Tag: Ceara

Copa São Paulo – Triste despedida: Ponte Preta 5×1

Matheus fez grandes defesas e foi um dos destaques positivos do Ceilândia na Copa São Paulo
Matheus fez grandes defesas e foi um dos destaques positivos do Ceilândia na Copa São Paulo

O Ceilândia se despediu da Copa São Paulo 2019 com três derrotas. Pior: nesta quarta, debaixo do sol escaldante de Andradina, o Gato Preto foi goleado pela Ponte Preta por 5 x 1, com todos os gols marcados no primeiro tempo.

Ceilândia teve muita dificuldade na transição defesa para ataque, mas…

O jogo começou com o Ceilândia procurando a iniciativa, mas demonstrando as mesmas dificuldades na transição que demonstrou ao longo de sua preparação. Não demorou para que a Ponte Preta assumisse o controle da partida e começasse a criar uma situação de gol após a outra.

… Ponte Preta não teve dificuldade para passar pelo Ceilândia

Apesar do domínio e das chances de gol perdidas, a Ponte Preta somente veio a marcar o seu primeiro gol com a ajuda da arbitragem. Pênalti inexistente cobrado por Lyncon. Matheus ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir o gol da Ponte Preta.

Ceilândia teve enormes dificuldades defensivas nas duas laterais.

Dois minutos depois e a Ponte fez o segundo quando Sales fez contra a própria meta.  O Ceilândia não se encontrava. Era incapaz de trocar dois passes. Na defesa, tentava uma marcação que concentrava seus jogadores na intermediaria. Mais fortes fisicamente, os jogadores da Ponte ganhavam todas as bolas longas nos espaços deixados às costas dos zagueiros.

Defesa levou vantagem apenas nas bolas paradas. Com a bola rolando, a Ponte entrava como queria

Resultado: a Ponte Preta fez o terceiro, o quarto e o quinto com Vinicius. Nesse momento temia-se sinceramente por uma catástrofe de proporções assustadoras. Por sorte, na sequencia, Kennedy diminuiu.

Léo Roquete fez algumas modificações no time: nada deu certo

Por sorte, a Ponte Preta tirou o pé do acelerador ou o Ceilândia se encontrou nas substituições realizadas. O fato é que o jogo terminou em 5 x 1.

Ceilândia melhorou no segundo tempo, mas o jogo já estava decidido

Resultados como estes deixam marcas profundas e se fica com a impressão que o Gato Preto nem teria ido tão mal assim contra Ceará e Andradina. No primeiro jogo, dominou seu adversário em boa parte do jogo. No segundo, tivera o azar de no primeiro ataque do adversário em cada tempo sofrer o primeiro e segundo gols.

Abdio entrou bem: vítima de um time que não encontrou sua vocação

Os dois primeiros resultados podem ser debitados ao futebol. Por vezes você precise que o futebol conspire a seu favor.   Três derrotas, contudo, exige maiores reflexões.

A imagem do jogo: Vinicius faz mais um gol. Fácil demais

Em qualquer situação, a campanha na Copa São Paulo não apaga o título candango. Não apaga, mas indica que algo deu errado, muito errado.

 

Campeão do DF, Ceilândia busca terminar a Copinha da melhor maneira possível

Ceilândia se despede da Copa São Paulo: União colocada à prova

O Ceilândia chega à última rodada da fase de classificação da Copa São Paulo com os fantasmas das duas derrotas anteriores. É uma momento que não importa o quanto os fantasmas da Ponte Preta também a assustam. Ao Ceilândia, contudo, incumbe cuidar dos seus próprios fantasmas.

O Campeão do Distrito Federal tem apenas um objetivo: terminar a competição da melhor maneira possível. Os meninos merecem um fecho um pouco melhor pelo que fizeram em 2018, por eles próprios e para quem torce pelo Ceilândia e por eles próprios, comissão técnica e jogadores. Ninguém vai apagar o título de 2018.

O Técnico Léo Roquete afirmou que o time está bem, está tranquilo para o jogo de hoje, 13:45. Alguns jogadores sentiram mais que outros, mas a Comissão afirma que todos estarão em condições de buscar um resultado positivo contra a Ponte Preta.

 

Copa São Paulo: Ceilândia enfrenta Ponte Preta nesta quarta

Gleyton e Leo Roquete tem a missão de fazer o Ceilândia dar a volta por cima

Um gol cedo, um gol em momentos críticos de um jogo muda toda a história de uma partida.  O time de juniores do Ceilândia que disputa a Copa São Paulo bem sabe agora o que isso significa.

Um erro na saida de bola custou o primeiro gol do Andradina

Na partida decisiva contra o Andradina, o Gato Preto sofreu o primeiro gol logo aos 8 do primeiro tempo após errar na saída de bola. Depois equilibrou o jogo e chegou a criar algumas chances. Não fez. Veio o segundo tempo e sofreu o segundo gol logo no começo. Daí em diante a história do jogo estava selada.

Contra a Ponte, Ceilândia terá chance de melhorar a impressão

Nesta quarta, o Ceilândia enfrenta a Ponte Preta. O time paulista tem 2 pontos. Para o Ceilândia é a oportunidade de mostrar que os resultados adversos não condizem com a qualidade do time e de quebra entregar a lanterna na mão do adversário.

Ceilândia sofreu contra o Andradina. Agora terá a Ponte Preta pela frente

O jogo é decisivo para a classificação do grupo 1. O Ceilândia sem maiores responsabilidades deve jogar mais solto contra um adversário que ainda não venceu e, se vencer, transforma Andradina x Ceará em jogo eliminatório. O Gato Preto deve, por isso, contar com a torcida local e a torcida do Ceará. Se a Ponte vencer o Ceilândia por 2 ou mais gols de diferença estará automaticamente classificada.

Se o Ceilândia vencer a Ponte Preta foge da lanterna do grupo e conquista seus primeiros pontos em duas participações na Copa São Paulo. Em 2008 o Ceiländia sofreu trës derrotas: 0x3 Corinthians, 0x1 America-SP e 1×3 Sorriso-MT. Uma vitória contra a Ponte pode significar muito para o Gato Preto.

Copa São Paulo: Andradina elimina o Ceilândia

Matheus faz a cobertura: evitou o pior

O Ceilândia já não tem mais chances de se classificar à segunda fase da Copa São Paulo. O Gato Preto foi derrotado pelo Andradina e acumulou duas derrotas em dois jogos.

Leo Roquete assiste disputa de bola: Andradina foi melhor

O jogo foi disputado na tarde deste domingo na Cidade Paulista. O Andradina empurrado pela torcida local, que lotou o Estádio Municipal, começou melhor. Com um futebol de toque e aproximação, o time local começou melhor e teve a fortuna de marcar um gol logo no início do jogo: Amaral fez 1×0 logo aos 8.

Vagalume perdeu um penalti, mas fez o terceiro do Andradina

Com o gol e empurrado pela torcida, o Andradina continuou melhor e, embora tivesse maior volume de jogo, não conseguiu transformar esse volume em oportunidades de gol.

Abdio deu trabalho para o Andradina, mas o ataque era pouco apoiado

O Ceilândia aos poucos foi se assentando no jogo. Depois do tempo técnico, o Ceilândia passou a ter mais posse de bola. Faltava, contudo, o último toque. O Ceilândia até ofereceu perigo ao Andradina, mas nada de muito concreto.

Ceilândia teve algumas chances, mas sempre mascadas

Veio o segundo tempo e o jogo recomeçou equilibrado. Um contra-ataque, contudo, selou o destino do Ceilândia. Cássio Piaui fez um belo gol e fez Andradina 2 x 0.

As alterações feitas mudaram, para melhor, a maneira de jogar do Ceilândia, mas as chances continuaram escassas

O Ceilândia sentiu o golpe. O Andradina poderia ter marcado o terceiro com Vagalume, em penalti marcado pela arbitragem. Matheus fez bela defesa e evitou o terceiro gol do Andradina.

Aos 33, Matheus nada pode fazer e Vagalume se redimiu do penalti perdido para fazer 3 x 0. Matheus ainda salvou mais um gol com bela defesa. O Ceilândia lutou, tentou diminuir a diferença, mas não conseguiu.

Gleyton e Leo Roquete assistem desolados a derrota do Ceilândia

O resultado dá a exata dimensão do jogo de hoje. O Andradina de fato foi melhor, muito disso em face de ter achado o primeiro gol logo no começo do jogo e o segundo gol logo no começo da segunda etapa. Ao Ceilândia resta lutar pela honra contra a Ponte Preta.

Copa São Paulo: Pressionado, Ceilândia enfrenta o time da casa

O time de juniores do Ceilândia faz hoje, às 13h45, o seu segundo jogo na Copa São Paulo 2019. O adversário será o Andradina, anfitrião do Grupo 1. O adversário vem de empate em 1×1 com a Ponte Preta. Isso torna o jogo decisivo para o Ceilândia.

O Gato Preto fez uma boa partida, mas perdeu na estreia. Precisa de um resultado positivo neste domingo sob pena de se ver eliminado da competição. Para conseguir resultado positivo o Campeão do Distrito Federal precisará vencer um adversário de que deve ser empurrado pela sua torcida e, mais que isso, que mostrou contra a Ponte ter um excelente toque de bola.

Ceilandia vai precisar vencer um adversário que mostrou ser muito forte

O Ceilândia, a seu turno, precisará mostrar uma consistência que lhe faltou na partida contra o Ceará. No primeiro jogo, o Ceilândia fez 75 minutos de bom futebol, mas se perdeu nos minutos finais do primeiro tempo e voltou desconcentrado para o segundo. Isso lhe custou caro. O time mostrou qualidades, mas sabe agora que na Copa São Paulo quem piscar primeiro perde.

 

Copa São Paulo: Ceilândia perde na estreia. No domingo, outra pedreira

Ceilandia e Ceará fizeram um jogo muito disputado

O Ceilândia fez uma surpreendentemente boa apresentação nesta tarde de forte calor em Andradina, mas ainda assim saiu de campo derrotado pelo Ceará na estreia da Copa São Paulo 2019.

Abdio foi muito bem marcado e não teve chances.

O Gato Preto sofreu na fase de preparação com as dificuldades apresentadas na transição da defesa para o ataque. Humilde, sabendo de suas limitações, o Ceilândia tomou a iniciativa das ações. Procurava fazer o simples e evitava as ligações diretas.

Muriel fez boa partida, mas sofreu quando o Ceilândia utilizou ligações diretas

Com isso, o Ceilândia passou a rondar a área de defesa do Ceará, mas conquanto desse a impressão de que a qualquer momento poderia sair na frente do marcador, não criou situações claras de gol.

Ceilandia teve a iniciativa do jogo, mas nao criou situacoes claras de gol

Passados os movimentos iniciais, o Ceará equilibrou as ações e o jogo ficou preso de intermediária a intermediária. Ninguém criava situações calras de gol e os dois times trocavam ataques.

Tudo mudou a partir do minuto 40 do primeiro tempo. O Ceilândia passou a errar muito na saída de bola. Pior: o Ceilândia tinha dificuldade para conter a transição na esquerda de ataque do Ceará.  Resultado: nos acréscimos o Ceará perdeu ao menos duas boas oportunidades de sair ã frente do marcador.

O Ceilândia parecia ter relaxado e esquecido que na Copa São Paulo qualquer vacilo é castigado. Veio o intervalo e a esperança de que o Ceilândia viesse mais atento e recuperasse o jogo de toque do início do jogo.

Ceilandia foi melhor quando jogou simples. Quando ganhou confiança, o Ceará foi melhor

Não foi isso que aconteceu. Antes dos 30 segundos da etapa inicial, puxou o contra-ataque pela esquerda de defesa do Ceilândia e fez 1 x 0. O Ceilândia sentiu o golpe e demorou  para se acertar em campo.

Aos 24 do segundo tempo, quando o Gato Preto ensaiava retomar as ações, Henrique em contra-ataque fez Ceará 2 x 0.

Ceilandia diminuiu no final, mas ja não dava mais tempo

O gol pareceu ter acomodado o Ceará. Depois disso, o Ceilândia assumiu completamente as ações e passou a rondar a meta adversária. Aos 42, o Gato Preto diminuiu com Sales. O Ceilândia partiu para o abafa, mas não conseguiu criar situações claras de gol, salvo em duas faltas ou em um belo chute de Vitor.

A derrota deixa algumas lições. A principal delas é que os meninos do Ceilândia são guerreiros. Isso basta.

Copa São Paulo: o maior desafio

Os juniores embarcam para São Paulo às 17h deste primeiro dia do ano (erramos na primeira postagem dizendo que o embarque seria ontem) Na bagagem, a esperança de uma boa campanha.

Serão quase 24 horas de viagem até Andradina, no Oeste Paulista, onde o time estréia depois de amanhã.

Atual campeão do DF, Juniores do Ceilândia estreiam quinta-feira na Copa São Paulo

Campeão do DF: Juniores terão grupo difícil

O Grupo do Ceilândia na Copa São Paulo será muito difícil. O Gato Preto sabe o tamanho da dificuldade. Na fase de preparação o Ceilândia pôde medir forças contra dois adversários que estarão na competição: Trindade e Vila Nova.

Há sempre a preocupação com uma boa campanha. A se tirar pelos resultados contra Trindade e Vila Nova os analistas acreditam que o Gato Preto não é um dos favoritos, mas também não está na parte de baixo da tabela.

Gato Preto venceu um jogo e empatou outro contra o Trindade.

Na preparação: 1 vitória, 1 empate e 2 derrotas

O Ceilândia enfrentou o Trindade duas vezes. Venceu a primeira no Goiás por 1 x 0 e empatou a segunda, em casa, em 1 x 1.

Os resultados podem não significar muita coisa, mas são um sinal de que o Ceilândia tem um bom time. O Gato Preto sofreu no segundo jogo, uma partida equilibradíssima contra um Trindade que é definitivamente um bom time.

A diferença de nível pode ser sentida nos desafios contra o Vila Nova: dois jogos, duas derrotas

Ceilândia fez jogos difíceis contra o Vila Nova: que foi sempre melhor

Vila Nova: a maior lição

A maior lição veio nos confrontos contra o Vila Nova-GO. O time goiano, tecnicamente está no mesmo nível do Ceilândia, mas mostrou algo que o Gato Preto precisa estar preparado: a força física.

O Vila Nova é um time que estava um nível acima do Ceilândia na fase de preparação. Apresentou ao Gato Preto um estilo de jogo para o qual precisa estar preparado.

O Ceilândia não fez feio. Os jogos foram equilibrados, mas era no detalhe que o Vila mostrava sua superioridade. Na Copa São Paulo, o Gato vai precisar superar esse tipo de jogo com concentração. Técnica o time mostrou possuir.

Gleyton Arianni e equipe da BTN

Fé na comissão Técnica

O trabalho da Brasília Novos Talentos com Gleyton Arianni e Leo Roquete tem sido fantástico. Apenas este ano, o Ceilândia sagrou-se campeão nos juniores e no juvenil.

O trabalho que levou o time a Copa São Paulo começou bem antes e passou pela disputa do  Karel Stegeman International Youth Tournamen na Holanda.

A competência da Comissão Técnica e os resultados na fase de preparação dão a certeza de que o Ceilãndia pode fazer uma boa campanha. Não é o favorito, mas é um time humilde, com boa técnica e que precisa ser respeitado.

Os adversários

Ceilândia terá Adversários de peso na fase de grupo

O Ceilândia estreia contra o Ceará. O adversário remodelou a equipe e essa é a única boa notícia para o Ceilândia. O time cearense contou com competições ao longo do ano algo que lhe permite chegar na Copa São Paulo com um pouco mais de ritmo de jogo que o Gato Preto.

A segunda partida do Ceilândia será contra o Andradina. O adversário vem treinando para a Copa São Paulo há seis meses. Nesse período realizou diversos amistosos.

Por fim, o Gato Preto enfrenta a Ponte Preta, esta sim a grande favorita do grupo. O time de Campinas foi bem no Estadual e vem de excelentes resultados na fase de preparação.

O Ceilândia venceu apenas um jogo na Copa do Brasil. E foi fora de casa!

Hora de subir um degrau

O Ceilândia venceu apenas um jogo na Copa do Brasil. E foi fora de casa!
O Ceilândia venceu apenas um jogo na Copa do Brasil. E foi fora de casa! Bahia em 2006.

O Ceilândia tem feito boas campanhas em competições nacionais, mas tem empacado na Copa do Brasil. A única vez que o time se classificou à segunda fase foi em 2006,  quando passou pelo Bahia e foi eliminado na  fase seguinte para o Fortaleza.

CEC x Fortaleza: empate em casa
CEC x Fortaleza: empate em casa e derrota em Fortaleza.

Nas últimas participações, o Ceilândia foi eliminado ainda na primeira fase  por Caxias, Ceará e ABC. Está na hora de passar de fase.

Em 2011, o Ceí foi derrotado em casa pelo Caxias
Em 2011, o Ceí foi derrotado vergonhosamente em casa pelo Caxias

O jogo de hoje é importante também pelo aspecto econômico. Dos times de ponta do Distrito Federal, o Ceilândia é o único sem um aporte financeiro direto. Luta diariamente para manter as contas minimamente em dia. A premiação da Copa do Brasil traria alguma tranquilidade. É talvez, por isso, o jogo mais importante do ano, tanto para o clube quanto para os jogadores.

Cassius teve boa oportunidade em 2013 contra o Ceará: 0 x 0
Cassius teve boa oportunidade em 2013 contra o Ceará: 0 x 0 em casa e derrota por 4 x 3 fora.

Adelson de Almeida não tem problemas para montar a sua equipe. O pouco que se sabe sobre o adversário indica que é um time ainda em formação e que, por isso, tem alternado bons e maus resultados no campeonato local. Sabe-se, por óbvio, da força da camisa, mas o Ceilândia  não pode se dar ao luxo de ser mais uma vez eliminado na primeira fase da Copa do Brasil. 

Didão: o Capitão deve voltar contra o Taguatinga
Ano passado, empate em casa por 1 x 1 e eliminação diante do ABC

Promessa de jogo tenso até porque somente a vitória interessa. Ingressos a partir de 15 reais a meia. Bilheterias abrirão às 15h.

Data&Horario Comp. Mandante Visitante Placar Final
22.02.2006 a(os) 20:30 Copa do Brasil / Primeira Fase Ceilândia Esporte Clube Bahia 0 – 0
08.03.2006 a(os) 19:00 Copa do Brasil / Primeira Fase <>Bahia Ceilândia Esporte Clube 1 – 2
15.03.2006 a(os) 21:45 Copa do Brasil / Segunda Fase Ceilândia Esporte Clube Fortaleza 1 – 1
05.04.2006 a(os) 19:00 Copa do Brasil / 2a Fase – volta Fortaleza Ceilândia Esporte Clube 3 – 1
16.02.2011 a(os) 16:00 Copa do Brasil / 1a fase – ida Ceilândia Esporte Clube Caxias-RS 0 – 5
03.04.2013 a(os) 16:00 Copa do Brasil / 1a fase – ida Ceilândia Esporte Clube Ceará 0 – 0
11.04.2013 a(os) 20:00 Copa do Brasil / 1a fase – volta Ceará Ceilândia Esporte Clube 4 – 3
15.02.2017 a(os) 16:00 Copa do Brasil / 1a fase – jogo unico Ceilândia Esporte Clube ABC 1 – 1
2013: Adelson venceu as fraturas do time, uniu a equipe e a levou à final do returno, mas já era tarde.

No seu jogo 230 dirigindo o Ceilândia, o desafio de repetir Mauro Fernandes

Em 2006: Mauro Fernandes reclama da arbitragem... jogos sempre complicados
Mauro Fernandes levou o Ceilândia à segunda fase da Copa do Brasil em 2006

Adelson de Almeida vai para a sua 9a temporada quase ininterrupta dirigindo o Ceilândia. Nesse período foram 163 jogos oficiais.  

O último treinador a conduzir o Ceilândia, que não Adelson de Almeida,  foi Ricardo Oliveira em 2012 em 3 partidas. De lá para cá, Adelson comandou o Ceilândia em 124 jogos oficiais, com 54 vitórias, 39 empates e 31 derrotas. O aproveitamento do time comandado por Adelson é de 53% de 2012 para cá. Em 2011, Marquinhos Bahia dirigiu o Ceilândia em 4 jogos.

2013: Adelson venceu as fraturas do time, uniu a equipe e a levou à final do returno, mas já era tarde.
Adelson e Dimba tem a missão de levar o Ceilândia à segunda fase da Copa do Brasil 2018

Adelson teve uma primeira passagem pelo Ceilândia entre 2001 e 2003. No total, Adelson de Almeida conduziu o Ceilândia em 229 jogos desde 2001. Desse total, foram 207 jogos oficiais com 82 vitórias, 68 empates e 57 derrotas.

Os bons números do Ceilândia sob o comando de Adelson, contudo, ainda reservam uma boa sorte de desafios em nível nacional. Um deles é repetir o feito do time comandado por Mauro Fernandes em 2006 quando, pela única vez, o Gato Preto passou à segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Bahia, na Fonte Nova, por 2 x 1.

 

Related Images:

No último confronto da Copa do Brasil no Regional o Ceilândia empatou sem gols com o Ceará

Veja possíveis adversários do Ceilândia na Copa do Brasil 2018

No último confronto da Copa do Brasil no Regional o Ceilândia empatou sem gols com o Ceará
Ceilândia pode reencontrar Ceará na Copa do Brasil 2018

O Ceilândia já pode fazer uma projeção de seu possível adversário na Copa do Brasil 2018. O Gato Preto está no pote 6 e o seu adversário deve sair do pote 2.

Na Copa do Brasil 2018, os times do Pote 1 enfrentam o do Pote 5, os do 3 enfrentam os do 7 e os do 4 enfrentam o do 8. 

Assim, o Ceilândia deve enfrentar Figueirense, Atletico-GO, Goiás, Avaí, Santa Cruz,  Paysandu, Ceará, Paraná, Criciúma ou Joinville. 

Luverdense se defende bem e aproveita as chances que cria
Em 2017, Ceilândia enfrentou o ABC e foi eliminado com empate jogando em casa

Desses times, Paraná e Ceará subiram para a Série A.  Ceilândia e Ceará enfrentaram-se pela Copa do Brasil de 2013 quando o Gato Preto foi eliminado depois de empate em 0x0 e derrota em Fortaleza por 4 x 3.

A definição dos potes pode ser alterada caso o Flamengo se sagre campeão da Copa Sulamericana. Nesse caso o Atletico-MG deixaria o Pote 1, o que provocaria um efeito cascata nos demais potes.

POTE 1 POTE 2 POTE 3 POTE 4 POTE 5 POTE 6 POTE 7 POTE 8
Atlético-MG (5º) Figueirense (19º) ABC (31º) América-RN (43º) Santos-AP (69º) Novo Hamburgo (96º) São Raimundo-RR (121º) Tubarão-SC
Botafogo (8º) Atlético-GO (20º) Náutico (32º) Botafogo-PB (45º) Caxias (71º) Ceilândia (97º) Vitória da Conquista (122º) Aimoré-RS
Atlético-PR (9º) Goiás (22º) Juventude (33º) ASA (47º) Madureira (72º) Altos (98º) Brasiliense (145º) Atlético-ES
Internacinal (10º) Avaí (23º) Bragantino (35º) Cuiabá (50º) Caldense (74º) Sergipe (99º) Cordino-MA (157º) Corumbaense-MS
São Paulo (11º) Santa Cruz (25º) CRB (36º) Salgueiro (51º) Boavista (76º) URT-MG (101º) Real Ariquemes-RO (161º) Ferroviário-CE
Fluminense (12º) Paysandu (26º) Oeste (37º) Remo (57º) Aparecidense-GO (78º) Treze (102º) Independente-PA (166º) Floresta-CE
Sport (15º) Ceará (27º) Boa Esporte (38º) CSA (59º) Nacional-AM (80º) Itabaiana (104º) Interporto-TO (167º) Inter de Limeira-SP
Ponte Preta (16º) Paraná (28º) Sampaio Corrêa (39º) Rio Branco (64º) Atlético-AC (81º) Brusque (108º) Dom Bosco-MT (172º) Manaus-AM
Coritiba (17º) Criciúma (29º) Londrina (40º) Ituano (65º) Parnahyba (92º) Sinop (110º) Nova Iguaçu (201º) Novoperário-MS
Vitória (18º) Joinville (30º) Vila Nova-GO (41º) Globo FC (67º) São Caetano (92º) Fluminense-BA (118º) Cianorte (205º) Uberlândia-MG

Um empate e adeus!

Erivelton abre o placar na unica chance criada pelo ABC

O Ceilândia foi superior ao ABC na maior parte do jogo. Isso não é suficiente. Um vacilo e se perde uma classificação.
Jogando na tarde desta quarta, o Ceilândia empatou em 1 x 1 com o ABC de Natal, Rio Grande do Norte, e com isso deu adeus à Copa do Brasil 2017.

Allanzinho poderia ter empatado ainda no primeiro tempo

O Ceilândia foi melhor na maior parte do primeiro tempo, mas não tinha volume de jogo. O time parecia um tanto quanto apático contra um adversário que o atraia para seu campo de defesa.
O jogo ficou amarrado porque o ABC se limitava a se defender, enquanto o Ceilândia não tinha inspiração. O acaso, em circunstâncias como estas, desempenha um papel relevante.

Romarinho esta crescendo de produção

Aos 27 da primeira etapa, Badhuga tentou proteger a bola para que saísse pela linha de fundo. Foi traído e Erivelton recebeu em condições de abrir o marcador para o ABC. Foi o único chute do ABC em todo o jogo.
É verdade que, após sofrer o gol, o Ceilândia passou por uns 5 minutos de instabilidade. Recuperou a iniciativa do jogo no final da primeira etapa, mas era um time morno, sem intensidade.

Helivelto empatou cobrando penalti

O panorama do jogo mudou no segundo tempo. O Ceilândia entrou mais vivo e prendeu o ABC próximo a sua área, ainda sem inspiração.

Adelson mexeu e colocou Filipe Cirne e Michel e quatro minutos depois Romarinho foi derrubado dentro da área.

Ceilandia pressionou nos minutos finais

Penalti cobrado por Helivelto e empate em 1 x 1.
O Ceilândia continuou pressionando e as chances foram aparecendo.

Primeiro, Michel errou o cabeceio na linha da pequena área. Depois, Kabrine encheu o travessão da meta abecedista. Por fim, Romarinho fez grande jogada pela esquerda, mas a conclusão saiu torta.

Gato foi para o abafa: bola no travessao e chance desperdiçada

No final, empate em 1 x 1. A torcida, que questionou muito no intervalo compreendeu que o time lutou bastante e que a vitória não veio por detalhes. Nada disso realmente importa, na verdade. O Ceilãndia está eliminado da Copa do Brasil. Agora é voltar os olhos para o Campeonato Candango. No domingo, o Gato Preto enfrenta o Luziânia.

Cassius teve boa oportunidade em 2013 contra o Ceará: 0 x 0

Copa do Brasil: Só a vitória interessa

Em 2011, o Ceí foi derrotado em casa pelo Caxias
Em 2011, o Ceí foi derrotado em casa pelo Caxias

O Ceilândia tem um grande desafio na tarde desta quarta-feira: vencer o ABC para passar de fase na Copa do Brasil. O regulamento da competição dá a vantagem do empate à equipe potiguar, melhor ranqueada na CBF.  

É um desafio e tanto se se considerar que o Ceilândia jamais venceu jogando a Copa do Brasil em casa.  Em quatro jogos foram 3 empates (Bahia, Fortaleza e Ceará) e 1 derrota (Caxias).

Cassius teve boa oportunidade em 2013 contra o Ceará: 0 x 0
Cassius teve boa oportunidade em 2013 contra o Ceará: 0 x 0

O Ceilândia ainda não divulga a sua escalação.  Adelson tem o desafio de trazer uma equipe equilibrada, algo difícil no início de temporada quando o time oscila muito. Com a volta de Badhuga, a defesa melhorou bastante, mas Adelson ainda tem dúvidas quanto a melhor formação. Meio e ataque são os maiores problemas.

Muito se especula se o Ceilândia promoverá o retorno de Wallinson e Matheuzinho, ou mesmo as entradas de Kabrine ou Michel.  A princípio, Adelson não deverá fazer mudanças no time que vem jogando, salvo aquelas estritamente necessárias (contusão ou suspensão)

A Comissão Técnica afirma conhecer pouco sobre o ABC. As informações trazidas indicam ser um time técnico, de posse de bola, com bons chutes de entrada de área, mas ainda em formação.  Independente disso, jogo de início de temporada é sempre um jogo imprevisível.

 

Related Images:

Dudu, Badhuga e Didão são remanescentes do time de 2013

Ceilândia retoma trabalhos: ABC pela Copa do Brasil

No último confronto da Copa do Brasil no Regional o Ceilândia empatou sem gols com o Ceará
No último confronto da Copa do Brasil no Regional o Ceilândia empatou sem gols com o Ceará

O Ceilândia retorna à Copa do Brasil depois de três anos Nesta quarta, 16h, no Regional, o Gato Preto enfrentará o ABC de Natal pela primeira fase da competição nacional de 2017.

O time potiguar vem de uma sequencia de bons resultados com vitórias de 3 x 0 sobre o Itabaiana e goleada por 5 x 1 contra o Potiguar de Mossoró. No último sábado, contudo, o ABC sofreu com a forte defesa do CRB (e com a trave) e empatou sem gols com o time alagoano.

Dudu, Badhuga e Didão são remanescentes do time de 2013
Dudu, Badhuga e Didão são remanescentes do time de 2013: empate em casa (0x0) e derrota em Fortaleza (3×4) para o Ceará

Na Cidade do Gato há a certeza de que o time ainda está longe do ideal. Conquanto não se procure retirar os méritos da vitória sobre o Sete, a Comissão Técnica sabe que o time matogrossense pagou o um preço muito alto por ter jogado na quarta e pela difícil viagem de Dourados até Brasília. Isso se notou no segundo tempo.

 Então, é preciso daro devido peso. Além disso, o ABC vem de uma sequencia de bons resultados, fator que muda em muito a análise.

A Diretoria e Comissão Técnica procuram evitar falar sobre a importância do jogo. Fora de campo, contudo, sabe-se que esse jogo vale muito mais para o Ceilândia que para o ABC. Passar de fase na Copa do Brasil dará ao Ceilândia uma tranquilidade orçamentária excepcional.

Nesta segundo, os atletas passarão por avaliação física e farão treino leve.

Related Images:

CEC luta, mas Ceará vence: 4 x 3

Clécio abre o marcador para o CEC. O  empate veio em seguida
Clécio abre o marcador para o CEC. O empate veio em seguida

Não foi a partida dos sonhos do Ceilândia. Jogando no Estádio Castelão, em Fortaleza, o CEC foi eliminado pelo Ceará e está fora da Copa do Brasil 2013.

O CEC pagou o preço de iniciar mal, tanto o primeiro quanto o segundo tempo.

Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos
Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos

O Ceará começou a todo o vapor, pressionando o Ceilândia e progredindo em velocidade. O CEC parecia não ter o tempo da bola, perdia todas as primeiras bolas e não encontrava o adversário.

Mesmo assim, a sorte sorriu para o Ceilândia. No primeiro ataque, Clécio cabeceou, Fernando Henrique defendeu e o mesmo Clécio abriu o marcador para o Gato.

Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente
Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente

Não houve tempo para comemorar. No primeiro ataque seguinte, o Ceará empatou com Lulinho num belo arremate de fora da área.

O Ceará continuou melhor, mas não conseguia traduzir essa superioridade em oportunidades de gol. Foi necessário que Ricardinho visse Magno Alves e realizasse um cruzamento perfeito para que o o atacante colocasse o Ceará em vantagem 2×1.

Após o segundo gol o CEC melhorou, equilibrou o jogo, mas não criou qualquer oportunidade de gol.

Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu
Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu

Veio o segundo tempo e esperava-se que o Ceilândia voltasse melhor. Ledo engano. O time voltou como começara o primeiro tempo. O castigo não tardou: Aos 6 minutos, Potiguar acertou um chutasso de fora da área: Ceará 3 x 1.

O CEC foi para o ataque e teve seguidas chances para diminuir.Na primeira, Alisson chutou e a bola chocou-se com a trave direita de Fernando Henrique. Na sequencia, o mesmo Alisson foi travado na hora H. Náo demorou muito e Alisson, novamente  bateu forte à direita do gol do Ceará. Como o CEC não aproveitou o Ceará fez: Vicente e Ceará 4 x 1.

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu

O jogo não estava definido. Adelson fez três alterações, colocando Elvis, Dimba e Rosembrick. O Ceilândia era só ataque.
Deu certo. Tão logo a bola saiu, bela jogada entre Cassius e Rodriguinho e o meia fez um belo gol. O Gato estava vivo!

Daí prá frente só deu Ceilândia. Aos 34, Cassius fez bela triangulação com Rosembrick e Elvis e bateu forte de perna esquerda diminuindo ainda mais a vantagem do Ceará: 4 x 3

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
CEC fez um jogo atípico. Agora é pensar no Metropolitano

A torcida do Ceará entrou em desespero, a do Ceilândia idem. O CEC passou a rondar a área do Ceará com perigo e esteve ao menos duas vezes perto de empatar. Nào foi possível.

No final, o resultado fez justiça ao melhor futebol apresentado pelo Ceará. O Ceilândia terá que se penitenciar pelo mau começo de primeiro e segundo tempos. Agora, o alvinegro candango volta os seus olhos para o Metropolitano. Ali, o CEC ainda tem chances.

Related Images:

Fortaleza, Copa do Brasil: Sete anos depois…

Sete anos depois, o CEC é um time diferente
Sete anos depois, o CEC é um time diferente

Sete anos depois, o Ceilândia retorna a Fortaleza. Tal qual em 2006, o CEC empatou a partida de ida. Naquele ano, embora tenha jogado bem, o CEC saiu de campo derrotado por 3 x 1 e eliminado da Copa do Brasil.

Em 2006, o CEC fez tudo direitinho, mas esbarrou na falta de pontaria de seus jogadores. O time suportou a pressão inicial do time Cearense, perdeu boa oportunidade com Perez, não permitiu ao adversário gostar do jogo, mas viu o árbitro marcar um penalti aos 41 do primeiro tempo: Rinaldo fez o primeiro gol do Fortaleza.

Veio o segundo tempo e o CEC manteve o bom nível do seu futebol, mas viu Adriano ser expulso. Minutos depois, tomou o segundo gol, não se abateu e diminuiu com Abimael. Em seguida foi só pressão alvinegra. Bola na trave, gols perdidos e o castigo no minuto final com o terceiro gol do Fortaleza.

O futebol tem uma máxima: os vencedores comemoram, os perdedores justificam. O Ceilândia justifica aquela derrota até hoje.

Para a partida desta noite, o técnico Adelson de Almeida não tem problemas, mas pode sofrer alterações pontuais para ganhar velocidade. Adelson confia muito no seu sistema defensivo e na qualidade de seus atacantes, mas sabe que o Ceará é o favorito.

Dimba, Cassius e Rodriguinho são as esperanças alvinegras de fazer uma maldade contra o Ceará tal como Paraná e Central fizeram nos últimos anos. Adriano, o último remanescente do time de 2006, viajou com o elenco. Agora, é torcer…

Related Images: