Categoria: Destaque

Destaque

Feminino: Ceilândia goleia Brazlândia por 5 x 0

Silvania começou jogando contra o Brazlândia

O Ceilândia sabia que seria um jogo complicado. O jovem time do Brazlândia/Minas era um adversário traiçoeiro. Todos sabem que o adversário é jovem, mas poucos falam que é um time forte. Inexperiente, mas forte.

Tatiane controla a jogada. Tamires e Eliane observam: consistente defensivamente

O Gato Preto levou o jogo a sério. Tomou a iniciativa do jogo, como deveria ser, mas não se afobou. Na verdade o Ceilândia fez o que deveria fazer: controlou o seu adversário, não lhe deu chances e ganhou o jogo.

Ceilândia comemora o gol de Melissa: 1×0

O primeiro gol surgiu aos 33  do primeiro tempo. Rafaela cobrou falta pela direita, a bola passou por Katyelle, mas não passou por Melissa que de cabeça fez Ceilândia 1 x 0.

Eliane “Da Roça” foi muito importante nos minutos finais.

O Gato Preto continuou melhor, consistentemente melhor. Karen não trabalhou. 

Tamires: mais uma vez importante

Veio o segundo tempo e o Gato Preto manteve a iniciativa do jogo, mas esbarrava na última linha defensiva do Brazlândia. A torcida começava a se inquietar porque o segundo gol não vinha. 

Katyelle sofre o pênalti. Gol e substituição.

O técnico Pablo Rizza deu novo fôlego ao time colocando Priscila e Helora. Logo em seguida, Katyelle sofreu pênalti aos 33 do segundo tempo. Ela própria bateu o pênalti, saiu para comemorar e deixou o campo de jogo em razão da forte pancada. Raquel entrou em seu lugar.

Sâmila fez sua melhor apresentação: muito trabalho para a defesa adversária e presenteada com um gol

Depois disso os gols foram saindo naturalmente. Bruna fez o terceiro logo aos 34. Pablo Rizza colocou Lauana, Tálita e Bia. Sâmila, que dava muito trabalho à defesa do Brazlândia fez o quarto aos 41. Helora fez o quinto e último gol aos 45 do segundo tempo.

Helora faz o 5o gol do Ceilândia.

Não é novidade que o jogo trazia muita responsabilidade para o Ceilândia. O time venceu, mas sabe que no fundo no fundo o Candangão 2019 tem quatro times que estão um pouco à frente dos demais. O campeonato chega à sua metade e agora será a hora de separar as crianças dos adultos.

Base: Sub-17 garante vaga nas 8as. Sub-15 vai ter que suar.

Os times Sub15 e Sub17 do Ceilândia enfrentaram o Gama neste final de semana.  Tanto Ceilândia quanto Gama precisavam de vitória para garantir antecipadamente as classificações para o mata-mata. 

SUB17 GARANTE A CLASSIFICAÇÃO 

No primeiro jogo do dia, os times sub-17 fizeram um jogo extremamente disputado.  O Ceilândia começou melhor. Conseguia espaço para realizar a transição pelo meio e chegou diversas vezes com perigo ao ataque.  O Gato Preto fez 1×0, em cobrança de penalti. Poderia ter ampliado, não fez.

Um instante de instabilidade e o Gama empatou, também em cobrança de penalti. Veio o segundo tempo e o Ceilândia perdeu a transição com a bola no chão. Fez o jogo do Gama que é um time mais forte fisicamente. O jogo ficou feio e terminou em 1 x 1.

SUB-15 PAGA O PREÇO DO MAL COMEÇO

Na segunda partida do dia,  o Sub15 do  Ceilândia sequer teve chance de se organizar em campo. Num chutão de muito longe, a bola surpreendeu o goleiro alvinegro logo no primeiro minuto. Não deu tempo: logo em seguida o Gama fez 2×0. O Ceilândia sentiu. Penalti e Gama 3 x 0. 

Foi então que a comissão técnica entrou em campo. Pediu para os meninos se acalmarem e jogar bola. O Ceilândia cresceu de produção, mas já era tarde. Final: Ceilândia 1 x 4 Gama.

O time Sub15 agora precisa vencer o Gaminha na última rodada e torcer para que o Legião vença o Planaltina EC. Não é impossível, mas ficou difícil.

Ceilândia goleia na estreia do Feminino 2019: 9 x 0

Ceilândia entra em campo: time muito diferente de 2018

O Ceilândia estreou no Candangão Feminino 2019 na tarde deste domingo vencendo  o Arraias/Estrelinha pelo placar de 9 x 0.

Bruninha comemora o primeiro gol com a camisa alvinegra com o técnico Pablo Rizza e com o banco

O time alvinegro assumiu as ações desde os primeiros momentos do jogo. O Estrelinha opôs alguma resistência nos primeiros 20 minutos. Depois, o Ceilândia fez valer a sua melhor forma físico-técnica e os gols foram saindo naturalmente.

Herika fez o segundo: bom para ganhar confiança

Bruninha abriu o marcador aos 11 do primeiro tempo. Aos poucos a resistência do Estrelinha foi sendo vencida. A goleira adversária fez seguidas defesas até que Herika, aos 42, fez Ceilândia 2 x 0. Um minuto depois, Bruninha fez Ceilândia 3 x 0.

Katyelle e Bruninha foram as artilheiras do dia: 3 e 4 gols respectivamente

Veio o segundo tempo e o Estrelinha deixou de resistir aos ataques do Ceilândia. Os gols foram saindo um após o outro: Bruninha fez 4 x 0.

Pablo Rizza deu oportunidade a quase todo o elenco. Time ganha jogo, elenco ganha campeonato

Katyelle fez três gols na sequência: Ceilândia 7 x 0. Sâmila fez Ceilândia 8×0 e, no finalzinho, Bruninha deu números definitivos ao jogo: Ceilândia 9 x 0 Arraias/Estrelinha.

Tamires e Lauana comandaram o meio de campo.

Os resultados da primeira rodada confirmam o que já se sabia: Ceilândia, Minas, Brazlândia, Real e Cresspom estão um nível acima das demais equipes. O Ceilândia, apesar da fragilidade do adversário, mostrou pontos muito positivos.

Bruninha fechou o marcador: 9×0

O time dá realmente esperança de que possa lutar pelo título, mas terá muito trabalho pela frente. No próximo final de semana terá um teste importante: o Cresspom. O trabalho está apenas começando e será um bom teste.

 

Base: Juvenil e Infantil goleiam Brazlândia

Sub-17 manteve a liderança na luta pelo bicampeonato.

Jogando na tarde quente deste domingo na Metropolitana, o Gato Preto venceu o Brazlândia tanto na categoria Sub-17 quanto na Sub-15. Com as vitórias, o Gato Preto segue firme na luta pela liderança do Grupo A da competição.

Sub-17: jogo começou difícil, mas aos poucos o Ceilândia fez valer seu melhor jogo.

No primeiro jogo do dia o Ceilândia Sub-17 venceu o Brazlândia por 4 x 0. O resultado mantém o Gato Preto na liderança do Grupo A, seguido de longe pelo Planaltina EC que venceu o Gaminha por 1 x 0.

Ceilândia mantém liderança do Grupo A Sub-17

Depois foi a vez do Ceilândia Sub-15. O time alvinegro construiu o resultado final de 3 x 0 e segue firme na sua perseguição à Aruc, líder do grupo e que venceu o Capital por 3 x 1.

Mau estado do gramado não foi obstáculo a mais uma vitória alvinegra

Nos campeonatos Sub-15 e Sub-17 as equipes do Grupo A enfrentam as do Grupo B. No próximo final de semana, o Ceilândia mede forças com o Gama,  líder do Grupo B.

Feminino: Bicampeão da Taça das Favelas!

O jovem time do Ceilândia volta para casa campeão.

Enquanto a equipe principal está cem por cento focada na estréia no Candangão Feminino 2019 de amanhã, 15h30, no Cresspom, contra o Estrelinha, o Gato Preto decidiu neste domingo, na Arena 310, em Samambaia, a Taça das Favelas.

Comissão Técnica começa ano com pé direito

O adversário foi o reforçado Recanto das Emas. Jogo truncado, por vezes ríspidos. O time do Ceilândia soube conter o ímpeto do adversário e, conquanto não tenha sido brilhante, fez o que se deve fazer em uma decisão: vencer.

Lauana comemora o gol do título com Kaká. Peças importantes do time alvinegro.

O gol foi marcado por Lauana, de cabeça, aproveitando rebote de falta cobrada por Suyane no travessão.

Muitos rostos novos. Para uma longa caminhada, um primeiro passo

Com o apito final, muita festa. Um título é sempre muito importante.

Ceilândia comemora. Vencer é bom, mas o Candangão é outro nível

Amanhã começa outra arrancada. O Ceilândia sempre fez bons times, principalmente times bons e jovens. O time deste ano tem muita experiência e sabe que vai ter trabalho, muito trabalho, se quiser quebrar a hegemonia de Minas e Cresspom. 

A festa foi bonita. Agora… trabalho, muito trabalho

A apresentação foi bastante concorrida.

O Ceilândia fez uma bela festa na Universidade Estácio para apresentação dos novos parceiros, do novo uniforme e do time que a partir de amanhã tem a dificílima missão de desafiar a hegemonia de Minas e Cresspom no futebol local.

Ceilandia vem com muitas caras novas. O time deste ano é mais experiente, mas terá um enorme desafio pela frente.

O Gato Preto estreia amanhã, 15h30, no Cresspom contra o Estrelinha. O time vem bastante reforçado como você pode ver aqui.

time da base também prestigiou o evento

O planejamento para 2019 é ambicioso. O time contará com o apoio da Universidade Estácio. É um trabalho ainda incipiente, mas tem potencial para render bons frutos.

 

Candanguinho 19: Juvenil goleia, Infantil empata com Capital

Jogo equilibrado no Sub-15:1×1

Enquanto a torcida está preocupada com os rumos do time profissional para 2019, as parcerias funcionam na base e no feminino.

No próximo final de semana o Ceilãndia enfrenta o Legião

Neste domingo, jogando na Metropolitana, o Gato Preto começou a defesa do título da categoria Sub-17 goleando o Capital por 5 x 1:Harlus, Tiago(2),Gabriel Dourado e Felipe fizeram os gols.

Juvenil começou com boa vitória

Na segunda partida do dia, o time Sub-15 fez um jogo equilibrado com o Capital. Depois de sair atrás no marcador, o Gato Preto empatou com gol de Gabriel Oliveira. 

No próximo final de semana o Ceilândia enfrentará o Legião no Estádio Jk.

Feminino: Ceilândia tem um começo difícil

Vanessa foi um ponto de equilíbrio e como todo o time tem muito que trabalhar

O Ceilândia foi goleado pelo Goiás neste sábado, no Regional, por 4 x 0. Foi o primeiro jogo amistoso da equipe alvinegra na preparação para o Candangão Feminino 2019.

Ceilândia sofreu no primeiro jogo de 2019.

A derrota deixou algumas coisas bem claras: o Ceilândia tem uma boa base nesse início de trabalho. Alguns valores mostraram que serão úteis no Candangão. A outra coisa é que o Ceilândia tem muito que trabalhar. Óbvio que ninguém pensa diferente.

Lauana sempre foi o motor do time: ainda longe da forma física

O Ceilândia pagou o preço da apatia nos primeiros minutos. Em dois lances de contra-ataque o Goiás fez 2 x 0. Depois disso o alvinegro equilibrou o jogo e Alessandra teve pouco trabalho. O Ceilândia também não criou chances e o jogo ficou de intermediária a intermediária.

Sabrina conclui: Ceilândia chegou pouco.

Veio o segundo tempo e os técnicos mudaram bastante as suas equipes. Pablo Rizza testou todas as suas jogadoras. O Goiás fez mais 2 nos minutos finais e o jogo terminou em 4 x 0.

Ser derrotado nunca é bom. Pablo Rizza sabe que terá muito trabalho pela frente. O mesmo se diga das jogadoras. Do lado torcedor ficou a certeza que o time precisa melhorar física e tecnicamente… e vai precisar de algumas peças.

O futebol do DF pede socorro

Kabrine e Dudu tiveram muito trabalho: Desafio de se manterem constantes
Brasiliense está fora da D Nacional prematuramente. O Ceilândia sofre.

A Série D terminou para o futebol local nesse domingo. O Brasiliense perdeu em casa para o Vitória-ES e foi eliminado na segunda fase da competição. Ficou na 25a posição na Série D 2019. Independente das rivalidades, torcíamos pelo Brasiliense, pelo futebol local.  O momento é ruim.

Ranking Nacional de Federações 2015

Em 2015, no ranking da CBF, o futebol local estava igualado ao futebol do Maranhão. Menos de 100 pontos no separavam. Hoje, mais de 4000 pontos nos separam. Estávamos 3000 pontos à frente do futebol de Roraima, último colocado. Hoje, 700 pontos separam o futebol do DF do último colocado do ranking.

Ranking Nacional de Federações 2016

Nesse período, de 2015 a 2019, o futebol do DF despencou do 17o para o 20o lugar. Foi superado por Sergipe, Acre e Piaui. O futebol do Amazonas cresceu muito no período e deve nos ultrapassar em breve. Mato Grosso do Sul cresce ano após ano e não levará muito tempo até nos alcançar. Rondônia será o próximo.

Ranking Nacional de Federações 2017

O CeilândiaEc Torcedor entende que os nossos dirigentes fazem o que podem. O número de clubes que não pagam salários aumenta a cada ano e não se pode dizer que a culpa seja apenas dos dirigentes. A estrutura do futebol local não permite crescer, mesmo que se faça as coisas certas.  Para o bem e para o mal, o futebol local não é uma prioridade.

Ranking Nacional de Federações 2018
O Ceilândia é um exemplo disso. Tem-se que durante mais de 15 anos fez um bom trabalho. O time evoluiu dentro e fora de campo, mas a estrutura do futebol local não cresceu na mesma proporção. Chegou um momento em que o time começou a atrofiar. O mesmo aconteceu com o Brasiliense, com o Gama, com o Brasilia…

Ranking Nacional de Federações 2019

 O futebol do DF pede socorro há tempos. Não vê quem não quer. Ajudar ou não é uma opção. No mais, é hipocrisia acreditar que o esporte local ganhe visibilidade sem políticas públicas. É assim no mundo inteiro.

O Real Madrid é o que é por força do investimento inicial da prefeitura  de Madrid. Recentemente, o Golden State Warriors deixou Oakland porque a prefeitura local se recusou a ajudar o time. Mudou-se para São Francisco. O Oakland Raiders deixou a mesma cidade e foi para Las Vegas que investiu 2bi para atrair o time.

Se investir no futebol local é prioritário ou não é outra questão. O fato é, contudo, que o futebol local precisa de socorro e isso ninguém pode negar.

 

Top5-DF permanece inalterado: Paracatu e Formosa sobem

Cinco times comandaram os anos 10

As dificuldades financeiras do Ceilândia em 2019 deixaram um rastro de preocupações. Na verdade o time já vinha com dificuldades desde 2018. O Presidente Ari de Almeida por diversas vezes manifestou essa preocupação e disse que uma prioridade em 2019 seria colocar as contas em dia. Ainda não conseguiu.

O Top 8 de 2018 no somatório dos pontos de 14, 15, 16, 17 e 18.

O cenário do futebol local mostra que Brasiliense, Gama, Ceilândia, Luziânia, Sobradinho, Paracatu e Formosa vem consistentemente integrando o G8 do futebol local.  Um olhar atento revela que Ceilândia, Luziânia e Sobradinho caíram em 2019 com  Paracatu, Formosa e Real subindo. É preciso estar atento aos sinais.

Municípios goianos e mineiros da RIDE. Paracatu cavando o seu lugar.

Na pontuação dos últimos 5 anos, o Brasiliense viu o Gama encostar. A campanha alviverde em 2019 foi algo fantástica. Fez 33 pontos a mais que o Ceilândia! Analisando-se em termos de tendências, percebe-se um crescimento lento e consistente dos times do entorno, particularmente de Paracatu e Formosa. O Luziânia já é uma realidade. 

Somatório dos pontos de 15, 16, 17, 18 e 19. Ceilândia, Luziânia e Sobradinho despencam, mas continuam no Top5

O apoio das comunidades locais tem sido importante para esses times da RIDE (Paracatu não faz parte da RIDE, mas está em processo de integração). 

Wallace Jesus fez dois gols e deu muito trabalho à defesa do Paranoá

Wallace Jesus pega gancho de 6 meses

Wallace Jesus fez dois gols e deu muito trabalho à defesa do Paranoá
Wallace Jesus pegou seis meses de suspensão

O ano não foi bom para o Ceilândia. Em meio a diversas dificuldades, o Gato Preto fez a sua pior campanha em décadas e amargou a nona colocação do Candangão 2019.

Para Wallace Jesus há um motivo a mais para esquecer. Expulso na derrota diante do Luziânia, o atacante acabou perdendo a cabeça e tentou chutar o árbitro Almir Camargo. Almir Camargo revidou com outro chute. 

O fato é que Wallace foi julgado pelo TJD-DF e pegou seis meses de suspensão. Poderia ser pior. Para Wallace Jesus futebol somente em 2020.

Risadinha, autor do primeiro gol da história do Ceilândia

Feliz aniversário Ceilândia!

Estatuto aponta 27 de março de 1978 como data da fundação.

41 anos. Quem vivia em Ceilândia, no final  dos anos 70, recebeu a notícia de que a cidade contava com um time profissional de futebol. O sonho de todos, em um momento em que várias cidades montavam suas equipes, demorou um pouco mais para  se tornar realidade, apenas em 1979.

O fato é que normalmente as pessoas tendem a noticiar o aniversário do Ceilândia em agosto de 1989, mas o aniversário deveria ser comemorado em 27 de março, junto com os festejos da cidade. Esse foi o plano original.

Notal Fiscal com fundação em agosto de 1979. Vale o Estatuto.

O fato é que o Ceilândia nasceu realmente  em 27 de março de 1978. Nessa data e no antigo e saudoso Centro 1, na Ceilândia Sul, ocorreu a assembléia em que os estatutos foram aprovados e o contador Waldir Papa da Fonseca foi escolhido como presidente. Cazuza comandou os trabalhos.

Risadinha dedicando-se ao seu trabalho pastoral: Nova vida no Amazonas
Risadinha fez o primeiro gol da história do Ceilândia

O que aconteceu em agosto foi a alteração da denominação que passou de Dom Bosco para Ceilândia. O time profissional, contudo já existia com as cores que hoje o time ostenta. O primeiro jogo aconteceria em novembro, mas isso já é outra história. 

Você pode ver a entrevista que fizemos com Risadinha aqui:  http://www.ceilandiaec.com.br/9001/

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras

Ceilândia terá eleições para Presidente

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras
Ari de Almeida: relação deteriorada com a FFDF

O mandato do atual presidente Ari de Almeida está em vias de se encerrar. Falando ao CeilandiaEC Torcedor, o presidente do Ceilândia disse que em breve deve convocar a assembléia geral para eleição do novo Conselho Diretor do Ceilândia.

Ceilândia contou com um grupo muito comprometido para atravessar o campeonato em uma crise financeira sem precedentes

O Ceilândia passa  por enormes dificuldades financeiras desde o ano passado. As dificuldades se tornaram ainda maior com o fato de que, de acordo com o presidente, algumas expectativas não se realizaram.

Serjão não é unanimidade, mas seu nome é lembrado nas redes sociais

Ari disse não saber se haverá candidatos e se ele próprio será candidato.  Nas redes sociais, alguns torcedores pedem pela volta de Serjão. Outros questionam esse retorno, apontando como um retrocesso.

Ceilândia é um dos poucos que não conta com apoio Distrital. Verbas de patrocínio são irrisórias

O fato é que o Ceilândia, mais que um presidente, está à busca de um novo modelo de gestão.  O Futebol Candango é extremamente deficitário e hoje, seis clubes dependem de padrinhos: Brasiliense, Real e Capital possuem patronos a lhes bancar as despesas.  Paracatu, Formosa e Luziânia possuem prefeituras a ajudar.

Gama é o único time do DF em que a bilheteria ajuda, mas receitas não cobrem as despesas.

O Gama é exceção à regra. É o único time do DF com bilheteria aceitável, mas ainda assim incapaz de fazer frente às despesas. Os demais, incluindo o Ceilândia, sobrevivem às duras penas.

Ceilândia teria contado com a má vontade da arbitragem. As queixas incluem Raposo, mas a ele não se limitam

2019 foi um ano especialmente ruim. A sorte é que o elenco montado mostrou uma compreensão além da que normalmente se encontra.

Além disso, o CeilandiaEC Torcedor manteve contato com alguns operadores do esporte no Distrito Federal que apontaram alguns outros problemas. O novo presidente vai precisar trabalhar para resolver estes e outros.

  1. Problema com a arbitragem – Ceilândia quis cobrar ingressos dos árbitros estagiários e isso foi apontado como fonte de atrito com os árbitros e que poderia ter causado uma certa má vontade dos homens do apito.
  2. Atritos com a imprensa esportiva local, particularmente com relação ao acesso ao Estádio.
  3. Atritos com a torcida alvinegra decorrente da pouca flexibilização dos preços dos ingressos.
  4. Perda de influência junto a FFDF.

 

 

Ceilândia sai do foco! Onde que a classificação foi perdida?

Grupo interessante: Unido diante das dificuldades e mesmo desclassificado

O Ceilândia venceu o Paracatu por 1 x 0, mas o resultado de nada valia ao alvinegro, a não ser para demonstrar que estes jogadores  podem não figurar entre os melhores times dos últimos tempos, mas devem ser respeitados como homens e atletas.

David deu muito trabalho ao Paracatu. Com ele, os melhores ataques

No final das contas fica difícil saber onde o Ceilândia perdeu a classificação, afinal o Gato Preto venceu apenas um dos oito times que terminaram à sua frente. São águas passadas.

Cocada é xodó da torcida: saiu machucado

O jogo foi parelho no primeiro tempo. O Paracatu precisava do resultado por acreditar que poderia terminar no G4. Tentou  tomar a iniciativa do jogo. O Ceilândia como sempre foi valente e manteve o jogo equilibrado. 

Matheus  estreou contra o Paracatu: bela estréia

Jogo disputado de intermediária a intermediária.  Os goleiros trabalharam pouco. A rigor nenhuma chance de gol no primeiro tempo.

Com portões fechados, alguns torcedores improvisaram

Veio o segundo tempo e o Paracatu tomou a iniciativa do jogo. O Ceilândia esporadicamente passava do meio de campo. O time mineiro tinha enorme dificuldade com o último passe. Apesar do domínio, Thiago, que fazia sua estreia, pouco trabalhava.

Gabriel tem talento: a questão é saber aproveitá-lo

A melhor chance do Paracatu veio ao 17 do segundo tempo, mas Cecel chutou para fora. O Ceilândia controlava as ações do Paracatu, mas não oferecia perigo. Aos 32, Wilker, que entrara no lugar de Gabriel, recebeu na entrada da área, driblou o zagueiro e encobriu o goleiro: Ceilândia 1 x 0.

Cleiton Júnior foi uma agradável surpresa nesta reta final: tarde demais

Wilker perseguiu esse gol por muito tempo. Um gol vem sempre em boa hora para o jogador, mas tarde para o Ceilândia. Cocada saiu machucado, Jefferson entrou em seu lugar.

Wilker tira do goleiro: Ceilândia 1 x 0

O Paracatu foi todo ao ataque. Poderia ter empatado, mas Jefferson salvou sobre a linha. O Ceilândia reequilibrou o jogo. Poderia ter feito o segundo, mas faltou um pouco de inspiração e um pouco de ambição. Não importa: vencer é o mais importante.

Ceilândia sai de foco: um time unido, mas que ficou devendo

O Ceilândia está fora das finais do Candangão 2019. É pior campanha do alvinegro na década. O Ceilândia precisa se reinventar dentro e fora de campo. O problema está em saber como. Teremos eleições em breve. Esperar para ver.

Candangão 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215
9113351110112
1011146511-67
1111038627-213
12110110438-341

Dói… dói no Coração: Luziânia 3 x 1 Ceilândia

Com a derrota para o Luziânia, Gato Preto está virtualmente eliminado

Vida que segue! Os jogadores tem o respeito pelo que fizeram em circunstâncias adversas, mas ainda o sofrimento ainda não acabou. Resta um jogo. Não vale nada em termos de classificação, mas o nome da gente sempre está à prova.

Fazer imagens sob chuva forte, péssima iluminação e distante do foco quase impossível

O jogo desta quarta mal começou e o Ceilândia fez 1 x 0 com David. A vantagem fez mal ao alvinegro. O que se viu em seguida foi um time inseguro. O Gato Preto marcava mal. Dava muito campo ao Luziânia e marcava nos últimos 30 metros de campo.

Kabrine é um dos poucos que se salvam em 2019

Por volta dos 22 minutos o Ceilândia deu a impressão que poderia se encontrar no jogo. Não foi isso que aconteceu. No contra-ataque, Dan empatou aos 27.

Jefferson atuou ao lado de Marcelino: Cocada estava fora

A chuva desabou no Serra do Lago. O jogo até ficou equilibrado até o final do primeiro tempo, mas o Ceilândia jamais foi capaz de chegar ao ataque de maneira estruturada. Sobrava vontade, faltava futebol e organização.

No abafa: Ceilândia perdeu e está eliminado

Veio o segundo tempo. O Ceilândia voltou mais disposto. Disposição  nunca faltou e disso a torcida não cobra. Faltava um plano de jogo e um pouco mais de futebol. Apesar disso, o jogo era parelho, amarrado e ninguém criava.

Aos 10, em escanteio, o Ceilândia mais um dos muitos gols de cabeça em bola parada neste ano. Perivaldo fez 2 x 1. Após o gol, o Ceilãndia assumiu o controle da partida. Mais porque o Luziânia recuou excessivamente.

Jairo mudou o time do jogo contra o Sobradinho: Mandi começou no banco

Apesar da iniciativa, o Ceilândia jamais foi capaz de criar situações claras de gol. Poderia ter empatado aqui e ali, é verdade, mas jamais teve situação clara de gol. Ao revés: a única chance clara de gol criada foi do Luziânia para belíssima defesa de Victor.

O jogo no geral foi ruim: dois times esforçados apenas, mas o Luziânia mais organizado

O jogo encaminhava-se para o seu final quando Wallace sofreu falta. Não reclamaremos da arbitragem. Não vale a pena. O Ceilândia em 2019 perdeu força dentro e fora de campo. Reclamou do árbitro (não diremos o nome). Discutiu com o árbitro!!! Foi expulso… Tentou chutar o árbitro!!! O árbitro em seguida tentou chutar Wallace!!! A turma do deixa disso interveio.

David fez o gol do Ceilândia

Mesmo com um a menos o Ceilândia continuou tendo a iniciativa do jogo. Importante dizer que pela primeira vez o Ceilândia deixou de ser um time “zen” e parecia um time de verdade, com sangue nos olhos, disposto a tudo pela vitória.

O fecho viria aos 49. O Ceilândia naquele momento já não tinha mais pernas… Renatinho bateu de longe e fez um belo gol: Luziânia 3 x 1. 

Todo sofrimento acaba… o de 2019 está chegando ao seu fim.