Tag: Adriano

Com jogo-treino, Ceilândia começa fase final da preparação

Emerson participou ativamente do primeiro tempo
Emerson Martins participou ativamente do primeiro tempo

O Ceilândia foi até Corumbá de Goiás neste sábado enfrentar o Montreal, time amador local.  

Kasado começou jogando: caras novas no time alvinegro

Como era natural, a iniciativa sempre foi do Ceilândia. O que não era esperada foi a dificuldade do time  em oferecer perigo à meta adversária ou em organizar jogadas de ataques.  Obviamente tudo mudou com o gol de Emerson Martins, já no terço final da primeira etapa. Logo em seguida Ronan ampliou o marcador.

 

Formiga entrou no segundo tempo

No segundo tempo, Adelson mudou quase que integralmente sua equipe. Diferente do tempo anterior, os gols foram saindo rapidamente, mas o adversário já não tinha  a mesma força (Formiga, Adriano, Gago e Batata, 2 cada).

 

Adriano também fez gols

No final da partida Adelson conversou com o CeilandiaEC. O treinador disse que o treino foi proveitoso. Adelson admitiu a dificuldade inicial como algo natural, decorrente da ansiedade. 

Na quarta, o Ceilândia enfrenta a Anapolina em Anápolis.

 

Related Images:

2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha - longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade

Esperanças em 2015

2002: estádio cheio para jogo contra o Brazlândia. Público menor ano após ano
2002: estádio cheio para jogo contra o Brazlândia. Público menor ano após ano

Há algo de novo no ar… Pela primeira vez, em anos, parece que teremos um bom Campeonato Candango. Muito disso se deve ao fato de se acreditar que o Gama terá um bom time. O futebol local depende muito da energia positiva do Gama, de sua torcida em particular.

Do lado do Ceilândia o ano também será de ressurgimento. Ainda longe de empolgar a sua torcida, a diretoria apostou por um planejamento “pés-no-chão”.

A base do elenco será aquela que disputou, sem muito sucesso, o campeonato goiano da terceira divisão em 2014.

2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha - longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade
2008: Ceilândia e Gama no antigo Mané Garrincha – longe de sua torcida, Gato perdeu vínculo com sua cidade

Acreditar que Cássius e EdiCarlos sejam capazes de unir o time em torno de um projeto vitorioso faz parte da esperança. Atrás, a experiência de  Badhuga se somará aos esforços de Sandro e Caio Chulapa.

No mais, o Ceilândia contará com jovens revelações de futebol local e com a experiência de Adelson de Almeida.

O time se apresentará amanhã, na Cidade do Gato. Após os exames de praxe, o elenco será apresentado oficialmente às 16h00.

Como sempre, a estrutura desempenhará um papel à parte.  É esperar que dê liga em vinte e poucos dias…

Related Images:

Só Dennys salva!

CEC reclama que a bola não teria entrada: pouco adiantaria
CEC reclama que a bola não teria entrado: pouco adiantaria

O Ceilândia fez a sua pior apresentação até agora no Campeonato Metropolitano de 2013, mas mesmo assim empatou em 1 x 1 com o Sobradinho no 68º So-Cei.

O Ceilândia mais uma vez começou mal, como tem se tornado constante este ano. Como castigo, o CEC sofreu um gol logo aos 4 minutos de partida. Foi um lance confuso, dentro da área e Daniel desviou a bola para  Laercio completar de cabeça. Dennys ainda defendeu, mas o assistente considerou que teria sido gol.

Dennys salva o segundo gol do Sobradinho ainda no primeiro tempo
Dennys salva o segundo gol do Sobradinho ainda no primeiro tempo

Com a desvantagem no marcador, o Ceilândia tentou equilibrar as ações e até que conseguiu. O jogo ficou equilibrado, mas o CEC era incapaz de criar qualquer situação de gol. Em contrapartida, o Sobradinho era perigoso nos contra-ataques, ma Dennys mostrou que estava atento e salvou o segundo gol do Sobradinho.

O primeiro tempo também reservou alguns problemas para Adelson: Andre e Clécio saíram contundidos e foram substituídos por André Nunes e Dimba, respectivamente.

Alisson correu muito, mas o CEC não tinha inspiração
Alisson correu muito, mas o CEC não tinha inspiração

Veio o segundo tempo e os poucos torcedores do Ceilândia esperavam por um momento de inspiração alvinegra. Esse momento jamais viria. Salvo uma ou outra boa jogada de Rodriguinho pela esquerda, o Ceilândia era um fantasma de si mesmo. Não conseguia fazer nem mesmo aquilo a que se propõe: marcar forte.

Tamanha falta de inspiração somente foi premiada porque o futebol castiga a desatenção. Aos 3 minutos do segundo tempo, Wisman, que teve uma atuação confusa, tentou chutar para o gol. O chute foi tão ruim que a bola não saiu pela linha de fundo. Dimba conseguiu um escanteio improvável. Rodriguinho cobrou o escanteio e Adriano, também de modo improvável, deu um peixinho para a frente mandando a bola para trás, gol do Ceilândia: 1×1.

Cleber jogou com inteligência, mas o CEC cedeu muitas oportunidades de gol para o Sobradinho
Cleber jogou com inteligência, mas o CEC cedeu muitas oportunidades de gol para o Sobradinho

O empate fez mal ao Ceilândia. O time deixou de jogar por completo. Ficou pior ainda quando o Sobradinho colocou Edicarlos como ponteiro para anular Rodriguinho. O CEC não abriu mão do posicionamento de Rodriguinho, mas Renato (e não André Nunes como publicado inicialmente) não conseguia conter Edicarlos.

Adelson colocou Daniel aberto para marcar Edicarlos e o CEC melhorou por alguns instantes. O técnico do Sobradinho viu o movimento de Adelson e colocou mais um meio-campista para aproveitar o espaço deixado por Daniel. Daniel teve que voltar para o meio e, para piorar, Renato foi expulso.

Dimba comemora o gol de Adriano: pouco para um campeão
Dimba comemora o gol de Adriano: pouco para um campeão

Com um a menos, o Ceilândia sofreu pelo lado esquerdo de sua defesa e as chances de gol foram sucessivamente desperdiçadas pelo Sobradinho. No final do jogo, Dennys fez três defesas com o atacante cara-a-cara e ainda assistiu o Sobradinho perder um gol feito concluindo para fora.

O Ceilândia conseguiu o empate e agora precisa de quatro pontos em dois jogos para se classificar para as semi-finais da Taça Jk. Promessa de mais sofrimento.

 

Related Images:

Dois velhos conhecidos

Adriano com Abimael ao fundo: velho conhecido da torcida alvinegra
Adriano com Abimael ao fundo: velho conhecido da torcida alvinegra

O Ceilândia contratou dois velhos conhecidos da torcida alvinegra. O primeiro nome é o do zagueiro Adriano, figura carimbada do futebol local. Com ele, Adelson de Almeida passa a ter mais opções para compor a zaga.

Adriano foi campeão do DF (1991/1992/1993/1997/1998/1999/2002), Campeonato Brasileiro da Série B (1998), Campeonato Brasileiro da Série C (2002), Vice-Campeão da Copa do Brasil (2002), Taça Brasília (2004) e Vice-Campeão Metropolitano (2005) com o Ceilândia.

Jogando pelo alvinegro, Adriano fez 58 partidas oficiais, com 7 gols, 11 amarelos e 3 vermelhos.

Daniel em 2010: cabelos compridos e três vezes campeão
Daniel em 2010: cabelos compridos e três vezes campeão

O outro nome é o de um jovem tricampeão: Daniel. Campeão em 2010 e 2012 pelo Ceilândia e em 2011 pelo Brasiliense, Daniel está de volta ao alvinegro.

Daniel fez excelente campanha com o CEC em 2010. Em 2012, alternou bons e maus momentos. Agora, com a cabeça mais no lugar, pode ser muito útil no meio de campo alvinegro.

Com a camisa do Gato, Daniel disputou 27 partidas oficiais. Foram dois gols, 8 amarelos e 2 vermelhos.

Related Images:

CEC joga apenas um tempo e empata: 2 x 2

Dimba finaliza para empatar: empate suado
Dimba finaliza para empatar: empate suado

O Ceilândia precisou usar de toda a sua força para arrancar um empate heróico diante de um apenas limitado Ceilandense na tarde deste domingo, no Abadião.

O jogo nem bem começou e o Ceilandense mostrou a que vinha. Marcando em seu próprio campo e preparado para os contra-ataques contando com a habilidade do atacante Léo Gabiru, o Ceilandense procurava explorar os erros alvinegros.

Com Allan Dellon marcado e Didão recuando constantemente para as linhas de volantes, o CEC era um time sem inspiração. O resultado dessa apatia era que o CEC dava constantes contra-ataques para o Ceilandense, mas o adversário era incapaz de criar situação de perigo para a meta de Pedro.

Léo Gabiru passa por Daniel: CEC foi mal no primeiro tempo
Léo Gabiru passa por Daniel: CEC foi mal no primeiro tempo

Ao contrário, o CEC esteve próximo de abrir o marcador quando Didão, meio querendo, meio sem querer, acertou o poste direito da meta rubronegra. Apesar da boa conclusão, o Ceilandense rodeava mais o gol do Gato. Num desses lances, Léo Gabiru foi derrubado dentro da área. Penalti que Thiago Ferreira converteu. Eram 18 minutos.

Após o gol, o Ceilandense recuou quase que por completo. O Ceilândia até que chegou próximo do empate, mas nas duas oportunidades o goleiro adversário salvou as conclusões de Liel e Dimba.

O primeiro tempo encaminhava para o a vitória parcial do Ceilandense por 1 x 0, mas a arbitragem viu penalti na bola que cruzada tocou no braço esquerdo de Panda. Muita reclamação alvinegra. Thiago Ferreira não tinha nada a ver com isso e fez 2 x 0.

Claudionor foi dominado por Adriano. Reconhecimento pelo esforço, mas o time precisa de resultados.
Claudionor foi dominado por Adriano. Reconhecimento pelo esforço, mas o time precisa de resultados.

Veio o segundo tempo e Adelson colocou Luiz Fernando e Alcione tirando Breno e Daniel. O Ceilândia foi para o abafa. Mesmo assim não conseguia se aproximar da meta rubronegra. Adriano ganhava todas.

A torcida sentia a necessidade da entrada de Cassius no lugar do então esforçado, mas inoperante Claudionor. O tempo passou e a torcida ficava impaciente porque o CEC era incapaz de criar situações de gol.

Tudo mudou aos 20 minutos quando Cassius entrou, mas no lugar de Diego Marangon. Na primeira bola Cassius ganhou de Adriano. Na segunda, ganhou novamente. Na terceira, Adriano chutou tudo o que podia, mas Cassius aguentou o tranco. O domínio de Adriano na grande área acabara.

Dimba comemora o gol de empate: na valentia
Dimba comemora o gol de empate: na valentia

Aos 30, num bate e rebate dentro da área, Liel tocou para Dimba diminuir. O CEC continuou melhor, mais no coração que na técnica. Aos 35 Dimba recebeu uma entrada criminosa, mas arbitragem deu apenas cartão amarelo para o defensor rubronegro.

Aos 40, Allan Dellon foi derrubado na área. No mesmo lance, Claudionor também foi derrubado. A arbitragem mandou seguir.

Aos 48, novo bate e rebate na área. A bola sobrou para Dimba. Com o artilheiro do Gato não há muita conversa. Gol do Ceilândia. Empate na raça, mas pouco para quem quer ser o melhor do campeonato.

O CEC jogou com Pedro, Breno (Alcione), Panda, Liel e Felipe. Daniel(Luiz Fernando), Diego Marangon (Cassius) , Didão e Allan Dellon. Dimba e Claudionor.

Related Images:

Clima mais ameno no CEC (mas nem tanto)

Claudionor: boa dupla com Cassius
Claudionor: boa dupla com Cassius

A obrigação de sempre vencer faz parte do cotidiano do Gato. O Ceilândia pensa grande e procura fazer com que nada falte aos seus jogadores. Sob os olhos atentos de Adelson de Almeida, jogadores e comissão técnica voltaram ao trabalho nesta segunda-feira, um pouco mais aliviados. A pressão por jogar contra um time recém formado e todo o peso do favoritismo dessa partida são agora coisa do passado.

Com a vitória, o Ceilândia foi a 7 pontos, mas isso não atenua as cobranças por razões óbvias. O campeonato se decide nos mata-matas. O mais importante é se classificar. Depois, jogo a jogo, tudo se decide. De qualquer forma, somar pontos é muito importante para eventualmente decidir a classificação final. Jogadores e comissão estão conscientes disso.

Para partida deste final de semana, diante do Sobradinho, a programação da semana foi mantida inalterada. Academia, desintoxicação,  treino técnico, coletivo, treino técnico e apronto.  O CEC não enfrenta o Sobradinho desde março de 2005, quando empatou no Augustinho Lima por 2 x 2.

Related Images:

Ceilândia de cara nova

20090211cecPassado o susto e a tristeza pelo resultado do final de semana, o Ceilândia respira novos ares. Nada menos do que sete jogadores chegaram nos últimos dias. Diego, Douglas e Dime já estrearam.

Everson, Da Silva, Fábio Lima e Bruno podem estrear nesse final de semana. A maior dúvida é Adriano, cuja documentação ainda depende de passar por todo o trãmite burocrático internacional. Se alguns jogadores chegam, outros saíram. Desses a saída mais sentida foi a do atacante uruguaio Molina, autor do primeiro gol do Gato na temporada (o único na derrota por 2 x 1 diante do CRAC em Catalão).

O torcedor do Gato pode conferir o elenco no link Elenco 2009.

Na manhã desta terça-feira o técnico Jean Cláudio fez trabalhos leves com a equipe. A parte pesada esteve a cargo da preparação física. Cassius e Agnaldo fizeram trabalho à parte. Cassius apenas foi polpado da carga de trabalho do dia, mas não é problema para domingo. Agnaldo, autor do primeiro gol no domingo, 20090208cec2x2luzianiapublicoé dúvida.

Passados três dias do jogo contra o Luziânia a equipe ainda lamenta. Para alguns faltou experiência, para outros malandragem. De maneira geral os jogadores concordam que o time está subindo de produção e isso dá tranquilidade para o difícil jogo do domingo.

Outro aspecto notado foi a presença da torcida diante do Luziânia. Os jogadores acreditam que com um tabela mais favorável no segundo turno a torcida deverá lotar o Abadião. Para isto ser verdade só depende dos resultados.

Related Images: