Tag: Ceara

Partiu! Missão complicada pela Copa do Brasil

André Nunes em ação: defesa confia na proteção dos volantes
André Nunes em ação: defesa confia na proteção dos volantes

A experiência mesclada com a juventude tem sido o grande trunfo do Ceilândia nessa maratona decisiva. Nem bem acabara o jogo contra o Brasília, o Ceilândia se via obrigado a deixar de lado o Metropolitano e focar na Copa do Brasil. A experiência conta nessas horas.

Nessa quarta-feira, o Ceilândia vai ter um jogo complicado diante do Ceará em Fortaleza. O alvinegro cearense continua sem sofrer gols e também fez as pazes com a vitória, tal qual o alvinegro candango.

Ceará segurou o CEC no Regional: jogo ainda mais complicado no Castelão
Ceará segurou o CEC no Regional: jogo ainda mais complicado no Castelão

A delegação do Ceilândia segue para Fortaleza confiante em um bom resultado. Jogadores rodados como Dennys, Marcelo Costa, Cleber, Dimba, Didão, Clécio, Rodriguinho e Cassius formam a base do elenco que terá a difícil missão de se classificar à segunda fase da competição.

Muito dessa esperança está no retrospecto do Ceilândia e o fato de haver, em 2006, eliminado o Bahia na Fonte Nova vencendo por 2 x 1.  O problema é que o Ceará já mostrou que é um time que não se desespera com a bola no pé, só parte para o ataque em segurança e terá as condições perfeitas para o seu tipo de jogo no Castelão.

Se Dimba não puder jogar, Cassius é opção
Se Dimba não puder jogar, Cassius é opção

Adelson não tem problemas: os jogadores mais experientes têm se revezado. Isso garante que estejam em boa forma física para amanhã. A principal dúvida do técnico está no ataque: Dimba, Cassius ou o veloz Vitinho.

O técnico Adelson de Almeida é mais reticente quanto às expectativas. Conversando com o CeilandiaEC disse que a grande preocupação é manter o time equilibrado, principalmente quando tiver a posse de bola. O Ceará é fantasticamente veloz nos contra-ataques e está defensivamente sempre equilibrado.

O treinador disse que a disputa está em aberto e que seria prematuro eliminar o Ceilândia antes do jogo. O elenco do campeão do DF é bom e  tem condições de fazer uma boa partida, mas, acrescenta, o favoritismo e a responsabilidade são  do Ceará, pela camisa, pela torcida e por jogar em casa.

Related Images:

O Campeão resiste!

Alisson tem sido muito exigido.
Alisson tem sido muito exigido.

O Ceilândia enfim fez as pazes com a vitória no último sábado. Jogando no Estádio Elmo Serejo, o alvinegro venceu o Brasília por 3 x 1. O resultado mantém as esperanças de classificação para a semi-final do segundo turno do Metropolitano 2013.

A vitória do Ceilândia foi relativamente tranquila.
Adelson de Almeida fez algumas alterações na equipe. Dimba, que fora poupado contra o Ceará,  entrou desde os primeiros minutos. O experiente Cleber entrou no lugar de Clécio. Adelson fez pequenas alterações no esquema tático.
A experiência de Didão vai ser importante nessa sequência decisiva
A experiência de Didão vai ser importante nessa sequência decisiva
O CEC começou melhor e não demorou muito para abrir o marcador. Em jogada pela direita de defesa do Brasília, Elvis foi derrubado na área. Pênalti a favor do Ceilândia e expulsão do zagueiro adversário. Dimba cobrou e abriu o placar aos 16.
Com vantagem no marcador e um homem a mais, o CEC administrou a vantagem ainda no primeiro tempo. A perda de objetividade foi punida aos  38 do primeiro tempo quando  o Brasilia empatou, também de penalti.
Dimba comemora: enfim o CEC vence
Dimba comemora: enfim o CEC vence
O Ceilândia voltou para o segundo tempo com Mario e Clécio nos lugares de Elvis e Marcelo Costa.
As mudanças surtiram efeito.Aos 7, Clécio fez bela jogada pela direita de defesa do Brasília e cruzou para Dimba só empurrar para as redes, Ceilândia 2 x 1.
Clécio entrara muito bem e com espaço fez o que sabe fazer de melhor: chutar de longa distância. Pena que a trave estivesse no caminho.
O Ceilândia permaneceu superior e aos 24, Rodriguinho aproveitou falha da defesa do Brasília para fazer CEC 3 x 1.
Agora o CEC foca o próximo obstáculo
Agora o CEC foca o próximo obstáculo
Com ampla vantagem no marcador, o CEC administrou o jogo. Rosembrick ainda entrou no lugar de Rodriguinho. No final da partida o Brasília teve mais um jogador expulso, mas já não dava tempo para mais nada.
Com a vitória, o Ceilândia sobrevive no Metropolitano 2013. A combinação de resultados não ajudou muito (Capital 3 x 3 Gama e Brazlândia 0 x 2 Ceilandense). O CEC continua na quarta colocação do grupo e somente duas vitórias nos próximos jogos, associadas a uma combinação de resultados, pode dar ao Gato a chance de defender o título de 2012.
 Agora o experiente time do Ceilândia passa a pensar no Ceará e na Copa do Brasil.

Related Images:

Sem ansiedade, CEC gira a chave: Brasília, sábado, 16h, Serejão

Sem tempo para descansar: no sábado CEC x Brasilia 63
Sem tempo para descansar: no sábado CEC x Brasilia 63. Em 2009, CEC 2 x 1

O Ceilândia chegou à fase mais aguda de sua caminhada em 2013. Em 15 dias serão cinco jogos decisivos. Hora de preparar os jogadores mentalmente para os momentos difíceis que virão.

Na primeira das cinco partidas, o Ceilândia foi derrotado pelo Gama por 3 x 1. O resultado pressionou o CEC no Metropolitano 2013.

Na segunda dos jogos, empatou sem gols com o Ceará pela Copa do Brasil 2013. O resultado não foi um desastre, mas foi ruim. O elenco maduro e rodado do Ceilândia vai saber contornar as dificuldades.

Um dos duelos mais equilibrados da história do DF: 22 v do CEC, 17 empates e 23 derrotas
Um dos duelos mais equilibrados da história do DF: 22 v do CEC, 17 empates e 23 derrotas

No próximo sábado, o CEC volta a campo contra o Brasilia. Agora enfrenta o campeão do primeiro turno numa partida decisiva para as pretensões alvinegras. Qualquer resultado que não seja a vitória faz com que  o campeonato local praticamente acabe para o Ceilândia.

De decisão em decisão, o CEC irá a Fortaleza na próxima quarta-feira levando na bagagem a tentativa de reviver o feito de 2006, quando, após empatar sem gols com o Bahia no Estádio Regional venceu o tricolor baiano na Fonte Nova e foi a segunda fase da Copa do Brasil.

Por fim, no sábado, 13 de abril, encerra a maratona de 15 dias jogando contra o Brazlândia. O CEC só chega vivo nesse jogo se for bem nos demais. O time é experiente… vai ser testado mais uma vez.

Related Images:

CEC empata com Ceará e decisão fica para Fortaleza

Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras
Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras

Ceilândia e Ceará empataram sem gols no Estádio Regional de Ceilândia na tarde desta quarta-feira, partida válida pela primeira rodada da Copa do Brasil 2013.

Como esperado, foi um jogo tático. Tanto Ceilândia quanto Ceará demonstraram nos últimos jogos que são equipes fortes defensivamente e disciplinadas taticamentes. Se essas virtudes são iguais, os defeitos também: as duas equipes possuem dificuldade no último passe.

E foi isso que se viu nesta tarde.

Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado
Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado

O primeiro tempo mostrou um Ceilândia levemente superior, ou ao menos com mais iniciativa. O Ceará, fiel ao seu esquema tático, esperava por um erro da defensiva alvinegra. Esse erro não ocorreu.

O primeiro tempo transcorreu sem muitas emoções, mas foi nessa etapa que ocorreu a mais clara chance de gol do jogo. Cassius recebeu livre na entrada da pequena área, mas o chute não pegou a diagonal e Fernando Henrique fez boa defesa.

Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu... e errou
Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu… e errou

Veio o segundo tempo e os espaços começaram a surgir.  O Ceará até demonstrou alguma ousadia nos primeiros minutos, mas não passou disso. Dennys não trabalhou a não ser em chutes de longa distância.

Com o passar do tempo, o CEC retomou a iniciativa do jogo, mas faltava-lhe inspiração. Nas poucas jogadas de gol que surgiram, Elvis chutou sobre o travessão.

Cassius teve a melhor chance do jogo
Cassius teve a melhor chance do jogo

Adelson ainda jogou o time para o ataque colocando Dimba e Vitinho. O CEC cercou, cercou, cercou, mas Fernando Henrique sequer fez alguma defesa importante.

A rigor, sabia-se que  seria um jogo igual, truncado até. As duas equipes não permitem ao adversário ter espaço para trocar bola.

Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará
Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará

O resultado é ruim para as pretensões do Gato, mas não é um desastre. De qualquer forma, o jogo em Fortaleza premia a melhor equipe em campo no jogo de hoje, mas, em contrapartida, trás um estorvo para a reta final do campeonato Distrital.

Nesta quinta o CEC já volta os seus olhos para a rodada do final de semana. Se perder, dará adeus ao Campeonato Metropolitano 2013. Tempo de decisões…

Related Images:

Capitão Dimba: comandante alvinegro

Duelo em preto e branco

Promessa de jogo complicada: defesa sabe dos perigos
Promessa de jogo complicado: defesa sabe dos perigos

Ceilândia e Ceará se enfrantem hoje, 16h, no Estádio Regional da cidade, com ingressos a 16h00. Em campo, dois times que passam por momentos interessantes.

O futebol é um local recheado de clichês e lugares comuns. Se os clichês ajudam a simplificar o entendimento, na prática o futebol é mais complexo.

Parte da imprensa repercute as declarações de Magno Alves, dizendo que seria oportunidade única para jogadores do Ceilândia aparecerem. Seria, se a partida fosse contra o Barcelona ou Flamengo e o jogo transmitido via satélite para todo o mundo. Não é o caso.

Jovens como Alisson sabem que o projeto do Ceilândia é para o futuro, mas sem desgrudar os olhos do presente
Jovens como Alisson sabem que o projeto do Ceilândia é para o futuro, mas sem desgrudar os olhos do presente

O Ceilândia possui jogadores tão ou mais rodados que os do Ceará. Por uma ou outra razão, esses jogadores estão no Ceilândia, alguns estão no Ceará.

O CEC não tem a tradição que o seu rival alvinegro, nem se preocupa com isso. Cada um faz a sua própria história. A partida se resolve dentro de campo e é risível dizer que o Ceilândia quer aparecer.

Capitão Dimba: comandante alvinegro
Capitão Dimba: comandante alvinegro

O trabalho do Ceilândia é feito em silêncio, de estruturação miúda na esperança que os resultados  venham naturalmente. Se virão, ou não, é conseqüência de um esporte em que às vezes se faz tudo certo e dá tudo errado e vice-versa.

Para o jogo de hoje o treinador Adelson de Almeida teve o cuidado de estudar o seu adversário. Sabe que é forte defensivamente, mas tem tido problemas na criação, no último passe. Algo muito parecido com o Ceilândia.

Na prática, o torcedor deve ver, então, um bom jogo. O Ceará não deve fugir às suas características, porque tem sido mortal nos contra-ataques, mas incapaz de criar espaços na defesa adversária. O Ceilândia tem jogadores rodados e não pode se deixar surpreender. No mais, futebol o time tem e com calma deve conseguir um bom resultado.

 

Related Images:

Um time tranquilo: CEC vive dias normais antes da estréia na CB

20130330Gama3x1CEC_108O Ceilândia encerra hoje a sua preparação para o jogo de amanhã, 16h, no Estádio Regional de Ceilândia, contra o Ceará pela Copa do Brasil.  O time ainda vive a ressaca da derrota diante do Gama no último sábado que lhe custou a invencibilidade.

A avaliação é de que o  time é experiente demais para encarar o jogo contra o Ceará de modo diferente. Jogadores rodados como Dennys, Marcelo Costa, Didão. Rodriguinho, Rosembrick e Dimba sabem que a expectativa é muito mais do torcedor que deles.

Renato sai lesionado: improvisações à vista
Renato sai lesionado: improvisações à vista

 

Para eles, a diferença está no alcance da competição nacional, em campo, nada muda. O Ceará, apesar do mal momento, é um bom time e, a se confirmar a sua força defensiva, tornará as coisas ainda mais difíceis para o alvinegro da Ceilândia.

Adelson tem problemas para compor a sua defesa. Renato lesionou-se logo no início da partida contra o Gama e é dúvida.

Nos últimos jogos, o Ceará tem alternado entre o 3-5-2 e o 4-4-2.
Nos últimos jogos, o Ceará tem alternado entre o 3-5-2 e o 4-4-2 numa mesma partida.

O Ceará viaja hoje para Brasília. A equipe cearense sai de Fortaleza às 14h00. Chegando no DF vai para o hotel em Taguatinga, de onde sai apenas momentos antes da partida para Ceilândia.  

Nas últimas três partidas, o Ceará perdeu para o Guarani-CE por 3 x 2, venceu o Horizonte fora por 3 x 0 e empatou em casa sem gols, no último domingo, com o mesmo Horizonte.

Para a partida desta quarta, os ingressos custarão R$ 10,00 (dez reais) e poderão ser comprados na bilheteria do Estádio uma hora antes do jogo. A torcida do Ceará ocupará a curva sul (à esquerda de quem chega), enquanto que a do Ceilândia a curva norte.

Related Images:

De volta à Copa do Brasil

Jonhes faz o segundo do CEC contra o Bahia
Jonhes faz o primeiro do CEC contra o Bahia. CEC classificado na antiga Fonte Nova

A história do Ceilândia na Copa do Brasil oscila entre a imensa alegria e a tragédia.

O Ceilândia estreou na Copa do Brasil em 22 de fevereiro de 2006, contra o Bahia, no Abadião (clique aqui para ver). Numa partida em que cada equipe perdeu um penalti, o jogo ficou em 0x0. Em 8 de março de 2006, o CEC foi a salvador e venceu o Bahia por 2 x 1, classificando-se à segunda fase .

CEC x Fortaleza: empate em casa
CEC x Fortaleza: empate em casa

Na segunda fase o CEC enfrentou o Fortaleza. Na primeira partida, empate em 1 x 1 no Abadião. Na segunda, o Fortaleza sofreu com a pressão alvinegra, mas sacramentou a vitória nos minutos finais: 3 x1.

O Ceilândia voltou á Copa do Brasil em 2011. De tão vergonhoso, esse jogo ficou à margem das estatísticas durante muito tempo. Não serve de consolo ou desculpa alegar que existiam esses ou aqueles problemas ou que as chances perdidas no início, quando o jogo estava 0x0, fizeram falta: a história do CEC na Copa do Brasil está manchada: Em apenas 45 minutos o Caxias fez 5 x 0 e eliminou o CEC.

Goleiro salva com jogo em 0x0. História contra Caxias seria outra
Goleiro salva com jogo em 0x0. História contra Caxias seria outra

O adversário da vez é o Ceará. O adversário passa por um momento de instabilidade. Há pouco trocou o técnico que luta contra a desconfiança da apaixonada torcida cearense.

O CEC também não vive bom momento. Apesar de jogar bem, os resultados não estão aparecendo. O experiente time do Ceilândia sabe que terá um jogo difícil.

O Ceará, depois da derrota para o Guarani, mudou a sua postura tática. Tem privilegiado a defesa ao ataque. O CEC vai precisar de paciência, para que dessa vez a história será diferente.

 

Ceilândia da Copa do Brasil

O Ceilândia estréia na próxima quarta-feira na Copa do Brasil. O adversário será o Ceará.

A Cidade

Caixa Dagua: monumento da cidade
Caixa Dagua: monumento da cidade

Ceilândia é a maior cidade do Distrito Federal. A cidade foi fundada em 1971, quando a Companhia de Erradicação de Invasões – CEI – removeu os moradores das Vilas Tenório, Esperança, Bernardo Sayão, Carroceiros e Colombo; dos morros do Querosene e do Urubu; e Curral das Éguas e Placa das Mercedes. Eram todos trabalhadores que vieram para a construção da Nova Capital e que, de uma hora para outra, passaram a ser considerados invasores.

O Time

CEC de 1983
CEC de 1983

O Ceilândia foi fundado em 1979 e fez a sua estréia no campeonato do DF em 1980. O técnico do time era “Seu” Chicão, reconhecido em Ceilândia por dirigir e ser dono do melhor time da cidade: o Dom Bosco, onde dividia a direção com a sua esposa.

À falta de dados precisos, o Ceilândia foi um dos primeiros times de futebol profissional do país a ter uma mulher dirigindo a equipe. Ana Maria de Morais dirigiu o CEC em 2 de junho de 1980, contra a Desportiva Bandeirante, no Pelezão, e venceu por 2 x 1.

Durante muitos anos, o CEC foi uma das equipes pequenas do DF. Isso explica o fato de, em toda a sua história, ter disputado apenas 690 jogos em competições oficiais, com 220 vitórias, 205 empates e 251 derrotas. Foram 762 gols a favor e 871 contra. Depois de ir ao fundo do posso em 1996 e cair para a segunda divisão local, o CEC renasceu e a partir de 2002 então disputou 242 jogos em competições oficiais, com 105 vitórias, 63 empates e 74 derrotas. Foram 392 gols a favor e 330 contra. Quase metade de todas as vitórias da história do CEC foram conseguidas nos últimos 10 anos!

ARTILHEIRO

Cassius é sempre esperança de gol para o Ceilândia
Cassius é sempre esperança de gol para o Ceilândia

Não existem estatísticas completas, mas sabe-se que Cassius é o maior artilheiro do Distrito Federal e também do Ceilândia com 86 gols (aqui incluídos sete na campanha vitoriosa da segunda divisão do DF em 1998). Dimba, o capitão bi-campeão do DF pelo CEC, é o segundo maior artilheiro na história da equipe com 32 gols.

TECNICO

Adelson: duas vezes campeão com o CEC
Adelson: duas vezes campeão com o CEC

“Seu” Chicão ainda trabalha no Ceilândia, agora como mordomo. O fundador do clube é o quinto técnico que mais vezes dirigiu o Ceilândia. Foram 30 jogos com 7 vitórias, 10 empates e 13 derrotas.

Adelson de Almeida, Mauro Fernandes e o tri-campeão Brito fazem parte da lista ao lado de José Antonio (34 jogos) como os técnicos que mais vezes dirigiram o alvinegro.

Adelson até 27 de março de 2013, dirigiu o CEC em 113 oportunidades. Na primeira vez, Adelson montou um time com juniores e uns poucos veteranos. Nos quatro primeiros jogos, saiu de campo derrotado 3 vezes. No quinto, a primeira vitória, contra o já poderoso estreante Brasiliense por 1 x 0 (Cassius aos 37 do segundo tempo). De lá para cá foram 44 vitórias 38 empates e 31 derrotas.

LIVRO DOS RECORDES

Maior Vitoria
27.06.2004 a(os) 10:00 Taca Brasilia / Fase de Classificacao V Dom Pedro II 8 – 0
Maior Derrota
13.04.1996 a(os) 19:00 Metropolitano / Fase de Classificacao M Sobradinho 0 – 7
Maior numero de gols em um jogo
26.02.2006 a(os) 16:00 Metropolitano M Guará 8 – 2
Maior vitoria em casa
26.02.2006 a(os) 16:00 Metropolitano M Guará 8 – 2
Maior derrota em casa
13.04.1996 a(os) 19:00 Metropolitano / Fase de Classificacao M Sobradinho 0 – 7
Maior vitoria fora
27.06.2004 a(os) 10:00 Taca Brasilia / Fase de Classificacao V Dom Pedro II 8 – 0
Maior derrota fora
23.03.1996 a(os) 19:00 Metropolitano / Fase de Classificacao V Brasília 0 – 6
27.04.1986 a(os) 16:00 Metropolitano / 2o. Turno – Semi-Final V Taguatinga 0 – 6
29.06.1980 a(os) 16:00 Metropolitano / 1o turno V Brasília 0 – 6
Maior numero de gols marcados em empate
07.04.2007 a(os) 16:00 Metropolitano / Returno M Brasiliense 3 – 3
23.03.2005 a(os) 20:30 Metropolitano / Quadrangular Final N Brasiliense 3 – 3
09.06.2002 a(os) 15:30 Metropolitano / Hexagonal Final M Brazlandia 3 – 3
15.04.1999 a(os) 16:00 Metropolitano / Fase de Classificacao V Luziânia 3 – 3
27.03.1999 a(os) 11:00 Metropolitano / Fase de Classificacao M Sobradinho 3 – 3
20.07.1997 a(os) 16:00 2a Divisao DF / Fase de Classificacao V Atlântida 3 – 3
Maior publico em casa
22.03.1987 a(os) 16:00 Metropolitano / 1o. Turno M Brasília 5011
Maior publico fora
01.05.2010 a(os) 16:00 Metropolitano / Final – Jogo de Volta V Brasiliense 11326
Menor publico em casa
18.03.1990 a(os) 15:00 Metropolitano / 2o Turno/Grupo B M Brasília 11
Menor publico fora
16.10.1985 a(os) 15:30 Metropolitano / 3a Turno – Grupo B V Brasília 8

ÍDOLOS DO PASSADO

Marquinhos Bahia e Zico: Seleção do DF x Flamengo
Marquinhos Bahia e Zico: Seleção do DF x Flamengo

As maiores conquistas do Ceilândia aconteceram nos últimos anos. A velha-guarda não esquece de Cidão, de morte trágica, Bodão, Zé Carlos, Adilson, Zé Vieira, Sérgio  e tantos outros.

Dorival: toque bola refinado. Morte trágica. Talvez o maior craque a vestir a camisa alvinegra
Dorival: toque bola refinado. Morte trágica. Talvez o maior craque a vestir a camisa alvinegra

Na galeria de ídolos de qualquer época estão dois jogadores excepcionais: Marquinhos Bahia, campeão com o Bahia e Cruzeiro e Dorival também morto tragicamente.

Infantil: campeão da Copa Agap 2012. Tradição nas categorias de base
Infantil: campeão da Copa Agap 2012. Tradição nas categorias de base

CATEGORIAS DE BASE

O Ceilândia tem tradição nas categorias de base do DF. Embora o CEC tenha realizado campanhas ruins na decada de 80, época em que era semi-amador, foi de suas bases que saíram jogadores como Joãozinho, Som, Carlinhos, Pacheco, Auro e tantos outros, campeões do DF por Taguatinga e Brasília.

Desde 1998, o Ceilândia foi por diversas vezes campeão das categorias infantil, juvenil e juniores no DF. Em 2012, sagrou-se campeão infantil da Copa Agap.

Estádio

Estádio Regional: simples e acolhedor
Estádio Regional: simples e acolhedor

O Estádio Regional de Ceilândia possui a capacidade declarada de 5000 pessoas. Houve jogo em que quase 10000 pessoas ali estiveram, espremidas, para ver o Ceilândia.

Copa do Brasil

20060803bahia1x2cec
A Copa do Brasil é motivo de um dos maiores orgulhos, mas também do maior vexame já vivenciados pela torcida do Ceilândia.

Em 8 de março de 2006, o Ceilândia foi à antiga Fonte Nova e venceu o Bahia por 2×1, eliminando o tricolor baiano na primeira fase da Copa do Brasil. Na segunda fase, o CEC pegou o Fortaleza. Depois de um empate no Abadião, o CEC perdeu em Fortaleza e foi eliminado.

Em 16 de fevereiro de 2011, aquela que foi a maior tragédia já ocorrida na Área 14. O Ceilândia, então campeão do DF, como agora, enfrentava o bom time do Caxias. Problemas internos carcomiam o campeão candango. Resultado: o Ceilândia foi impiedosamente goleado pelo Caxias em pleno Abadião (agora rebatizado de Estádio Regional). 5 x 0 com todos os cinco gols feitos no primeiro tempo. Nunca se viu algo igual.
Agora, o CEC enfrenta o Ceará com a missão de quebrar uma escrita: nunca venceu em casa.

ESTRUTURA

Na concentração, quartos amplos para os atletas
Na concentração, quartos amplos para os atletas

O Ceilândia oferece aos seus jogadores uma das melhores estruturas do DF.

Além de dois campos gramados com grama bermuda Tifway 419, a Cidade do Gato oferecerá alojamentos, piscina, salas de musculação.

Related Images: