Tag: Claudionor

Objetivo: série D


Em 2005 o CEC chegou nas quartas-de-final da Série C e foi eliminado pelo Ipatinga, após empate sem gols em Minas Gerais. Em 2012, há muito que remar...
Em 2005 o CEC chegou nas quartas-de-final da Série C e foi eliminado pelo Ipatinga, após empate sem gols em Minas Gerais. Em 2012, há muito que remar...

O Ceilândia traçou a Série D como objetivo. Pode ser que por uma ou outra razão o time tenha se desviado de seu objetivo durante as finais do Campeonato Metropolitano, mas o foco sempre foi a Série D.

Não há tempo para mais comemorações. Alguns contratos se encerraram no final de semana, casos de Gustavo, Claudionor e Diego Marangon. Outros estão por vencer nas próximas semanas.  Será natural que haja alterações no elenco. Nem tanto que o descaracterize ou tanto que mantenha algumas vulnerabilidades. A diretoria corre contra o tempo.

O Ceilândia estréia já na Série D já no próximo domingo, em Aparecida de Goiânia, contra a Aparecidense. O grupo do Ceilândia conta ainda com o CRAC, CENE  e Gurupi.  Os times se enfrentam em turno e returno. Os dois primeiros colocados avançam para a próxima fase.

Série D 2010: CEC liderou o grupo até a última rodada e foi surpreendido pelo eliminado Brasília
Série D 2010: CEC liderou o grupo até a última rodada e foi surpreendido pelo eliminado Brasília

O Ceilândia está no Grupo Sul. Em outras palavras, ao avançar a fase o Ceilândia deve enfrentar os times do  eixo Rio-São Paulo-Minas-Rio Grande do Sul. Se quiser ser um time respeito, o CEC precisa passar por esse batismo.

Classificando-se na primeira fase, o CEC deveria enfrentar os dois primeiros colocados do grupo formado por times de Minas e Rio de Janeiro (Nacional-MG, Guarani-MG, Friburguense-RJ, Resende-RJ e Aracruz-ES).

A última participação do CEC em um campeonato nacional se deu em 2010. O Gato foi eliminado ainda na primeira fase. O Ceilândia liderou o seu grupo até a última rodada, mas perdeu para o Brasília em casa e foi eliminado pelo Araguaína.

A melhor campanha do CEC em competições nacionais foi em 2005. Naquele ano, o time dirigido por Paulo Comelli chegou nas quartas-de-final da Série C. Quis o destino que o CEC enfrentasse o então bom time do Ipatinga. O CEC perdeu em casa por 2 x 1 num gol inesquecível de Rodriguinho para o Ipatinga (com o empate e um desespero injustificado do goleiro que foi à meta adversária tentar o gol da vitória). No jogo de volta, em Ipatinga, o CEC martelou, martelou mas o jogo não saiu do zero a zero.

Related Images:

O Fantasma do Ceilandense

Cassius entra: CEC entrou cheio de si e teve que remar até empatar
Cassius entra: CEC entrou cheio de si e teve que remar até empatar

Faltando dois dias para a decisão o clima começa a ficar tenso, ao menos para o torcedor. Há uma certa eletricidade no ar. A preocupação geral é com eventual acomodação do CEC em função da pequena vantagem que  o time possui. Adelson é cuidadoso e jamais deixaria que o time se acomodasse com tão pequena vantagem.

De lado a lado o discurso é otimista. O Ceilândia vive boa fase, vem de seis vitórias consecutivas e o adversário vive o seu inferno astral, mas diz que não está morto e que tem condições de vencer o time do Ceilândia, de Dimba e Allan Dellon, no Abadião.

O Ceilândia reencontrou o seu melhor futebol após o sofrido empate diante do Ceilandense. Naquela partida o time chegou a estar perdendo por dois a zero, mas lutou e evitou a derrota. Depois daquela partida o time se convenceu que não pode entrar desligado. Sábado isso poderia ser fatal.

Dimba faz o gol do empate: sufoco!
Dimba faz o gol do empate: sufoco!

O time mudou de lá para cá em todos os aspectos, inclusive emocional.

Na essência o Ceilândia não precisa mudar para a decisão: basta jogar o futebol apresentado em toda a competição. Adelson deve apenas fazer pequenos ajustes na equipe para evitar que o Luziânia tenha a liberdade na armação que teve no último final de semana. No mais, o time está quase preparado para a finalíssima.

Enquanto isso os preparativos para a final continuam. A direção informa já ter se reunido com a Polícia Militar para tratar dos preparativos para o jogo. Alguns pequenos retoques estão sendo feitos no Abadião.  Serão colocados 3000 (tres mil ingressos) a venda e os portões serão abertos as 14h30.

Parte da arquibancada será reservada para a torcida do Luziânia. Como dito: há uma certa eletricidade no ar.

Related Images:

Allan é dúvida para a final

Melhor jogador do returno: Allan deve desfalcar o Gato
Melhor jogador do returno: Allan deve desfalcar o Gato

Allan Dellon é só otimismo para este domingo. O atleta chegou em meio a desconfianças e aos poucos foi recuperando o seu melhor futebol.

Em meio as preocupações com o adversário deste final de semana, veio outra preocupação: a definição sobre a utilização do meia Allan Dellon ganha contornos de novela. O meia sentiu desconforto na coxa nos dias que antecederam a partida contra o Legião. Durante a partida dessa quarta-feira, Allan voltou a sentir a coxa e teve que ser substituído.

O tratamento do atleta começou ainda durante a partida contra o Legião, quando fez aplicação de gelo para diminuir eventual edema. Apesar de demonstrar confiança em ser utilizado, Adelson prefere esperar a evolução: para uma decisão só é possível contar com jogadores que estejam a cem por cento.

Para a decisão desse domingo duas preocupações. A primeira preocupação é com a exposição na imprensa. Não se quer repetir os mesmos erros do turno, quando Dimba ficou demasiadamente exposto na imprensa. O resultado é que Dimba acabou assumindo para si uma responsabilidade que deveria ser de todo o time. Excessivamente pilhado em campo, Dimba jogou mal, discutiu com a arbitragem e somente não foi expulso porque a arbitragem foi condescendente.

Nos últimos dias o filme tem se repetido com Allan Dellon por várias razões: primeiro porque Allan Dellon vem sendo o diferencial dentro de campo e segundo porque Allan Dellon se contundiu e a sua presença na decisão passou a ser dúvida.

Marquinhos e Gustavo: opções no banco
Marquinhos e Gustavo: opções no banco

Adelson está atento e Allan Dellon é experiente o suficiente para não se deixar levar pelos acontecimentos.

O Sobradinho não perde em casa há três meses, o que demonstra que o time adversário tem qualidades. O Sobradinho também sabe que não foi por acaso que o Ceilândia  fez a melhor campanha no geral, foi campeão do seu grupo no turno e no returno.

O Ceilândia chegou até aqui trabalhando em silêncio e tem um bom time para os padrões locais. Consciência da própria capacidade é extremamente importante nessas horas. Cada adversário sabe da força que o outro tem para a partida deste domingo.

O técnico Adelson de Almeida não deve mexer no  esquema de jogo, mesmo que Allan Dellon não jogue. Em seu lugar entraria Luiz Fernando. Se for mudar, a opção cogitada foi a de Daniel, reforçando o meio de campo para conter os perigosos contra-ataques do Sobradinho.

Related Images:

Liel contra o Formosa

Consciente do dever e em silêncio

Eciene deve formar ao lado de Badhuga e Panda: sem poder tomar gols
Eciene deve formar ao lado de Badhuga e Panda: sem poder tomar gols

Determinado a viver um dilema por vez, o Ceilândia enfrenta na tarde de hoje o Brazlândia. O Brazlândia já escapou do rebaixamento e agora luta por uma das vagas nas semi-finais do segundo turno do Metropolitano 2012.
O Ceilândia precisa vencer a partida, sob pena de perder a liderança do grupo e, de quebra, permitir que o Luziânia se afaste na pontuação geral.

O técnico Adelson de Almeida não deve fazer modificações na equipe que venceu o Formosa no último domingo. Sendo assim o goleiro Darci deve manter a posição de titular. Especulou-se que Cassius deveria ceder a posição para Claudionor apenas como opção tática do treinador que eventualmente gostaria de ter um time mais leve na partida de hoje. O mais provável é que Cassius permaneça.

Didão pode ser o homem-surpresa: um gol no campeonato
Didão pode ser o homem-surpresa: um gol no campeonato

 

Adelson se preocupa com a movimentação do time do Brazlândia, mas também tem a certeza de que o Brazlândia entrará em campo preocupado com alguns jogadores do Ceilândia. A promessa é a de um jogo complicado, mas a obrigação de vitória é do Gato.

 Sendo assim a mais provável formação do CEC terá: Darci, Alcione, Luiz Carlos Badhuga, Panda, Thiago Eciene e Felipe; Liel, Didão e Allan Dellon; Dimba e Cassius.

O último confronto oficial entre as equipes foi em 2009. Naquela ocasião o Gato venceu por 4 x 2.

Related Images:

CEC joga apenas um tempo e empata: 2 x 2

Dimba finaliza para empatar: empate suado
Dimba finaliza para empatar: empate suado

O Ceilândia precisou usar de toda a sua força para arrancar um empate heróico diante de um apenas limitado Ceilandense na tarde deste domingo, no Abadião.

O jogo nem bem começou e o Ceilandense mostrou a que vinha. Marcando em seu próprio campo e preparado para os contra-ataques contando com a habilidade do atacante Léo Gabiru, o Ceilandense procurava explorar os erros alvinegros.

Com Allan Dellon marcado e Didão recuando constantemente para as linhas de volantes, o CEC era um time sem inspiração. O resultado dessa apatia era que o CEC dava constantes contra-ataques para o Ceilandense, mas o adversário era incapaz de criar situação de perigo para a meta de Pedro.

Léo Gabiru passa por Daniel: CEC foi mal no primeiro tempo
Léo Gabiru passa por Daniel: CEC foi mal no primeiro tempo

Ao contrário, o CEC esteve próximo de abrir o marcador quando Didão, meio querendo, meio sem querer, acertou o poste direito da meta rubronegra. Apesar da boa conclusão, o Ceilandense rodeava mais o gol do Gato. Num desses lances, Léo Gabiru foi derrubado dentro da área. Penalti que Thiago Ferreira converteu. Eram 18 minutos.

Após o gol, o Ceilandense recuou quase que por completo. O Ceilândia até que chegou próximo do empate, mas nas duas oportunidades o goleiro adversário salvou as conclusões de Liel e Dimba.

O primeiro tempo encaminhava para o a vitória parcial do Ceilandense por 1 x 0, mas a arbitragem viu penalti na bola que cruzada tocou no braço esquerdo de Panda. Muita reclamação alvinegra. Thiago Ferreira não tinha nada a ver com isso e fez 2 x 0.

Claudionor foi dominado por Adriano. Reconhecimento pelo esforço, mas o time precisa de resultados.
Claudionor foi dominado por Adriano. Reconhecimento pelo esforço, mas o time precisa de resultados.

Veio o segundo tempo e Adelson colocou Luiz Fernando e Alcione tirando Breno e Daniel. O Ceilândia foi para o abafa. Mesmo assim não conseguia se aproximar da meta rubronegra. Adriano ganhava todas.

A torcida sentia a necessidade da entrada de Cassius no lugar do então esforçado, mas inoperante Claudionor. O tempo passou e a torcida ficava impaciente porque o CEC era incapaz de criar situações de gol.

Tudo mudou aos 20 minutos quando Cassius entrou, mas no lugar de Diego Marangon. Na primeira bola Cassius ganhou de Adriano. Na segunda, ganhou novamente. Na terceira, Adriano chutou tudo o que podia, mas Cassius aguentou o tranco. O domínio de Adriano na grande área acabara.

Dimba comemora o gol de empate: na valentia
Dimba comemora o gol de empate: na valentia

Aos 30, num bate e rebate dentro da área, Liel tocou para Dimba diminuir. O CEC continuou melhor, mais no coração que na técnica. Aos 35 Dimba recebeu uma entrada criminosa, mas arbitragem deu apenas cartão amarelo para o defensor rubronegro.

Aos 40, Allan Dellon foi derrubado na área. No mesmo lance, Claudionor também foi derrubado. A arbitragem mandou seguir.

Aos 48, novo bate e rebate na área. A bola sobrou para Dimba. Com o artilheiro do Gato não há muita conversa. Gol do Ceilândia. Empate na raça, mas pouco para quem quer ser o melhor do campeonato.

O CEC jogou com Pedro, Breno (Alcione), Panda, Liel e Felipe. Daniel(Luiz Fernando), Diego Marangon (Cassius) , Didão e Allan Dellon. Dimba e Claudionor.

Related Images:

Sem poder tropeçar

Dimba é o artilheiro do time no campeonato
Dimba é o artilheiro do time no campeonato

O Ceilândia terá um time  modificado em relação àquele que venceu o Capital na última semana por 3 x 1.

O time foi muito criticado no último sábado por não ter conseguido transformar a facilidade encontrado em uma goleada muito maior. Para a partida de hoje são previstas ao menos três alterações. Panda e Badhuga voltam ao time. Com isso Eciene ou Liel, titular em todas a partidas até aqui, deve deixar a equipe titular.

Didão, Daniel e Liel: Liel pode ser a surpresa na tarde de hoje
Didão, Daniel e Liel: Liel pode ser a surpresa na tarde de hoje

O Ceilândia tem contra si o favoritismo da partida. O retrospecto recente contudo desmente a avaliação dos críticos. Os jogos entre Ceilândia e Ceilandense normalmente são jogos difíceis, mesmo tendo o Gato um melhor retrospecto nos últimos anos.

A prova definitiva disto é que nos últimos dois anos o CEC sofreu duas derrotas para o Ceilandense, ambas por 2 x 1. Em todos os jogos o Ceilândia entrou como favorito e a derrota do ano passado valeu ao Ceilândia a desclassificação.

Para essa partida, Adelson não tem problemas. Os titulares absolutos Dimba e Allan Dellon estão confirmados. Dimba já não reclama de dores e Allan Dellon melhora a cada partida. Allan Dellon melhorou o meio de campo do Ceilândia e ao lado deles o CEC conta com Marangon, jogador que veio do Brasília e que consertou o passe na saída de bola alvinegra.

Marangon: novas funções com a entrada de Didão
Marangon: novas funções com a entrada de Didão

Outro jogador que deve entrar em campo na tarde de hoje é Didão. O atleta estreou na semana passada fazendo um gol. Didão mostrou que ainda está desentrosado e sem ritmo de jogo, mas por outro lado compensou com a sua técnica. Didão foi muito importante na semana passada justamente por saber trabalhar os espaços deixados entre os meias e volantes do Capital. Quando atacado, Didão fechava com Liel e Daniel. Daniel deve jogar ao lado de Marangon.

Adelson tem uma carta na manga. Liel pode ser a surpresa na partida de hoje, voltando a ocupar a posição de zagueiro ao lado de Panda e Badhuga. Com isso e quando o time atacar, Adelson ganharia com o enorme senso de cobertura demonstrado pelo curinga do time.

A partida será disputada às 16h, com os ingressos a 5,00 reais.

O mais provável time do Ceilândia: Pedro, Breno, Panda, Liel, Badhuga e Felipe; Daniel, Marangon, Didão e Allan Dellon; Dimba e Claudinor.

Related Images:

Hoje começa o segundo turno!

Didão volta ao Ceilândia. Na foto, enfrenta o Esportivo Guará em 2007
Didão volta ao Ceilândia. Na foto, enfrenta o Esportivo Guará em 2007

O Ceilândia começa hoje o segundo turno enfrentando o Capital, 16h, no Abadião. O time teve uma boa semana de trabalho e tem ao menos uma alteração garantida em relação ao time que foi vice-campeão da Taça JK. Didão no lugar de China.

China deixou a equipe rumo ao Tocantinópolis e deve ser substituído por Didão. A entrada do meio-campista ainda dependia da publicação do seu nome no Boletim Informativo Diário da CBF.

No mais, Adelson deve manter a base do time, com Allan Dellon fazendo a armação, Dimba e Claudionor no ataque.

No segundo turno o Ceilândia vai enfrentar os componentes do seu grupo (Capital, Gama, Brazlândia, Formosa e Ceilandense). O primeiro colocado deste grupo enfrenta o segundo do outro e vice-versa nas semi-finais do segundo turno.

Related Images:

Ceilândia apresenta os seus reforços

Luiz Fernando e Didão: reforços do Gato
Luiz Fernando e Didão: reforços do Gato - Foto: Antonio Gomes

O Ceilândia apresentou na tarde desta quinta-feira dois dos três reforços já acertados. Luiz Fernando e Didão, ambos com boas passagens pelo Gato, foram apresentados e já treinaram na Cidade do Gato.

Enquanto Didão e Luiz Fernando chegavam, outros dois jogadores saiam. O lateral-esquerdo Anchieta e meio-campo China deixaram o Ceilândia. China foi titular na maior parte da competição.

O lateral-direito Patrick tinha a sua apresentação dada como quase certa na tarde desta quinta, mas ainda não há uma definição precisa de quando possa ser apresentado.

A diretoria cogita a contratação de mais um jogador. A idéia de Adelson de Almeida é já contar com os reforços para a partida deste sábado diante do Capital.

A partida deste sábado será disputada no Abadião. Neste turno os times se enfrentam dentro do mesmo grupo.

Related Images:

Gato vence a primeira decisão

Dimba comemora o seu segundo gol com Breno, China e Claudinoor
Dimba comemora o seu segundo gol com Breno, China e Claudinoor

O Ceilândia venceu o Botafogo por 3 x 1 na tarde chuvosa deste sábado e está classificado para a semi-final da Taça JK. O adversário sairá do grupo A, podendo ser Brasiliense ou Luziânia.

Não foi uma partida fácil. O primeiro tempo foi muito disputado, mas foi, ao mesmo tempo, uma partida tecnicamente ruim.  O Gato saiu na frente do marcador logo aos 2 minutos.  Breno saiu cara a cara com o goleiro adversário e tocou fraco, Dimba completou para o fundo das redes.

Daniel disputa, Diego assiste. Diego saiu machucado
Daniel disputa, Diego assiste. Diego saiu machucado

O CEC sentiu a facilidade no jogo e logo se perdeu. O Botafogo, na base da disposição, chegou a equilibrar a partida, mas não criou situações claras de gol. O CEC passou parte do tempo tentando disputar quem tinha mais disposição. Esqueceu de jogar futebol. As poucas jogadas organizadas passavam pelos pés de Dimba.

Aos 40, Liel fez bela jogada pelo meio e lançou Claudionor. O atacante tentou tirar o goleiro e a bola sobrou para Dimba que, com categoria, fez 2 x 0 para o CEC.

Veio o segundo tempo e a partida ganhou em emoção. O que  de ruim tecnicamente no primeiro tempo cedeu espaço para uma partida vibrante e de lances de perder o folego.  Tudo isso, fora os gols  e  duas bolas na trave, uma para cada lado.

A emoção aumentou aos 6, quando o  Botafogo diminuiu. O CEC não se assustou, até porque o que sobrava de disposição do adversário faltava em talento. O problema foi que, pela primeira vez neste campeonato, o CEC enfrentou um adversário que parecia ter mais disposição que ele.

Thiago Eciene entrou no lugar de Diego Marangon, machucado.
Thiago Eciene entrou no lugar de Diego Marangon, machucado.

O resultado foi que, embora o CEC tenha perdido boas oportunidades de ampliar, o Botafogo também perdeu chances de empatar. Destaque aqui para o goleiro Pedro que, quando foi exigido, fez ao menos três belas defesas.

Nos últimos minutos falou a melhor preparação atlética do Gato. O Botafogo cansou e o Ceilândia continuou perdendo oportunidades. Por sorte, nesse momento do jogo, o Botafogo já não mais oferecia perigo.

Aos 40, após um erro clamoroso do auxiliar, que marcou uma saída de bola sem que isso ocorresse, Cassius fez um belo gol, o seu terceiro na competição e matou o jogo. Agora é esperar pelo adversário.

Related Images:

Armadilha no Serejão

Agressão a Augusto em 2011 sequer foi punida pela arbitragem
Agressão a Augusto em 2011 sequer foi punida pela arbitragem

Em 2011, Ceilândia e Brasiliense se enfrentaram pela penúltima rodada da fase de classificação.  O time amarelo já estava classificado e por isso mesmo poupou alguns jogadores titulares. O Ceilândia estava no grupo dos classificados, mas uma derrota o faria perder a posição para o Gama.

Nesse jogo, o Ceilândia entrou em campo talvez acreditando que a vitória viria naturalmente e saiu de campo com uma derrota que viria a lhe custar a classificação no final. O CEC jamais venceu o Brasiliense no Serejão e isto incomoda.

Tem sido assim os confrontos entre Ceilândia e Brasiliense. Jogos truncados e muito disputados. Hoje não deve ser diferente.

Se há alguma diferença é o fato de que o time atual do Ceilândia, apesar de manter todo o seu estilo de marcação e tranquilidade, melhorou o toque de bola. O Ceilândia já atingiu um bom estágio de preparação e isso repercute em campo: o time não se irrita com o jogo, mantém o seu padrão e persegue o resultado sempre.

Andrezinho disputa com William em 2011: jogos complicados
Andrezinho disputa com William em 2011: jogos complicados

Do lado do Brasiliense, o técnico Luiz Carlos Barbieri faz mistério. Embora afirme que terá quatro desfalques, ninguém do lado do CEC acredita. A primeira evidência seria o fato de que Tezzelli já estaria confirmado para a partida de hoje.

O acontece mesmo do lado do Ceilândia. Adelson não confirma a entrada de Dimba. No meio da semana o técnico também testou opções táticas diferentes para a partida de hoje. Muito da esperança da equipe foi depositada nos pés de Dimba e nas jogadas de bola aérea, que tem se revelado o forte do Ceilândia.

Os resultados do sábado não ajudaram às duas equipes. A vitória do Gama por 7 x 0 sobre o Dom Pedro trouxe os alviverdes aos 9 pontos, apenas um a menos que o Gato. A depender do resultado do Brazlândia neste domingo, o CEC entrará na próxima rodada correndo o risco de não se classificar.

Related Images:

Dimba volta contra o Brasiliense


Cassius: dois gols nos últimos jogos. Dimba está voltando
Cassius: dois gols nos últimos jogos. Dimba está voltando

Depois de duas semanas treinando normalmente e de cinco minutos diante do Sobradinho, o atacante Dimba volta contra o Brasiliense. Essa foi uma boa notícia para o técnico Adelson de Oliveira, depois de uma intensa semana de trabalho.

A dificuldade de Adelson é escolher quem deve sair, se Cassius ou Claudionor, porque os dois fizeram boas partidas contra Dom Pedro e Sobradinho. Uma opção pouco provável  é a de colocar Dimba na meia, como elemento de ligação. Para isso Adelson teria que mexer muito na estrutura do time, algo que não é do seu feitio.

Wallace: servindo à seleção do DF
Wallace: servindo à seleção do DF

Uma das dificuldades encontradas por Adelson está no elenco que é muito pequeno. O elenco reduzido tem a vantagem de facilitar o contato pessoal com os atletas, mas dificulta no momento de fazer experiências.

Para as duas próximas partidas Adelson não contará com Wallace. O jogador servirá à seleção do Distrito Federal em amistosos no Sudão, África.

O Ceilândia enfrenta o Brasiliense neste domingo e uma vitória garante a classificação do alvinegro.  Um tropeço poderia fazer  com que o Ceilândia chegasse na última rodada precisando vencer o Botafogo-DF.

Related Images:

CEC com Liel: nas alturas

CEC vence sem exageros: 1 x 0

Diego Marangon: para quem estava parado, uma boa estréia.
Diego Marangon: para quem estava parado, uma boa estréia.

Um jogo sem exageros, discreto, mas eficiente. Esse foi o jogo do Ceilândia diante do Sobradinho, na escaldante tarde de hoje. Se houve algum exagero, foi de calor.

O Ceilândia fez a sua melhor partida até agora na competição. Não que tenha sido excepcional! Não, o Ceilândia venceu o Sobradinho jogando um futebol sóbrio, discreto, mas mantendo o padrão de marcação. O Ceilândia é um time que marca muito.

O Ceilândia veio para o jogo com algumas alterações em relação ao jogo passado. Gustavo voltou a lateral direita, no lugar de Maurício, enquanto que Diego Marangon e China entraram no meio de campo. No ataque, apesar de todo o suspense,  Cassius e Claudionor.

Panda e Badhuga (foto)  melhorando com o time
Panda e Badhuga (foto) melhorando com o time

O CEC fez um primeiro tempo primoroso. Tomou a iniciativa da partida e não deu espaços para o Sobradinho. É verdade que o plano de jogo do Sobradinho estava claramente traçado para o empate. O CEC, por sua vez, tinha paciência para tocar a bola e somente tentar na boa. Resultado: foram poucas oportunidades de gol criadas. Na verdade, o CEC se limitava a explorar as bolas aéreas, nas quais o Gato é sempre perigoso, mas mostrava um padrão de jogo diferente do mostrado até agora. Esse padrão agradava ao torcedor.

Foi numa jogada de velocidade, contudo, que o CEC abriu o marcador. China tabelou com Ancheta que cruzou e Cassius fez de cabeça. Eram 32 minutos.

Cassius: mortal mais uma vez
Cassius: mortal mais uma vez

Veio o segundo tempo e o CEC deu campo para o Sobradinho. O adversário se aproveitou e tomou a iniciativa do jogo. A marcação do CEC mais uma vez manteve-se eficiente e o adversário não criou oportunidades de gol. O CEC, por sua vez, nos contra-ataques, perdeu ao menos três oportunidades de gol. No final da partida, para a alegria dos torcedores presentes, Dimba voltou a jogar e entrou no lugar de Cassius.

Foi uma vitória para encher a torcida de esperança. Muito dessa vitória deveu-se ao fato do adversário tentar jogar de igual para igual. Isso mostra que o CEC está evoluindo jogo após jogo, o que é alentador.

O resultado deixa o Ceilândia na primeira colocação do grupo B, agora com 10 pontos. Dependendo do resultado de Gama e Brasiliense, o CEC ficará praticamente classificado poderá se classificar para as semi-finais com duas rodadas de antecipação.

O CEC jogou com Pedro, Gustavo (Alcione), Badhuga, Panda e Ancheta. Liel, Daniel, Diego Marangon (André)  e China. Cassius (Dimba) e Claudionor

Related Images:

Hoje tem líder contra vice-líder

Maurício: titular nesse início de campeonato, deixou a equipe
Maurício: titular nesse início de campeonato, deixou a equipe

Hoje à tarde, na Área 14, o Ceilândia fará a sua quarta antepenúltima partida no primeiro turno do campeonato metropolitano de 2012. O adversário será o Sobradinho, vice-líder do grupo B, com seis pontos e que vem de golear o Formosa por 5 x 1. O preço do ingresso teria sido reduzido para 5 reais e isso é uma boa notícia.

O Ceilândia é líder do grupo A da competição e passou por um começo de semana conturbado, após a  inesperada saída do técnico Ricardo Oliveira. Para essa partida o técnico Adelson de Almeida não terá o lateral Maurício, titular nesse início de competição.  Darci e Dimba permanecem como dúvidas. Por outro lado, Adelson já poderá contar com os reforços do zagueiro Felipe e do meio de campo Diego Marangon.

Esperança de que Dimba volte!
Esperança de que Dimba volte!

A partida de hoje está sendo encarada com muita seriedade pelo Ceilândia. Depois do último empate em casa, diante do Luziânia, a equipe ficou com a obrigação de agradar aos seus torcedores. Até agora as únicas vitórias foram obtidas fora de casa. Na última partida os jogadores reclamaram que o atraso no início da partida, em quase uma hora, desconcentrou o time.

Os problemas do último jogo podem repercutir, também, no público. A expectativa de público é pequena: a torcida também andava ressabiada com o preço dos ingressos.

Related Images:

Clima mais ameno no CEC (mas nem tanto)

Claudionor: boa dupla com Cassius
Claudionor: boa dupla com Cassius

A obrigação de sempre vencer faz parte do cotidiano do Gato. O Ceilândia pensa grande e procura fazer com que nada falte aos seus jogadores. Sob os olhos atentos de Adelson de Almeida, jogadores e comissão técnica voltaram ao trabalho nesta segunda-feira, um pouco mais aliviados. A pressão por jogar contra um time recém formado e todo o peso do favoritismo dessa partida são agora coisa do passado.

Com a vitória, o Ceilândia foi a 7 pontos, mas isso não atenua as cobranças por razões óbvias. O campeonato se decide nos mata-matas. O mais importante é se classificar. Depois, jogo a jogo, tudo se decide. De qualquer forma, somar pontos é muito importante para eventualmente decidir a classificação final. Jogadores e comissão estão conscientes disso.

Para partida deste final de semana, diante do Sobradinho, a programação da semana foi mantida inalterada. Academia, desintoxicação,  treino técnico, coletivo, treino técnico e apronto.  O CEC não enfrenta o Sobradinho desde março de 2005, quando empatou no Augustinho Lima por 2 x 2.

Related Images:

Claudionor e Gustavo comemoram

CEC faz o dever de casa: 3 x 1

Daniel fez mais uma boa partida defensivamente.
Daniel fez mais uma boa partida defensivamente.

Se alguém esperava jogo fácil, errou. Com o Ceilândia nunca é fácil e o torcedor prefere assim. Já se acostumou. O time do Dom Pedro foi o último a se apresentar e talvez por isso alguns esperavam uma partida fácil. Ledo engano.

O Ceilândia começou avassalador, impondo um ritmo de jogo que o torcedor não está acostumado a ver. Encurralou o Dom Pedro no seu campo defensivo e, com trocas de passes rápidos envolvia o adversário. Se é verdade que tomava as rédeas da partida, não menos verdadeiro é que o CEC não conseguia criar situações claras de gol.  Mesmo assim o gol era questão de tempo, ou algo parecido.  Aos 20, Rogerinho cobrou falta da direita e Cassius desviou para o fundo do gol. CEC 1×0.

Cassius fez dois gols e deu muito trabalho ao adversário
Cassius fez dois gols e deu muito trabalho ao adversário

O gol fez mal ao Ceilândia. Desacostumado a tocar a bola, o Gato se atrapalhou com as facilidades encontradas. Talvez por isso mesmo começou a tocar a bola por tocar, cadenciando o jogo, mas sem objetividade.  Foi num desses lances que Gustavo conseguiu um belo disparo. A bola acertou o pé da trave direita.

Por mais contraditório que possa parecer, aos 35 Claudionor investiu contra a defesa adverária, tocou para Cassius, recebeu dentro da área, rodopiou e bateu de esquerda: um golaço. Ceilândia 2 x 0. O jogo estava muito fácil, o Ceilândia tratou de complicar.  A partir do segundo gol o CEC passou a confundir cadência de jogo com lerdeza, com displicência. Os erros de passes forçados foram permitindo ao Dom Pedro se aproximar da defesa do Gato.

Aos 45, o castigo. Nova troca de passes infrutíferas pela lateral esquerda. Novo erro. No contra-golpe, Abimael desviou para o fundo dos redes. Castigo e suspense para a segunda etapa.

Ricardo Oliveira colocou China no lugar de Rogerinho: China fez a sua melhor apresentação
Ricardo Oliveira colocou China no lugar de Rogerinho: China fez a sua melhor apresentação

Veio o segundo tempo e foi um outro jogo. O Dom Pedro tomou a iniciativa das ações, mas ficou certo que apenas com disposição não se consegue ganhar do Ceilândia. Por mais mal que o time estivesse no segundo tempo, o Dom Pedro apenas se aproximava da grande área alvinegra. Aos 18, Ricardo Oliveira colocou China e Wallison nos lugares de Rogerinho e Ancheta. China, embora não tenha sido o jogador que dele se espera,  voltou a dar equilíbrio ao meio de campo do CEC e fez a sua melhor participação com a camisa do Gato até agora.

A despeito da melhora, o jogo seguia sem que ninguém levasse perigo efetivo ao adversário. Aos 41, Claudionor mostrou porque é conhecido por sua velocidade e foi derrubado na área. Penalti. Cassius bateu e deu números finais ao jogo.

Ao final o CEC ganhou por 3 x 1, mas não sem sofrimento. Na próxima rodada o Gato pega o Sobradinho no Abadião. Está chegando a hora do time ganhar um rosto.

Related Images: