Tag: Andre Tavares

Vamos, Ceilândia!

Pelas mãos de França passa a classificação do CEC, mas não apenas disso depende o alvinegro
Pelas mãos de França passa a classificação do CEC, mas não apenas disso depende o alvinegro

30 de março de 2014! O Ceilândia está dividido entre a possibilidade de chegar às semi-finais e a humilhação de ser eliminado tão precocemente.

Se serve de consolo, há exatos 16 anos, em um trinta de março de 1988,  o Ceilândia também enfrentava o Brasília em situação difícil. Sob o comando do tricampeão Brito, o Gato Preto se superou e venceu o então grande Brasília por 4 x 1.

O Ceilândia dependia muito de Elvis: ele caiu e o time caiu junto.
O Ceilândia dependia muito de Elvis: ele caiu e o time caiu junto.

Hoje, nenhum outro resultado que não seja a vitória por dois gols de diferença serve.

O técnico Adelson de Almeida disse que confia no seu elenco. Já disse isso outras vezes. O Ceilândia, nesse campeonato, oscilou bastante entre grandes partidas e partidas sofríveis. É um time que pode surpreender, sempre.

Cassius lutou muito, mas fez opções equivocadas na marcação.
Cassius lutou muito, mas fez opções equivocadas na marcação.

Para o jogo de hoje, 20h30, no Serejão, Adelson deve mexer no time. Juninho, tão importante, é desfalque certo. Mais que a tática, será importante o coração. Tão importante quanto o coração, vai ser o futebol. Para vencer o Brasília vai ser preciso jogar mais que o Ceilândia jogou na última partida.

Alguns jogadores sentiram o esforço da última partida. Assim, Adelson deve guardar a escalação para até o último momento.

O CEC entra para esse jogo como azarão. O futebol guarda supresas. Tomara que a surpresa de hoje seja agradável.

Related Images:

André Tavares expulso diante do Paracatu

Destaque do jogo: André Tavares e outros drops

Andre Tavares: poucos minutos em campo contra o Paracatu
Andre Tavares: poucos minutos em campo contra o Paracatu

André Tavares entrou em campo por poucos minutos contra o Paracatu.  É preciso voltar um pouco no tempo para entender.

André Tavares veio ao Ceilândia pela primeira vez em 2012. Este ano, entrou contra o Legião e a trave o impediu de empatar o jogo. Fez boas partidas diante de Formosa e Brasilia.

Talvez André não tenha entendido que Adelson tinha planos especiais para ele. Talvez Adelson não lhe tenha dito.

O fato é que André Tavares entrou pilhado contra o Paracatu, num misto de frustração e necessidade de mostrar o seu valor. Pilha em excesso faz mal e André acabou expulso. O Ceilândia vai sentir a sua falta.

Nos coletes o Paracatu ainda é Unaí
Nos coletes o Paracatu ainda é Unaí

E OUTROS DROPS

A classificação abaixo reflete essencialmente os resultados conquistados em campo. Pontos para o Brasília porque não é muito difícil que o pleito do Formosa seja acolhido: no mínimo escolheu mal o seu preposto e, nesse caso, teria culpa.

O mesmo se diga em relação ao resultado e Paracatu e Gama. Salvo um terremoto, o resultado de campo deve ser mantido. Se o problema for só a camisa, o CBDF pune apenas com multa.

[standings league_id=10 template=extend logo=true]

CEILÂNDIA EM 2014

O Ceilândia ainda não conseguiu marcar dois gols em um jogo em 2014. Em compensação, pela primeira vez não sofreu gol em 2014.

Os dois piores colocados na tabela neste momento, venceram o Ceilândia que tem a segunda pior defesa da competição. Em compensação o Gato, nos dois últimos jogos, sofreu apenas um gol.

O mal início na competição pode ser compensado com o fato de que o Gato Preto fará quatro dos seis jogos que lhe restam em casa. O time sai apenas para enfrentar Sobradinho e Luziânia.

Cassius (3 gols – contra Anapolina, Legião, Paracatu) é o artilheiro do Ceilândia no ano. Alisson (contra Anapolis), Tavares (contra Formosa), Elvis (contra Brasília) e Allan Dellon (Santa Maria) fizeram os outros gols.

Enfim, a primeira vitória em 2014

Pela primeira vez no ano, a defesa não sofreu gol
Pela primeira vez no ano, a defesa não sofreu gol

O Ceilândia enfim venceu em 2014. Não foi brilhante, mas venceu.

O jogo foi muito equilibrado. As equipes alternaram bons e maus momentos na partida. Desta vez, como fora diante do Brasília, o Ceilândia foi consistente defensivamente. França pouco trabalhou. Foi exigido apenas em bolas paradas.

No gol de Cassius, a comemoração de Caio Chulapa
No gol de Cassius, a comemoração de Caio Chulapa

Em um jogo tão igual, a primeira chance viria em uma bola parada. Escanteio e Cassius cabeceou para abrir o marcador aos 34 do primeiro tempo.

Depois de fazer o gol, o Ceilândia desarticulou-se na função desempenhada por Gilmar Herê e Alisson. O Paracatu saía com a bola dominada em seu campo de defesa. Por sorte, rondava, rondava, rondava e não concluía.

Alisson cansou ainda no primeiro tempo, mas foi importante enquanto teve pernas
Alisson cansou , mas foi importante enquanto teve pernas

Veio o segundo tempo e Adelson mexeu no time, colocando Valdinei no lugar de Gimar Herê. A mudança era essencialmente tática.

Os dez primeiros minutos foram do Paracatu. O Ceilândia dominou os dez minutos seguintes. Foi quando poderia ter ampliado, mas a bola não chegou em Valdinei, na primeira, e, na segunda, Cassius acertou a trave.

No contra-ataque, CEC poderia ter ampliado, mas as chances foram poucas
No contra-ataque, CEC poderia ter ampliado, mas as chances foram poucas

O jogo ficou truncado até o final: o Ceilândia controlava o Paracatu. Chances de gol? Nenhuma, para qualquer lado.

Para dizer que não houve emoção, houve duas expulsões, uma para cada lado (Tavares do Ceilândia foi expulso após trocar agressões com adversário).

Adelson conduz o time para o agradecimento final
Adelson conduz o time para o agradecimento final. Enfim o time interagiu com a torcida

No final, o comandante Adelson de Almeida discretamente cerrou os punhos e comemorou a vitória. Exigiu que o time fosse ao centro do campo e agradecesse por, depois de dois meses de trabalho árdu0, haver conquistado a primeira vitória.

O resultado tira o Gato Preto da última colocação e dá esperança de dias melhores.

 

 

Related Images:

Não deu: sonho da Série C recomeça em 2013

Andre Tavares persegue Flavinho: o lateral foi o maior problema do CEC
Andre Tavares persegue Flavinho: o lateral foi o maior problema do CEC

O Ceilândia fez uma boa partida diante do Friburguense, no Rio de Janeiro, mas sofreu a virada e viu o sonho da Série C ser suspenso até 2013.

Foi uma partida muito interessante. O Ceilândia voltou a sua formação tática originária, com Flávio no lugar de Didão e André Teixeira no lugar de Cassius.

Edmar faz defesa incrível
Edmar faz defesa incrível

Os primeiros movimentos foram da Friburguense. O Ceilândia conteve o ímpeto do adversário e o jogo ficou de intermediária a intermediária. A Friburguense tinha a iniciativa do jogo.

O CEC não chegava ao gol adversário e na primeira real chance de gol, o Gato abriu o marcador com André Teixeira de cabeça aos 40 do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia sequer teve tempo de se assentar em campo. Flavinho levou vantagem sobre Alcione, serviu a Marcelo que foi ao fundo e bateu forte. A bola encontrou Ziquinha que empatou a partida.

Flavio teve uma atuação discreta: pouco tempo no time
Flavio teve uma atuação discreta: pouco tempo no time

O CEC sentiu o gol e o Friburguense foi todo à frente. Aos 12, num escanteio sem muitas pretensões, a defesa foi enganada pelo quique da bola que sobrou para Romulo fazer 2 x 1 para o time da casa.

Depois do gol o Ceilândia foi para cima do adversário. Adelson colocou Tallys, tirando Alcione, Cassius (Andre Tavares) e Luiz Fernando (Flavio) e o CEC por instantes esteve proximo de empatar.

No primeiro lance, o goleiro do Friburguense falhou e Cassius serviu Allan Dellon. A bola  já se encaminhava em direção ao fundo do gol quando o zagueiro salvou em cima da linha.

Dimba teve a chance do jogo: na trave!
Dimba teve a chance do jogo: na trave!

Na sequencia, Dimba recebeu livre dentro da área e desviou para a bola chocar-se contra o poste direito do Friburguense. Um minuto depois, após um escanteio, Panda cabeceou a bola, mas a pelota caprichosamente foi para a linha de fundo.

Nos minutos finais o Ceilândia cansou. O Friburguense administrou o final do jogo e até poderia ter feito o terceiro.

Ao fim, a desolação pela derrota. A classificação foi perdida em casa, mas isso é futebol.

Related Images:

CEC confirma terceiro reforço para as finais

André Tavares faz gol na decisão da Taça Governador
André Tavares faz gol na decisão da Taça Governador – Crédito: ADConfiança.com

O clima no Ceilândia mudou para melhor depois das saídas de Darci, Zé Carlos e André Oliveira. Meses de convivência foram fazendo com que o grupo fosse relaxando um pouco o lado profissional. O Ceilândia precisava de uma sacudida.

Para os lugares dos jogadores dispensados vieram Flávio, volante, Rodrigo Alba, lateral e, agora, o atacante André Tavares.

André estava no Confiança onde foi campeão da Taça Governador com boa participação. Fez dois gols na primeira partida decisiva e participou dos gols na partida final. André vem para ocupar a vaga que era de Zé Carlos.

Related Images: