Cidade

Campo de terra: já foram muitos, hoje são poucos
Campo de terra: já foram muitos, hoje são poucos

Ceilândia não se confunde com Brasília e esse é um erro comum por parte de quem vive em outros Estados. As notícias publicadas lá fora enfatizam que a Região Integrada de Desenvolvimento do DF supera Curitiba como o maior ìndice de Desenvolvimento Humano do país entre as regiões pesquisadas.

 O Distrito Federal é responsável por apenas 11 dos 594 parlamentares. Não obstante, Brasília é comumente culpada pela irresponsabilidade dos políticos talvez porque apareça ao mundo como uma cidade rica. Ceilândia faz parte do Distrito Federal, mas, ao lado do Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e Estrutural, está longe de ter um IDH de primeiro mundo.

A cidade crece desordenadamente, mas também para o alto
A cidade cresce desordenadamente, mas também para o alto

 Ceilândia é essencialmente uma cidade dormitório. Sob certa perspectiva, os nossos governantes sempre lutaram para que Ceilândia mantivesse esse péssimo status, de repositório de mão de obra, sem vida econômica, social, cultural ou esportiva própria. Conserva muito disso, mas já começa a dispor, ao menos, de um comércio local forte.

Os novos cálculos de Índice de Desenvolvimento Humano recentemente divulgados não trazem boas notícias. O índice de desenvolvimento humano – educação coloca Ceilândia quase um ponto atrás do Gama e atrás de Samambaia.

Cotidiano: em frente da escolaCotidiano: em frente da escola

Em termos de IDH é impossível comparar Ceilândia com Gama, por exemplo, que possui um índice de desenvolvimento muito, muito melhor. Na última aferição, o IDH-M (índice de desenvolvimento humano) de Ceilândia só fica à frente de Samambaia, Recanto das Emas, Planaltina e Brazlândia.

Vista de uma rua da cidade tradicional: Ceilândia
Vista de uma rua da cidade tradicional: Ceilândia

No quesito educação, o IDH-E de Ceilândia é um dos piores, sendo ultrapassado pelo IDH-E de Samambaia. No quesito renda, Ceilândia até melhora um pouco, mas ainda está longe de Riacho Fundo.

Ciclovia para uma cidade que adora esporte
Ciclovia para uma cidade que adora esporte

 Fruto da violência cotidiano, a expectativa de vida do Ceilandense é uma das piores do Distrito Federal, mas ainda assim melhorou consideravelmente nos últimos anos, 

Caixa D'Água: mais que uma referência, um monumento
Caixa D’Água: mais que uma referência, um monumento

Somadas todas as variáveis, o IDH-M de Ceilândia é um dos piores do Distrito Federal. Esquecida por tudo e por todos, a população da cidade sofre com a violência e com o abandono.

Depois de 40 anos, Ceilândia ganhou um ginásio esportivo
Depois de 40 anos, Ceilândia ganhou um ginásio esportivo

Em meio a tudo isso, a cidade existe e ensaia uma resistência com grupos que cantam a cidade. Na música do Viela 17, Ceilândia resiste.

Avenida Hélio Prates: centro do comércio local
Avenida Hélio Prates: centro do comércio local

A Casa do Cantador já foi uma dos mais prestigiados locais da expressão da cultura nordestina, maior parte dos migrantes do DF e que encontram refúgio em Ceilândia

Nordestinos como Raminho do Baião fizeram a história de Ceilândia e a Casa do Cantador
Nordestinos como Raminho do Baião fizeram a história de Ceilândia e a Casa do Cantador

Há diversos movimentos culturais, mas sem qualquer política de incentivo. A cidade foi invadida nos últimos anos por eventos realizados por cantores sertanejos de outras cidades, sem qualquer vínculo com a identidade da cidade ou sem o menor compromisso de fortalecer a cultura de Ceilândia.

Avenida Hélio Prates: dizia-se que Hélio Prates ficava deprimido com a vista das invasões
Avenida Hélio Prates: dizia-se que Hélio Prates ficava deprimido com a vista das invasões

O dia-a-dia da cidade é o de uma cidade que corre para trabalhar.

Cotidiano: caminhando para o trabalho. Cidade dormitório
Cotidiano: caminhando para o trabalho. Cidade dormitório

Sem opções, cinema, teatros, ginásios esportivos… Ceilândia somente aos 40 anos vê construído o seu primeiro ginásio público e shopping.

400 mil habitantes e nenhum cinema ou teatro: Shopping em construção
400 mil habitantes e nenhum cinema ou teatro ou shopping: Shopping mais próximo, em Taguatinga, quando da construção.

Enquanto isso, a cidade cresce invadindo área de relevante interesse ecológico… moradia a qualquer custo.

Em oposição à Ceilândia tradicional que cresce para o alto, Sol Nascente cresce para os lados e invade área de relevante interesse ecológico
Em oposição à Ceilândia tradicional que cresce para o alto, Sol Nascente cresce para os lados e invade área de relevante interesse ecológico

Nem tudo é má notícia: parte da população é atendida pelo metrô, que passa ao lado do Estádio Regional.

Metrô serve boa parte da população e passa ao lado do Estádio Regional
Metrô serve boa parte da população e passa ao lado do Estádio Regional

O Estádio Regional de Ceilândia deve passar por mudanças em breve: mudanças previstas não agradaram às pessoas ouvidas pelo SiteCEC.

Estádio Regional de Ceilândia
Estádio Regional de Ceilândia