Categoria: Feminino

Feminino: Ceilândia goleia Brazlândia por 5 x 0

Silvania começou jogando contra o Brazlândia

O Ceilândia sabia que seria um jogo complicado. O jovem time do Brazlândia/Minas era um adversário traiçoeiro. Todos sabem que o adversário é jovem, mas poucos falam que é um time forte. Inexperiente, mas forte.

Tatiane controla a jogada. Tamires e Eliane observam: consistente defensivamente

O Gato Preto levou o jogo a sério. Tomou a iniciativa do jogo, como deveria ser, mas não se afobou. Na verdade o Ceilândia fez o que deveria fazer: controlou o seu adversário, não lhe deu chances e ganhou o jogo.

Ceilândia comemora o gol de Melissa: 1×0

O primeiro gol surgiu aos 33  do primeiro tempo. Rafaela cobrou falta pela direita, a bola passou por Katyelle, mas não passou por Melissa que de cabeça fez Ceilândia 1 x 0.

Eliane “Da Roça” foi muito importante nos minutos finais.

O Gato Preto continuou melhor, consistentemente melhor. Karen não trabalhou. 

Tamires: mais uma vez importante

Veio o segundo tempo e o Gato Preto manteve a iniciativa do jogo, mas esbarrava na última linha defensiva do Brazlândia. A torcida começava a se inquietar porque o segundo gol não vinha. 

Katyelle sofre o pênalti. Gol e substituição.

O técnico Pablo Rizza deu novo fôlego ao time colocando Priscila e Helora. Logo em seguida, Katyelle sofreu pênalti aos 33 do segundo tempo. Ela própria bateu o pênalti, saiu para comemorar e deixou o campo de jogo em razão da forte pancada. Raquel entrou em seu lugar.

Sâmila fez sua melhor apresentação: muito trabalho para a defesa adversária e presenteada com um gol

Depois disso os gols foram saindo naturalmente. Bruna fez o terceiro logo aos 34. Pablo Rizza colocou Lauana, Tálita e Bia. Sâmila, que dava muito trabalho à defesa do Brazlândia fez o quarto aos 41. Helora fez o quinto e último gol aos 45 do segundo tempo.

Helora faz o 5o gol do Ceilândia.

Não é novidade que o jogo trazia muita responsabilidade para o Ceilândia. O time venceu, mas sabe que no fundo no fundo o Candangão 2019 tem quatro times que estão um pouco à frente dos demais. O campeonato chega à sua metade e agora será a hora de separar as crianças dos adultos.

Feminino: Ceilândia não sai do zero contra Cresspom

Melissa, Natalia, Lauana e Tamires: muralha alvinegra

Ceilândia e Cresspom enfrentaram-se pela segunda rodada do Candangão Feminino 2019 na tarde desse domingo na Cidade do Gato. Como se previa, foi um jogo muito intenso e disputado. Uma grande partida de futebol. O resultado final foi justo.

Lauana é peça importante no esquema alvinegro. Cedeu espaço para Silvania com recuo de Melissa.

O Cresspom começou tomando a iniciativa do jogo. O Ceilândia sofria para sair jogando. O Cresspom marcava bem. Bruninha, Katielle e Sâmila estavam presas nas marcações individuais. Sobrava ao Ceilândia sair jogando com a bola dominada. O Cresspom ainda tinha um truque: subia a marcação e dificultava a saída de bola.

Karen teve pouco trabalho. Quando foi exigida, esteve segura.

O tempo foi passando e aos poucos o Ceilândia foi conseguindo espaços. Conseguiu respirar um pouco. O jogo ficou intenso. Os times trocavam ataques, mas as defesas de ambos os lados estavam impecáveis. 

Silvania entrou no segundo tempo. Ceilândia precisa melhorar a transição pelo meio.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida não mudou. Jogo muito equilibrado. O Ceilândia conseguia incomodar o adversário pelas laterais. 

Tatiane fez uma partida quase perfeita.

No final o resultado foi justo. O Ceilândia ainda ajusta algumas peças. A transição pelo meio foi um problema na maior parte do jogo. Mérito da marcação do Cresspom, mas o Gato Preto mostrou que faltam apenas pequenos detalhes para que o time ganhe corpo.

Bruninha lutou muito. A marcação do Cresspom era forte

No próximo final de semana o Ceilândia enfrenta o Brazlândia, no Chapadinha, às 10h.

Feminino 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
13210452437
23210140147
33210121117
4321010287

Ceilândia goleia na estreia do Feminino 2019: 9 x 0

Ceilândia entra em campo: time muito diferente de 2018

O Ceilândia estreou no Candangão Feminino 2019 na tarde deste domingo vencendo  o Arraias/Estrelinha pelo placar de 9 x 0.

Bruninha comemora o primeiro gol com a camisa alvinegra com o técnico Pablo Rizza e com o banco

O time alvinegro assumiu as ações desde os primeiros momentos do jogo. O Estrelinha opôs alguma resistência nos primeiros 20 minutos. Depois, o Ceilândia fez valer a sua melhor forma físico-técnica e os gols foram saindo naturalmente.

Herika fez o segundo: bom para ganhar confiança

Bruninha abriu o marcador aos 11 do primeiro tempo. Aos poucos a resistência do Estrelinha foi sendo vencida. A goleira adversária fez seguidas defesas até que Herika, aos 42, fez Ceilândia 2 x 0. Um minuto depois, Bruninha fez Ceilândia 3 x 0.

Katyelle e Bruninha foram as artilheiras do dia: 3 e 4 gols respectivamente

Veio o segundo tempo e o Estrelinha deixou de resistir aos ataques do Ceilândia. Os gols foram saindo um após o outro: Bruninha fez 4 x 0.

Pablo Rizza deu oportunidade a quase todo o elenco. Time ganha jogo, elenco ganha campeonato

Katyelle fez três gols na sequência: Ceilândia 7 x 0. Sâmila fez Ceilândia 8×0 e, no finalzinho, Bruninha deu números definitivos ao jogo: Ceilândia 9 x 0 Arraias/Estrelinha.

Tamires e Lauana comandaram o meio de campo.

Os resultados da primeira rodada confirmam o que já se sabia: Ceilândia, Minas, Brazlândia, Real e Cresspom estão um nível acima das demais equipes. O Ceilândia, apesar da fragilidade do adversário, mostrou pontos muito positivos.

Bruninha fechou o marcador: 9×0

O time dá realmente esperança de que possa lutar pelo título, mas terá muito trabalho pela frente. No próximo final de semana terá um teste importante: o Cresspom. O trabalho está apenas começando e será um bom teste.

 

Feminino: Bicampeão da Taça das Favelas!

O jovem time do Ceilândia volta para casa campeão.

Enquanto a equipe principal está cem por cento focada na estréia no Candangão Feminino 2019 de amanhã, 15h30, no Cresspom, contra o Estrelinha, o Gato Preto decidiu neste domingo, na Arena 310, em Samambaia, a Taça das Favelas.

Comissão Técnica começa ano com pé direito

O adversário foi o reforçado Recanto das Emas. Jogo truncado, por vezes ríspidos. O time do Ceilândia soube conter o ímpeto do adversário e, conquanto não tenha sido brilhante, fez o que se deve fazer em uma decisão: vencer.

Lauana comemora o gol do título com Kaká. Peças importantes do time alvinegro.

O gol foi marcado por Lauana, de cabeça, aproveitando rebote de falta cobrada por Suyane no travessão.

Muitos rostos novos. Para uma longa caminhada, um primeiro passo

Com o apito final, muita festa. Um título é sempre muito importante.

Ceilândia comemora. Vencer é bom, mas o Candangão é outro nível

Amanhã começa outra arrancada. O Ceilândia sempre fez bons times, principalmente times bons e jovens. O time deste ano tem muita experiência e sabe que vai ter trabalho, muito trabalho, se quiser quebrar a hegemonia de Minas e Cresspom. 

A festa foi bonita. Agora… trabalho, muito trabalho

A apresentação foi bastante concorrida.

O Ceilândia fez uma bela festa na Universidade Estácio para apresentação dos novos parceiros, do novo uniforme e do time que a partir de amanhã tem a dificílima missão de desafiar a hegemonia de Minas e Cresspom no futebol local.

Ceilandia vem com muitas caras novas. O time deste ano é mais experiente, mas terá um enorme desafio pela frente.

O Gato Preto estreia amanhã, 15h30, no Cresspom contra o Estrelinha. O time vem bastante reforçado como você pode ver aqui.

time da base também prestigiou o evento

O planejamento para 2019 é ambicioso. O time contará com o apoio da Universidade Estácio. É um trabalho ainda incipiente, mas tem potencial para render bons frutos.

 

Feminino: Ceilândia tem um começo difícil

Vanessa foi um ponto de equilíbrio e como todo o time tem muito que trabalhar

O Ceilândia foi goleado pelo Goiás neste sábado, no Regional, por 4 x 0. Foi o primeiro jogo amistoso da equipe alvinegra na preparação para o Candangão Feminino 2019.

Ceilândia sofreu no primeiro jogo de 2019.

A derrota deixou algumas coisas bem claras: o Ceilândia tem uma boa base nesse início de trabalho. Alguns valores mostraram que serão úteis no Candangão. A outra coisa é que o Ceilândia tem muito que trabalhar. Óbvio que ninguém pensa diferente.

Lauana sempre foi o motor do time: ainda longe da forma física

O Ceilândia pagou o preço da apatia nos primeiros minutos. Em dois lances de contra-ataque o Goiás fez 2 x 0. Depois disso o alvinegro equilibrou o jogo e Alessandra teve pouco trabalho. O Ceilândia também não criou chances e o jogo ficou de intermediária a intermediária.

Sabrina conclui: Ceilândia chegou pouco.

Veio o segundo tempo e os técnicos mudaram bastante as suas equipes. Pablo Rizza testou todas as suas jogadoras. O Goiás fez mais 2 nos minutos finais e o jogo terminou em 4 x 0.

Ser derrotado nunca é bom. Pablo Rizza sabe que terá muito trabalho pela frente. O mesmo se diga das jogadoras. Do lado torcedor ficou a certeza que o time precisa melhorar física e tecnicamente… e vai precisar de algumas peças.

Feminino: Ceilândia deixa boa impressão. Pronto para trabalhar

Feminino 2019 – Ceilândia tem muito trabalho pela frente

O time feminino de futebol do Ceilândia terminou a primeira semana de trabalho da temporada 2019 disputando a Taça Ceilândia.

Havia muitas dúvidas de como as atletas do Ceilândia se comportaria. O pouco tempo de trabalho era um desafio. O resultado ao final foi considerado bom.

Comissão Técnica tem ganhado elogio das atletas: um novo estilo de trabalho

Na primeira partida do dia, o Ceilândia enfrentou o Arraias. O adversário dá os primeiros passos no futebol feminino e apesar do pouco tempo de trabalho esperava-se que o Ceilândia vencesse o seu adversário.

Em campo, as atletas alvinegras fizeram prevalecer a melhor técnica e venceram por 4 x 2. Tainá, Lauana, Dianara e Sabrina marcaram para o Ceilândia.

Ceilândia fez boa partida contra o Cresspom. Contra o Minas, time esteve apático

O Ceilândia teve pouco tempo para descanso. Logo em seguida enfrentou aquele que era tido como o principal teste do dia: o Cresspom. 

O jogo em sei deixou a Comissão Técnica com a certeza de que com o trabalho apropriado o Ceilândia pode fazer boa campanha no Candangão Feminino. 

Novas atletas e muito trabalho pela frente

O Gato Preto fez uma partida equilibrada contra o Cresspom e acabou derrotado com um gol olímpico nos minutos finais: 1 x 2.

O importante foi ter deixado uma boa impressão nesse jogo. Por óbvio que todos sabem que há muito trabalho pela frente para alcançar a melhor forma físico-técnica.

Pela primeira vez Ceilândia vai trabalhar três vezes na semana

Já ao anoitecer e depois de longa espera, o Ceilândia enfrentou o time sub18 do Minas, que se prepara para o Brasileiro. A derrota por 3 x 0 reflete a apatia do time.  O resultado não pode enganar o Minas, nem o Ceilândia. 

Atletas deixaram boa impressão, mas vai precisar trabalhar bastante

O resultado do primeiro dia de jogos foi proveitoso. O time possui bons valores, mas obviamente precisa ganhar força física e aprimorar tecnicamente. Afinal foi apenas a primeira semana de trabalho. No Gato Preto ninguém está enganado: para desafiar Minas e Cresspom vai ser preciso trabalho… muito trabalho.

Feminino: Ceilândia sobe um degrau, mas título fica para 2019

Lauana disputa no alto: Ceilândia e Cresspom fizeram mais uma partida equilibrada

O time feminino do Ceilândia caiu nas semifinais do Candangão 2018 para o Cresspom. Jogando neste domingo na Cidade do Gato, o Ceilândia voltou a ser derrotado por seu advesário e o sonho do título Candango fica para 2019.

Juciara, Camila e Eliane: Barreirão contra o Cresspom

Novamente foi uma partida bastante equilibrada, decidida no detalhe. No primeiro tempo, os times alternaram a iniciativa do jogo. Não é possível dizer que um time teve o domínio sobre o outro. Ora o Ceilândia rondava a área adversária, ora o Cresspom chegava à área alvinegra.

Mais entrosada, Karine deu equilíbrio pelo lado direito e fez boa partida. Fisicamente, contudo, ainda longe do ideal.

O ponto positivo é que o Ceilândia tocava bem a bola. A transição defesa para o ataque se fazia com toques precisos e rápidos até a entrada da área adversária. O Cresspom, a seu turno, tem uma defesa forte e fazia da retomada da posse de bola e da progressão nos espaços vazios o seu forte. Era um bom jogo de se assistir.

Valéria foi o grande nome do Ceilândia em 2018 e permitiu que o Gato Preto subisse mais um degrau na guera contra Minas e Cresspom

Havia, como há, uma grande diferença entre Ceilândia e Cresspom. Tecnicamente os times se equivalem, mas atleticamente o Cresspom é um time mais inteiro. Essa foi a diferença o jogo inteiro. Essa diferença atlética permitiu ao Cresspom levar mais perigo à meta do Ceilândia que o inverso. E isso se devia às bolas longas.

Isabela estava devendo contra os grandes: Desta vez fez um jogo maduro, como se esperava

Graças às bolas longas, o Cresspom teve ao menos duas grandes oportunidades de abrir o marcador na primeira etapa.  Em ao menos uma delas Valéria, talvez o grande nome do Ceilândia no campeonato, fez bela defesa.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida se manteve. Ora o Cresspom tinha a iniciativa, ora o Ceilândia tinha a iniciativa das jogadas.

Juciara dando combate: Dupla de área com Laiane segurou o Cresspom.

A diferença atlética dava ao Cresspom uma vantagem na disputa no um contra um e lhe permitia a ligação direta. O primeiro gol veio quando o Ceilândia tinha a iniciativa da partida. A bola longa no contra-ataque do Cresspom era um problema.

Logo no primeiro minuto da segunda etapa o Cresspom tivera um penalti a seu favor e que fora desperdiçado por Cirlene. Na origem da jogada uma bola longa. A diferença de força física, embora não preponderante, fazia a diferença.

Kaká foi uma das jogadoras que mais evoluiu em 2018. A manter a progressão será bom nome para 2019

Aos 20, bola longa, travessão e Joyce abriu o placar. O gol contudo não mudou o ritmo do jogo. O jogo continuava equilibrado. Ceilândia mudou o esquema tático. Dayana entrou para compor três zagueiros.

O jogo seguiu equilibrado até os 40, mas agora com um leve predomínio nas ações por parte do Cresspom. Quis o destino que o segundo gol adversário viesse em um lance casual no qual o árbitro viu pênalti de Dayana. Pitti cobrou com perfeição e fez 2 x 0, resultado final.

Alane sempre esteve bem marcada, mas deu muito trabalho à defesa do Cresspom

Ao final, mesmo eliminado, o Ceilândia tem algo a comemorar. Tecnicamente o time não mais fica devendo a Minas e Cresspom.  A diferença atlética, contudo, é palpável. A diferença na intensidade da preparação, na quantidade de dias de treinamento, cobra seu preço em dias decisivos.

Com méritos, o Cresspom vai jogar a final contra o Minas. Ao Ceilândia resta comemorar ter subido mais um degrau e se preparar para subir mais outro degrau em 2019. Esse salto de qualidade que precisa dar é muito mais difícil e vai exigir mais dedicação e investimento. Torcer para que seja possível.

Candangão Feminino: Em grande jogo, Cresspom vence o Ceilândia

Valéria mostrou a segurança de sempre, mas não foi suficiente.

Nem mesmo a bela apresentação do Ceilândia foi suficiente para evitar a derrota para o Cresspom na manhã deste domingo, jogo válido pelas semifinais do Candangão Feminino 2018.

Foi um dos melhores jogos do ano em qualquer categoria. Uma partida muito equilibrada, muito disputada e que, no final, resultou na vitória do Cresspom por 2 x 0.

Chute de Alane explode no travessão: história do jogo seria diferente

O Ceilândia começou tomando a iniciativa do confronto. O Cresspom mostrou desde o primeiro momento que era e é muito forte defensivamente. 

Após os minutos iniciais, os times passaram a alternar-se na iniciativa do jogo. Ninguém era superior ao adversário, ninguém criava situação clara de gol. 

Ceilândia reclamou muito do jogo físico do Cresspom e dos critérios da arbitragem

A primeira e mais importante situação de gol foi do Ceilândia. Alane ganhou na corrida da defesa adversária e mandou um tubo que explodiu no travessão.

Cresspom fez valer o seu jogo físico 

A possibilidade clara de gol parece ter aumentado a ansiedade do Gato Preto. Depois desse lance o time perdeu o jogo de passes e aproximação e passou a investir em ligações diretas ou na condução da bola e, com isso, o Cresspom assumiu o controle do jogo.

Isabella sofreu forte pancada e deixou o Ceilândia com uma jogadora a menos

Entre o 31º minuto e o 41º o Ceilândia viu o Cresspom mais e mais gostar do jogo até que  Bruninha arriscou e aproveitou o rebote para ela própria abrir o marcador: Cresspom 1 x 0.

Ceilândia e Cresspom voltam a se enfrentar no próximo final de semana.

Veio o segundo tempo e o Cresspom continuou melhor. O Ceilândia tinha dificuldade na transição e ainda insistia na ligação direta e em carregar a bola contra um time fisicamente mais forte. 

O domínio do Cresspom não demorou muito tempo. Aos poucos o Ceilândia foi recuperando o domínio do jogo e as entradas de Yrla e Geovana contribuiu bastante visto que Karine e Lauana já demonstravam cansaço depois de correrem muito no primeiro tempo.

Isabella foi muito exigida e sofreu com a marcação forte do Cresspom

O Ceilândia passou a rondar a área defensiva do Cresspom. As chances claras de gol não apareciam, mas indicavam que mais cedo ou mais tarde o Ceilândia chegaria ao empate. 

Não foi isso que aconteceu. Após a parada técnica o Ceilândia desconcentrou-se por um minuto. Contra o Cresspom isso é fatal. Cirlene fez bela jogada e Joice anotou o segundo gol do Cresspom aos 24 do segundo tempo.

 Karine fez boa estreia. Sentiu um pouco a falta de entrosamento. Cansou e foi substituida

O Ceilândia era valente. Tentou diminuir a diferença. Ainda faltava, como falta, este ou aquele detalhe na transição da defesa para o ataque. O Cresspom impôs o seu jogo físico, controlou o restante do jogo e garantiu a vitória.

No próximo final de semana as duas equipes voltam a se enfrentar. O Ceilândia tem o desafio de vencer e somente então pensar na classificação. De qualquer sorte, todos que assistiram foram unânimes: os dois times fizeram um grande jogo.

Ceilândia mostrou evolução, mas precisa de uma ou outra peça

Feminino: Ceilândia e o desafio de superar o seu maior algoz

Na final em 2015, Cresspom venceu o Ceilândia com facilidade

O Ceilândia firmou-se como a terceira força do Futebol Feminino do Distrito Federal  nos últimos quatro anos. Foi vice em 2015 e 2017 e chegou nas semifinais em 2016 e este ano.  Se há motivo para comemoração, há motivos de sobra para trabalhar. A diferença  para o maior campeão da categoria, o Cresspom ainda é grande, ao menos em nível de estrutura.

Isabella esteve nervosa: poderia ter sido expulsa
Isabella enfrenta o Cresspom em 2015: eliminado pelo adversário na Semifinal

Tecnicamente o Ceilândia diminuiu bastante a diferença para o seu adversário deste domingo, 10h, na Cidade do Gato. Este é o tamanho do desafio.

Nome
Karine
Posição
Meio-Campo
Ligas
Feminino
Temporadas
2018
Nascimento
3 de junho de 1997
Idade
22

São dois jogos. O Gato Preto terá de ser forte mentalmente para superar um adversário difícil. Tal qual o Ceilândia, deverá contar com Alane e Karine como reforços, o Cresspom também foi ao mercado de trouxe duas jogadoras que disputaram a A2 do Brasileirão.

Ceilândia mostrou evolução, mas precisa de uma ou outra peça
Ceilândia mostrou evolução, mas precisa de uma ou outra peça. Gabi é desfalque certo para amanhã.

Para o jogo deste domingo, o técnico Flavio Cordeiro deve contar com sua equipe completa. O time treinou nesta quinta e deve fazer hoje o treino apronto no Abadião antes da primeira partida decisiva.  Gabi é dúvida.

Ceilândia treinou nesta quinta para enfrentar Cresspom

O Ceilândia deste ano é forte, mas  se quiser passar adiante precisa dar um salto de qualidade. Na história dos confrontos são sete jogos, com sete vitórias do Cresspom.  O time amarelo é também o maior vencedor da categoria, com seis títulos conquistados.O time sabe que não se quebra escrita com bravata, mas com futebol e muita concentração.  Na fase de classificação o Cresspom venceu por 2 x 1.

Quer conhecer as guerreiras do Ceilândia? Clique abaixo em ver todas as jogadoras ou aqui

Quer conhecer a campanha do Ceilândia?

Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole

Com quatro gols de Alane, Ceilândia goleia Santa Maria

Erika fez uma bela partida. Amanda aprovaria
Erika fez uma bela partida. Amanda aprovaria

O Ceilândia venceu o Santa Maria na manhã deste domingo por 6 x 0 e agora está na dependência do resultado de Minas/ICESP versus Gama para conhecer o seu adversário na semifinal do Candangão Feminino 2018.

Kaká teve uma atuação lúcida: equilibrou o time a partir da defesa

O Ceilândia jogou bastante desfalcado em razão das provas de concurso para a carreira de Sargento do Exército Brasileiro.  Mesmo assim, o Gato Preto não teve dificuldade para vencer o valente time do Santa Maria.

Gabi sai chorando de campo: desfalque sério e quase certo para semifinais

O  jogo foi disputado em ritmo de treino. O Ceilândia precisou valer a sua melhor técnica e de 21 minutos para fazer o primeiro gol com a estreante Alane.  A mesma Alane ampliou aos 35, fazendo Ceilândia 2 x 0.

Suyanne entrou, fez um gol, mandou outra na trave: pegando ritmo, pode ser importante

Veio o segundo tempo e Suyanne ampliou aos 10, Alane fez mais dois gols, aos 17 e 36. Isabela fechou o placar aos 47: Ceilândia 6 x 0.

Apesar do placar elástico, ficou a certeza de que o time do Ceilândia joga mais do que mostrou em campo.  E vai precisar.

Isabela teve liberdade e, com liberdade, Isabela é mortal
Isabela teve liberdade e, com liberdade, Isabela é mortal

Nas semifinais o Ceilândia provavelmente enfrentará o Cresspom, visto que o Minas provavelmente derrotará o Gama e conquistará a primeira colocação no geral. No jogo da fase de classificação, o Cresspom foi muito superior ao Ceilândia, apesar do placar apertado de 2 x 1.

Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole
Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole

Tudo aponta para que os jogos das semifinais seja diferente. O Ceilândia completo é um time mais forte, mas o Cresspom é outro patamar.  Vai ser difícil, mas não é impossível.

Alane fez o 3 gols da decisão

Alane e Karine podem enfrentar Santa Maria

Isabella pareceu desconfortável com a cobrança: apagada em campo
Isabella ganha reforços de peso: time depende muito de sua principal jogadora

O Ceilândia já pode contar com o retorno de Alane e com a estreia de Karine nessa reta final do Candangão Feminino 2018.

As duas atletas tiveram seus registros publicados no BID e estão à disposição do treinador Moacir Junior para o confronto deste domingo, no Abadião, diante do Santa Maria.

Alane fez o 3 gols da decisão
Alane retorna ao Ceilândia depois de disputar o Brasileirão A2 pelo Embu das Artes-SP

O Ceilândia tem a classificação tecnicamente assegurada para as semifinais da competição. Mais que a terceira colocação na classificação, o jogo é importante para dar moral à equipe.

Qualquer que seja o adversário das semifinais será um adversário praticamente intransponível e vai exigir de nossas jogadoras o máximo. O Cresspom, mais provável adversário, também se reforçou: trouxe a meia Vilma e a defensora Lusinete que disputaram o Brasileiro A2 pelo Tiradentes do Piaui.

Candangão Feminino 2018

PosClubeJVEDGPGCSPts
175202542117
275202041617
362048716
461051120-93
500000000

Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final

Alane e Isabella são destaques em Goiás. Ceilândia, invicto, é vice

Ceilândia posa com troféu e premiações do Interestadual de Damolândia
Ceilândia posa com troféu e premiações do Interestadual de Damolândia

O time feminino do Ceilândia foi ao Estado de Goiás para disputar o Torneio Interestadual de Damolândia. Em campo o Divas de Uberlândia-MG, o Ilha Bela de Goiânia-GO e o Aliança-GO, mais o alvinegro.

Ceilândia terá o Santa Maria neste final de semana
Ceilândia terá o Santa Maria neste final de semana

No primeiro confronto, sábado pela manhã, o Ceilândia enfrentou o Divas-MG e venceu por 5 x 0. No sábado à tarde foi a vez do Ceilândia enfrentar o Ilha Bela. Nova  vitória alvinegra, desta vez por 6 x 0.

Ceilândia agora volta suas baterias para o Candangão Feminino
Ceilândia agora volta suas baterias para o Candangão Feminino

A decisão ficou para o domingo, quando o Ceilândia enfrentou o Aliança-GO. O Gato Preto saiu à frente no marcador. Fez 2×0. O Aliança diminuiu, o Gato Preto aumentou para 3 x 1, mas permitiu a reação do Aliança que empatou.

O empate favoreceu o Aliança que tinha melhor saldo de gols. No final, o Ceilândia acabou com sagrando-se vice-campeão invicto. Destaque para o retorno de Alane. A atacante foi artilheira da competição com sete gols. Isabela foi eleita a melhor jogadora.

Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final
Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final

Agora o Ceilândia volta suas baterias para o jogo deste domingo diante do Santa Maria. Para esse encontro, além do retorno de Alane, que disputou o Brasileiro A2 e o Paulista pelo Embu das Artes, o Gato Preto poderá contar com Karine, meia-atacante do Aliança.

Juniores tem crescido de produção nesta reta final: mas nada está garantido

Juniores tem jogo mais importante do ano. Feminino disputa torneio em Goiás

Juniores tem crescido de produção nesta reta final: mas nada está garantido
Juniores tem crescido de produção nesta reta final: mas nada está garantido

Os juniores do Ceilândia voltam a campo neste sábado para enfrentar o Formosa, jogo válido pelas semifinais do Candanguinho 2018. O Gato Preto venceu o jogo de ida por 1 x 0,  mas a forte equipe do Ceilândia terá o  desafio de passar pela equipe goiana que até o momento tem feito uma campanha consistente e, na primeira fase,  fez um campanha melhor que a do CEC.

Defesa do Ceilândia foi muito exigida. Consistência defensiva tem sido a chave até o momento
Time feminino tem torneio no Goiás antes  da fase decisiva do Candangão da categoria.

Na outra semifinal, Legião e Real farão o jogo de volta na quarta, dia 25. Na primeira partida empate sem gols.  Pelo regulamento, Formosa tem vantagem em caso de empate contra o Ceilândia. O mesmo ocorre com o Legião diante do Real.

Time feminino vai disputar competição no Estado de Goiás.

Já a equipe feminina se prepara para a retomada do campeonato feminino. Neste final de semana (21 e 22 de julho) , na cidade de Damolândia, o Gato Preto participará de um torneio patrocinado pelo Aliança Futebol Clube-GO, ao lado do DDA-MG.

Na semana seguinte, o Ceilândia Feminino enfrentará o Santa Maria pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Feminino.  Se vencer, o Ceilândia garante classificação às semifinais da competição.

 

Campeonato continuará paralisado por mais duas semanas

Feminino: Ceilândia tropeça no ADC/BSB Recanto

Time feminino mantém preparação para jogos decisivos do Candangão
Time feminino mantém preparação para jogos decisivos do Candangão

Com o Campeonato Candango paralisado e buscando diminuir o prejuízo técnico causado pela paralisação, o Ceilândia fez um amistoso neste domingo contra o ADC/BSB Recanto no Abadião   E o resultado não foi bom. As meninas do Gato Preto foram derrotadas por 2 x 1.

É verdade que o Ceilândia atuou desfalcado de Crys, Juciara, Amanda, Eliane, Yrla e Alessandra e que o técnico Wilton Lázaro, depois do empate sem gols no primeiro tempo, fez diversas experiências  tirando Valéria, Erika e Thalita para dar rítmo de jogo a Letícia, Duda e Mel.  Mas também é verdade que  era de se esperar que o alvinegro fizesse valer sua melhor técnica diante do seu adversário.

Campeonato continuará paralisado por mais duas semanas
Campeonato continuará paralisado por mais duas semanas

Apesar dos inúmeros desfalques, o Ceilândia esteve melhor no primeiro tempo. Os gols, contudo, vieram apenas na segunda etapa. Carol fez dois gols para o time do Recanto das Emas. Thalita ainda diminuiu para o Ceilândia que pressionou pelo gol do empate até o último minuto, sem sucesso.

O Ceilândia continua sua busca por amistosos. O Minas/ICESP passou pelo 3B do Amazonas e está na final do campeonato brasileiro da Série B Feminino. Além de se garantir na série A do Brasileirão 2019, de quebra o Minas/ICESP mantém o Campeonato Candango paralisado. De qualquer forma, um grande feito realizado pelo mais forte time de futebol feminino do DF.