Tag: Brasiliense

O lado direito do Ceilândia levou vantagem sobre o lado esquerdo do Brasiliense e o inverso também é verdadeiro

Ceilândia e Brasiliense é adiado

O lado direito do Ceilândia levou vantagem sobre o lado esquerdo do Brasiliense e o inverso também é verdadeiro
Jogo entre Ceilândia e Brasiliense não tem data para ser realizado.

O Ceilândia volta agora seus olhos para o Campeonato Candango.  O próximo compromisso do Ceilândia estava marcado para a próxima quarta-feira, 16h, no Abadião, contra o Brasiliense.

Esse jogo terá que ser realizado em outra data. O adversário alvinegro terá partida pela Copa Verde no período. Com isso, o próximo adversário do Ceilândia será o Bolamense, jogo marcado para o dia 18 de fevereiro, 15h30, no Serejão.

Os clubes terão dificuldade em arrumar uma data. Sem contar o jogo contra o Brasiliense, o  Ceilândia terá jogos a cada 3/4 dias até o término da fase de classificação.

O Ceilândia fez um primeiro tempo que beirou a perfeição.

O título não veio

O Ceilândia fez um primeiro tempo que beirou a perfeição.
O Ceilândia fez um primeiro tempo que beirou a perfeição.

Ceilândia e Brasiliense fizeram um jogo eletrizante na finalíssima do Campeonato de Futebol do Distrito Federal 2017. Ao final, o Ceilândia foi derrotado por 3 x 2 e viu o título escapar mais uma vez.

Alcione fez um primeiro tempo primoroso, mas sumiu no segundo tempo
Alcione fez um primeiro tempo primoroso, mas sumiu no segundo tempo

O Gato Preto fez uma excelente exibição no primeiro tempo e saiu com a vantagem mínima. Romarinho fez o gol alvinegro.

Romarinho foi bem marcado, mas ainda assim fez dois gols
Romarinho foi bem marcado, mas ainda assim fez dois gols. Ah! Essa falta era para cartão amarelo

O segundo tempo foi inteiramente do Brasiliense. Logo aos 2 minutos Reinaldo empatou. O Ceilândia não conseguia jogar. Aos 26 Nunes fez Brasiliense 2 x 1. 

Romarinho diminuiu a diferença, mas a sorte o impediu de fazer o gol do empate
Romarinho diminuiu a diferença, mas a sorte o impediu de fazer o gol do empate

Adelson mexeu no time, mas o Ceilândia não melhorou. Aos 35, Souza fez o Brasiliense 3 x 1. O Ceilândia foi para o abafa e diminuiu com Romarinho aos 44. 

O pequeno torcedor sofre com a derrota do Ceilândia
O pequeno torcedor sofre com a derrota do Ceilândia

Foi a melhor campanha da história do Ceilândia no campeonato distrital. O Brasiliense tem um bom time e  o título, por mais que doa no coração alvinegro,  foi merecido.

O homem do apito

O Ceilândia reclamou do erro da arbitragem que invalidou aquele que seria o segundo gol do Gato Preto no jogo de domingo. Com o placar em 1 x 0, o segundo gol não assegurava a vitória, mas trazia uma vantagem importante. O que passou, passou. Vida que segue.

Para a finalíssima, um novo árbitro. Sávio Sampaio apitará o jogo  deste sábado entre Ceilândia e Brasiliense. Em 2017, Savio Sampaio apitou nove jogos, nenhum deles de Ceilândia ou Brasiliense.

O mesmo lance de outra perspectiva
O mesmo lance de outra perspectiva com a bola já a caminho de Romarinho.

De 2011 a 2017, Sávio Sampaio apitou 5 jogos do Ceilândia. Nesses jogos o Ceilãndia saiu vencedor em um, perdedor em outro e foram três empates. Completo equilíbrio.

No primeiro jogo vantagem para Wallace que salvou esse gol de Romarinho
No primeiro duelo particular entre Romarinho e Wallace vantagem para o zagueiro que salvou esse gol de Romarinho

Sávio é irmão de Wilton Sampaio. Wilton Sampaio apitou três jogos entre Ceilândia e Brasiliense ( o retrospecto é ruim para o Ceilândia: um empate em casa por 1×1 e duas derrotas fora por 1 x 0). O Gato Preto espera ter mais sorte com o irmão apitando.

Passe fantástico de Filipe Cirne e Michel fez Ceilândia 1 x 0

Empate no primeiro jogo da final

O Ceilândia começou avassalador e Romarinho quase abriu o marcador
O Ceilândia começou avassalador e Romarinho quase abriu o marcador

O Ceilândia empatou em 2 x 2 na tarde deste sábado com o Brasiliense no primeiro jogo das finais do Candangão 2017. O jogo tem muito que ensinar ao time alvinegro.

O Ceilândia começou melhor. Com Filipe Cirne infernizando o lado direito da defesa do Brasiliense e com  Romarinho periogoso pela esquerda, o Gato Preto teve seguidas oportunidades de fazer gol.  Na principal delas, Filipe Cirne serviu Michel com maestria. O atacante encobriu o goleiro e abriu o marcador aos 8.

O lado direito do Ceilândia levou vantagem sobre o lado esquerdo do Brasiliense e o inverso também é verdadeiro
O lado direito do Ceilândia levou vantagem sobre o lado esquerdo do Brasiliense e o inverso também é verdadeiro

O Ceilândia não arrefeceu os ânimos: a marcação da saída de bola do Brasiliense era boa e o time recuperava a bola ainda entrada do seu campo de defesa. O contra-ataque era rápido e perigoso.  As chances surgiam e não eram aproveitadas.

Tudo mudou a partir do vigésimo minuto. Com as facilidades, o Ceilândia relaxou. Na aparência e apenas na aparência o jogo era igual. No detalhe quase imperceptível o Ceilândia foi minuto a minuto cedendo espaço para o Brasiliense. Minuto a minuto o  Ceilândia deixava de forçar o erro do adversário e passava a esperar que ele errasse.

Passe fantástico de Filipe Cirne e Michel fez Ceilândia 1 x 0
Passe fantástico de Filipe Cirne e Michel fez Ceilândia 1 x 0

O relaxamento fez com que o  Ceilândia perdesse objetividade e o seu forte sistema defensivo precisou trabalhar. Artur não era exigido  até os 34, quando Aldo fez excelente jogada pela direita e cruzou para Reinaldo empatar.

O gol do empate não mudou o panorama da partida. O Ceilândia deixava para forçar o erro do Brasiliense apenas na sua última zona de defesa. Com a bola nos pés, girava de um lado para o outro à espera de uma brecha que não vinha. Os ataques ocorriam eventualmente, mas sem levar perigo à meta adversária.

Romarinho levou vantagem no um contra um diante de Wallace. Faltou o gol
Romarinho levou vantagem no um contra um diante de Wallace. Faltou o gol

O sistema defensivo do Ceilândia era eficiente e Artur também não trabalhava. O jogo se disputava da intermediária da defensiva do Brasiliense ao terço final da defensiva alvinegra.

Depois do gol, o Ceilândia criou situações apenas em jogadas de bola parada
Depois do gol, o Ceilândia criou situações apenas em jogadas de bola parada

Veio o segundo tempo e o Ceilândia equilibrou as ações nos primeiros minutos. O jogo se disputava de intermediária a intermediária. O Brasiliense, contudo, chegava com mais qualidade. O passe saía diretamente de Souza e Peninha, na posição de volantes, para o ataque, nas costas dos volantes do Ceilândia.

Voltando para buscar a bola, Souza teve muito espaço
Voltando para buscar a bola, Souza teve muito espaço

Adelson sentiu que era hora de mudar. O Ceilândia precisava mudar. Adelson tirou Michel e colocou Gilmar Erê. Não deu tempo para a substituição fazer efeito. 

Aos 27 do segundo tempo, o Brasiliense repetiu uma jogada que fizera a partida inteira, agora pelo lado esquerdo. Troca de passes e  passe em profundidade nas costas dos volantes do Ceilândia. Dessa vez o cruzamento foi no ponto futuro onde Aldo surgiu cara a cara com Artur para fazer Brasiliense 2 x 1.

A defensiva do Ceilândia foi muito exigida
A defensiva do Ceilândia foi muito exigida

O jogo até aquele momento era equilibrado. A  diferença  estava justamente no fato de que o Brasiliense, embora não oferecendo riscos à meta defendida por Artur, chegava com mais qualidade que o Ceilândia. Um detalhe por vezes imperceptível. Depois do gol isso mudou.

Torcida estava animada
Torcida estava animada

Após sofrer o segundo gol o Ceilândia oscilou um pouco e o Brasiliense poderia ter feito o terceiro gol, mas a bola explodiu em Artur. O Brasiliense manteve exatamente o mesmo rítmo, até porque o Ceilândia continuou permitindo que o jogo prosseguisse na mesma toada. Cada início de jogada do Brasiliense era exatamente igual. 

O gol de Badhuga foi uma justa recompensa para o Ceilândia
O gol de Badhuga foi uma justa recompensa para o Ceilândia

Premido pelas circunstâncias o Ceilândia foi à frente. Empurrou o Brasiliense contra o seu campo de defesa, mas o que faltava de inspiração sobrava de luta. Na base da luta mesmo, o Ceilândia passou a rondar a meta adversária. Foram necessárias uma, duas, três situações até que já no apagar das luzes, Badhuga empatasse o jogo (aos 40).

A luta prossegue semana que vem
A luta prossegue semana que vem

Naquele momento o Brasiliense parecia não ter mais pernas. Os minutos finais foram do Ceilândia que namorou com a virada, mas igualmente cansado e dependendo da força não conseguiu o terceiro gol.

 Os times tiraram grandes lições desse primeiro jogo. O Gato Preto  sabe que contra um time muito experiente como o do Brasiliense terá muito mais que aprender que o adversário. A final está aberta.

 

 

 

Em janeiro, olhando para um futuro que começa hoje

Com histórico de superação, Ceilândia inicia decisão de 2017

Janeiro de 2017: primeiros passos até formar o time consistente que o Ceilândia foi até agora

O Ceilândia inicia na tarde deste sábado, contra o Brasiliense, os cento e oitenta minutos que decidirão o Campeonato Candango de 2017.
Não é necessário falar das dificuldades. Basta dizer que o Gato Preto chega aos jogos decisivos depois de cinco meses duro  trabalho de direção, comissão técnica e jogadores.  Do outro lado está o experiente time do Brasiliense.

Badhuga foi se firmando ao longo do ano: terá o seu maior desafio do ano nesses dois jogos
Badhuga foi se firmando ao longo do ano: terá o seu maior desafio do ano nesses dois jogos

Trata-se de um adversário duríssimo, com um forte sistema defensivo e que não precisa de muitas oportunidades para vencer seus adversários.

O Ceilândia enfrentou algo parecido quanto jogou diante do bom time do Luverdense. Há diferenças, obviamente. O Luverdense vem disputando a série B enquanto o Brasiliense tem jogadores rodados em nível nacional/internacional.

Em janeiro, olhando para um futuro que começa hoje
Em janeiro, olhando para um futuro que começa hoje

Do lado alvinegro há consciência do tamanho dos desafios que encontra dentro e fora de campo. O Ceilândia não tem padrinhos. Seus jogadores, em sua imensa maioria, estão identificados com o clube: contra tudo e contra todos seguem adiante.

Hoje é apenas mais um desses dias. Que o Ceilândia dê mais um passo em sua história de superação e vitórias.

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

Ceilândia prossegue rotina de trabalho para a decisão

Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão
Ceilândia segue em sua rotina de treinos para a decisão

O Ceilândia continua na sua rotina de treinamentos com vistas ao primeiro jogo da final do Candangão 2017. Nessa quarta os jogadores fizeram um treino técnico-tático.

 O técnico Adelson de Almeida  terá todo o seu elenco à disposição para o primeiro jogo da final. Alguns jogadores reclamam de algumas dores, mas nada que efetivamente preocupe.

Adelson terá todos os jogadores à sua disposição
Adelson terá todos os jogadores à sua disposição

O clima na Cidade do Gato é de tranquilidade possível em dias que antecede jogos decisivos. Nada que não tenha sido vivido pela maior parte do elenco, mas um ingrediente que não pode ser ignorado para o bem ou para o mal.

 

 

 

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ceilândia está nas finais do Candangão 2017

Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia
Filipe Cirne é seguro no primeiro lance do jogo: Pênalti ou não, mas o árbitro deu cartão amarelo para o jogador do Ceilândia

Sabia-se que seria difícil. E foi. O Ceilândia venceu o Paracatu na tarde deste domingo e está nas finais do Candangão 2017. Como prêmio, enfrentará um duro adversário, o Brasiliense que venceu os dois jogos contra o Sobradinho, hoje por 4 x 1.

Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final
Didão jogou no sacrifício e foi recompensado: Ceilândia está na final

Foi um jogo complicado. O primeiro tempo foi jogo de um time apenas. O Ceilândia empurrou o Paracatu contra o seu campo e defesa e dominou todas as ações. Apesar de todo o domínio territorial, o Ceilândia criou apenas uma chance concreta, mas Alcione não conseguiu dominar a bola.

Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final
Filipe Cirne infernizou a defensiva do Paracatu. Cansado, foi substituído no final

O resultado foi que, apesar de todo o domínio alvinegro, a melhor chance de gol foi do Paracatu. Na única jogada de ataque do time mineiro, o Paracatu perdeu a oportunidade mais clara de gol do primeiro tempo

Elivelto foi novamente importante
Elivelto foi novamente importante

Veio a segunda etapa e o Ceilândia manteve o rítmo. Domínio alvinegro, mas sem a criação de oportunidades claras de gol. Para piorar, o Paracatu mostrou que era um time perigosíssimo no contraataque e obrigou Pedro a fazer um milagre e salvar a meta alvinegra,

Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo
Romarinho vinha fazendo uma partida discreta: decisivo no momento certo

O jogo parecia ter retornado ao seu padrão de normalidade, com o Ceilândia controlando as ações. O destino, contudo, tinha planos diferentes. Aos 8, Carlos Henrique desferiu um chute  que era tão repleto de esperança quanto de despretensão, mas a bola enganou Pedro. Um achado para o Paracatu que abriu o marcador: 1 x 0

Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou
Time do Paracatu estava excessivamente pilhado: tolerância da arbitragem colaborou

O Ceilândia sentiu o gol por alguns instantes, mas empurrado pela torcida logo recuperou as ações do jogo. Aos 22, Dudu levantou a bola na área e Romarinho pegou a sobra para fazer um belo gol e empatar o jogo: Ceilândia 1 x 1 Paracatu.

Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada
Willian Carioca entrou no final: Ceilândia poderia ter ampliado quando o adversário foi para o tudo ou nada

O gol animou a torcida e o Ceilândia manteve o rítmo. Aos 22, num lance tão repleto de despretensão quanto to de esperança, Romarinho tentou cruzar e a bola encobriu o goleiro do Paracatu e morreu no canto esquerdo da meta adversária: Ceilândia 2 x 1.

Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia
Romarinho comemora o segundo gol do Ceilândia

Após o gol o Paracatu tentou lançar-se à frente. O Ceilândia não repetiu o erro do jogo de Minas Gerais, quando marcou excessivamente atrás. Com a postura alvinegra, restava ao Paracatu jogar. Futebol por futebol o Ceilândia tinha mais a oferecer.

Depois de uma grande partida, comportamentos desnecessários
Depois de uma grande partida, jogadores do Paracatu foram tirar satisfação, comportamentos desnecessários

O resultado foi que nos minutos finais o Ceilândia chegou diversas vezes com mais atacantes que defensores do Paracatu. Poderia ter ampliado o marcador, mas preferiu administrar o resultado.

Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário
Ceilândia comemora a classificação para enfrentar um duro adversário

Ao final restou aos alvinegros comemorarem a classificação para as finais. Houve tempo para algumas cenas lamentáveis, mas nada que empanasse a festa alvinegra.

Dificuldades fazem e sempre fizeram parte do dia-a-dia do Ceilândia. Sem padrinhos fortes, o Ceilândia está na final. Ceilândia sempre se fez na resistência. 

Wallace, Michel, Pedro e Gilmar: Ceilândia forte em 2017

Quando os suplentes podem fazer a diferença

Disputando a posição com Artur e Pedro, Marcelo foi o único a não ter oportunidade em 2017
Disputando a posição com Artur e Pedro, Marcelo foi o único a não ter oportunidade em 2017

O Ceilândia chegou às semifinais do Candangão 2017 com uma dinâmica diferente dos anos anteriores. Premido pelas diversas competições, o técnico Adelson de Almeida deu oportunidades à quase totalidade do elenco. Alguns jogadores aproveitaram as oportunidades, outros não.

Allanzinho queda brutal de produção: sofre o jogador, sofre o Ceilândia
Allanzinho queda  de produção: ruim para o jogador, ruim para o Ceilândia

Nas três competições disputadas até o momento, o Ceilândia utilizou-se de 26 jogadores, 25 no Campeonato Candango. Dentre aqueles elegíveis no início da temporada, apenas o terceiro goleiro Marcelo Ribeiro não entrou em campo.

Willian chegou e tem estado melhor a cada partida: Ceilândia vai precisar de todos
Willian chegou e tem estado melhor a cada partida: Ceilândia vai precisar de todos

Alguns jogadores aproveitaram bem as oportunidades, outros nem tanto. Algumas perdas foram lamentadas. Wallace Tartá foi uma dessas perdas a serem lamentadas. Com reconhecido talento, quando chamado não estava preparado. No futebol, como na vida, sorte é quando a competência encontra a oportunidade.

Kabrine tem feito bons jogos e é opção
Kabrine foi o décimo segundo jogador em 2016: lesão o tirou da equipe

Em um elenco que conta com Didão, Emerson Martins, Almeida, Felipe Cirne, Alcione, Willian Carioca e até mesmo Elivelto e Kabrine no meio de campo o lugar por espaço é muito difícil.  Allanzinho, por exemplo, tem características que são só suas e que poderiam ser úteis: precisa dar a volta por cima e estar preparado, aliás como todos precisam estar preparados.

Formiga comemora seu gol diante do Luziânia: aproveitando as oportunidades
Formiga comemora seu gol diante do Luziânia: aproveitando as oportunidades

A luta por espaço é uma noção equivocada em um futebol em que as equipes são montadas de acordo com o adversário. O jogo de ida contra o Luziânia foi uma prova disso. Formiga havia sido questionado pelos torcedores na partida anterior e entrou como titular para desempenhar uma função taticamente importante. Desempenhou a função e ainda foi premiado com um gol.

Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: virada contou com futebol e superação, como deve ser
Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: Michel tem sido importante nos jogos difíceis

Em uma luta tão renhida pela posição é preciso estar física, técnica e,  mais importante, mentalmente preparado. De modo geral, todos tiveram chance e na maior parte do tempo corresponderam.  Isso pode ser medido defensivamente e ofensivamente.

Willian Gabriel: vai precisar, como todos, está preparado para os jogos finais
Willian Gabriel: vai precisar, como todos, está preparado para os jogos finais

A prova do empenho defensivo de algum modo pode ser medido pelo número de cartões amarelos. Está bem! Os cartões podem mostrar que o jogador chegou atrasado, estava mal posicionado e outros poblemas… Dos 25 jogadors utilizados por Adelson no Candangão 2017 um total de 16 foram advertidos. 

David foi discreto contra o Luziânia: Ceilândia vai precisar muito mais que discrição se quiser ser campeão
David esteve em 9 jogos e recebeu 2 cartões amarelos em 2017: Ceilândia vai precisar muito mais que discrição se quiser ser campeão

Se os cartões não são um bom indicador do aspecto ofensivo o mesmo não se pode dizer do número de gols.  Aqui metade dos jogadores de linha fizeram gol em 2017: doze jogadores de linha do Ceilândia anotaram gol em 2017.

Didão sai contundido contra o Luziânia: estão todos prontos para substituí-lo?
Didão sai contundido contra o Luziânia: estão todos prontos para substituí-lo?

A máxima de que time ganha jogo e elenco ganha campeonatos vai ser testada a partir da próxima quarta-feira. Jogos difíceis virão e uma pergunta terá que ser respondida pelo elenco: todos estarão à altura dos desafios que virão?

Didão ampliou a vantagem. Ele não marcava há quatro anos pelo Ceilândia, desde a vitória por 2 x 1 sobre o Legião em 2013

Ceilândia termina em primeiro. Agora, Luziânia

Romarinho fez o primeiro logo no começo do jogo: tranquilidade para o resto da partida
Romarinho fez o primeiro logo no começo do jogo: tranquilidade para o resto da partida

O Ceilândia venceu o Paranoá por 3 x 0 neste sábado e com isso terminou a primeira fase do Candangão 2017 em primeiro lugar. Como “prêmio”, enfrentará o Luziânia pelas quartas-de-final do Candangão 2017.

Logo após fazer o gol o Ceilândia levou este susto: a trave salvou
Logo após fazer o gol o Ceilândia levou este susto: a trave salvou

O Ceilândia não teve muita dificuldade para vencer o Paranoá. Logo aos três minutos, Pedro repôs a bola em jogo, a zaga do Paranoá falhou e Romarinho, mesmo seguro pela defensiva do Paranoá, arrematou para fazer logo aos 3 minutos:  Ceilândia 1 x 0.

Didão ampliou a vantagem. Ele não marcava há quatro anos pelo Ceilândia, desde a vitória por 2 x 1 sobre o Legião em 2013
Didão ampliou a vantagem. Ele não marcava há quatro anos pelo Ceilândia, desde a vitória por 2 x 1 sobre o Legião em 2013

O jogo parecia fácil e o Ceilândia dava muito espaço entre os volantes e os defensores. Aos 8, na primeira ocasião de perigo, em cobrança de falta, a trave salvou o Ceilândia.

Não demorou muito e o Ceilândia fez 2 x 0. Cobrança de escanteio e Didão escorou para fazer Ceilândia 2 x 0.

Adelson sabe que pode contar com Pedro.
Adelson sabe que pode contar com Pedro.

O jogo era aberto. Aos 13, Pedro, que substituía Artur, fez grande defesa e impediu que o Paranoá diminuísse. Essa foi a única situação de gol criada pelo Paranoá. 

Michel faz o terceiro na falha do goleiro adversário
Michel faz o terceiro na falha do goleiro adversário

Depois disso, o Ceilândia diminuiu o rítmo e, embora cedesse o contra-ataque para o adversário, não foi incomodado.

Romarinho tem sido importante
Romarinho tem sido importante

Veio o segundo tempo e o Ceilândia manteve o controle do jogo.  Por sorte, logo aos 3 minutos, o goleiro do Paranoá  cometeu uma falha tão grave quanto a de Artur no jogo contra o Sobradinho.

Didão tem uma vida com o Ceilândia: foi bom vê-lo sorrir
Didão tem uma vida com o Ceilândia: foi bom vê-lo sorrir

Michel que não tinha nada com isso matou a bola no peito e caminhou tranquilamente para fazer Ceilândia 3 x 0 Paranoá.

Filipe não foi brilhante contra o Paranoá: terá de sê-lo se quiser levar o Ceilândia ao título
Filipe não foi brilhante contra o Paranoá: terá de sê-lo se quiser levar o Ceilândia ao título

Depois do terceiro gol o Ceilândia, por mais que Adelson pedisse aos seus jogadores que matassem o jogo de uma vez, desinteressou-se pela partida. 

William substituiu Wallinson: manteve o nível
William substituiu Wallinson: manteve o nível

Adelson mexeu no time, colocando Formiga e Willian Carioca. O Ceilândia até criou uma ou duas situações de gol, mas a fatura estava liquidada.

Arbitragem de 2017 está abaixo da arbitragem de 2016 e preocupa: nesse lance, que poderia ser decisivo, apitaram falta para o adversário.
Arbitragem de 2017 está abaixo da arbitragem de 2016 e preocupa: nesse lance, que poderia ser decisivo, apitaram falta para o adversário.

Enquanto isso, a dúvida estava em saber quem seria o adversário das quartas-de-final: o Ceilândia pegará o Luziânia. 

Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá

Sem Badhuga, Ceilândia faz contas

Ceilândia terminou a sua preparação com um rachão
Ceilândia terminou a sua preparação para enfrentar o Paranoá com um rachão – Crédito: CEC Oficial

Com o campeonato entrando na sua reta decisiva e o grau de dificuldade aumentando jogo após jogo, o Ceilândia enfrenta o Paranoá daqui a pouco, 15h30, no Estádio Regional. Empatado com Gama e Brasiliense na primeira colocação, o Gato Preto tem um olho no jogo de hoje e outro no mata-mata.

Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá
Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá

Para o confronto de hoje o Ceilândia não poderá contar com Badhuga, suspenso com o terceiro cartão amarelo. Adelson continuará sem contar com Kabrine, recuperando-se de lesão na panturrilha.

Badhuga: dois cartões nos últimos dois jogos, a vida não está fácil para o capitão
Badhuga: dois cartões nos últimos dois jogos, a vida não está fácil para o capitão

O adversário da próxima fase ainda não é conhecido. Matematicamente pode-se dizer que até o Formosa tem chances de se classificar, desde que vença o Paracatu e Luziânia e Paranoá percam seus jogos.

O Ceilândia depende de Alcione: se ele vai mal, o time também vai
O Ceilândia depende de Alcione: meia complementa Emerson Martins defensivamente e Filipe Cirne ofensivamente.

O Sobradinho, atualmente na quarta colocação, pode terminar em oitavo, desde que perca o seu jogo e Paracatu, Real e Luziânia vençam. Então é realmente muito difícil fazer prognósticos.

Didão desarmado na entrada da grande área: pegando ritmo para o mata-mata
Didão desarmado na entrada da grande área: pegando ritmo para o mata-mata

É muito provável que Gama e Brasiliense vençam. Assim, o Gato Preto teria obrigação de vencer o Paranoá para manter a posição atual. Se Gama e Brasiliense vencerem e o Ceilândia cumprir sua obrigação, pela ordem, os mais prováveis adversários do Ceilândia seriam Luziânia ou Real.

Related Images:

Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira

Embolou tudo: Ceilândia, Gama e Brasiliense empatados

Gol de Michel recolocou o Ceilândia na luta pelo primeiro lugar: não vale de nada, mas dá moral
Gol de Michel recolocou o Ceilândia na luta pelo primeiro lugar: não vale de nada, mas dá moral

A reta final do Candangão 2017 promete surpresas. A prova disto é que os líderes não vencem há duas rodadas, no mínimo. Ceilândia vem de dois empates, Gama de um empate e uma derrota e o Brasiliense de dois empates e uma derrota.

Os três times estão empatados na liderança da competição com 21 pontos. O Gama leva a vantagem no saldo de gols: 9 contra 8 do Ceilândia e 7 do Brasiliense. O equilíbrio também é notado  no número de gols sofridos: o Gama sofreu 6, contra 7 de Ceilândia e Brasiliense. 

Elivelto tem mostrado atitude: pode até errar, mas não se esconde
Elivelto tem mostrado atitude: pode até errar, mas não se esconde

Quando se fala em gols marcados o equilíbrio permanece: Gama e Ceilândia marcaram 15, o Brasiliense 14. Uma coisa é certa: a diferença é tão pequena que o saldo de gols do final de semana irá definir a liderança. Assim, Gama, Ceilândia e Brasiliense jogam por vitórias com boa margem de gols.

Os resultados de final de semana definirão o líder. A liderança tem um aspecto mais moral que efetivo. Não garante vantagem concreta no mata-mata. 

Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira
Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira

Se der a lógica (e no futebol nem sempre dá) há grande possibilidade dos confrontos de quartas-de-final serem os seguintes:

1. Ceilandia x Luziania, Gama x Real, Brasiliense x Sobradinho e Santa Maria x Paracatu. 
2. Ceilândia x Luziania, Gama x Real, Brasiliense x Santa Maria e Sobradinho x Paracatu
3. Gama x Luziania, Ceilândia x Real, Brasiliense x Sobradinho e Santa Maria x Paracatu
4. Gama x Luziânia, Ceilândia x Real, Brasiliense x Santa Maria e Sobradinho x Paracatu

A diferença entre os líderes é muito pequena. Tudo pode mudar. A rigor, neste momento e se der a lógica, parece claro que  Luziânia e Real são os mais prováveis adversários do Ceilândia nas quartas-de-final. Se não der, Sobradinho ou Santa Maria.

 

Ano passado, empate sem gols no Bezerrão

Ceí pega Santa Maria remando pelo topo da tabela

Ano passado, empate sem gols no Bezerrão
Ano passado, empate sem gols no Bezerrão

O Ceilândia sabe que não será fácil. Com o campeonato afunilando, o Gato Preto terá jogos importantes pela frente, não apenas pelo Candangão 2017.

Didão sentiu o pubis: desfalque certo nos próximos jogos
Didão sentiu o pubis: desfalque certo nos próximos jogos

O time se reapresenta nesta segunda, mas alguns desfalques continuam certos para o jogo diante do Santa Maria: Didão, Kabrine e Erê continuam entregues ao Departamento Médico.

Tendo o Candangão como prioridade, Adelson deve mandar a campo contra o Santa Maria  o que tem de melhor. Contra o Luverdense é outra história.

Badhuga e Cassius comemoram o gol de Felipe Cirne em 2015 na vitória por 3 x 1
Badhuga e Cassius comemoram o gol de Felipe Cirne em 2015 na vitória por 3 x 1

O CeilandiaEC conversou com o presidente Ari de Almeida sobre o boato da inversão do mando de campo do jogo contra o Gama. No critério adotado, cada uma das equipes do trio de ferro teria um mando nos confrontos diretos. O Brasiliense mandou contra o Ceilândia, foi visitante contr o Gama que seria visitante contra o Ceilândia.

O Presidente Ari de Almeida negou, mas não foi enfático. Se inverter o mando, o Ceilandia perde mais uma chance de se reaproximar de sua torcida. A torcida alvinegra quer grandes jogos e grandes jogos cativam o torcedor.

Nos lances cruciais a trave ou Artur salvaram o Ceilândia

Artur e travessão salvam o Ceilândia

Emotivo minuto de silêncio em homenagem a Luizão
Emotivo minuto de silêncio em homenagem a Luizão

Antes de uma coisa é preciso deixar algo bem claro: há uma distância a ser considerada entre as visões do torcedor e do profissional de futebol. O jogo entre Ceilândia e Brasiliense dessa tarde deixa isso bem evidente. Não foi um jogo bom de assistir. Os profissionais provavelmente gostaram do resultado.

Ceilândia foi impedido de filmar para dar lugar ilustres torcedores do Brasiliense. Desalojados de sua própria casa.
Cinegrafista do Ceilândia foi impedido de filmar para dar lugar ilustres torcedores do Brasiliense. Desalojados de sua própria casa.

Os times começaram se estudando. O respeito era mútuo. Ambos marcavam de sua intermediária para trás e não arriscavam no ataque. Nesse cenário, o único risco que os times corriam era em bolas paradas. Numa dessas, o travessão  salvou o Ceilândia.

Filipe fez a sua melhor partida em meses: esperança de um futuro melhor
Filipe fez uma partida discreta para o seu potencial, mas  a sua melhor atuação em meses: esperança de um futuro melhor

Esse cenário perdurou até a primeira pausa para hidratação.  Depois disso o Brasiliense tomou para si a iniciativa do jogo, mas sem arriscar-se defensivamente. As jogadas eram previsíveis e ninguém arriscava qualquer jogada que pudesse expor a sua defesa. 

Sem inspiração, os times abusaram da bola aérea. O Ceilândia, nem isso
Sem inspiração, os times abusaram da bola aérea. O Ceilândia, nem isso

Artur e o goleiro do Brasiliense foram expectadores do jogo no primeiro tempo. Esperava-se que o cenário mudasse no segundo tempo. Não mudou, ao menos para o Ceilândia. O Brasiliense voltou com maior volume de jogo, mesmo assim atacava com poucos homens, temendo o contra-ataque alvinegro. 

Romarinho pouco pode fazer contra a boa defesa do Brasiliense
Romarinho pouco pode fazer contra a boa defesa do Brasiliense

O Ceilândia, a seu turno, não incomodava. É correto dizer que o Brasiliense tinha uma estratégia ofensiva que exigia uma boa posse de bola. O Ceilândia dependia de poucos toques e do contra-ataque. 

A defesa do Ceilândia teve mais trabalho que a do Brasiliense em um jogo chato
A defesa do Ceilândia teve mais trabalho que a do Brasiliense em um jogo chato

O jogo seguiu amarrado, com a defensiva alvinegra controlando as ações ofensivas do Brasiliense, até os 27 minutos. Foi quando brilhou a estrela de Artur. Na primeira, o goleiro alvinegro fez bela defesa no cabeceio do atacante amarelo. Aos 44, Artur fez outra bela defesa, em ambas salvando gols certos.

Nos lances cruciais a trave ou Artur salvaram o Ceilândia
Nos lances cruciais a trave ou Artur salvaram o Ceilândia

O Ceilândia, a seu turno, em todo o jogo, desferiu três chutes em direção à meta adversária. Nos três, com Emerson, Romarinho e Michel, o chute saiu torto. 

No final, para a tristeza dos poucos torcedores alvinegros, o Ceilândia parecia contente com o empate. Aos olhos do torcedor, a decepção de quem sabe que se tivesse que existir um vencedor esse vencedor seria o Brasiliense. Aos olhos frios do profissional, a certeza de que um ponto pavimenta a classificação para a próxima fase. 

Clécio e Bruno Morais tentaram a marcação alta e não conseguiram

Sete pontos separam Ceilândia e Brasiliense

Seu Luizão trabalhou no Brasiliense antes de se transferir para o Ceilândia (Crédito:Brasiliense FC)
Seu Luizão trabalhou no Brasiliense antes de se transferir para o Ceilândia (Crédito:Brasiliense FC)

Sete pontos separam Ceilândia e Brasiliense. Fora de campo, os times se unem no lamento em face da perda de Luiz Antonio, o Seu Luizão, 57 anos. Seu Luizão trabalhou foi roupeiro do Brasiliense antes de vir para o Ceilândia. 

O Ceilândia sabe que terá pela frente um adversário difícil de ser batido. Líder da competição com 19 pontos, o Brasiliense vem de vencer o Paranoá por  2 x 0 no último final de semana. O Ceilândia tenta levantar a poeira em face dos últimos eventos.

Seu Luizão em seus domínios: o vestiário.

Para os lados da cidade do Gato esperam-se mudanças. O Ceilândia não admite perder e quando perde as mudanças normalmente ocorrem. Faz parte do processo de maturação do elenco. Espera-se que as mudanças, se vierem, que não sejam drásticas.

Didão cuidou do seu lado e foi importante no apoio a Liel nos primeiros minutos
Últimos anos: Muito equilíbrio entre Ceilândia e Brasiiense

Adelson a princípio não tem problemas físicos no elenco. Ao contrário, Matheuzinho está treinando com desenvoltura e espera-se que venha a ser aproveitado em breve.

O jogo acontece no Estádio Regional, às 16h, com público.

Related Images:

Hora de esquecer o passado, unir e seguir adiante

Ceilândia e Brasiliense no clássico da cidade nº 37

Ceilândia e Brasiliense se enfrentaram 3 vezes em 2016: jogos sempre duros
Ceilândia e Brasiliense se enfrentaram 3 vezes em 2016: jogos sempre duros

Sem tempo para lamentar o tropeço do último sábado diante do Luverdense, o Ceilândia já se prepara para o confronto deste meio de semana diante do Brasiliense. 

Gilvan pelo Brasiliense, Gabriel pelo Ceilândia: histórico de jogadores vestirem ambas as camisas
Gilvan pelo Brasiliense, Gabriel pelo Ceilândia: histórico de jogadores vestirem ambas as camisas

O confronto entre Ceilândia e Brasiliense inicia a série de jogos do Gato Preto contra os líderes da competição: Brasiliense, Gama, Ceilândia e Paracatu. Atualmente 7 pontos separam Ceilândia e Brasiliense.

Hora de esquecer o passado, unir e seguir adiante
Hora de esquecer o passado, unir e seguir adiante

O clima no Ceilândia sempre fica pesado depois de uma derrota. É natural que assim seja, mas é preciso seguir em frente. O time tem condição de dar a volta por cima.

técnico Adelson de Almeida sabe da importância do jogo. A derrota do último sábado incomodou pelo resultado em si. A atuação do time não foi ruim, apenas esteve um pouco abaixo do exigido para o nível da competição. Agora é sacodir a poeira e dar a volta por cima. Nada como uma sequencia difícil de jogos para esquecer o ocorrido.