Categoria: Base

Categorias de Base

Candanguinho: Juvenil e Infantil seguem firmes na liderança

Infantil segue firme na liderança do Grupo B do Candanguinho 2018

O Ceilândia voltou a vencer seus adversários na terceira rodada do Candanguinho 2018. Jogando no Paranoá, o time infantil do  Ceilândia venceu o time da casa por 2 x 1.  O time treinado por Paulo Miranda é líder de seu grupo com 9 pontos em 3 jogos disputados.

O time juvenil também passou pelo Paranoá e superou o seu adversário por 4 x 0.  O time treinado por Gleyton Ariani também é líder com 9 pontos em 3 jogos disputados.

A gestão dos times infantil e  juvenil do Ceilândia, assim como do time de juniores, está a cargo da BNT – Brasilia Novos Talentos, parceria que tem rendido bons frutos ao Ceilândia.

No próximo sábado, o Ceilândia enfrenta a Guaraense no CT do Gato a partir das 14h.

Juvenil: temperatura de 33 graus dentro de campo

Juvenil e Infantil: Ceilândia começa bem o Candanguinho 2018

 

Juvenil: temperatura de 33 graus dentro de campo
Em foto de 2012: Ceilândia x Galacticos. Em 2018, Gato Preto tem planos para Copa BH 2019

O Ceilândia está disputando os campeonatos das categorias infantil e juvenil.  O Presidente Ari de Almeida comentou com o CeilandiaEC o desejo de que as parcerias rendam o mesmo resultado com a firmada com a BNT – Brasilia Novos Talentos.

Ari de Almeida assume a presidência do CEC
Ari de Almeida assume a presidência do CEC

É muito cedo para fazer uma avaliação, mas os resultados da primeira rodada dão margem para acreditar no trabalho:

Os juvenis do Ceilandia venceram o Galacticos FC por 3 x 0.  Já o time infantil sofreu um pouco mais para vencer o mesmo Galacticos por 2 x 1. Na próxima semana o Ceilândia enfrenta o Brasília.

Luan comemora logo aos sete minutos. Gol deu tranquilidade ao Ceilândia

Abdio e Luan marcam e juniores eliminam o Gama

O Ceilândia começou melhor: boa transição defesa para o ataque
O Ceilândia começou melhor: boa transição defesa para o ataque

O Campeonato Candango de Juniores 2018 chegou à sua fase decisiva. Em um campeonato equilibradíssimo, cada vitória deve ser conquistada com muita superação.  Neste domingo, enquanto todos os olhos estavam voltados para a Copa do Mundo,   não foi diferente. Ceilândia e Gama enfrentaram-se em um jogo de vida ou morte para as suas pretensões. Melhor para o Gato Preto, pior para o Gama que está eliminado.

Time do Técnico Léo Roquete está próximo do mata-mata
Time do Técnico Léo Roquete está próximo do mata-mata

O jogo começou a cem por hora.   Imprimindo forte ritmo e, mais que isso, com uma boa passagem do meio de campo para o ataque, o Gato Preto começou melhor. Não demorou muito para que o Ceilândia fizesse 1 x 0. Cobrança de falta de João Brasil pela direita e Luan cabeceou para fazer Ceilândia 1 x 0.

Luan salva sobre a linha do gol: Gama assustou no primeiro tempo
Luan salva sobre a linha do gol: Gama assustou no primeiro tempo

O gol pareceu ter acomodado o Ceilândia. O Gama foi à frente e aos poucos empurrou o Ceilândia para o seu campo de defesa. O Gato Preto perdera a boa transição defesa para o ataque e, ou conduzia a bola excessivamente, ou tentava ligações diretas sem resultado.  O Ceilândia sofreu alguns sustos, mas conteve o impeto do adversário e retomou o controle das ações no último terço do primeiro tempo.

Luan comemora logo aos sete minutos. Gol deu tranquilidade ao Ceilândia
Luan comemora logo aos sete minutos. Gol deu tranquilidade ao Ceilândia

Veio a segunda etapa e o Gama realizou três substituições logo de cara. O Ceilândia manteve a pegada do primeiro tempo, controlou as ações do adversário e o estreante Abdio resolveu o jogo ao fazer 2 x 0.

Defesa trabalhou muito durante o momento de instabilidade alvinegra
Defesa trabalhou muito durante o momento de instabilidade alvinegra

O resultado devolveu a primeira colocação do Grupo C ao Ceilândia. No próximo final de semana o Gato Preto tem outro difícil confronto,  agora contra o Cruzeiro-DF que ontem venceu o Samambaia por 3 x 1, mas daqui para a frente, não há jogo fácil.

Ceilândia também perdeu boas oportunidades: mais eficiente que seu adversário
Ceilândia também perdeu boas oportunidades: mais eficiente que seu adversário

As projeções de momento colocam o Ceilândia na primeira fase do mata-mata contra um time de seu próprio grupo. Então, é melhor estar preparado para jogos difíceis até o final, mas o time mostrou que está encaixando nesta reta decisiva.

 

 

 

JUNIORES – Para ganhar moral! Ceilândia bate líder e embola grupo da morte

Christian levou um susto no começo do jog. Depois, não teve trabalho
Christian levou um susto no começo do jogo. Depois, não teve trabalho

O Ceilândia venceu o Samambaia, então líder do grupo da morte, em partida realizada na manhã deste sábado e recupera, ainda que provisoriamente, a liderança do grupo. O Gato Preto não fez uma partida perfeita, mas jogou o suficiente para conquistar uma importante vitória.

O Ceilândia perdeu boas chances com a bola rolando. Gols tiveram origem em bolas paradas
O Ceilândia perdeu boas chances com a bola rolando. Gols do primeiro tempo tiveram origem em bolas paradas

O Ceilândia começou melhor e logo  nos primeiros minutos perdeu grande oportunidade de abrir o marcador. O Samambaia respondeu na mesma medida e, aos 8, poderia ter saído na frente.

O Ceilândia teve muita dificuldade para superar o Samambaia
O Ceilândia teve muita dificuldade para superar o Samambaia

Aos poucos, contudo, o Ceilândia foi assumindo o controle do jogo, mas era um time de pouca inspiração. Abusava dos lançamentos diretos do campo de defesa. O Samambaia também passou a usar dessa estratégia.

Aos poucos o Ceilândia assumiu o controle do jogo

O jogo se arrastava de intermediária a intermediária até que aos 30 o árbitro Emanoel Ramos viu mão do zagueiro do Samambaia e marcou o pênalti. Lucas Portela bateu bem e fez 1 x 0. Não demorou e, novamente em jogada de bola parada, João Brasil cobrou falta que desviou na zaga e foi morrer no fundo da meta: Ceilândia 2 x 0.

Lucas comemora o primeiro gol do Ceilândia

Veio o segundo tempo e o Samambaia voltou melhor. O Ceilândia via o adversário chegar mais e mais perto de sua área. Apesar da iniciativa do Samambaia, a defesa do Ceilândia, que dera alguns sustos em sua torcida no primeiro tempo, controlou as ações do adversário e o goleiro Christian pouco trabalhou.

Na cobrança de falta de João Brasil a bola passou por todos até morrer no fundo da rede
Na cobrança de falta de João Brasil a bola passou por todos até morrer no fundo da rede

Para sacramentar a recuperação alvinegra, Warley fez o terceiro aos 37 do segundo tempo. Importante vitória do Ceilândia que ganha moral para a sequência da competição.  O Gato Preto é forte, já demonstrou isto. Agora precisa transformar essa fortaleza em vitórias.

Ceilândia controlou o Samambaia e dorme na liderança

Nos outros resultados conhecidos do dia: Capital 1 x 2 Cruzeiro, Formosa 2×1 Brasília, Ceilandense 1 x 4 Legião  e Sobradinho 0x1 Luziânia.

Juniores DF-2018

PosClubeJVEDGPGCSPts
154011221012
2531161510
3531164210
45302710-39
5510458-33
A defesa do Ceilândia prevaleceu sobre o valente Capital

Juniores: Vitória importante e no último minuto

O Capital deu algum problema ao Ceilândia que prevaleceu por sua regularidade
O Capital deu algum problema ao Ceilândia que prevaleceu por sua regularidade

O time de juniores do Ceilândia estreou com vitória no Metropolitano 2018. Jogando na tarde desta quarta-feira no Centro de Treinamento do Gama, o Ceilândia estreou na competição e sofreu para vencer o Capital.

A defesa do Ceilândia prevaleceu sobre o valente Capital
A defesa do Ceilândia prevaleceu sobre o valente Capital

Foi um jogo complicado. O Ceilândia foi melhor na maior parte do tempo, mas precisou de toda a paciência do mundo para derrotar o seu adversário. O primeiro tempo foi quase que integralmente do alvinegro. Apesar da maior posse de bola, o Ceilândia foi incapaz de traduzir em gols a sua superioridade.

Ceilândia sofreu com transição defesa-ataque
Ceilândia sofreu com transição defesa-ataque

O Capital voltou melhor no segundo tempo e equilibrou a partida. O Ceilândia controlou as ações de seu adversário mas precisou de 15 minutos para retomar as rédeas da partida. O Capital em nenhum momento pareceu um adversário batido, mesmo quando o Ceilândia recuperou o comando da partida.

O Ceilândia conseguia chegar à área do Capital, mas o gol demorou
O Ceilândia conseguia chegar à área do Capital, mas o gol demorou

O Ceilândia, apesar de melhor, não criou apenas uma situação clara de gol no segundo tempo. A partida encaminhava-se para o empate sem gols quando, enfim, o Gato Preto teve a oportunidade de pegar a defesa do Capital desarrumada. Eram 47 do segundo tempo e uma situação de tudo ou um empate. Warley não desperdiçou e fez Ceilândia 1 x 0.

Warley fez o gol do Ceilândia no último minuto. Vitória importante
Warley fez o gol do Ceilândia no último minuto. Vitória importante

Não havia tempo para mais nada. No próximo sábado, 15h30, no Abadião, o Gato Preto enfrenta o Real. Jogo difícil, mas isso é chover no molhado: afinal  o Ceilândia está no grupo da morte e daí apenas os  dois garantem a classificação para as quartas-de-final.

Juniores: Ceilândia reencontra Real na estreia

Ceilândia comemorou a classificação em 2017… traído pelos bastidores

Os Juniores do Ceilândia retornaram da Holanda onde disputou, sem muito sucesso, o Karel Stegeman.  Uma oportunidade rica para todos os atletas. A Comissão Técnica não contou com todo o seu elenco principal na competição. Para a estreia no Candanguinho 2018, a expectativa é de que o técnico Léo Roquete, que não viajou para a Holanda, conte com o seu time principal, embora desgastado em face da quantidade de jogos em poucos dias e da longa viagem.

No ano passado, o Ceilândia foi o grande prejudicado com a grande confusão gerada a partir das constantes mudanças de regulamento e acabou excluído da final e da disputa da Taça São Paulo. Agora, os times voltam a se encontrar no Abadião, às 15h30, deste sábado.

Juniores quase prontos para viagem para a Holanda

Comissão Técnica destaca o apoio do Clube da Saúde
Comissão Técnica destaca o apoio do Clube da Saúde

Os juniores do Ceilândia estão na reta final de preparação para o Campeonato Candango da categoria e para a disputa do Torneio Karel Stegeman, em Ruurlo, na Holanda.

O elenco conta com mais de 30 atletas: apenas 18 viajarão para a Holanda
O elenco conta com mais de 30 atletas: apenas 18 viajarão para a Holanda

Em função da viagem ao exterior, o Ceilândia pediu à FFDF que a partida marcada para o dia 19 de maio, contra o Capital, fosse adiada. Nesse mesmo dia o Ceilândia estreia no Karel Stegeman enfrentando o Slovan Bratislava, da Eslovaquia.

Com recursos escassos, Leo Roquete não viajará para Holanda. Outros três titulares também
Com recursos escassos, Leo Roquete não viajará para Holanda. Outros três titulares também

O Karel Stegeman será disputado em apenas três dias. Assim, os meninos do Ceilândia serão obrigados a jogar mais de uma partida no mesmo dia. À tarde do mesmo dia 19, o Ceilândia enfrenta uma das forças do futebol holandês, o FC Twente.

Fernando abriu o placar logo aos 3
Fernando marca contra o Legião em 2017: Ceilândia mantém a base do ano passado

A fase de classificação do Karel Stegeman termina no dia 20, quando o Ceilândia enfrenta o NK Lokomotiva da Croácia e o Kalmar FF da Suécia. As finais serão jogadas dia 21.

Ceilândia chega na Holanda dois dias antes da estreia
Ceilândia chega na Holanda dois dias antes da estreia

Para essa competição, a Comissão Técnica poderá levar apenas 18 jogadores, incluídos os 2 goleiros.  Diante da falta de patrocínio, os próprios jogadores estão pagando suas passagens. Alguns titulares e membros da Comissão Técnica  não conseguiram e  não poderão viajar. A vida é difícil no profissional. É ainda mais difícil na base.

Sem adversários para jogar, Ceilândia luta para ganhar ritmo de jogo
Sem adversários para jogar, Ceilândia luta para ganhar ritmo de jogo

No comando está uma dupla vencedora: Gleyton Ariani e Leo Roquete. No mais, a comissão técnica conta com nomes importantes como o do Diretor de Futebol Leandro Ribeiro, os auxiliares técnicos Jonathan Serejo e Luca Lameira, o preparador físico Gutemberg Bustamante e o preparador de goleiros Bruno Zica.

Christian treina. Ceilândia levará dois goleiros
Christian treina. Ceilândia levará dois goleiros

O Ceilândia conta com o apoio importante do Clube da Saúde que cede instalações, veículo para transporte e alimentação dos atletas. A Clínica Cettro contribui com a fisioterapia. Gerenciando o trabalho está a BNT – Brasília Novos Talentos e, na logistica da viagem, a Sports Experience (www.sportsxp.com.br).

Jogo de volta no próximo sábado: um segue adiante

Juniores: Ceilândia e Real empatam no primeiro jogo da semifinal

Defesas levaram vantagem sobre os ataques
Defesas levaram vantagem sobre os ataques

Ceilândia e Real fizeram nesse sabado, no Serra do Lago, o jogo de ida das semifinais do Metropolitano de Juniores 2017. O empate em 1 x 1 dá a mostra do equilíbrio da partida.

O Ceilândia impressionou pelo começo. Debaixo de um forte calor, o Gato Preto começou com marcação alta, pressionando a saída de bola do Real.  O Real teve dificuldade para sair de seu campo de defesa, mas aos poucos foi equilibrando a partida.

Wendel teve pouco trabalho
Wendel teve pouco trabalho

A troca de comando foi uma tônica do jogo. No geral, contudo, o Ceilândia teve a iniciativa do jogo por mais tempo, mas o Real mostrou que é uma boa equipe e incomodou bastante. O jogo, contudo, era travado de intermediária a intermediária, com as defesas levando vantagem sobre os ataques.

Jogo muito disputado e algumas jogadas ríspidas
Jogo muito disputado e algumas jogadas ríspidas

Os gols vieram de falhas das defesas. Aos 21, numa ligação direta, a defesa do Real se enrolou com a bola. Fernando recuperou a bola e bateu firme para fazer Ceilândia 1 x 0.

Aos 40, foi a vez do sistema defensivo do Ceilândia devolver a gentileza. Erro na linha de impedimento e um pênalti desses que a arbitragem está marcando quando a bola bate na mão do zagueiro. Rangel bateu e empatou o jogo.

Ceilândia comemora: alegria demorou pouco
Ceilândia comemora: alegria demorou pouco

O segundo tempo manteve a toada, mas as únicas oportunidades criadas foram do Ceilândia. Fernando teve a oportunidade de marcar de cabeça, mas a bola saiu fraca.  Já no apagar das luzes, Vitinho saiu cara a cara com o goleiro adversário e mandou para fora.

Jogo de volta no próximo sábado: um segue adiante
Jogo de volta no próximo sábado: um segue adiante

Os times voltam a se enfrentar no próximo sábado, no Estádio Regional de Ceilândia. Somente a vitória interessa ao Ceilândia.

Na outra semifinal, Cruzeiro e Formosa empataram em 2 x 2. 

Gato leva boa vantagem para a partida de volta

Juniores: Ceilândia goleia Legião pelas quartas 2017

Ceilândia venceu o Legião na partida de ida.
Ceilândia venceu o Legião na partida de ida.

A crise financeira dos clubes do DF pode ser compreendida a partir do futebol de base: a imensa maioria dos clubes terceirizou os seus departamentos de futebol amador. O Ceilândia que viveu um 2017 muito difícil, não é exceção.

Com a experiência do Clube da Saúde, o Gato Preto chegou nas quartas-de-final do Candangão Juniores 2017. Na manhã deste domingo, o Ceilândia enfrentou o Legião e venceu a partida de ida por 6 x 2.

Fernando abriu o placar logo aos 3
Fernando abriu o placar logo aos 3

Muito do resultado da partida deveu-se ao fato de que o adversário chegou em cima da hora para a partida. O jogo começou com atraso de 25 minutos. Nem bem a bola rolou, Vitinho foi derrubado dentro da área. Penalti para o Ceilândia. Fernando bateu, o goleiro defendeu e ele mesmo pegou o rebote para fazer Ceilândia 1 x 0.

Leonardo Roquete é o treinador do Ceilândia
Leonardo Roquete é o treinador do Ceilândia

O Ceilândia continuou melhor, favorecido por sua melhor transição da defesa para o ataque. O Legião, contudo, mostrou que é um time valente e em dois contra-ataques virou a partida. O Ceilândia empatou logo em seguida com Fernando cobrando falta. 30 do primeiro tempo e 2 x 2. 

O jogo era equilibrado, o Ceilândia demonstrava mais consistência tática e  virou novamente aos 36, agora com Vitinho: Ceilândia 3 x 2.

Vinicius fez o quarto gol do Ceilândia
Vinicius fez o quarto gol do Ceilândia

Veio o segundo tempo e o Ceilândia continou melhor. Faltava ao alvinegro, contudo, chegar com qualidade ao gol adversário. Aos 21, Fernando foi derrubado dentro da área. Penalti para o Ceilândia. Dessa vez Vinicius fez 4 x 2.

Gato leva boa vantagem para a partida de volta
Gato leva boa vantagem para a partida de volta

O Legião lutava desesperadamente, mas faltava-lhe força. Fernando foi novamente derrubado na área. Ele mesmo cobrou o pênalti e fez 5 x 2. Aos 42, Warley deu números finais: Ceilândia 6 x 2 Legião.

Os times voltam a se enfrentar na próxima semana no jogo que levará Ceilândia ou Legião à semifinal do Candangão 2017, categoria de juniores.

Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença

Juniores: Paranoá vence e amplia vantagem

Ceilândia não teve vida fácil contra o Paranoá
Ceilândia não teve vida fácil contra o Paranoá

O Ceilândia jogou na tarde deste sábado no Estádio Chapadinha, em Brazlândia, contra o Paranoá, partida válida pelo jogo de ida das quartas de final do Campeonato de Juniores do DF 2016.

Dono da melhor campanha da competição, o Paranoá encontrou um Ceilândia muito diferente daquele da fase de classificação. O resultado, contudo, foi o mesmo: vitória do Paranoá.

Ceilândia deixava muito espaço para os contra-ataques do Paranoá
Ceilândia deixava muito espaço para os contra-ataques do Paranoá

Dono de um melhor conjunto, o Paranoá foi melhor na maior parte do jogo. O Ceilândia compensava a falta de conjunto com muito espírito de luta. Por isso, equilibrou o jogo no segundo tempo.

Um erro da defesa, contudo, selou a sorte do jogo quando o Paranoá fez 2 x 0.

Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença
Ceilândia precisa vencer jogo de volta por dois gols de diferença

O Ceilândia continuou insistindo, um tanto quanto sem inspiração e muito mais na transpiração. Tanto esforço foi recompensado com um gol de pênalti.

Falta entrosamento ao Ceilândia
Falta entrosamento ao Ceilândia

Depois do gol, pela primeira vez nos últimos confrontos, o Paranoá mostrou-se intranquilo. O Ceilândia foi para cima, mas faltava aquilo que o Paranoá tem de sobra: conjunto e força física.

Para a partida de volta,  o Ceilândia precisa vencer por dois gols de diferença para classificar-se. O Paranoá, até aqui, jogou seis vezes com seis vitórias. O Ceilândia vai precisar mostrar mais do que mostrou até agora.

Juniores vencem Brazlândia: 2 x 1

Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda

O time de juniores do Ceilândia, comandado pelo técnico Paulo Henrique Ferreira, venceu a segunda partida no Candangão 2016.

Jogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Rafael levou a pior na disputa com o goleiro.

Jogando em Brazlândia, debaixo de um sol escaldante, o alvinegro teve dificuldades para vencer o Brazlândia por 2 x 1.

Ceilândia dependeu muito da bola paradaJogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda
Ceilândia dependeu muito da bola paradaJogo teve lances ríspidos: Ceilândia venceu a segunda

A partida começou com uma tocante homenagem do Brazlândia, de seu presidente Moacir Ruthes em particular, ao eterno presidente do Ceilândia,  Beni Monteiro.

O Gato Preto começou melhor e logo  tomou a iniciativa do jogo. O Brazlândia equilibrou o jogo e poderia ter saído na frente do marcador quando Marcus Henrick saiu mal e Ruan salvou sobre a linha.

CEC esteve consistente defensivamente, mas prendeu a bola excessivamente no meio e no ataque
CEC esteve consistente defensivamente, mas prendeu a bola excessivamente no meio e no ataque

No segundo tempo, o Ceilândia voltou melhor. Não demorou muito e Lucas Henrique fez o primeiro gol alvinegro, cobrando pênalti.

Ceilândia é um time penso: a única transição de lado a lado ocorreu depois de 80 minutos de jogo
Ceilândia é um time penso: a única transição de lado a lado ocorreu depois de 80 minutos de jogo

Logo em seguida, Lucas Henrique fez o seu segundo gol na partida, o terceiro na competição. O Ceilândia, apesar de não apresentar um jogo convincente, era melhor e o placar era justo.

Marcus Henrick: começou mal, depois se redimiu e salvou o marcador
Marcus Henrick: começou mal, depois se redimiu e salvou o marcador

Depois do gol, o Ceilândia deu campo para o seu adversário. Marcus Henrick, que falhara no primeiro tempo, foi o personagem do jogo.

Mais uma vez Marcus Henrick falhou. Dessa vez não conseguiu socar a bola e permitiu que o Brazlândia diminuísse.

A defesa do Ceilândia trabalhou mais que deveria: CEC era mais superior que o placar pode fazer crer
A defesa do Ceilândia trabalhou mais que deveria: CEC era mais superior que o placar pode fazer crer

Marcus Henrick recusou-se a ocupar o papel de vilão. Em seguida fez ao menos duas defesas difíceis e garantiu a vitória alvinegra.

Ao final do jogo o técnico Paulo Henrique Ferreira admitiu que o Gato Preto não fizera uma boa partida. Argumentou que o time começara a preparação pouco antes do início do campeonato.

Lucas comemora o primeiro gol do Ceilândia: foram dele os gols da vitória
Lucas comemora o primeiro gol do Ceilândia: foram dele os gols da vitória

Paulo Henrique estava satisfeito com retorno dado pelos jogadores. Apesar do pouco tempo de preparação, o Gato Preto conseguiu duas vitórias em dois jogos. A tendência, segundo o treinador, é melhorar.

Para quem assistiu, pareceu claro que o Ceilândia era um time mais consistente em campo que o Brazlândia. Obviamente, ficou claro que o Ceilândia precisa melhorar muito como time. Como disse o treinador, o Ceilândia tem potencial e treina há pouco tempo. O importante nessas duas primeiras rodadas é ganhar corpo.

Candanguinho 2013: CEC faz amistoso em Brazlândia

 

CEC renova o time para o Metropolitano
CEC renova o time para o Metropolitano

 

O CEC continuou a sua preparação rumo ao Candanguinho 2013. Neste final de semana, jogou em Brazlândia.

O Ceilândia EC sub 17 – Juvenil às 14h00min, sábado, 27/07, no estádio chapadinha, Brazlândia, fez partida amistosa contra o Brazlândia. O inicio  foi bom: boa posse de bola, espírito coletivo.

Aos poucos, contudo, o time juvenil foi se perdendo:, muito individualismo e alguma dificuldade para superar os critérios da arbitragem

No final,  04×03 Brazlandia com gols de Francisco Robert, Yuri Fortaleza e Marcos Raman. De bom no jogo, poder ver todos os novatos atuando.

Já o Ceilândia EC sub 15 – Infantil às 16h00min, sábado, 27/07, no estádio chapadinha, Brazlândia, fez partida amistosa contra o Brazlândia, com equipe muito reformulada e sentiu os efeitos das mudanças.

Foi superior na maior parte do jogo, mas os erros de marcação deram margem aos dois gols do Brazlandia. O CEC não se abalou e buscou sempre o empate que parava nas no goleiro do Brazlândia que fez defesas incríveis.

Muitos gols perdidos. Sofrido até no empate 02×02: o goleiro adversário ainda tocou na bola no gol marcado de  pênalti.

Gols de Ramon Souza e Daniel Marques. Aos poucos o CEC vai montando seu novo time infantil.

Juniores: Ceilândia empata e dá adeus

Jefferson isolado no ataque: CEC sem consistência ofensiva
Jefferson isolado no ataque: CEC sem consistência ofensiva

O Ceilândia deu adeus ao sonho de ser campeão juniores do DF em 2013.

Jogando no Estádio Bezerrão, o CEC empatou em 1 x 1 com o Brasília. Como o adversário possuía melhor campanha na competição, classificou-se para a final.

No primeiro tempo o CEC foi dominado. Primeiro ataque efetivo aos 48
No primeiro tempo o CEC foi dominado. Primeiro ataque efetivo aos 48

O Ceilândia veio diferente para a partida deste sábado. Com dois jogadores avançados pelas alas, o CEC impediu a jogada que tanta dor de cabeça trouxe no último sábado.

A despeito disto, o Brasília foi melhor em um primeiro tempo de poucas chances. A rigor o Brasília mostrava mais consistência que o CEC e teve ao menos duas chances de abrir o marcador. Numa delas, a bola explodiu no travessão.

Mateus saiu lesionado no ombro ainda no primeiro tempo
Mateus saiu lesionado no ombro ainda no primeiro tempo

O CEC ameaçou o gol do Brasília apenas aos 48 do primeiro tempo, mas a bola saiu pelo lado.

Veio o segundo tempo e se esperava que o Ceilândia assumisse o controle do  jogo. Não foi isso que aconteceu. O Brasília foi melhor até abrir o marcador aos 15 do segundo tempo.

Criticado nos últimos jogos, Luquinhas foi o mais lúcido do Ceilândia
Criticado nos últimos jogos, Luquinhas foi o mais lúcido do Ceilândia

Com o gol sofrido, o Ceilândia foi na base da valentia para o ataque. Deu certo. O Brasília ficou em seu próprio campo e as chances alvinegras começaram a aparecer.

O gol, contudo, somente veio aos 35.  Faltava virar.

Na base da vontade, CEC chegou ao empate
Na base da vontade, CEC chegou ao empate

O CEC foi para o ataque e ficou exposto aos contra-ataques do Brasília. Na prática o CEC teve uma grande oportunidade de virar, com Jeferson, mas não deu.

O Brasília segurou o empate e se classificou. Ao final, jogadores das duas equipes, extenuados, caíram no gramado.

Jogadores do Brasília, exaustos, comemoram
Jogadores do Brasília, exaustos, comemoram

A despeito do inegável valor da equipe alvinegra, que lutou bastante (embora pudesse aliar um pouco mais técnica e empenho), o Brasília foi um merecido vencedor.

O Ceilândia está fora da competição. Termina invicto, mostrando alguns bons valores mas com a sensação de que poderia ser melhor.

CEC pressiona no final, mas Brasília mantém vantagem

Jefferson é desarmado: CEC começou melhor, mas o Brasília se defendia muito bem
Jefferson é desarmado: CEC começou melhor, mas o Brasília se defendia muito bem

Ceilândia e Brasília fizeram um bom jogo de futebol na manhã deste sábado, no Estádio Regional de Ceilândia. O bom público presente viu tudo que se espera de um bom espetáculo, menos o gol.

Em campo, os times de melhor campanha na competição, disputando uma vaga  para a decisão: tática, técnica, disposição.

Luquinhas começou ditando o ritmo no meio, depois teve dificuldade na marcação
Luquinhas começou ditando o ritmo no meio, depois teve dificuldade na marcação

O jogo começou com o Ceilândia ditando o ritmo. Num misto de força e técnica, o alvinegro empurrou o Brasília contra o seu campo e viu o Brasília segurar o ímpeto do Ceilândia na entrada da grande área.

Não demorou muito e a marcação do Ceilândia na saída de bola do Brasília começou a mostrar defeitos. O alvirrubro encontrou espaço pela direita de defesa do Ceilândia e levou seu lateral à loucura.

Bruno teve a melhor chance do CEC no primeiro tempo. No contra-ataque o Brasília também perdeu
Bruno teve a melhor chance do CEC no primeiro tempo. No contra-ataque o Brasília também perdeu

Quando o Brasília era melhor, o Ceilândia teve a primeira chance da partida. No bate e rebate dentro da área, Bruno teve a chance de abrir o marcador, mas foi travado na hora. No contra-ataque foi a vez do Brasília, mas o bom camisa 7 alvirrubro bateu fraco para boa defesa de Wendell.

A alternância no domínio da partida revelava o equilíbrio. Por volta dos 30 minutos, o Ceilândia reassumiu o domínio da partida, mas o Brasília era mais perigoso.

No contra-ataque, o Brasília perde chance clara.
No contra-ataque, o Brasília perde chance clara.

A saída de bola do Brasília incomodava. Naquele momento era possível ver que o técnico Binha estava incomodado. Binha viria a trabalhar muito. Chamou Higor e Jefferson, pedindo mais movimentação, trouxe Higor para a direita, mas Fabinho e Luquinhas não também não se encontravam na marcação.

O Ceilândia sofria com a transição da defesa para o ataque do Brasília. Aos 41, a jogada se repetiu com o Brasília obrigando Wendell a fazer importante defesa.

CEC perde uma das poucas chances no segundo tempo.
CEC perde uma das poucas chances no segundo tempo.

Veio o segundo tempo e mais emoção. O Brasília dominou quase que integralmente as ações. A cada minuto ficava a impressão que o gol alvirrubro viria a qualquer momento.

Binha, à margem do campo, se desdobrava em modificações táticas e em substituições. O time não se acertava, mas era valente. Ficava no ar a impressão que o menor erro do Brasília também seria fatal e o CEC abriria o marcador.

CEC compensou os maus momentos no jogo com muita raça, mas vai ter que jogar mais bola para se classificar à final
CEC compensou os maus momentos no jogo com muita raça, mas vai ter que jogar mais bola para se classificar à final

Na verdade o CEC somente assumiu o controle do jogo nos últimos dez minutos da partida. Rondou a meta adversária, mas não criou situações claras de gol.

Para o Brasília a situação ficou ainda mais sofrida nos minutos finais, quando passou a atuar com um homem a menos. O CEC pressionou, pressionou mas não fez o gol.

Com um a mais nos minutos finais, o CEC foi com tudo, mas não conseguiu o gol da vitória
Com um a mais nos minutos finais, o CEC foi com tudo, mas não conseguiu o gol da vitória

O resultado em si foi justo pelo que os times fizeram em campo. Para o bom público ficou a sensação de que as duas equipes jogaram bom futebol, com bom exemplo dentro e fora de campo.

O resultado, também, foi ruim para o Ceilândia. Agora, o alvinegro precisa vencer o Brasília de qualquer jeito para se classificar. Vai precisar fazer um ou outro ajuste, mas vai ter que jogar mais que jogou neste sábado.

 

Juniores: duelo de invictos na semi-final

Volantes do CEC tem ficado expostos: contra o Brasilia, CEC vai ter que atuar mais como time
Volantes do CEC tem ficado expostos: contra o Brasilia, CEC vai ter que atuar mais como time

Ceilândia e Brasília enfrentam-se em uma das semi-finais do Metropolitano 2013 de juniores. A definição ocorreu nesta terça-feira, após o Brasília confirmar o seu favoritismo e vencer o Gama por 3 x 2. No jogo de ida, o colorado já havia vencido o adversário por 3×1.

O duelo opõe os dois únicos times invictos na competição. Por ter a melhor campanha, o Brasília leva a vantagem nos critérios de desempate. A primeira partida deve ser jogada no Estádio Regional de Ceilândia, sábado, às 10h00.

CEC sofreu com a marcação por pressão do Sobradinho. Brasília marca diferente, mas é melhor individualmente que o Sobradinho
CEC sofreu com a marcação por pressão do Sobradinho. Brasília marca diferente, mas é melhor individualmente que o Sobradinho

Deve ser um confronto equilibrado. O Ceilândia mostrou-se muito forte defensivamente em oposição ao Brasília que demonstrou um jogo de transição muito eficiente. O Ceilândia é muito forte nas bolas paradas e no contra-ataque. O Brasília é um time com domínio de bola.

As duas equipes enfrentaram-se na fase de classificação e o resultado final apontou empate em um gol.  De lá para cá, o Ceilândia evoluiu muito. Serão jogos diferentes daqueles disputados contra o Sobradinho.

CEC é forte na defesa, instável na armação e forte no ataque. Maior virtude: forte mentalmente
CEC é eficiente na defesa, instável na armação e forte no ataque. Maior virtude: forte mentalmente

Contra um time que sabe valorizar a posse de bola, o Ceilândia não pode, por exemplo, se dar ao luxo de expor demasiadamente os seus volantes.

Contra um Sobradinho dividido entre defesa e ataque, foi possível ao alvinegro se dar ao luxo de desprezar a transição da defesa para o ataque. Contra o Brasília o CEC terá que ser mais compacto e impedir a boa jogada de transição do adversário.

Binha terá papel relevante nessas semi-finais
Binha terá papel relevante nessas semi-finais

 

Serão jogos interessantes taticamente e os técnicos assumem especial relevância nessas horas.

Os dois melhores times da competição se enfrentam. A favor do Gato, toda a estrutura dada aos atletas e o investimento realizado. Nessas horas, historicamente o Ceilândia é ainda mais forte mentalmente. Isso pode fazer a diferença.

No outro confronto decisivo, o Capital, que eliminou o Guará, enfrenta o surpreendente Botafogo-SAD, que eliminou o Luziânia.