Tag: Darci

Páginas viradas

Luiz Fernando: entrou no sufoco e deu conta do recado
Luiz Fernando: entrou no sufoco e deu conta do recado

A vitória de ontem já é página virada, os incidentes que levaram ao afastamento de Allan Dellon também.

Um dos grandes motivos para explicar as dificuldades que o time enfrentou na partida contra o Luziânia foi o afastamento de Allan Dellon ainda na concentração, por mau comportamento. A explicação da comissão técnica foi que os membros da comissão técnica são educadores e às vezes a punição por mau comportamento é absolutamente necessária, mesmo que isso coloque em risco o resultado esportivo.

Da mesma forma como se pune a Comissão entende que se tem que resgatar o homem.  Allan Dellon teve até aqui um comportamento exemplar durante toda a competição. A avaliação sobre a extensão da punição deve passar pelos líderes do elenco, mas já há sinalização de que os jogadores aceitarão de bom grado o retorno de Allan Dellon aos trabalhos.

O lado bom disso tudo é que revela a preocupação do Ceilândia com o homem e isso é sempre positivo. É absolutamente importante que se retire lições a cada momento da vida, mas que as regras sejam inflexíveis naquilo que tem de ser inflexível.

LUZIÂNIA PERDEU A CHANCE DA VIDA

Alcione: comportamento serviu de exemplo e inflamou a defesa
Alcione: comportamento serviu de exemplo e inflamou a defesa

Outra avaliação foi a de que o Luziânia perdeu a chance da vida dele. Dificilmente o adversário encontrará um Ceilândia tão apático como ontem. De maneira geral a Comissão entendeu que o time sentiu a falta de Allan Dellon e, mais que isso,  o afastamento dentro da concentração atingiu a todos.  De algum modo todo o planejamento da semana caiu por terra momentos antes da primeira partida da decisão. Todo o plano de jogo foi alterado num segundo e Adelson teve que fazer improvisações na defesa e no meio de campo porque a entrada de Luiz Fernando mudaria e muito a maneira do Ceilândia jogar.

Em meio as dificuldades de ontem ressaiu o espírito de luta dos jogadores. Adelson inspirou-se em Osvaldo Oliveira: “quando não der para atacar, tente ao menos se defender bem”. Foi isso que fez e nesse quesito os jogadores foram fantásticos. Embora todos tenham sido fantásticos um deles, em especial, se destacou: Alcione. Embora isso não deva ocorrer, houve momentos em que tentou inflamar o time correndo ele próprio de uma lateral a outra para impedir as jogadas adversárias. O comportamento de Alcione serviu de exemplo e inflamou os seus companheiros: por aqui ninguém passa! E assim foi….

Related Images:

Ceilândia começa a decidir o campeonato

Dimba perde de cabeça. CEC perdeu gols e a partida. Lição a ser aprendida
Dimba perde de cabeça. CEC perdeu gols e a partida. Lição a ser aprendida

O Ceilândia chegou até a decisão sem fazer alarde. O time foi crescendo aos poucos e a página foi virada no empate contra o Ceilandense. Naquela partida o CEC chegou a estar perdendo por 2 x 0, mas chegou ao empate na base da raça. O entrosamento entre Allan Dellon e Dimba foi melhorando e quem tem Allan Dellon e Dimba em boa forma tem meio caminho andado para a vitória.

Após aquele jogo o  time mudou a sua maneira de jogar. Passou a ter mais posse de bola, mas dessa vez com qualidade. Um time mais ofensivo traz problemas na defesa. O time joga exposto, mas nas partidas da fase de classificação o Ceilândia chegou a um equilíbrio.

Para a decisão de hoje será absolutamente importante ter o equilíbrio na saída para o ataque, para não dar os contra-ataques para o adversário. A partida de hoje deve ser diferente da partida que decidiu o primeiro turno. O Ceilândia é hoje um time totalmente diferente na sua formação e na maneira de jogar. O Luziânia também. Para os jogadores, não há clima de revanche: é uma decisão e uma decisão todos gostam de jogar.

Com Dimba e Allan Dellon o CEC é forte
Com Dimba e Allan Dellon o CEC é forte

O clima na semana era bom entre os jogadores. Não se sentia que estivessem pilhados ou indiferentes em demasia. O Ceilândia parece ser um time consciente de sua própria capacidade e de sua responsabilidade. O gato vive melhor momento que o Luziânia e,  tirando a última partida, sempre traz bons resultados do Serra do Lago.

Adelson concorda que é verdade que o Gato vive um melhor momento, mas o Luziânia venceu o turno sem contestações e com certeza não esqueceu de jogar futebol, relembra.

O problema é que em jogos de mata-mata a partida de ida condiciona o jogo da volta: você começa a segunda partida colhendo o que plantou na primeira. O Ceilândia também sabe das dificuldades, mas não deve se deixar intimidar por elas.

Related Images:

Breno, Liel, Didão, Dimba e Alan Delon: paredão alvinegro

Quarta-feira, 16h, Cidade do Gato…

No treino em campo reduzido, muita seriedade
No treino em campo reduzido, muita seriedade

O Ceilândia encerrou a sua quarta-feira com um dois-toques em campo reduzido. Adelson de Almeida dividiu o elenco em três equipes e conduziu a atividade com a exigência de sempre. Os jogadores responderam bem às exigências do comandante. O clima é de concentração, sem exageros que possam levar ao relaxamento ou ao excessivo pilhamento.

Em meio a atividade havia sempre o cuidado com as entradas. Adelson, sempre atento aos detalhes, sempre dizia: devagar… devagar. Adelson visivelmente procurava poupar os seus jogadores.Panda não participou dos treinamentos do dia. Segue em tratamento e a sua participação é a maior dúvida no momento.

Estratégia mantida: trabalho da semana será igual ao da decisão do turno.
Estratégia mantida: trabalho da semana será igual ao da decisão do turno.

De mais a mais percebeu-se a preocupação com a partida deste final de semana. De qualquer sorte a avaliação da Comissão é a de que o planejamento não deve mudar em relação à decisão do primeiro turno. Todo o trabalho tático, físico e mental será exatamente o mesmo.

Entendeu-se que naquela oportunidade, na decisão do turno,  o resultado não veio porque o futebol é de fato imprevisível. O time entendeu isso perfeitamente e está preparado para não repetir os erros do passado.

Embora o Ceilândia viva um melhor momento, com Dimba e Allan Dellon desequilibrando,  Adelson despista e diz que o Luziânia não esqueceu de jogar e tem um dos melhores técnicos da competição, por isso é um adversário perigoso. Não é possível discordar de Adelson, mas é inegável que se alguém tem mais responsabilidade nessa decisão, esse alguém é o Ceilândia.

Related Images:

A hora da razão

Festa merecida, mas o Luziânia é um time diferente
Festa merecida, mas o Luziânia é um time diferente

Passada a euforia pela vitória de ontem, está chegando a hora da razão. A vitória em si nada representou em relação aos planos do Ceilândia para 2012, foi apenas um passo. Qualquer pessoa sabe que o Luziânia vem poupando o seu elenco física e mentalmente para a Final.

O Ceilândia era melhor que o Sobradinho. Internamente não havia dúvidas quanto a isso. O medo estava nas pegadinhas que o futebol costuma pregar.

O Ceilândia não foi fantástico, o resultado em si apenas evidencia que o Ceilândia foi eficiente contra o apenas valente time do Sobradinho.

Pesou a seu favor o fato de o Sobradinho estar excessivamente pilhado.  A estratégia do Sobradinho foi equivocada. Na marra dificilmente se ganha jogo de futebol. Restou ao Ceilândia controlar as investidas do adversário e ser eficiente no contra-ataque. Isso fez a diferença. Também fez a diferença o fato de o Sobradinho não ter conseguido o último passe, o passe que cria situações de gol.

Cassius foi o jogador mais importante: participou de dois e fez dois gols, além de ter impedido saída de bola do adversário
Cassius foi o jogador mais importante: participou de dois e fez dois gols, além de ter impedido saída de bola do adversário

No mais foi um jogo confuso. O Ceilândia não conseguiu impor o seu habitual toque de bola no início do segundo tempo e isso colocou em risco a classificação. Em alguns momentos o CEC abusou dos chutões, mesmo quando poderia sair com a bola dominada.

Depois dos quinze minutos do  segundo tempo tudo ficou facilitado para o CEC porque o Sobradinho foi todo para o ataque deixando a defesa com apenas dois centrais. Os contra-ataques conduziram o CEC à vitória. A prova inequívoca de que o Sobradinho era um time sem inspiração é o fato de que Jonhes saía muito da área, procurando fazer com que a bola chegasse ao ataque. Isso facilitou a vida da defesa do Ceilândia.

O Sobradinho não foi e não seria parâmetro porque o Luziânia é um time diferente e o Ceilândia não deve encontrar as mesmas facilidades para neutralizar o adversário. Nas duas partidas contra o Luziânia o CEC foi envolvido em todas elas. É verdade que o time alvinegro era um time diferente naquelas oportunidades.

Adelson é levantado pelos jogadores: hora de esquecer o Sobradinho e focar o Luziânia
Adelson é levantado pelos jogadores: hora de esquecer o Sobradinho e focar o Luziânia

O dia de hoje amanhece com um gosto de ressaca. Não se pode negar que um objetivo foi alcançado: estar na final. O Luziânia descansou o time nas últimas rodadas, teve tempo para analisar detidamente o alvinegro nas partidas contra Legião e Sobradinho e com certeza conhece mais ao Gato do que o Gato conhece o adversário.

Depois da descarga de adrenalina de ontem, hoje é dia para ir aos poucos tendo contato com a realidade. Não se deve retirar dos jogadores e comissão técnica o direito de comemorar. A realidade tem que vir aos poucos tomando conta do dia a dia do Ceilândia. A realidade vai mostrar que o Sobradinho não era o adversário, o adversário, desde aquela derrota na Serra do Lago, sempre foi o Luziânia.

Related Images:

Ceilândia está na final

Com os nervos no lugar, Ceilândia resistiu à truculência do Sobradinho
Com os nervos no lugar, Ceilândia resistiu à truculência do Sobradinho

Não foi fácil, mas o Ceilândia está na final do Metropolitano 2012.  O Gato soube administrar os próprios nervos para conseguir uma importante vitória na tarde deste domingo em Sobradinho. Com a vitória, o Ceilândia conquistou o segundo turno do campeonato metropolitano de 2012 e garantiu um lugar na final diante do Luziânia.

O jogo foi essencialmente parelho. O Sobradinho tentou encurralar o Ceilândia em seu próprio campo de defesa, mas aos poucos o melhor toque de bola do CEC foi se impondo. O resultado disso é que o Ceilândia equilibrou as ações e a sua melhor condição técnica aos poucos foi fazendo a diferença.

Apesar de chegar com mais qualidade à meta adversária, o CEC não abria o marcador. As oportunidades passam próximas de Dimba, mas o artilheiro por duas vezes não alcançou a bola.

Allan Dellon e Dimba: mais uma vez importantes
Allan Dellon e Dimba: mais uma vez importantes

Aos 40 minutos da primeira etapa, Cassius apareceu cara a cara com Osmair e bateu com categoria no canto esquerdo da meta adversária. Osmair fez uma belíssima defesa, mas na sobra Dimba mostrou que estava atento e abriu o marcador para o Ceilândia.

Veio o segundo tempo e aconteceu o que se temia. O Ceilândia passou a dar chutões para se livrar da bola. Não é que o Sobradinho fosse melhor, mas o fato é que ao ter desistido de jogar o Ceilândia trocava fugia às suas características. O castigo não demorou e Edicarlos aproveitou sobra na área para empatar. Eram 7 minutos do segundo tempo.

Após sofrer o gol o Ceilândia voltou a jogar com a bola no chão. Não demorou muito e Allan Dellon colocou a bola na cabeça de Cassius que colocou o Gato novamente na frente aos quinze do segundo tempo.

Panda saiu lesionado: preocupação para as finais
Panda saiu lesionado: preocupação para as finais

A vantagem no marcador dessa vez fez bem ao Ceilândia. O time aprendeu com o erro do gol do empate do Sobradinho e continuou tocando a bola no seu estilo. Chutão apenas quando realmente necessário.

O Sobradinho veio todo para o ataque e aí brilhou a visão de jogo de Allan Dellon. Eram 24 minutos do segundo tempo quando Liel desarmou o adversário e tocou para Allan Dellon. O meia, que fez mais uma boa partida,  enxergou Luiz Fernando se deslocando e deu um passe magistral para o meia, que acabara de entrar no lugar de Dimba. Luiz Fernando bateu na saída de Osmair e fez 3 x1 para o Ceilândia.

Forte marcação do CEC neutralizou o Sobradinho
Forte marcação do CEC neutralizou o Sobradinho

Com o terceiro gol do Ceilândia a torcida adversária começou a ir embora. O Sobradinho, contudo,  era valente e tentava a todo custo diminuir a diferença. O Ceilândia era perigoso nos contra-ataques e perdeu ao menos duas chances de matar o jogo.

Tranquilidade apenas aos 44 minutos quando Cassius, em mais um contra-ataque do Ceilândia, fez 4 x 1. Agora era apenas esperar o final do jogo: o Ceilândia estava na final.

A

Related Images:

Uma foto desfocada e que não retira o brilho da união do grupo

Unidos, na vitória ou na derrota: A melhor campanha das últimas décadas

Um campeonato em vários atos: A melhor campanha dos últimos anos
Um campeonato em vários atos: A melhor campanha dos últimos anos

Está tudo  pronto para a final do returno. O Ceilândia tem a consciência de que não há mais o que fazer: o que os times tinham que ganhar em termos de consistência tática e técnica foram conseguidos nos quatorze jogos disputados até agora. Ninguém vai aprender ou desaprender em um jogo.

O Ceilândia está tranquilo e não deve mudar a sua maneira de jogar. Apesar da necessidade da vitória o CEC não deve abrir mão de seu forte sistema de marcação. A expectativa também é a de que o Sobradinho não deva jogar totalmente aberto, porque o adversário também deve saber dos riscos de que vai correr. Em suma: deveremos ter um jogo truncado.

O Ceilândia vem de fazer a sua melhor campanha nas últimas décadas e há tempos não se via um trabalho tão consistente. O futebol é cheio de surpresas e, por isso mesmo, do ponto de vista do torcedor seria realmente uma pena que um trabalho de tanta qualidade viesse a ser esquecido em razão da perda do título.

Adelson de Almeida já tem o time que vai lançar a campo. A dúvida em torno de Allan Dellon continua. Experiente, o jogador precisa estar focado na partida,  esquecendo as provocações do adversário para que não se repita o que ocorreu com Dimba no primeiro turno.

O artilheiro do Gato desta vez está tranquilo, calado, guardando as energias para a partida de hoje.

O Ceilândia acredita que fazer um gol cedo pode ser importante, mas não será decisivo. Será importante manter a concentração a partida inteira e manter equilíbrio: as decisões se ganham primeiro mentalmente. O Ceilândia é um time mentalmente forte e terá pela frente um adversário impetuoso e que não perde em seus domínios há três meses. Time por time, o do Ceilândia é melhor, mas o Sobradinho tem várias vantagens: a de jogar em casa é importante e a vantagem do empate é talvez a mais decisiva. O Ceilândia vai ter que remar bastante.

Related Images:

Para chegar à final, ninguém investiu como o Ceilândia

 

Cassius é sempre esperança de gol para o Ceilândia
Cassius é sempre esperança de gol para o Ceilândia

O Ceilândia começou a competição apontado como um dos favoritos, ao lado do Brasiliense. O time do Ceilândia apostava nas estrelas de Iranildo e Dimba. Depois veio Allan Dellon. Além disso, contava com a base do time que foi campeão em 2010: Panda, Badhuga, Liel, Daniel e Allan Dellon, além do próprio Dimba, artilheiro da equipe.

Ao lado dos heróis do campeonato de 2010, o CEC manteve o maior artilheiro do futebol do DF em todos os tempos e também da própria história do Gato: Cassius.

Ao lado desses jogadores outros bons valores foram contratados e aos poucos o time foi ganhando corpo: Darci, de excelente passagem pelo Gato e importante passagem pelo Bahia, Alcione que chegou timidamente e aos poucos ganhou a vaga do competente Gustavo na lateral-direita. Breno que achou o seu lugar na lateral esquerda e Didão, que chegou e arrumou o meio de campo do Ceilândia.

Jogadores como Liel são muito importantes nessa hora: carregadores de piano
Jogadores como Liel são muito importantes nessa hora: carregadores de piano

Para comandar a equipe veio Adelson de Almeida que soube utilizar o material humano a sua disposição. Uma excelente equipe para os padrões locais e talvez o maior investimento para a competição.

É com o peso dessa responsabilidade que o Gato enfrenta o Sobradinho amanhã. Vencer significa dar um passo à frente no planejamento realizado para 2012 e que visa unicamente uma vaga na série D.

O Sobradinho é um adversário que oscilou muito no campeonato mas é forte dentro de casa. No segundo turno o Sobradinho tem uma campanha surpreendente e foi o primeiro colocado no chave que contava com Luziânia e Brasiliense. O Ceilândia tem experiência de sobra para enfrentar o adversário nessas condições.  O Ceilândia tem a responsabilidade, pelo futebol apresentado e pelo investimento. O Sobradinho foi uma grata surpresa na competição. Vai ser um jogo difícil…

Related Images:

Allan é dúvida para a final

Melhor jogador do returno: Allan deve desfalcar o Gato
Melhor jogador do returno: Allan deve desfalcar o Gato

Allan Dellon é só otimismo para este domingo. O atleta chegou em meio a desconfianças e aos poucos foi recuperando o seu melhor futebol.

Em meio as preocupações com o adversário deste final de semana, veio outra preocupação: a definição sobre a utilização do meia Allan Dellon ganha contornos de novela. O meia sentiu desconforto na coxa nos dias que antecederam a partida contra o Legião. Durante a partida dessa quarta-feira, Allan voltou a sentir a coxa e teve que ser substituído.

O tratamento do atleta começou ainda durante a partida contra o Legião, quando fez aplicação de gelo para diminuir eventual edema. Apesar de demonstrar confiança em ser utilizado, Adelson prefere esperar a evolução: para uma decisão só é possível contar com jogadores que estejam a cem por cento.

Para a decisão desse domingo duas preocupações. A primeira preocupação é com a exposição na imprensa. Não se quer repetir os mesmos erros do turno, quando Dimba ficou demasiadamente exposto na imprensa. O resultado é que Dimba acabou assumindo para si uma responsabilidade que deveria ser de todo o time. Excessivamente pilhado em campo, Dimba jogou mal, discutiu com a arbitragem e somente não foi expulso porque a arbitragem foi condescendente.

Nos últimos dias o filme tem se repetido com Allan Dellon por várias razões: primeiro porque Allan Dellon vem sendo o diferencial dentro de campo e segundo porque Allan Dellon se contundiu e a sua presença na decisão passou a ser dúvida.

Marquinhos e Gustavo: opções no banco
Marquinhos e Gustavo: opções no banco

Adelson está atento e Allan Dellon é experiente o suficiente para não se deixar levar pelos acontecimentos.

O Sobradinho não perde em casa há três meses, o que demonstra que o time adversário tem qualidades. O Sobradinho também sabe que não foi por acaso que o Ceilândia  fez a melhor campanha no geral, foi campeão do seu grupo no turno e no returno.

O Ceilândia chegou até aqui trabalhando em silêncio e tem um bom time para os padrões locais. Consciência da própria capacidade é extremamente importante nessas horas. Cada adversário sabe da força que o outro tem para a partida deste domingo.

O técnico Adelson de Almeida não deve mexer no  esquema de jogo, mesmo que Allan Dellon não jogue. Em seu lugar entraria Luiz Fernando. Se for mudar, a opção cogitada foi a de Daniel, reforçando o meio de campo para conter os perigosos contra-ataques do Sobradinho.

Related Images:

CEC cumpre obrigação e vence o Gama: 2 x 0

Darci: sem ser espalhafatoso, foi eficiente e contou com a má pontaria do adversário.
Darci: sem ser espalhafatoso, foi eficiente e contou com a má pontaria do adversário.

O Ceilândia cumpriu a sua obrigação e venceu o Gama na tarde deste sábado, jogando no Bezerrão, por 2 x 0.  Para vencer a partida o Ceilândia não precisou ser brilhante: bastou ser minimamente organizado, neutralizar a única jogada do adversário e contar com os inúmeros erros do Gama.

Poucas vezes nesse campeonato e talvez nos últimos anos, o Ceilândia enfrentou um adversário que errasse tanto. O Gama era incapaz realizar três toques de bola em profundidade. Extremamente previsível, o adversário colocou dois atacantes abertos e apelava incessantemente para as ligações diretas.

Para facilitar ainda mais as coisas, defensivamente o time do Gama era uma nulidade: o time marcava de longe e havia demasiado espaço entre as instâncias defensivas.

Pênalti claro em Alcione e que não foi  marcado. Arbitragem perigosamente displicente.
Pênalti claro em Alcione e que não foi marcado. Arbitragem perigosamente displicente.

Sem que o Gama apresentasse qualquer jogada estruturada, bastou a Adelson de Almeida marcar os atacantes homem-a-homem e deixar um zagueiro na sobra para que o Gama fosse neutralizado.

O Ceilândia não foi perfeito, ao contrário. Em alguns momentos foi displicente e isso permitiu ao Gama que criasse situações de gol. Nesses momentos, a incompetência do ataque adversário, aliada a uma boa partida do goleiro Darci, impediram o gol gamense.

Como time, o Ceilândia foi melhor o jogo inteiro. Não lhe interessava ficar trocando contra-ataques com o Gama. Por isso, manteve o seu padrão de jogo, com uma sólida formação defensiva.

Dimba e Allan Dellon: os velhinhos fazem a diferença
Dimba e Allan Dellon: os velhinhos fazem a diferença

Por esses motivos, o  primeiro tempo se encaminhava para o zero a zero quando, após cobrança de falta, Didão desviou de cabeça e abriu o marcador para o Ceilândia. Eram 42 minutos do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o comportamento do Gama não mudou. O CEC tinha as mesmas facilidades e não demorou para que aos 10 minutos Dimba desse um passe magistral para Allan Dellon bater, também com categoria, no canto esquerdo do goleiro Pereira e fazer 2 x 0.

Depois do segundo gol, o CEC caiu e produção e permitiu um breve domínio alviverde. Nas poucas chances que criou, a má pontaria impediu o Gama de diminuir a diferença. Por isso, bastou ao Ceilândia fechar-se na defesa para administrar o placar. No final, o Ceilândia nada tem a ver com a má-fase do adversário e o péssimo futebol por ele apresentado.

Marcação do Gama chega mais uma vez atrasada: daqui prá frente tudo deve ser diferente, mas o Gato está pronto
Marcação do Gama chega mais uma vez atrasada: daqui prá frente tudo deve ser diferente, mas o Gato está pronto

A vitória foi importante e coloca o Gato nas semi-finais do turno. Por isso mesmo, é óbvio que não há como desmerecer a vítória do Ceilândia. O Gato teve méritos porque soube aproveitar os erros do adversário e mostrou que é um time consciente de sua missão.

Daqui para a frente não dá para contar com a sorte ou incompetência do adversário. Cada jogo será uma decisão. O CEC mostrou que está maduro, mas o futebol tem lógicas que a própria lógica desconhece. Time por time, o CEC é melhor, mas futebol é sempre uma caixinha de surpresas…

Related Images:

Dimba contra o Gama em 2011

Desespero do Gama coloca a prova maturidade e evolução do Ceilândia

Dimba contra o Gama em 2011: vitória de nada serviu para o Gato
Dimba contra o Gama em 2011: vitória de nada serviu para o Gato

O Ceilândia enfrenta o Gama na tarde deste sábado, num jogo decisivo para as pretensões do seu oponente.  Para o Ceilândia a partida é importante, mas não é decisiva. É o tipo de jogo perigoso: uma vitória pode levar à falsa sensação de que o objetivo foi alcançado, mas não foi. A partida de hoje é apenas uma etapa visando o campeonato.

Uma derrota pode ser ainda pior. Pode levar ao time a se acomodar. Isso pode ser perigoso nas semi-finais, inclusive porque o CEC perderia a vantagem de decidir em casa. Decidir em casa, pelo simples motivo de decidir em casa, também não muda muita coisa, dado o equilíbrio da competição.

É em meio a esse mar de contradições que o Gato vai para o desafio de hoje. Para que não haja dúvidas, o mais importante é que o time do Ceilândia jogue a sua bola e viva minuto a minuto a partida de hoje.

Breno deve ficar preso na marcação: contra-ataques do Gama preocupam
Breno deve ficar preso na marcação: contra-ataques do Gama preocupam

Para o Gama o problema é ainda maior, mas há esperança. O Brazlândia dispensou boa parte dos jogadores e jogará muito desfalcado diante do motivado Capital. O Capital é favorito,  tão favorito que é capaz de dar zebra.

Em 2011, o CEC enfrentou o Gama na última rodada precisando de combinação de resultado. Venceu, mas foi eliminado. A história se repete, mas com papéis invertidos.

Nessas condições, Ceilândia e Gama tem tudo para ser um bom jogo. Em circunstâncias normais,  o toque de bola e a estrutura tática do Ceilândia tendem a prevalescer sobre a impetuosidade do Gama. Os contra-ataques do Gama trazem uma enorme preocupação e podem desequilibrar a balança para o lado alviverde.

O Gama distribuiu faixas pela cidade convocando a torcida.Promessa de bom público. Isso também pesa para o lado alviverde. Vai ser um bom jogo.

Related Images:

CEC: nada de pilha para as finais

Badhuga comemora em 2010: CEC joga a liderança em 2012
Badhuga comemora em 2010: CEC joga a liderança em 2012

O Ceilândia se preparou para a competição com um objetivo: conseguir a vaga para a série D. Apontado por muitos como um dos favoritos ao título, o CEC trabalhou em silêncio e chegou a liderança da competição.

Apesar da boa campanha até aqui, o Ceilândia não garantiu a conquista do seu principal objetivo. Para tanto, não pode tropeçar em nenhum dos obstáculos que terá pela frente a começar por amanhã.

O CEC joga amanhã de olho na liderança geral, disputada ponto a ponto com o Luziânia. No turno, o CEC entra para conquistar a primeira colocação em seu grupo. É um jogo de muitas decisões.

Darci vai aos poucos ganhando confiança
Darci vai aos poucos ganhando confiança

Adelson deve levar a campo a força máxima alvinegra. O time está consciente das suas necessidades, mas não está pilhado. O mais importante para essa fase final é aliar consciência tática e a técnica.

O time do Gama preocupa por várias razões. O adversário mostrou que tem enormes dificuldades quando precisa abrir espaços na defesa adversário. Não vai ser o caso amanhã, porque o Ceilândia tem mostrado que é um time de domínio de posse de bola, jogando no campo do adversário. O Gama mostrou que é mortal nos contra-ataques.

O problema para o Gato é que na fase final não há chance de recuperação. Qualquer derrota significa apenas uma coisa: o ano acabou.

Related Images:

Ceilândia esquece Brazlândia e já foca o Gama

Liel e Didão: Experiência do Gato pode fazer diferença na reta final
Liel e Didão: Experiência do Gato pode fazer diferença na reta final

O Ceilândia retorna às atividades nesta segunda sabendo que a briga por uma vaga na Série D ficou ainda mais complicada com os resultados do final de semana. No grupo A, Sobradinho e Luziânia vão se enfrentar e um empate classifica as duas equipes. O terceiro colocado é o Legião que precisa desesperadamente da vitória sobre o Botafogo-DF para fugir do rebaixamento. Somente então é que aparece o Brasiliense que vai enfrentar o desesperado Dom Pedro num confronto de vida ou morte. Matematicamente as chances do Brasiliense até que são grandes (algo como 7%), mas o time de Taguatinga vai ter que contar com a sorte.

No grupo B, o adversário do Ceilândia vai ter que contar com a ajuda do Brazlândia, que enfrenta o Capital. Precisando do resultado, o Gama recebe um inesperado favoritismo diante do Gato, mas somente se classificará se o Capital não vencer o Brazlândia. Matematicamente as possibilidades do Gama devem se situar em torno de 18%, acreditando-se que o Brazlândia nada mais tem a disputar na competição e o Capital entrará motivado para essa partida.

Allan Dellon é advertido: Cartões amarelos preocupam nesta reta final
Allan Dellon é advertido: Cartões amarelos preocupam nesta reta final

O objetivo do Ceilândia é outro. Com o foco centrado essencialmente na Série D, o Gato precisa garantir a primeira classificação no geral para garantir eventual vantagem nas fases decisivas, tanto do segundo turno, quanto do campeonato.

Adelson de Almeida começa a semana ainda sem saber se algum jogador acusou algum problema no final de semana. O Ceilândia parece tranquilo e está consciente da sua própria capacidade. Teoricamente faltam cinco jogos para terminar o campeonato. Porque o time vem crescendo de produção, a confiança da torcida aumenta.

Related Images:

Em 2008, no Abadião, Brazlândia tirou o Gato da Copa do Brasil

Amanhã será um dia tenso…

Dimba sofre um ippon contra o Formosa: caçado em campo nos últimos jogos
Dimba sofre ippon diante do Formosa: caçado em campo nos últimos jogos. Nesse lance, foi jogado para o alto e precisou de atendimento médico.

A aparente tranquilidade na Cidade do Gato esconde a tensão para a partida de amanhã.

O Ceilândia vem em fase ascendente, com um padrão de jogo definido e com uma média superior a dois gols por partida no segundo turno. Em compensação, a defesa também tomou uma média de quase dois gols por partida.

Para piorar, nas últimas quatro partidas, o CEC teve assinalado contra si três penaltis, quase um por jogo. Embora reclamasse alguns penaltis, o CEC não teve assinalado qualquer penalti a seu favor nos últimos jogos.

Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time
Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time

Nas últimas duas partidas o time teve que correr atrás do marcador. Contra o Ceilandense chegou a estar perdendo por 2 x 0 e empatou; contra o Formosa, saiu na frente, permitiu que o Formosa virasse e, somente no final, virou novamente.

Se isso pode demonstrar a força de superação do grupo, por outro lado mostra que o CEC está namorando com o azar.

Para a comissão preocupa o fato de que contra o Formosa o CEC sofreu com a bola aérea do adversário. Talvez parte dos problemas estivesse no fato de que Darci, que voltava de longo período de inatividade, estivesse inseguro. Agora, com um jogo e mais uma semana de trabalho, é de se esperar que Darci esteja mais habituado.

Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.
Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.

Adelson sabe que a vitória contra o Brazlândia é importante, mas sabe que é mais importante garantir o primeiro lugar no grupo.  O Brazlândia é um time que mexe bem a bola no meio de campo. Isso vai demandar muita atenção dos volantes e dos laterais para impedir as inversões de bola.

No mais, o CEC vai ter que jogar sério, muito sério e aproveitar as oportunidades criadas. Não se prevê um jogo de muitos gols nesse sábado. Vai ser um jogo tenso, mas o CEC tem tudo para fazer prevalescer a sua melhor técnica.

Somente com o primeiro lugar é que o time pode levar alguma vantagem nas finais do turno. Ganhar o segundo turno para o CEC é uma obsessão. Sem isso, todo o projeto 2012 vai por água abaixo.

Related Images:

Adelson e seus goleadores: Cassius e Dimba

Brazlândia no sábado e outros quatro desafios

Alcione combate: CEC venceu o Brazlândia por 2 x 0. Os times mudaram muito de lá para cá
Alcione combate: CEC venceu o Brazlândia por 2 x 0. Os times mudaram muito de lá para cá

O Ceilândia está crescendo na hora certa da competição. Após uma campanha regular até agora, tendo vencido o seu grupo no primeiro turno, ter sido vice da Taça JK e com a segunda melhor campanha no geral, o CEC vai aos poucos ganhando a confiança necessária para essa reta final.

O planejamento do Gato para 2012 previa a disputa da Série D. Esse projeto está a perigo desde a derrota para o Luziânia na final da Taça JK. Em razão dessa derrota o Gato ficou com apenas uma opção: Ser campeão candango de 2012. Para isso precisa vencer o returno e ganhar a decisão contra o Luziânia. Em outras palavras: são seis jogos sem poder perder.

A partida deste sábado promete muita emoção. O Brazlândia corre pouco risco de rebaixamento, mas ainda possui chances de se classificar para as finais do turno. É um time que jogará sem a pressão do Luziânia.

Darci retornou contra o Formosa e deve permanecer
Darci retornou contra o Formosa e deve permanecer

O CEC jogou contra o Brazlândia na fase de classificação. Foi um jogo difícil, no qual o Brazlândia envolveu o Gato a maior parte do jogo. No final, as falhas do goleiro do Brazlândia definiram a partida e o Ceilândia ganhou por 2 x 0.

Adelson não tem problemas para definir a equipe. Contra o Formosa o treinador fez diversas modificações inclusive no esquema de jogo. Para este sábado ele não promete novidades, mas há sempre a possibilidade de manter o esquema utilizado nos jogos em casa, com um time mais ofensivo e sem os três zagueiros.

Related Images:

CEC quebra tabu e vence o Formosa

Allan Dellon: crescendo na hora certa
Allan Dellon: crescendo na hora certa

O Ceilândia deu um importante passo rumo à classificação à fase final do segundo turno do Campeonato Metropolitano. Jogando na tarde de hoje em Formosa, o CEC venceu o adversário de mesmo nome por 3 x 2.

Foi uma partida de futebol à moda antiga: pressão extracampo, simulação de faltas, pressão sobre a arbitragem  e chutões, muitos chutões.

O  Formosa começou a partida melhor, aproveitando-se do fato de estar melhor adaptado ao gramado duro do Diogão. O time do Ceilândia demorou a se adaptar e era visível o temor de errar passes. O time demorava muito a dominar a bola.

Alcione: soube aproveitar as facilidades e fez uma boa partida
Alcione: soube aproveitar as facilidades e fez uma boa partida

Com o passar do tempo o CEC foi colocando a bola no chão e aos poucos impondo-se ao apenas esforçado time do Formosa. Aos 20, Allan Dellon recebeu na entrada da pequena área de bateu cruzado, Ceilândia 1 x 0.

Após tomar o gol, o Formosa até que tentou colocar a bola no chão. O CEC permaneceu melhor por alguns minutos, mas em duas jogadas de bolas paradas permitiu ao adversário empatar e virar.

Darci solta a bola: falha minimizada pela vitória
Darci solta a bola: falha minimizada pela vitória

O CEC veio para o segundo tempo e aos poucos a sua melhor técnica, a sua melhor distribuição em campo e o seu melhor preparo físico se impôs.

O empate não demorou e Allan Dellon, novamente ele, fez um belo gol tocando na saída do goleiro. Não demorou e Dimba fez o terceiro, mas o assistente principal equivocadamente assinalou o impedimento. O CEC seguiu rondando o gol, mas não fez o terceiro.

Entre os 30 e 35 minutos o Formosa até que chegou a equilibrar a partida, mas o CEC era mais consistente e perigoso. O jogo seguia para aquele que seria o terceiro empate consecutivo entre as duas equipes, mas aos 45 minutos, Cassius dominou dentro da grande área e bateu. A bola desviou num jogador adversário e morreu mansamente na meta do Formosa.

Badhuga voltou, mas o time continua tomando muitos gols
Badhuga voltou, mas o time continua tomando muitos gols

O resultado premiou a única equipe que quis jogar futebol. O Formosa mostrou um futebol à moda antiga, de entrega é verdade, mas totalmente desatualizado.

Com a vitória o CEC permanece na liderança do grupo B e no próximo final de semana faz uma partida decisiva diante do Brazlândia no Abadião.

Related Images: