o resultado do domingo foi um ponto fora da curva contra o oitavo colocado da fase de classificação.

Para a Comissão Técnica a preocupação está em simples constatações: o Ceilândia tem uma boa vantagem,  os adversários devem encará-lo com mais respeito e isso complicará os próximos jogos.

As preocupações fazem sentido: Na reta final da competição você é tão bom quanto o seu próximo resultado. Perdeu está fora.

 

Dudu foi muito exigido pela direita: dificuldades continuarão

Ceilândia retorna aos trabalhos de olho no jogo de volta e no regulamento

Artur lamenta o gol sofrido: Ceilândia precisa vencer para manter a vantagem
Artur lamenta o gol sofrido: Ceilândia precisa vencer para manter a vantagem

O Ceilândia voltou aos trabalhos nesta segunda-feira com vistas à partida de volta desta quinta, 15h30, no Regional, diante do Luziânia.

O clima é de responsabilidade na Cidade do Gato. O time sabe que além de passar por seu adversário precisa manter a vantagem sobre os demais concorrentes para, se passar, decidir a semifinal em casa. 

Badhuga teve muito trabalho no início do jogo. Depois, faltou perna para o Luziânia
Badhuga teve muito trabalho no início do jogo. Depois, faltou perna para o Luziânia

Nos demais jogos das quartas-de-final, o Brasiliense venceu o Real por 3 x 0, o Paracatu venceu o Gama e o Santa Maria venceu o Sobradinho, ambos por 1 x 0. Com isso, todos os vencedores estão empatados com  3 pontos. Qualquer tropeço faz mudar tudo: de melhor campanha você pode passar para a pior.

Dudu foi muito exigido pela direita: dificuldades continuarão
Dudu foi muito exigido pela direita: dificuldades continuarão

No jogo desse domingo que passou, tanto Adelson quanto Evilásio mostraram ter estudado bem o adversário. Adelson levou vantagem quando Formiga desempenhou bem a função tática que lhe foi cometida e ainda fez um gol. Além disso, o banco do Ceilândia funcionou melhor.

MUDANÇA NO REGULAMENTO – DIRETORIA AGUARDA PARA DECIDIR

Presidente Ari de Almeida: Copa Verde é prioridade
Presidente Ari de Almeida: Copa Verde é prioridade

A diretoria do Ceilândia espera o desenrolar das quartas-de-final para decidir o que fazer em relação à mudança de regulamento. Segundo o Presidente do Gato Preto, Ari de Almeida, como as alterações foram nas fases subsequentes não faz sentido, por ora, brigar por uma fase na qual o Ceilândia não está classificado.

 

 

 

Romarinho fez três em um dia em que o Ceilândia foi mortal no contra-ataque

Ceilândia goleia Luziânia, mas Brasiliense segue no encalço do Gato Preto

Luziânia foi na base do entusiasmo: melhor e com mais pernas, Gato Preto se impôs
Luziânia foi na base do entusiasmo: melhor e com mais pernas, Gato Preto se impôs

O Ceilândia goleou o Luziânia por 5 x 1 na tarde deste domingo e, com esse resultado, encaminhou a sua classificação para a fase de semifinais do Candangão 2017.

No duelo particular dos treinadores, vantagem para Adelson: Formiga abriu o marcador
No duelo particular dos treinadores, vantagem para Adelson: Formiga abriu o marcador

O jogo começou complicado par ao Gato Preto. A primeira constatação foi a de que os dois técnicos estudaram bem o adversário. Enquanto o Luziânia apostava em uma mudança tática no seu sistema defensivo, Adelson apostava numa mudança ofensiva e colocou Formiga.

Romarinho mandou no travessão e Didão voltou a colocar o Gato na frente
Romarinho mandou no travessão e Didão voltou a colocar o Gato na frente

A ousadia de Adelson foi mais efetiva. Aos 21, o meio de campo do Luziânia confundiu-se com a movimentação de Alcione e deixou Emerson Martins livre de marcação. O meia avançou livre e serviu Formiga que fez Ceilândia 1 x 0.

Em desvantagem, o Luziânia foi ao ataque. Contra-ataques do Ceilândia estavam mortais
Em desvantagem, o Luziânia foi ao ataque. Contra-ataques do Ceilândia estavam mortais

Depois do gol, o Ceilândia se acomodou. O castigo veio aos 36, quando Dan cobrou penalti e empatou o jogo.

Emerson Martins fez uma bela exibição: o Ceilândia precisa que ele e Alcione ajudem Felipe Cirne
Emerson Martins fez uma bela exibição: o Ceilândia precisa que ele e Alcione ajudem Felipe Cirne

Veio o segundo tempo e o Ceilândia voltou melhor. O gol do desempate somente aconteceu aos 13, em jogada de escanteio. A bola bateu na trave  duas vezes  até que Didão cabeceou para fazer Ceilândia 2 x 1.

Aproveitando o desespero do Luziânia, Romarinho começou seu show particular
Aproveitando o desespero do Luziânia, Romarinho começou seu show particular

O Luziânia não teve tempo de se recuperar. Aos 16, jogada entre Alcione e Emerson Martins que chegou até os pés de Romarinho: Ceilândia 3 x 1. Não demorou muito e o artilheiro do campeonato fez mais dois e deu números finais ao jogo: Ceilândia 5 x 1.

Gilmar Erê fez a jogada do quinto gol do Ceilândia
Gilmar Erê fez a jogada do quinto gol do Ceilândia

O resultado dá alguma tranquilidade ao Ceilândia para o jogo de volta. Em termos de campeonato, contudo, não é bem assim.

Romarinho fez três em um dia em que o Ceilândia foi mortal no contra-ataque
Romarinho fez três em um dia em que o Ceilândia foi mortal na ligação direta defesa para o ataque

O Brasiliense venceu o Real por 3 x 0 e, com isso, os dois continuam disputando
ponto a ponto, gol a gol, o rótulo de melhor time da competição.

Ceilândia e Luziânia voltam a se enfrentr na próxima quinta-feira, no Estádio Regional de Ceilândia.

Em 2016, duas frustrações: o vice do Candangão...

Ceilândia volta a encontrar Luziânia em mata-mata

Ceilândia e Sete decidem neste sábado quem avança na Copa Verde
Ceilândia começou o ano com jogo de mata-mata: 1 x 1 contra o Sete em Dourados-MS

O Ceilândia estreia neste domingo, 15h30, nas quartas-de-final do Candangão 2017. O adversário será o Luziânia. O Gato Preto vem de boa campanha no campeonato local, mas em mata-mata eliminou um e foi eliminado por dois times neste ano.

O Ceilândia começou o ano em partida eliminatória diante do Sete de Dourados. Depois de empate fora e vitória por 3 x 0 em casa, o Gato Preto avançou para a fase principal da Copa Verde.

Luverdense se defende bem e aproveita as chances que cria
Contra o ABC o Ceilândia fez boa partida, poderia ter vencido, mas o empate o eliminou da Copa do Brasil.

Em seguida, o Ceilândia recebeu o ABC pela Copa do Brasil. O empate em 1 x 1 representou a eliminação do Ceilândia na competição. 

Restava a Copa Verde e o adversário era o bom time da Luverdense. Foram dois jogos e duas derrotas – 0 x 1 e 1 x 3.

Neguete comemora o gol do Luverdesne
Neguete comemora o gol do Luverdense: Ceilândia perdeu as duas e foi eliminado.

Restava como resta ao Ceilândia o Campeonato Candango. O time comandado por Adelson fez a melhor campanha da primeira fase.  Nos jogos diretos contra seus principais adversários teve bons e maus momentos. Contra o Brasiliense, o Gato Preto não fez boa partida. Contra o Gama fez um jogo equilibrado.

Gol de Michel recolocou o Ceilândia na luta pelo primeiro lugar: não vale de nada, mas dá moral
Michel faz o gol do empate diante do Sobradinho: falha de Artur mudou história do jogo

O Ceilândia de 2017 tem uma proposta de jogo diferente do ano anterior. Dono da sua melhor campanha em anos recentes, o Ceilândia foi o líder da fase de classificação. Pelo regulamento, isso pouco representa a não ser a vantagem de mandar a segunda partida em casa.

Wallinson fez um partida quase perfeita, mas quase entregou um gol que mudaria a história do jogo
Wallinson forma a dupla de área com Badhuga

Adelson oscilou entre Pedro e Artur. Depois da grave falha diante do Sobradinho, Pedro tomou o lugar de Artur. Dudu tem feito uma temporada superior aos anos anteriores.  No miolo de área, Badhuga e Wallinson superaram as desconfianças iniciais e compoem a defesa menos vazada. Elivelto tem subido de produção e tem sido uma das referências do Ceilândia.

Emerson Martins comemora o gol alvinegro
Emerson Martins comemora o gol alvinegro: um dos principais nomes do início de temporada

Emerson Martins começou a temporada muito bem. Desgastado pela sequencia de jogos é, depois de uma semana de folga, uma das esperanças para o título alvinegro que não vem desde 2012. Didão, Alcione e Felipe Cirne compõem o meio de campo.

Adelson fez as mexidas possíveis: Willian Carioca entrou no lugar de Emerson Martins
Willian tem sido o décimo segundo jogador de Adelson

O ataque alvinegro tem alternado conforme o adversário. Ora Adelson tem se valido de Gilmar Ere, ora de Michel, mas Romarinho tem sido peça imprescindível.

Com esse time, o Ceilândia vai enfrentar um Luziânia que o derrotou em jogos de mata-mata em 2015 e 2016. Melhor time no papel, melhor time no campo, o Gato Preto terá que prova-lo na prática se quisier seguir adiante.