Tag: Alisson

Ceilândia decepciona e perde para o Capital

Adelson assiste à disputa de Alisson: não foi um bom dia para ambos
Adelson assiste à disputa de Alisson: não foi um bom dia para ambos

Com doze minutos de jogo, estava claro que algo não estava bem com o Ceilândia: Gilson já errara três passes importantes.

Com 24 minutos de jogo, Claudio Luiz já completava o seu terceiro bote equivocado! Desse terceiro bote, saiu o primeiro gol da partida, quando Igor fez Capital 1 x 0.

A prova inequivoca veio poucos minutos depois: Alisson driblou o goleiro, demorou para finalizar e perdeu o empate mais feito do mundo.

Tavares é derrubado dentro  da área: dentro da área é pênalti
Tavares é derrubado dentro da área: dentro da área é pênalti

O castigo não tardou: aos 32, novo erro na saída de bola do Ceilândia e, na sequencia,  Rafael Toledo fez Capital 2 x 0. 

A defesa do Ceilândia reclamou bastante de falta no lance. Não adiantou.

Aos 40, Tavares disputou com Nem, que errou a bola e acertou o jogador. Falta dentro da área é pênalti. Allan Dellon cobrou e diminuiu.

Sandro faz a falta for da área: fora da área não é penalti, mas o confuso árbitro assinalou
Sandro faz a falta for da área: fora da área não é penalti, mas o confuso árbitro assinalou

Veio o segundo tempo e o Ceilândia voltou melhor. Parecia mais encorpado. Para azar do alvinegro, aos 7 minutos, Sandro disputou a bola fora da área, mas o árbitro marcou pênalti.

Rafael Toledo bateu e fez Capital 3 x 1.

Depois disso o Ceilândia foi todo à frente. Perdeu algumas oportunidades, mas em nenhum momento deu a entender que diminuiria o marcador.

Ceilândia perdeu muitos gols: nessa, Caio perdeu.
Ceilândia perdeu muitos gols: nessa, Caio perdeu.

A derrota por 3 x 1, derrubou o Gato Preto para a sexta colocação.  Com isso, enfrentará o Brasília em data ainda desconhecida.

Ruim, para o Ceilândia. O Gato Preto demonstrou claramente no jogo de hoje que precisava de cancha, precisava de jogo. Parecia sem rítmo.

Related Images:

O Maestro dá as cartas

França tem crescido tecnicamente. Ainda há quem diga que precise estar mentalmente forte
França tem crescido tecnicamente. Ainda há quem diga que precise estar mentalmente forte

Allan Dellon fez uma partida impecável na tarde desta quarta-feira e deu a vitória ao Ceilândia sobre o Gama por 1 x 0

Foi uma vitória incontestável. A rigor, o Gama equilibrou o jogo apenas nos últimos trinta minutos do primeiro tempo e à custa de um estilo de jogo que privilegiava as faltas táticas em detrimento do volume de jogo.

Gilson foi mal no primeiro tempo, mas acertou-se no segundo: ganhando ritmo de jogo
Gilson foi mal no primeiro tempo, mas acertou-se no segundo: ganhando ritmo de jogo

Não que o Ceilândia tenha sido um primor em termos de volume de jogo. Absolutamente esta não é a característica do time.

O Gato Preto, contudo, mostrou que sabe marcar bem e que melhorou muito o último passe. Elvis tem dado uma dinâmica muito boa à equipe, enquanto que Allan Dellon tem sido eficiente no último passe.

Gago fez a sua melhor partida pelo Alvinegro: talvez o melhor homem em campo
Gago fez a sua melhor partida pelo Alvinegro: talvez o melhor homem em campo

Os primeiros minutos de jogo foram inteiramente do Ceilândia. O alvinegro perdeu seguidas oportunidades com Cassius (duas vezes), Gilson e Elvis.

À medida em que a partida caminhava, havia sempre o temor de que o futebol castigasse.

Allan Dellon comemora com Thiaguinho:  depois foi expulso injustamente
Allan Dellon comemora com Thiaguinho: depois foi expulso injustamente

O Gama equilibrou na reta final do primeiro tempo, muito à custa das seguidas faltas táticas. O Ceilândia chegou a se incomodar com a estratégia do adversário. O jogo ficou picado. A rigor, contudo, França não trabalhou.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia pressionou o Gama contra o seu campo de defesa. Foi jogo de um time só.

Jeff Silva estreou pelo Ceilândia: muita disposição sob os olhos do comandante
Jeff Silva estreou pelo Ceilândia: muita disposição sob os olhos do comandante

Apesar do domínio e da iniciativa, o Ceilândia não criou oportunidades claras de gol, embora tenha tido chances com Allan Dellon, Gilson e Cassius.

Coube a um lance fortúito definir a partida: no cruzamento, Cassius ajeitou para trás. Allan Dellon bateu e venceu a meta alviverde.

Após o gol, esperava-se que o Gama fosse ao ataque. Não foi o que ocorreu. O Ceilândia continuou a controlar o jogo.

Tudo poderia ter mudado  quando Allan Dellon foi injustamente expulso pela arbitragem.

Cassius recuou para fechar o meio de campo depois da expulsão de Allan Dellon
Cassius recuou para fechar o meio de campo depois da expulsão de Allan Dellon

Com um a menos, o Ceilândia abdicou do ataque, mas ainda assim enfrentou um alviverde sem inspiração e controlou o resultado até o apito final.

Com a vitoria, o Ceilândia chega aos 13 pontos. Ainda não é a classificação ideal, mas ao menos está próxima daquela que se esperava de uma equipe com tais predicados.

Não há tempo para comemoração, nem motivos. No próximo sábado, o Gato Preto enfrenta o Brasiliense. Duelo dos únicos campeões do DF dos últimos anos.

Related Images:

Gato vence Ceilandense e faz o dever de casa

Cassius fez o primeiro do Gato
Cassius fez o primeiro do Gato

É absolutamente incomum que o Ceilândia vença uma partida com dois gols de penalti, mas aconteceu e poderia ter sido mais!

Jogando na tarde deste sábado chuvoso, o Gato Preto venceu a Ceilandense por 3 x 0, resultado que se não muda em nada a posição do Ceilândia na competição, ao menos permite que respire.

Elvis aproveitou bela jogada de Alisson e fez o segundo
Elvis aproveitou bela jogada de Alisson e fez o segundo

Foi um jogo de um time só. O Ceilândia teve o controle da partida, marcando o adversário desde o campo ofensivo.

O primeiro gol surgiu em penalti sofrido por Allan Dellon. Cassius bateu no canto esquerdo do goleiro para abrir o marcador.

O Maestro voltou e tambem fez o dele
O Maestro voltou e tambem fez o dele

Não demorou muito e Alisson fez bela jogada pela esquerda e serviu Elvis que bateu com categoria para fazer 2 x 0.

Desacostumado a tamanha vantagem,  o CEC aguardou o término do primeiro tempo.

Passado e presente: estranho ver Daniel com outra camisa que nao a alvinegra
Passado e presente: estranho ver Daniel com outra camisa que nao a alvinegra

Veio o segundo tempo e o Ceilândia demonstrou claramente que a vantagem lhe atendia. O jogo ficou monótono no melhor estilo o Ceilândia não quer e a Ceilandense não conseguia jogar.

Isso não significa que tenha faltado emoção. A Ceilandense em nenhum momento ameaçou a meta alvinegra.

Here empurado: penalti do terceiro gol
Here empurado: penalti do terceiro gol

Enquanto isso, o Ceilândia cansou de errar gols. No mais fantástico desses erros, Alisson não respeitou a bola e errou um gol feito.

Nos minutos finais, Adelson de Almeida colocou Gilmar Herê no lugar de Cassius. O atacante fez boa jogada com Alisson e foi empurrado na área. Penalti que Allan Dellon bateu com perfeição para dar números finais ao jogo.

Franca novamente nao sofreu gol
Franca novamente nao sofreu gol

O resultado não muda a posição do Ceilândia. Ao menos o Gato Preto afastou-se da parte de baixo da tabela antes de começar a maratona contra os primeiros colocados.

Se há uma evolução, e há, será colocada à prova. A primeira delas  em Luziania.Em meio a alegria de todos, um jogador destoava. Renato conversou com o CeilandiaEC. Confessou que nao foi bem, mas admitiu que estava feliz pelo time haver vencido. Vida que segue…

Related Images:

A batalha agora é em Ceilândia

O desafio de vencer!

Renato foi uma das novidades contra o Brasilia. Em 2013, importante na vitória em Unaí
Renato foi uma das novidades contra o Brasilia. Em 2013, importante na vitória em Unaí

O Ceilândia vai colocar à prova, hoje, às 16h, no Estádio Regional de Ceilândia, se o empate contra o Brasília foi um acidente ou se o time efetivamente deixou a série de derrotas para trás.
Sem ter vencido em 2014, são sete jogos, o Gato Preto, antes apontado como um dos favoritos, enfrenta o Paracatu em um jogo absolutamente importante.

Alisson mostrou contra o Brasília uma maturidade que ainda não mostrara. Também esteve em Unaí em 2013.
Alisson mostrou contra o Brasília uma maturidade que ainda não mostrara. Também esteve em Unaí em 2013.

O técnico Adelson Almeida fez várias mudanças contra o Brasília. Ganhou uma solução e um problema.
A solução está no fato de que quem entrou mostrou que não fica devendo a quem saiu.

Os meninos estavam em Unaí em 2013 na vitória por 4 x 2. Hoje, terão prova de fogo
Os meninos estavam em Unaí em 2013 na vitória por 4 x 2. Hoje, terão 90 minutos de prova de fogo

O problema é que vai precisar de todo mundo, mas nessas horas alguém que não está sendo utilizado sempre espana e a motivação já não é a mesma. Os meninos ganharam o lugar justamente porque os mais rodados não trouxeram resultado.
Já escaldado, Adelson segue em frente e não terá problema em tomar decisões adequadas ao momento.

Alisson ganha da defesa do Brasília: CEC teve uma oportunidade e a aproveitou
Alisson ganha da defesa do Brasília: CEC teve uma oportunidade e a aproveitou

O clima melhorou muito com o último resultado, mas o time precisa melhorar. Mais que isto, o Ceilândia precisa vencer.
O Ceilândia sofreu gol em todas as partidas que disputou neste ano. A defesa mostrou evolução no último jogo, particularmente o meio de campo, muito mais participativo defensivamente com Alisson e Elvis.

Contra o Brasilia, França foi exigido apenas em chutes de longa distância
Contra o Brasilia, França foi exigido apenas em chutes de longa distância

Ao voltar para buscar o jogo, Alisson deu uma alternativa que o Ceilândia antes não possuía. Elvis ainda foge um pouco do contato, mas é inteligente na aproximação e no toque de primeira. Com isso, Chulapa e Juninho Goiano subiram de produção. De quebra, Badhuga voltou a ser consistente defensivamente e isso também ajudou a Claudio Luiz, em busca de ritmo de jogo.

O time ainda sofre um pouco com a consistência de seu jogo ofensivo, mas convenhamos que a vida do Gato Preto sempre foi assim: muito sofrimento.

A batalha agora é em Ceilândia
A batalha agora é em Ceilândia

Além do mais, Gilmar Herê e Tavares mostraram  muita determinação e determinação é o que o time vai precisar hoje, não apenas em uns poucos minutos, mas nos noventa e quem sabe manter essa determinação até dez minutos depois do árbitro encerrar a partida (nunca se sabe o que pode acontecer, mas se acontecer é necessário estar pronto!)
Então, para hoje, também teremos sofrimento e que assim seja!

Related Images:

O Gosto Amargo do Empate!

Elvis comemora: time correu muito e cansou. Castigo veio no final
Elvis comemora: time correu muito e cansou. Castigo veio no final

O Ceilândia enfim quebrou a sequencia de derrotas, mas ainda assim não saiu da lanterna da competição. Para complicar, agora tem um jogo a mais que os seus mais diretos concorrentes.

Jogando na noite dessa quarta-feira no Bezerrão contra o Brasilia, o Gato Preto foi um time diferente.

Alisson e Gilmar Herê deram muito trabalho ao adversário, além de terem sido importantes defensivamente.
Alisson e Gilmar Herê deram muito trabalho ao adversário, além de terem sido importantes defensivamente.

O técnico Adelson de Almeida fez muitas mexidas. Dudu, Renato, Elvis, Alisson e Gilmar Herê entraram… e o time melhorou.

A primeira prova de que o time melhorou está no fato de que nos sete primeiros minutos teve cinco escanteios a seu favor.  Na essência o Ceilândia controlou o Brasília o jogo inteiro. O adversário somente chegava em chutes de longa distância e em bolas paradas.

Sofrimento alvinegro continua
Sofrimento alvinegro continua

Apesar de ter sido melhor, o Ceilândia não criou situações claras de gol, Ao contrário, o Brasília teve uma chance num escanteio e por pouco abriu o placar.

No segundo tempo, o Ceilândia abriu o placar logo aos cinco minutos. Alisson conseguiu desvencilhar-se dos zagueiros e bateu na saída do goleiro. No rebote, Elvis abriu o placar.

Agora, Ceilândia terá a vantagem de jogar em casa
Agora, Ceilândia terá a vantagem de jogar em casa

O Ceilândia continuou melhor. O Brasília não chegava e o Gato Preto desinteressou-se pelo jogo. Foi o erro alvinegro: dar chance ao azar.

Quando a partida se encaminhava para a primeira vitória alvinegra, Kaka aproveitou o vacilo alvinegro e empatou o jogo. Castigo, muito castigo para o alvinegro.

 

Related Images:

Ceilândia tenta, contra o Brasília, sair do vermelho

CEC vai ter que ser solidário se quiser vencer o Brasília
CEC vai ter que ser solidário se quiser vencer o Brasília

Antes de começar o campeonato, o Ceilândia tinha o retrospecto altamente positivo contra os seus quatro primeiros adversários: havia vencido a todos eles no último confronto.

Hoje à noite, enfrenta o Brasília em situação extremamente constrangedora: é o último colocado da competição.

Sandro e Valdinei combatem Tavares na última segunda: hora de união
Sandro e Valdinei combatem Tavares na última segunda: hora de união

O técnico Adelson de Almeida parece ter esgotado o seu estoque de experiências nos três primeiros jogos. Restam alguns poucos  jogadores que não foram utilizados.

Por isso mesmo, o time trabalhou muito o aspecto psicológico desde o último sábado. Sabe que não adianta jogar quinze minutos: o jogo normalmente tem mais de noventa.  

Não se descarta algumas dispensas. O time deve viver um momento de depuração, natural em face do momento vivido: Na adversidade alguns tendem a crescer.

Ceilândia comemora em abril de 2013: 3 x 1. Agora o favoritismo é vermelho
Ceilândia comemora em abril de 2013:  Gato Preto 3 x 1. Agora o favoritismo é vermelho

O time não deve contar com os dois últimos reforços: Fábio Gaúcho ainda cumpre suspensão. Paulo Regis está com os pés cheios de bolhas.

Com isso, Adelson deve se valer das alternativas que o elenco lhe fornece.  O técnico guarda o time para o último instante… Que venha uma boa surpresa.

Related Images:

Adelson procura soluções

Alisson enfrenta o paredão: bola volta rápida, sem tempo para se organizar
Alisson enfrenta o paredão: bola volta rápida, sem tempo para se organizar

O técnico Adelson de Almeida sacou Thiaguinho no intervalo do jogo contra o Legião. No esquema de Adelson, Thiaguinho ora recompõe a proteção com os volantes, ora se soma a Allan Dellon e Alisson no ataque.

Na prática, Thiguinho não conseguiu fazer uma coisa ou outra. Em seu lugar entrou Chulapa que simplificou um pouco mais e cuidou essencialmente da proteção. De vez em quando se aventurava ao ataque.

Juninho, Alisson, Thiaguinho e Allan Dellon: poucas vezes estiveram próximos
Juninho, Alisson, Thiaguinho e Allan Dellon: poucas vezes estiveram próximos

Adelson deve estar considerando várias opções, inclusive jogar com dois atacantes. Outra opção seria a entrada de Gilmar Herê, atacante pelos lados de boa velocidade.

Há pontos positivos e negativos nessa escolha. A entrada de Gilmar Herê não resolve um problema básico do time: a bola continuará viva, indo e voltando do ataque com muita velocidade. Isso tem dividido o time em defesa e ataque e prejudicado o meio.

No treino coletivo desta tarde, Adelson tende a mexer o mínimo possível na equipe. Além do trabalho de formação, Adelson ainda tem o trabalho de preparar a equipe mentalmente para enfrentar o momento atual de transição entre o conceito que o time tem de si próprio e a realidade da competição.

Related Images:

Rodriguinho perde grande chance em 2013: vitória sofrida no Augustinho Lima

A três dias da estréia

Defesa tem sido a maior preocupação de Adelson. Em 2013, CEC saiu atrás e sofreu para virar o jogo
Defesa tem sido a maior preocupação de Adelson. Em 2013, CEC saiu atrás e sofreu para virar o jogo: 2×1

O Ceilândia entra na fase final de sua preparação para a estréia deste sábado, 16h, no Estádio Regional, diante do Legião. A programação prevê treinamento técnico-tático e, amanhã, o treino-apronto. Para a sexta-feira, apenas trabalho leve no campo de jogo.

Adelson de Almeida enfim pode contar com quase todos os jogadores do time-base que pretende lançar no sábado. De todos os jogadores, apenas o zagueiro Claudio Luiz está entregue ao Departamento Médico. Sente-se alguma impaciência no ar em torno do estado físico do zagueiro.

Didão foi o herói alvinegro: fez os dois gols da vitória
Didão foi o herói alvinegro: fez os dois gols da vitória

O atacante Gilmar Herê voltou a treinar, depois de pouco de mais de uma semana recuperando-se de uma pancada sofrida no jogo contra a Anapolina.

Em 2013, o Ceilândia também estreou no Metropolitano jogando contra o Legião. O jogo foi em Sobradinho, no Augustinho Lima, e o CEC sofreu para virar o marcador, após sair perdendo logo no início da partida. No final, 2×1, com gols de Jocelmo para o Legião enquanto Didão fez os dois gols do alvinegro de Ceilândia.

Cassius é o maior artilheiro da história do futebol do DF: hora de assumir a responsabilidade de conduzir o Ceilândia ao tri
Cassius é o maior artilheiro da história do futebol do DF: Hora de assumir a responsabilidade de conduzir o Ceilândia ao tri

Adelson relatou ao CeilandiaEC que conhece pouco sobre o adversário, mas o suficiente para não ser totalmente surpreendido.

Ainda falando ao CeilandiaEC, Adelson admitiu  que a responsabilidade pela vitória é do Ceiländia, pela diferença de investimento em relação ao rival, mas acrescenta que o fator estréia é sempre perigoso.

 

Related Images:

Ceilândia mostra evolução, mas perde novamente

Alan Delon retornou: passe para o primeiro gol, mas ainda sem o preparo ideal
Alan Delon retornou: passe para o primeiro gol, mas ainda sem o preparo ideal

O Ceilândia encerrou a sua fase de preparação para o Metropolitano 2014 sem vitória. Em três jogos realizados contra equipes de Anápolis, o Gato empatou um jogo e foi derrotado duas vezes.

O jogo de hoje começou com a Anapolina envolvendo o Ceilândia, mas parando na defesa alvinegra. Faltava o último passe para os alvirrubros.

Thiaguinho aceitou uma nova função e foi muito útil. Time tem a ganhar com o jogador
Thiaguinho aceitou uma nova função e foi muito útil. Time tem a ganhar com o jogador

Do lado do Ceilândia, o alvinegro sofria na transição da defesa para o ataque.  Adelson optou por um meio de campo técnico, com Allan Dellon, Alisson e Thiaguinho.  Difícil dizer a que se devia a dificuldade do Ceilândia, mas uma coisa é certa: o time errou muito na saída de bola.

Após sete minutos em que viu o adversário jogar, o alvinegro melhorou a marcação, mas normalmente chegava atrasado. O resultado é que o CEC tinha sempre que correr atrás do adversário.

Tales atuou na defesa e não decepcionou: muitos lesionados
Tales atuou na defesa e não decepcionou: muitos lesionados

O domínio da Anapolina, contudo, jamais se traduziu em oportunidades de gol. Ao contrário, o Ceilândia na sua primeira oportunidade, abriu o marcador. Allan Dellon enxergou Cassius que driblou o zagueiro e inaugurou o marcador.

Aos 16, um minuto depois, o Ceilândia bobeou e Celinho empatou de cabeça. A defesa falhou e ninguém encostou em Celinho. França nada pode fazer.

O jogo ficou mais equilibrado e, se alguém tivesse que sair na frente, não como decorrência do futebol apresentado, mas porque era melhor no último passe, esse alguém seria o Ceilândia. Cassius e Alisson perderam boas oportunidades.

França entrou para ganhar ritmo: experiência poderá ser importante
França entrou para ganhar ritmo: experiência poderá ser importante

Veio o segundo tempo e a Anapolina veio com uma proposta diferente: esperar o CEC no seu campo de defesa. O Ceilândia teve mais posse de bola e, sem espaço, mostrou deficiências no último passe.

O castigo veio quando Charles, numa bola despretensiosa, tirou do zagueiro e meteu um tubo na trave direita de França. A bola morreu no fundo da rede. Vitória da Anapolina por 2 x 1.

Juninho Goiano: entrou no segundo tempo e melhorou a saida de bola
Juninho Goiano: entrou no segundo tempo e melhorou a saida de bola

Após o gol, Adelson fez mudanças em bloco. O jogo perdeu em consistência, embora se tenha visto que Jeffinho e Adriano Felicio podem ser úteis na busca do Tri.

Embora o CEC tenha sido melhor nos últimos minutos, não conseguiu o gol do empate.

No final, CEC correu sempre atrás:  a partir da próxima semana, tudo muda
No final, CEC correu sempre atrás: a partir da próxima semana, tudo muda

O resultado em si foi ruim, porque aumenta as expectativas em torno da estreia.

Sob o ponto de vista de Adelson de Almeida, entrevistado ao final do jogo, o time evoluiu muito em uma semana e isso se fez sentir durante o jogo. Para ele o time deve alcançar a sua melhor performance no meio da competição, pouco antes dos mata-mata.

Até lá, confia que a qualidade técnica do time fará a diferença contra adversários que, em tese, não constam entre os favoritos.

Related Images:

Ainda incapazes de pensar como grupo

Jogadores se esforçam, mas ainda falta sincronia
Jogadores se esforçam, mas ainda falta sincronia. Começo é sempre difícil…

Começo de trabalho é sempre complicado. Para o Ceilândia não tem sido diferente. Em Corumbá de Goiás, do time que começou jogando, apenas Badhuga era titular indiscutível  no elenco de 2013. Muita mudança ocorreu.

De 2009 a 2013, o CEC sempre manteve uma base considerável do time anterior. O processo de mudança começou em 2013, quando Adelson de Almeida resolveu apostar em jovens valores, preparando-os para os anos seguintes.

Muita disposição, mas time foi mal no segundo tempo contra a Anapolina
Muita disposição, mas time foi mal no segundo tempo contra a Anapolina

Na partida diante da Anapolina, a falta do senso de grupo fez-se sentir. Diferentemente do que alguns comentaram, não houve falta de vontade.

Os jogadores correram, mas, num ambiente em que todos procuram se afirmar, cada um correu para si. Faltou claramente o senso de coletividade, de time.

Alterações do segundo tempo não surtiram efeito. Falta senso de coletividade, algo que só se adquire com o tempo
Alterações do segundo tempo não surtiram efeito. Falta senso de coletividade, algo que só se adquire com o tempo

Outra crítica foi em relação ao preparo físico da equipe. O time foi claramente dominado pela Anapolina na segunda etapa.

A crítica em si mesmo há de ser tomada com cuidado. A temperatura estava altíssima e as condições do campo influíram claramente na atuação de um time sabidamente mais técnico que o da Anapolina.

No segundo tempo, CEC perdeu o toque de bola e viveu de ligações diretas para Herë.
No segundo tempo, CEC perdeu-se em ligações diretas para Herë. Time dividido entre defesa e ataque…

Para o último amistoso da fase de preparação, possivelmente neste sábado, 16h, no Estádio Regional, há a certeza de que, mais importante que o resultado, é importante mostrar evolução no trabalho.

Uma vitória pode encobrir um trabalho ainda por evoluir. É uma armadilha da qual o Ceilândia deve fugir. Por enquanto, o time precisa evoluir como time e os jogadores a pensar como grupo.

O resultado, bem, o resultado é fruto disso tudo.

Related Images:

CEC luta, mas Ceará vence: 4 x 3

Clécio abre o marcador para o CEC. O  empate veio em seguida
Clécio abre o marcador para o CEC. O empate veio em seguida

Não foi a partida dos sonhos do Ceilândia. Jogando no Estádio Castelão, em Fortaleza, o CEC foi eliminado pelo Ceará e está fora da Copa do Brasil 2013.

O CEC pagou o preço de iniciar mal, tanto o primeiro quanto o segundo tempo.

Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos
Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos

O Ceará começou a todo o vapor, pressionando o Ceilândia e progredindo em velocidade. O CEC parecia não ter o tempo da bola, perdia todas as primeiras bolas e não encontrava o adversário.

Mesmo assim, a sorte sorriu para o Ceilândia. No primeiro ataque, Clécio cabeceou, Fernando Henrique defendeu e o mesmo Clécio abriu o marcador para o Gato.

Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente
Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente

Não houve tempo para comemorar. No primeiro ataque seguinte, o Ceará empatou com Lulinho num belo arremate de fora da área.

O Ceará continuou melhor, mas não conseguia traduzir essa superioridade em oportunidades de gol. Foi necessário que Ricardinho visse Magno Alves e realizasse um cruzamento perfeito para que o o atacante colocasse o Ceará em vantagem 2×1.

Após o segundo gol o CEC melhorou, equilibrou o jogo, mas não criou qualquer oportunidade de gol.

Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu
Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu

Veio o segundo tempo e esperava-se que o Ceilândia voltasse melhor. Ledo engano. O time voltou como começara o primeiro tempo. O castigo não tardou: Aos 6 minutos, Potiguar acertou um chutasso de fora da área: Ceará 3 x 1.

O CEC foi para o ataque e teve seguidas chances para diminuir.Na primeira, Alisson chutou e a bola chocou-se com a trave direita de Fernando Henrique. Na sequencia, o mesmo Alisson foi travado na hora H. Náo demorou muito e Alisson, novamente  bateu forte à direita do gol do Ceará. Como o CEC não aproveitou o Ceará fez: Vicente e Ceará 4 x 1.

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu

O jogo não estava definido. Adelson fez três alterações, colocando Elvis, Dimba e Rosembrick. O Ceilândia era só ataque.
Deu certo. Tão logo a bola saiu, bela jogada entre Cassius e Rodriguinho e o meia fez um belo gol. O Gato estava vivo!

Daí prá frente só deu Ceilândia. Aos 34, Cassius fez bela triangulação com Rosembrick e Elvis e bateu forte de perna esquerda diminuindo ainda mais a vantagem do Ceará: 4 x 3

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
CEC fez um jogo atípico. Agora é pensar no Metropolitano

A torcida do Ceará entrou em desespero, a do Ceilândia idem. O CEC passou a rondar a área do Ceará com perigo e esteve ao menos duas vezes perto de empatar. Nào foi possível.

No final, o resultado fez justiça ao melhor futebol apresentado pelo Ceará. O Ceilândia terá que se penitenciar pelo mau começo de primeiro e segundo tempos. Agora, o alvinegro candango volta os seus olhos para o Metropolitano. Ali, o CEC ainda tem chances.

Related Images:

CEC minimiza pressão por vitória: coisa pode ficar feia

Na última partida: empate sem gols, numa das piores partidas dos últimos dez anos
Na última partida: empate sem gols, numa das piores partidas dos últimos dez anos

O Federação confirmou data, horário e trio de arbitragem para o jogo deste sábado contra o Brasília. A partida está confirmada para as 15h30, no Estádio Elmo Serejo, em Taguatinga.  Rafael Diniz será o árbitro da partida.

O Ceilândia fará o terceiro jogo da série decisiva.

O Ceilândia entra em campo pressionado com a falta de vitória, já são seis partidas consecutivas sem vencer em competições oficiais (a última vitória, goleada sobre o Legião por 4 x 0 foi em partida amistosa e a última vitória em jogo por competição oficial foi contra o Unaí, 4 x 2).

O técnico Adelson minimiza a pressão por vitória e que diz não há mágica: o time tem feito tudo certo nos últimos jogos, mas tem dado azar, afirma.

Dimba comemora o primeiro gol do CEC contra o Brasilia em 2011: Ceilândia 2 x 0
Dimba comemora o primeiro gol do CEC contra o Brasilia em 2011: Ceilândia 2 x 0

Jogadores e comissão técnica, contudo, sabem que jogar bem não se traduz em evolução na tabela. Nas últimas rodadas o CEC despencou na tábua de classificação e se a sorte não ajudar a coisa tende a ficar feia.

Adelson não tem problemas importantes para  a partida deste sábado que não o cansaço de seus atletas. Experiente, o treinador evitou submeter os atletas mais antigos a um desgaste excessivo. Foi assim contra o Ceará, quando poupou Dimba e Rosembrick e deverá ser contra o Brasília quando poupará outros jogadores.

A última vez que Ceilândia e Brasilia se enfrentaram no Serejão não traz boas recordações para o alvinegro: vitória do Brasília por 2 x 0 em jogo válido pela Série D do campeonato brasileiro de 2010. Até então o CEC era o líder do grupo e a vitória custou a sua eliminação.

Os dois últimos confrontos foram em 2011. Vitória do CEC no Estádio Regional de Ceilândia por 2 x 0 e empate em Samambaia por 0 x 0.

 

Related Images:

CEC empata com Ceará e decisão fica para Fortaleza

Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras
Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras

Ceilândia e Ceará empataram sem gols no Estádio Regional de Ceilândia na tarde desta quarta-feira, partida válida pela primeira rodada da Copa do Brasil 2013.

Como esperado, foi um jogo tático. Tanto Ceilândia quanto Ceará demonstraram nos últimos jogos que são equipes fortes defensivamente e disciplinadas taticamentes. Se essas virtudes são iguais, os defeitos também: as duas equipes possuem dificuldade no último passe.

E foi isso que se viu nesta tarde.

Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado
Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado

O primeiro tempo mostrou um Ceilândia levemente superior, ou ao menos com mais iniciativa. O Ceará, fiel ao seu esquema tático, esperava por um erro da defensiva alvinegra. Esse erro não ocorreu.

O primeiro tempo transcorreu sem muitas emoções, mas foi nessa etapa que ocorreu a mais clara chance de gol do jogo. Cassius recebeu livre na entrada da pequena área, mas o chute não pegou a diagonal e Fernando Henrique fez boa defesa.

Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu... e errou
Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu… e errou

Veio o segundo tempo e os espaços começaram a surgir.  O Ceará até demonstrou alguma ousadia nos primeiros minutos, mas não passou disso. Dennys não trabalhou a não ser em chutes de longa distância.

Com o passar do tempo, o CEC retomou a iniciativa do jogo, mas faltava-lhe inspiração. Nas poucas jogadas de gol que surgiram, Elvis chutou sobre o travessão.

Cassius teve a melhor chance do jogo
Cassius teve a melhor chance do jogo

Adelson ainda jogou o time para o ataque colocando Dimba e Vitinho. O CEC cercou, cercou, cercou, mas Fernando Henrique sequer fez alguma defesa importante.

A rigor, sabia-se que  seria um jogo igual, truncado até. As duas equipes não permitem ao adversário ter espaço para trocar bola.

Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará
Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará

O resultado é ruim para as pretensões do Gato, mas não é um desastre. De qualquer forma, o jogo em Fortaleza premia a melhor equipe em campo no jogo de hoje, mas, em contrapartida, trás um estorvo para a reta final do campeonato Distrital.

Nesta quinta o CEC já volta os seus olhos para a rodada do final de semana. Se perder, dará adeus ao Campeonato Metropolitano 2013. Tempo de decisões…

Related Images:

Tempo ao tempo ou para debaixo do tapete?

Alisson: atuação apagada contra o Botafogo
Alisson: boas atuações, mas apagado contra o Botafogo

A surpreendente eliminação do Ceilândia das fases decisivas da Taça JK continua repercutindo. A diretoria e comissão técnica optaram por dar um tempo, antes de tomar qualquer decisão.

Nas aparências está tudo bem. Salários em dia, nenhuma dispensa após a eliminação ou agravamento das naturais disputas internas. A aparente calma, contudo, esconde um clima tenso. Diretoria e Comissão Técnica dão tempo ao tempo, para tomar a melhor decisão.

Wisman: uma das boas surpresas. Carência ofensiva
Wisman: uma das boas surpresas. Carência ofensiva

As avaliações das pessoas que conversaram com o CeilândiaEC é que o time possui deficiências técnicas e outros problemas. Alguma coisa precisa ser feita. O problema é: qual?

No geral, o time está acima da média da competição. A campanha mostra. O problema está em saber se isso é suficiente para ser campeão.

De concreto a certeza que o time precisa de alguns reforços. Precisa de alguns acertos: a bola ainda está muito viva. Precisa também admitir que nem tudo está perdido: o time tem as bases necessárias para ser campeão. Um Gato mordido e consciente é um Gato forte!

Adelson: Explicações para o insucesso
Adelson: Explicações para o insucesso

O CEC precisa também de compromisso! Alguns jogadores parecem estar vivendo na matrix. Meia hora depois da eliminação estavam curtindo as fotos das amigas no Facebook. Mais que estar comprometido, é necessário parecer comprometido!

Os outros problemas serão resolvidos profissionalmente. A rigor são todos profissionais. Não estão no Ceilândia para serem amiguinhos. Ao menos essa é a mensagem que Comissão e Diretoria tentam passar.

Related Images: