Tag: Nycole

Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas

Decisão: Ceilândia tem enorme desafio na final

Time da final em 2015 não foi páreo para o Cresspom.
Time da final em 2015 não foi páreo para o Cresspom.

Neste sábado, 13h, o time de futebol feminino do Ceilãndia tem um enorme desafio na decisão do Campeonato Candango de 2017.

O Ceilândia enfrentará o Minas, atual campeão do DF e grande favorito ao título. O Minas venceu todos os seus compromissos na fase de classificação, inclusive o próprio Ceilândia, por três ou mais gols de diferença.

Desta vez a final será no Mané Garrincha contra o Minas
Desta vez a final será no Mané Garrincha contra o Minas

O Ceilândia conta com o retorno de Isabella, ainda um pouco fora de forma depois de longo tempo se recuperando de uma lesão no tornozelo.Nycole, artilheria da competição, é presença garantida.

Ceilândia sofreu com a forte marcação do Minas
Ceilândia volta a enfrentar o Minas e vai ter que se superar se quiser ser campeão

No papel o Minas é o franco favorito. O time do Ceilândia cresceu de produção durante a competição. Ainda vai ter que se superar muito se quiser sagrar-se campeão, mas no futebol tudo é possível. As meninas já venceram o Minas antes e podem fazê-lo novamente.

Essa não é a primeira vez que o time feminino do Ceilândia chega a uma decisão. Em 2015 chegou na final diante do Cresspom. Tal como agora, o jovem time do Ceilândia enfrentava um time muito superior e daquela vez não teve jeito e o Gato Preto foi derrotado na final.

 

 

dkdkdk

kdkdkd

kdkdk

Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição

Ceilândia vence e está na final do Candangão Feminino de 2017

O resultado não reflete as dificuldades enfrentadas pelo Ceilândia
O resultado não reflete as dificuldades enfrentadas pelo Ceilândia

O Ceilândia classificou-se para as finais do Candangão Feminino de 2017. Jogando na manhã deste domingo no Estádio Regional do Ceilândia, o Gato Preto venceu valente time do São Sebastião por 4 x 1. Como havia também vencido o jogo de ida, o Ceilândia disputará, provavelmente contra o Minas,  quem será o campeão do DF de 2017.

São Sebastião compensava dificuldades técnicas com muita luta
São Sebastião compensava dificuldades técnicas com muita luta

Não foi um jogo fácil. O São Sebastião compensava o fato de ser tecnicamente inferior com um forte espírito de luta. Com isso, o time da zona leste do Distrito Federal manteve o jogo de intermediária a intermediária. A diferença é que o Ceilândia possui talentos individuais superiores. Com isso, Nycole e Laíssa fizeram 2 x 0 no primeiro tempo.

Laíssa fez Ceilândia 2 x 0
Laíssa fez Ceilândia 2 x 0

Veio o segundo tempo e o Ceilândia veio com uma surpresa. Isabella, que pouco  participou da fase de classificação, entrou para compor o meio. A jogadora mostrou parte do conhecido talento, mas ainda parecia fora ritmo de jogo. Mesmo assim, foi importante nos dois gols que Nycole fez para abrir 4 x 0.

Isabella voltou a formar dupla com Nycole.
Isabella voltou a formar dupla com Nycole.

Com a larga vantagem no placar, o Ceilândia caiu de produção e permitiu ao São Sebastião que descontasse com Da Rosa. 

Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição
Nycole faz o seu terceiro gol, artilheira da competição

O Ceilândia está classificado para as finais. O provável adversário é o forte time do Minas que goleou o Ceilândia na estreia por 4 x 0. Há duas verdades relacionadas a esse confronto. No primeiro jogo o Ceilândia ainda engatinhava em sua preparação. Era um time ainda em formação. 

São Sebastião teve o espírito de luta recompensado com um gol no final
São Sebastião teve o espírito de luta recompensado com um gol no final

A outra verdade é que o Minas, atual campeão do DF, é um time muito forte para os padrões do Distrito Federal. Do lado do Ceilândia espera-se superação, o resultado é um consequência dos desíginios de futebol.

A final será disputada em única partida, no próximo domingo, em local a ser definido.

Veja, abaixo, algumas imagens do jogo.

Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany

Com 10 gols de Nycole, Ceilândia se reabilita

Taguatinga assustou, mas o ataque garantiu a vitória
Taguatinga assustou, mas o ataque garantiu a vitória

O Ceilândia conquistou a sua primeira vitória no Candangão 2017 ao vencer o Taguatinga por 22 a 2. O placar bem revela o desnível entre as diversas equipes que disputam a modalidade feminina no Distrito Federal.

Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany
Os gols foram saindo naturalmente, como este de Stephany

O jogo se manteve equilibrado até os 20 minutos do primeiro tempo. Até ali o placar apontava 3 x 2 para o Ceilândia. Stephany abriu o marcador aos 6, Marcela amplicou aos 9 e Alani fez 3×0. O Taguatinga rapidamente reduziu o marcador com gols de Meire aos 13 e Priscila aos 19. 

Nycole demorou a fazer o primeiro. Depois, fez 10 gols
Nycole demorou a fazer o primeiro. Depois, fez 10 gols

Depois disso começou o show pessoal de Nycole. Convocada para a seleção brasileira sub 20, a atacante fez mais dez (!) gols (25, 29, 36 e 41 do primeiro tempo e 9, 11, 13, 22, 40 e 44 do segundo). Marcela e Alani voltaram a marcar aos 28 e 43 do primeiro tempo. 

Bruna também fez o dela
Bruna também fez o dela

Stephany marcou outros três gols (aos 46 do primeiro, 3 e 19 do segundo tempo). Bruna fez aos 15 do segundo tempo enquanto que Laíssa fez três gols (aos 24, 35 e 42 do segundo tempo). 

Elenco do Ceilândia é mais rodado: enorme diferença de maturidade
Elenco do Ceilândia é mais rodado: enorme diferença de maturidade

O resultado demonstra que o Ceilândia é uma força da competição. A Comissão Técnica, contudo, não se empolga: sabe que o grande adversário é o Minas e por isso prega seriedade para encurtar a distância para o atual campeão do DF.

Nycole comemora um de seus dez gols
Nycole comemora um de seus dez gols

O jogo contou com a arbitragem da nova geração de árbitros do Distrito Federal: Matheus Moraes foi auxiliado por Vinício Assis e Adão de Jesus. Cláudia Rodrigues foi o 4o árbitro.

Matheus Morais: nova geração de árbitros
Matheus Morais: nova geração de árbitros

Na próxima semana o Ceilândia volta a folgar no campeonato local. Tempo para Isabela recuperar-se.

Curva de aprendizado: Cresspom ainda está melhor

Valéria foi muito exigida... suas defesas foram muito importantes
Valéria foi muito exigida… suas defesas foram muito importantes

Comissão Técnica e jogadoras do Ceilândia tiveram e terão, no jogo de hoje e nos próximos dias, uma das maiores oportunidades de aprender como o futebol funciona. O Ceilândia está mais próximo, mas precisa trabalhar e trabalhar para chegar no nível do Cresspom.

Alegria do Cresspom: time mais maduro com o CEC
Alegria do Cresspom: time mais maduro com o CEC

No jogo da manhã deste domingo, o Ceilândia pode ter sido inferior ao seu adversário,  em termos de organização tática e do ponto de preparação mental para o jogo, mas jamais faltou coração.

O Ceilândia é um time de grande coração, mas, como ficou claro, apenas coração e talentos individuais não são suficientes: é preciso estar preparado em todos os aspectos para vencer.

Ceilândia foi envolvido na maior parte do tempo
Ceilândia foi envolvido na maior parte do tempo

De maneira geral, o jogo foi muito equilibrado com as defesas levando vantagem sofre os ataques. Mas havia uma diferença: o Cresspom era um time mais maduro e consistente em campo. A transição defesa para o ataque do Cresspom sempre foi mais consistente. O time do Cresspom era mais sereno em campo.

Não faltou luta
Não faltou luta

O que o Ceilândia não tinha de organização tática, tinha de coração. Talvez coração demais. Na verdade, o time do Ceilândia precisava de tranquilidade e, principalmente, de uma liderança firme, mas serena. Fora disso, o Gato Preto era apenas um time talentoso tentando vencer na base da força e do coração.

Novinha luta contra duas: time depende das ligações diretas para Novinha e Nycole. Muito pouco
Novinha luta contra duas: time depende das ligações diretas para Novinha e Nycole. Muito pouco

Enquanto o time do Ceilândia era um time nervoso, incapaz de trocar três passes em profundidade sem apelar para os chutões dirigidos a Nycole e Novinha, o Cresspom forçava o erro do Ceilândia. Seria uma questão de tempo  que o erro acontecesse e esse erro veio no finalzinho do primeiro tempo. O Cresspom aproveitou-se e fez 1 x 0.

Luta desigual no campo de ataque:
Luta desigual no campo de ataque:

Veio o segundo tempo. O Cresspom continuou melhor porque era mais consistente. Era um time que não se enervava e a sua transição da defesa para o ataque era melhor. O Ceilândia era um time valente e se esquecia que o talento de Isabella, Novinha e Nycole precisa do time e o time precisa de Isabella, Novinha e Nycole.

Nycole é vítima do próprio talento: time acredita que ela resolverá sozinha
Nycole é vítima do próprio talento: time acredita que ela resolverá sozinha

O resultado disso é que Valéria foi muito exigida e fez diversas defesas difíceis. A defesa do Ceilândia lutava, lutava, lutava, mas o gol do Cresspom era uma questão de tempo. E aconteceu aos 32 do segundo tempo.

Isabella esteve nervosa: poderia ter sido expulsa
Isabella esteve nervosa: poderia ter sido expulsa

O Ceilândia é um time valente e tem que se recusar o papel de vítima. A valentia foi recompensada com o gol de Nycole. Foi talvez, o jogo mais equilibrado entre Ceilândia e Cresspom na história recente. Comissão técnica tem muito que aprender com esse jogo.

Zagueira do Gato levou uma cotovelada acidental: todos ficaram preocupados
Thauane levou uma cotovelada acidental: todos ficaram preocupados

O Ceilândia precisa aprender e trabalhar (e muito) se quiser vencer um time maduro como o Cresspom. O jogo, mais que o resultado, mostrou que o Ceilândia é um time menos rodado e menos treinado que seu adversário.  Não é o fim do mundo. O Ceilândia é um bom time, mas quem se pretende campeão, precisa melhorar sempre.

CEC terá que trabalhar muito, se quiser desafiar o Cresspom
CEC terá que trabalhar muito, se quiser desafiar o Cresspom

Menos verdadeira é a constatação de que Comissão Técnica e jogadores possuem  o material necessário para ser um grande time: talento e garra. Resta trabalhar.