Tag: Dennys

Ceilândia x Gama: duelo de emergentes

Elvis marca Juninho: Parada dura...
Elvis marca Juninho, agora juntos no Ceilândia:  Deu Gama em 2013…

O Ceilândia terá uma semana extremamente complicada. Na quarta-feira, 16h, no Regional, enfrentará o Gama.

O jogo opõe quinto e sétimo colocados no campeonato. A posição na tabela, contudo, não revela o mais importante; o Gama não perde há cinco jogos e o Gato Preto está em franca ascensão.

Dudu correu muito contra o Luziânia. Ano passado, diante do Gama
Dudu correu muito contra o Luziânia. Ano passado, diante do Gama

Depois da vitória sobre o Luziânia e dos resultados do final de semana, o Ceilândia sabe que agora cortou pela metade o prejuízo do início da competição: a diferença para os times de seu porte é agora de três pontos.

O zagueiro Gilson estreou no último sábado e foi bem fazendo o gol da vitória. Ainda visivelmente fora de forma, Gilson fez valer a sua técnica.  O zagueiro atuou apenas um tempo.

Aparentemente o Ceilândia não terá problemas. Os jogadores retornam ao trabalho hoje para avaliação médica.

Related Images:

Ceilandia x Sobradinho em 2012: Dimba vai fica libre para empatar

Ceilândia tranquilo para a semi-final

Adelson: duas vezes campeão com o CEC
Adelson: duas vezes campeão com o CEC

O Ceilândia sabe que vive um bom momento e que terá pela frente um adversário que, embora cansado pela rotina de jogos, também vive um bom momento.

O técnico Adelson de Almeida ressalta o bom momento vivido pelo Sobradinho: um time que fez duas boas partidas diante do melhor time do Rio de Janeiro, o Botafogo,  e que foi eliminado da Copa do Brasil nos detalhes.

Para muitos, Adelson de Almeida e João Carlos Cavalo são os melhores treinadores em atividade no Distrito Federal.

Ceilandia x Sobradinho em 2012: Dimba vai fica libre para empatar
Ceilandia x Sobradinho em 2012: Dimba vai fica livre para empatar

O Ceilândia está tranquilo quanto à sua capacidade e conta com o Abadião como principal trunfo. No Abadião, o Ceilândia dificilmente perde.

Com relação ao time que vai mandar a campo, Adelson não faz muito segredo: a base do time é a que vem jogando. Também não deve haver alterações no modo de jogar.

Em campo, domingo, estarão lado a lado dois dos melhores ataques da competição. Para a defesa do CEC o desafio de parar o melhor ataque de todos.

Há também a preocupação com um dado estatístico: nas últimas quatro partidas, o CEC sempre saiu atrás no marcador contra o Sobradinho. Jogos muito sofridos.

Related Images:

Defesa será colocada à prova contra o melhor ataque da competição

Sobraram 5 times

Willian entrou no segundo tempo contra Ceilandense: ainda precisando convencer a torcida de que pode substituir Dimba ou Cassius
Willian entrou no segundo tempo contra Ceilandense: ainda precisando convencer a torcida de que pode substituir Dimba ou Cassius

O Ceilândia veio em uma campanha de recuperação após o desastre que foi o empate diante do Botafogo-DF na última rodada do primeiro turno.

O time começou cambaleante no segundo turno e, depois de um empate e uma derrota, caiu para a 5a colocação do grupo B. Era necessária uma campanha de recuperação. Foi isso que aconteceu.

Adelson de Almeida se viu forçado a fazer alterações na equipe. O time passou a jogar de modo diferente e os resultados começaram a aparecer. Três vitórias consecutivas e a combinação de resultados levaram o Gato à primeira colocação do Grupo B.

Elvis tem ficado no banco: Na hora decisiva, a experiência conta
Elvis tem ficado no banco: Na hora decisiva, a experiência conta

No próximo final de semana, em dia e horário a serem divulgados, o Ceilândia enfrentará o Sobradinho. As duas equipes se enfrentaram no primeiro turno e o jogo terminou empatado graças a uma tarde magnífica do goleiro Dennys.

Tanto Ceilândia quanto Sobradinho mudaram muito de lá para cá. Será um jogo diferente em todos os aspectos.

Para a torcida do alvinegro de Ceilândia, há a expectativa de que o time consolide a reação garantindo um lugar na final. Dos 12 times que começaram, restam apenas 5. Destes, quatro brigam para ver quem será o adversário do Brasília.

Related Images:

Gato salva mais uma vida! Agora: Ceilandense

Rosembrick fez uma boa partida pelo CEC
Rosembrick fez uma boa partida pelo CEC

O Ceilândia fez o impensável e entra na última rodada da Taça Mané Garrincha dependendo apenas de si para se classificar às semi-finais.

Comparada com a situação anterior, em que o Ceilândia tinha que torcer por uma intensa combinação de resultado, entrar na última rodada dependendo de si é um alento.

Está certo que o adversário é o líder do grupo, mas não menos certo é que o Ceilândia parece estar no caminho.

Dimba lutou muito, mas não fez o dele
Dimba lutou muito, mas não fez o dele

O jogo de hoje à tarde tinha um script bem desenhado. Mais importante que o resultado era vencer. Se possível, vencer com três gols de diferença. Não dando, qualquer resultado de vitória servia.

Adelson fez diversas alterações no time: no gol, Edinho entrava no lugar de Dennys. No meio, Cleber, Klécio, Elvis e Rosembrick. O CEC era um time diferente.

O CEC começou melhor, mas viu o Brazlândia ser brindado com um pênalti logo no começo da partida. Aí brilhou a estrela de Edinho que fez uma difícil defesa para manter o placar na igualdade.

Edinho defendeu um pênalti e manteve o CEC na briga
Edinho defendeu um pênalti e manteve o CEC na briga

O CEC não jogava mal, mas também não abria o marcador. As chances de gol iam se sucedendo, mas o placar teimava em ficar em branco.

Coube então ao melhor jogador em campo fazer a diferença. Rosembrick já havia tentado de perto e a bola havia explodido na trave. Aos 33, tentou de longe e abriu o marcador.

O gol deu tranquilidade ao Ceilândia que continuou perdendo gols. Assim terminou o primeiro tempo.

Badhuga cabeceia para fazer o terceiro: CEC está mais do que nunca na briga
Badhuga cabeceia para fazer o terceiro: CEC está mais do que nunca na briga

Veio o segundo tempo e o CEC não deu chance para o azar. Boa jogada de Rosembrick pela esquerda e um passe sob medida para Klécio fazer o segundo gol do Ceilândia: 2 x 0.

O segundo gol parece ter feito mal ao Gato Preto. O time perdeu um pouco da iniciativa do jogo e viu o Brazlândia gostar da partida.

Aos 30 do segundo tempo, veio o gol da tranquilidade: Cruzamento na área e Badhuga cabeceou para fazer o terceiro gol alvinegro e dar números finais à partida.

André Nunes: defesa terá pedreira pela frente
André Nunes: defesa terá pedreira pela frente

O resultado de 3 x 0 mantém o CEC na briga. O time tem crescido na reta de chegada, mas terá um adversário duríssimo pela frente. Embora já classificado, o Ceilandense precisa de ao menos um empate para garantir o primeiro lugar do grupo.

Já para o Ceilândia somente a vitória interessa. O alvinegro encontra-se em um dilema: vence e fica em primeiro lugar do grupo ou, em caso de qualquer outro resultado, dá adeus à competição.

CEC jogou com Edinho, Dudu, André Nunes, Badhuga e Marcelo Costa. Cleber, Klécio, Elvis (Gustavo) e Rosembrick (Gustavo). Cassius (Vitor) e Dimba.

Related Images:

CEC terá mais um jogo para mexer com os nervos do torcedor

Classificação: Era quase impossível, agora é “apenas” difícil

Cassius: esperança de gol e de classificação
Cassius: esperança de gol e de classificação nesta segunda, 16, no Estádio Regional de Ceilândia

O Ceilândia não pode reclamar da sorte. Iniciou a penúltima rodada do segundo turno do Metropolitano 2013 na quarta colocação de seu grupo e torcendo por uma combinação de resultados para entrar com chances de classificação na última.

Na matemática anterior, o Ceilândia precisava golear o Brazlândia e, ainda por cima, tirar o saldo de gols sobre o Ceilandense. A matemática era muito complicada.

Badhuga é um dos destaques do time: defesa não pode falhar
Badhuga é um dos destaques do time: defesa não pode falhar

Terminada a rodada, o Ceilândia continua em situação difícil. Começa a rodada na penúltima posição e precisa vencer o desesperado Brazlândia e, depois, o Ceilandense.  Duas partidas difíceis, mas a classificação agora é possível. É difícil, mas é possível!

O técnico Adelson de Almeida terá a difícil missão de mandar a campo nessa segunda-feira, 16h, no Estádio Regional,  um time que consiga fazer gols, mas que também não sofra.

CEC terá mais um jogo para mexer com os nervos do torcedor
CEC terá mais um jogo para mexer com os nervos do torcedor

 

Nas últimas cinco  partidas o Ceilândia sofreu 10 gols. Muito para um time que sempre se orgulhou de ser defensivamente forte. Sorte que o ataque não tem ficado atrás e também marcou 10 gols. O conjunto da obra, contudo, é ruim e reflete a classificação do time.

Apesar do número exagerado de gols, o Ceilândia tem feito boas partidas. Precisa apenas equilibrar-se defensivamente. Adelson, a princípio, não deve fazer grandes mudanças no time em relação àquele que foi derrotado pelo Ceará.

O Brazlândia é um adversário perigoso. Apesar de todos os problemas vividos, o Brazlândia ainda pode salvar-se do rebaixamento. A missão do adversário é difícil, além de vencer o Ceilândia precisa bater o Gama na última rodada. Caso perca para o Gato, o Brazlândia estará rebaixado.

Eis a classificação atualizada do Grupo B do Metropolitano 2013.

GRUPO B
Pos. Clube PG J V E D GP GC SG
1 Ceilandense 10 4 3 1 0 7 2 5
2 Brasília 6 4 2 0 2 8 5 3
3 Capital-DF 5 4 1 2 1 9 9 0
4 Gama 5 4 1 2 1 8 8 0
5 Ceilândia 4 3 1 1 1 7 7 0
6 Brazlândia 0 3 0 0 3 2 10 -8

 

 

Related Images:

Brazlândia é o desafio da vez

Marquinhos e Luiz Fernando são os substitutos naturais para Dimba e Allan Dellon
Ceilândia precisa vencer e descontar saldo de gols

O Ceilândia tem vários desafios pela frente. Mas a ansiedade de nada vai lhe adiantar. Vai ter que ser uma coisa de cada vez. Primeiro, o CEC vai ter que cuidar de si.

A primeira coisa a ser feita vai ser preparar-se mentalmente para a partida de segunda-feira contra o Brazlândia. O CEC precisa vencer bem e de preferência com uma boa margem de gols.

O problema para o CEC é que o jogo significará muito para ambos, tanto para ele quanto para o Brazlândia. Quem tropeçar dá adeus aos seus sonhos na competição. Para o Brazlândia significa ser rebaixado, para o Ceilândia a perda da chance de ser campeão.

O técnico Adelson de Almeida não tem problemas de grande monta. Os jogadores passarão por uma rotina de treinamento intensiva nos próximo dias. Objetivo duplo: deixar a Copa do Brasil num passado bem distante e focar no Brazlândia.

Related Images:

CEC luta, mas Ceará vence: 4 x 3

Clécio abre o marcador para o CEC. O  empate veio em seguida
Clécio abre o marcador para o CEC. O empate veio em seguida

Não foi a partida dos sonhos do Ceilândia. Jogando no Estádio Castelão, em Fortaleza, o CEC foi eliminado pelo Ceará e está fora da Copa do Brasil 2013.

O CEC pagou o preço de iniciar mal, tanto o primeiro quanto o segundo tempo.

Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos
Dudu e Vicente: duelo interessante nos dois jogos

O Ceará começou a todo o vapor, pressionando o Ceilândia e progredindo em velocidade. O CEC parecia não ter o tempo da bola, perdia todas as primeiras bolas e não encontrava o adversário.

Mesmo assim, a sorte sorriu para o Ceilândia. No primeiro ataque, Clécio cabeceou, Fernando Henrique defendeu e o mesmo Clécio abriu o marcador para o Gato.

Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente
Marcelo Costa dá combate: time não se acertou defensivamente

Não houve tempo para comemorar. No primeiro ataque seguinte, o Ceará empatou com Lulinho num belo arremate de fora da área.

O Ceará continuou melhor, mas não conseguia traduzir essa superioridade em oportunidades de gol. Foi necessário que Ricardinho visse Magno Alves e realizasse um cruzamento perfeito para que o o atacante colocasse o Ceará em vantagem 2×1.

Após o segundo gol o CEC melhorou, equilibrou o jogo, mas não criou qualquer oportunidade de gol.

Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu
Alisson fez excelente partida: mas o gol não saiu

Veio o segundo tempo e esperava-se que o Ceilândia voltasse melhor. Ledo engano. O time voltou como começara o primeiro tempo. O castigo não tardou: Aos 6 minutos, Potiguar acertou um chutasso de fora da área: Ceará 3 x 1.

O CEC foi para o ataque e teve seguidas chances para diminuir.Na primeira, Alisson chutou e a bola chocou-se com a trave direita de Fernando Henrique. Na sequencia, o mesmo Alisson foi travado na hora H. Náo demorou muito e Alisson, novamente  bateu forte à direita do gol do Ceará. Como o CEC não aproveitou o Ceará fez: Vicente e Ceará 4 x 1.

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu

O jogo não estava definido. Adelson fez três alterações, colocando Elvis, Dimba e Rosembrick. O Ceilândia era só ataque.
Deu certo. Tão logo a bola saiu, bela jogada entre Cassius e Rodriguinho e o meia fez um belo gol. O Gato estava vivo!

Daí prá frente só deu Ceilândia. Aos 34, Cassius fez bela triangulação com Rosembrick e Elvis e bateu forte de perna esquerda diminuindo ainda mais a vantagem do Ceará: 4 x 3

Dimba entrou, o CEC esteve próximo de empatar, mas não deu
CEC fez um jogo atípico. Agora é pensar no Metropolitano

A torcida do Ceará entrou em desespero, a do Ceilândia idem. O CEC passou a rondar a área do Ceará com perigo e esteve ao menos duas vezes perto de empatar. Nào foi possível.

No final, o resultado fez justiça ao melhor futebol apresentado pelo Ceará. O Ceilândia terá que se penitenciar pelo mau começo de primeiro e segundo tempos. Agora, o alvinegro candango volta os seus olhos para o Metropolitano. Ali, o CEC ainda tem chances.

Related Images:

CEC minimiza pressão por vitória: coisa pode ficar feia

Na última partida: empate sem gols, numa das piores partidas dos últimos dez anos
Na última partida: empate sem gols, numa das piores partidas dos últimos dez anos

O Federação confirmou data, horário e trio de arbitragem para o jogo deste sábado contra o Brasília. A partida está confirmada para as 15h30, no Estádio Elmo Serejo, em Taguatinga.  Rafael Diniz será o árbitro da partida.

O Ceilândia fará o terceiro jogo da série decisiva.

O Ceilândia entra em campo pressionado com a falta de vitória, já são seis partidas consecutivas sem vencer em competições oficiais (a última vitória, goleada sobre o Legião por 4 x 0 foi em partida amistosa e a última vitória em jogo por competição oficial foi contra o Unaí, 4 x 2).

O técnico Adelson minimiza a pressão por vitória e que diz não há mágica: o time tem feito tudo certo nos últimos jogos, mas tem dado azar, afirma.

Dimba comemora o primeiro gol do CEC contra o Brasilia em 2011: Ceilândia 2 x 0
Dimba comemora o primeiro gol do CEC contra o Brasilia em 2011: Ceilândia 2 x 0

Jogadores e comissão técnica, contudo, sabem que jogar bem não se traduz em evolução na tabela. Nas últimas rodadas o CEC despencou na tábua de classificação e se a sorte não ajudar a coisa tende a ficar feia.

Adelson não tem problemas importantes para  a partida deste sábado que não o cansaço de seus atletas. Experiente, o treinador evitou submeter os atletas mais antigos a um desgaste excessivo. Foi assim contra o Ceará, quando poupou Dimba e Rosembrick e deverá ser contra o Brasília quando poupará outros jogadores.

A última vez que Ceilândia e Brasilia se enfrentaram no Serejão não traz boas recordações para o alvinegro: vitória do Brasília por 2 x 0 em jogo válido pela Série D do campeonato brasileiro de 2010. Até então o CEC era o líder do grupo e a vitória custou a sua eliminação.

Os dois últimos confrontos foram em 2011. Vitória do CEC no Estádio Regional de Ceilândia por 2 x 0 e empate em Samambaia por 0 x 0.

 

Related Images:

CEC empata com Ceará e decisão fica para Fortaleza

Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras
Clécio é perseguido: pouco espaço para manobras

Ceilândia e Ceará empataram sem gols no Estádio Regional de Ceilândia na tarde desta quarta-feira, partida válida pela primeira rodada da Copa do Brasil 2013.

Como esperado, foi um jogo tático. Tanto Ceilândia quanto Ceará demonstraram nos últimos jogos que são equipes fortes defensivamente e disciplinadas taticamentes. Se essas virtudes são iguais, os defeitos também: as duas equipes possuem dificuldade no último passe.

E foi isso que se viu nesta tarde.

Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado
Alisson marca Ricardinho: meia marcando meia num jogo pegado

O primeiro tempo mostrou um Ceilândia levemente superior, ou ao menos com mais iniciativa. O Ceará, fiel ao seu esquema tático, esperava por um erro da defensiva alvinegra. Esse erro não ocorreu.

O primeiro tempo transcorreu sem muitas emoções, mas foi nessa etapa que ocorreu a mais clara chance de gol do jogo. Cassius recebeu livre na entrada da pequena área, mas o chute não pegou a diagonal e Fernando Henrique fez boa defesa.

Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu... e errou
Elvis foi muito exigido: correu, marcou, serviu… e errou

Veio o segundo tempo e os espaços começaram a surgir.  O Ceará até demonstrou alguma ousadia nos primeiros minutos, mas não passou disso. Dennys não trabalhou a não ser em chutes de longa distância.

Com o passar do tempo, o CEC retomou a iniciativa do jogo, mas faltava-lhe inspiração. Nas poucas jogadas de gol que surgiram, Elvis chutou sobre o travessão.

Cassius teve a melhor chance do jogo
Cassius teve a melhor chance do jogo

Adelson ainda jogou o time para o ataque colocando Dimba e Vitinho. O CEC cercou, cercou, cercou, mas Fernando Henrique sequer fez alguma defesa importante.

A rigor, sabia-se que  seria um jogo igual, truncado até. As duas equipes não permitem ao adversário ter espaço para trocar bola.

Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará
Dimba entrou e deu trabalho para a defesa do Ceará

O resultado é ruim para as pretensões do Gato, mas não é um desastre. De qualquer forma, o jogo em Fortaleza premia a melhor equipe em campo no jogo de hoje, mas, em contrapartida, trás um estorvo para a reta final do campeonato Distrital.

Nesta quinta o CEC já volta os seus olhos para a rodada do final de semana. Se perder, dará adeus ao Campeonato Metropolitano 2013. Tempo de decisões…

Related Images:

De cabeça erguida, mas quase fora: Gama 3 x 1

Mal o jogo começou e o Gama apresentava o cartão de visitas
Mal o jogo começou e o Gama apresentava o cartão de visitas

O futebol tem razões que a própria razão desconhece. Só isso explica o que aconteceu no Bezerrão na noite deste sábado.

Ceilândia e Gama entraram em campo naquele que seria o septuagésimo primeiro confronto entre dois dos mais tradicionais times do Distrito Federal.  Em campo mais tradição que rivalidade.

O Gama foi perigoso nos minutos iniciais, mas logo o CEC assumiu o controle da partida
O Gama foi perigoso nos minutos iniciais, mas logo o CEC assumiu o controle da partida

O Gama não vencia o Ceilândia desde 2010. Jogando em sua casa, a escrita era ainda maior: desde 4 de fevereiro de 2009.

Nos primeiros movimentos, o Gama mostrou que não cederia a vitória facilmente. Falta brusca que o árbitro considerou como normal.

O Gama começou melhor, insinuante pela esquerda de defesa alvinegra. A defesa alvinegra comportou-se bem e a cada ataque perigoso do Gama correspondia um ataque perigoso do Ceilândia.

Badhuga comemora: o último gol havia sido contra o Gama em 2010
Badhuga comemora: o último gol havia sido contra o Gama em 2010

Aos 4 minutos, lance que mudaria a história do jogo. Renato pediu falta, a defesa do Ceilândia parou e Moisés recebeu em profundidade para fazer Gama 1 x 0.

A partir de então o Ceilândia foi aos poucos assumindo o controle do jogo. Aos 12 minutos, empatou com gol de Badhuga.

Depois do gol de empate o Ceilândia controlou a partida. Se é fato que o só dava Ceilândia, é fato também que esse domínio não se transformou em situações claras de gol.

O Gama abusava das faltas, mas o CEC era incapaz de criar situações claras de gol
O Gama abusava das faltas, mas o CEC era incapaz de criar situações claras de gol

Veio o segundo tempo e de novo o Gama começou melhor. Aos poucos o CEC equilibrou o jogo e passou a mandar na partida. O Gama, diferente do primeiro tempo, sequer chegava a ameaçar a meta alvinegra e a torcida alviverde questionava seus jogadores e o técnico.

O Ceilândia, por sua vez, ameaçava, ameaçava, mas não convertia as situações em gol. O futebol castiga.

Aos 24 minutos, chute de muito longe. Bola molhada e Dennys rebate. Aloisio chega para concluir, Dennys corajosamente se atira aos pés do atacante. A bola bate no corpo de Dennys, sobe e mansamente alcança as redes. Gama 2 x 1.

Didão luta: melhor partida do CEC no ano
Didão luta: melhor partida do CEC no ano

Não deu nem tempo de se preparar para buscar o empate. Quatro minutos depois,  cobrança de falta de longa distância, a zaga falha e Aloisio desvia para o fundo do gol.

Daí em diante só deu Ceilândia. O Gama defendia como podia. Não deu. Nos minutos finais, o árbitro  interrompeu ataque perigoso do Ceilândia para expulsar Aloisio. Minutos depois foi a vez de outro jogador Gamense ser expulso, Juninho.

Juninho recebe cartão: árbitro demorou a reagir e quase perde controle da partida
Juninho recebe cartão: árbitro demorou a reagir e quase perde controle da partida

O CEC ainda esteve perto de diminuir com Vitor por duas oportunidades. Na primeira, Max salvou. Na segunda, a bola parou na trave. Não deu.

Foi uma bela partida de futebol. Pena que o alvinegro tenha perdido. Agora as chances de classificação são muito pequenas.

Related Images:

CEC e Azulão da saída sul empatam sem gols

Jogo contou com jogadas ríspidas
Jogo contou com jogadas ríspidas

Ceilândia e Luziânia terminaram a breve intertemporada visando o segundo turno do Metropolitano 2013 empatando sem gols na AE 14, Ceilândia.
Foi uma partida monótona e sem muita emoções. Soaria como redundância se não fosse o fato de que o jogo foi muito disputado.

Rodriguinho fez boa partida, mas recuava em demasia
Rodriguinho fez boa partida, mas recuava em demasia

O Ceilândia começou melhor. Disposto taticamente de modo diferente da Taça JK, o CEC tomou a iniciativa do jogo, mas foi incapaz de criar um lance sequer de perigo. Na melhor oportunidade, Alisson bateu cruzado para boa defesa do goleiro adversário.

Depois dos 20 minutos o Luziânia melhorou e, se não teve o domínio, teve as melhores chances. Numa dessas, Badhuga salvou sobre a linha.

Marcelo fez sua estréia: não comprometeu, mas está longe do ideal
Marcelo fez sua estréia: não comprometeu, mas está longe do ideal

Veio o segundo tempo e o Ceilândia veio novamente melhor. Nesse aspecto uma diferença em relação ao time do primeiro turno, que sempre tomou susto nos primeiros minutos.

Na verdade o CEC foi sempre melhor no segundo tempo, mas faltava o último toque. Com a entrada de Elvis e seus toques de primeira, o Gato mostrou evolução. Nem isso, contudo, foi suficiente para criar situações claras de gol.

Didão: preso no papel de marcador num jogo difícil
Didão: preso no papel de marcador num jogo difícil

Adelson aproveitou a partida para estrear Rosembrick (que entrou bem) e dar ritmo a todos os seus jogadores.

No final das contas, o  resultado de tão pouca inspiração não poderia ser outro: empate sem gols.

Agora o CEC espera pela estréia no próximo sábado, 16h00, na AE 14, ainda sem público, contra o Capital.

Related Images:

Jogos mentais

Didão: uma boa apresentação. Correu, combateu e orientou o time.
Didão: uma boa apresentação. Correu, combateu e orientou o time.

Ceilândia e Brasiliense, tal como previsto, fizeram um jogo que mais se parecia com um jogo de xadrez. Dois times com uma proposta muito nítida  e mentalmente fortes. Resultado: empate.

Com problemas para armar o time, Adelson de Almeida inovou colocando Elvis no meio de campo. Didão retornou ao time alvinegro e Magno fez a sua estréia na defesa no lugar de Adriano. Dimba sequer foi relacionado.

O primeiro tempo contou com uma leve superioridade do Brasiliense nos 20 minutos iniciais. Daí em diante, o Ceilândia equilibrou a partida até o final da primeira etapa. Os goleiros pouco trabalharam a não ser em chutes de longa distância.

Magno: começo difícil com muitas falhas, mas depois se acertou
Magno: começo difícil com muitas falhas, mas depois se acertou

O segundo tempo foi o inverso do primeiro. O Ceilândia começou melhor e passou a ficar rodeando a meta amarela. Faltava o último passe ao alvinegro como faltara no primeiro tempo ao Brasiliense. A diferença é que o CEC parecia ser um time mais consciente.

Depois dos trinta minutos o Ceilândia caiu vertiginosamente. A saída de Rodriguinho, mas principalmente os cansaços de Elvis e Alisson levaram o CEC a demonstrar claramente a satisfação com o empate.

O futebol costuma castigar quem não pensa grande. O empate deveria vir com consequencia do jogo, mas não como objetivo principal.  O fato é que, a partir do momento em que o CEC abdicou do ataque, o Brasiliense melhorou, mas sem ter o domínio do jogo.

Elvis: mostrou personalidade, jogou bem e deixou a bola muito viva
Elvis: mostrou personalidade, jogou bem e deixou a bola muito viva

O castigo quase veio no minuto final quando Dennys mais uma vez fez um milagre e impediu o Brasiliense de vencer a partida.

No final das contas, o resultado não foi ruim nem para Ceilândia, nem para Brasiliense.

O jogo contou com a estréia de Magno. Nervoso, o zagueiro errou muito no primeiro tempo. No segundo tempo foi melhor, até porque o CEC foi melhor no segundo tempo.

Rodrigo Cardoso entrou e mostrou que o CEC está bem servido do lado esquerdo
Rodrigo Cardoso entrou e mostrou que o CEC está bem servido do lado esquerdo

Outra estréia importante foi a de Elvis como titular. O baixinho movimentou-se bem, colocou-se com inteligência aproveitando os espaços entre as linhas de meio-de-campo do Brasiliense e fez uma boa partida.

Os destaques do Ceilândia, todavia, foram Rodriguinho e Didão. Enquanto esteve em campo, Rodriguinho foi uma referência alvinegra, mas o Didão voltou e comandou o meio-campo alvinegro. Dennys fez uma defesa salvadora que fez justiça ao que os dois times mostraram em campo.

Mas o aviso ficou…

 

Related Images:

O perigo que vem do alto

Dennys salva o Ceilândia. Indecisão nas bolas aéreas
Dennys salva o Ceilândia. Indecisão nas bolas aéreas

A vitória em Unaí deixou algumas lições: a primeira é a de que o CEC foi eficiente. A segunda, é a de que não pode dar sopa para o azar.

No início da partida, o Unaí perdeu uma boa chance de abrir o marcador. Aqui, brilhou a estrela de Dennys, responsável por uma defesa importante.

Na seqüência da partida, enquanto o adversário rondava, rondava e rondava a meta alvinegra, uma coisa ficou clara: o CEC está com dificuldade nas bolas aéreas adversárias. O problema pode não ser da defesa, pode estar na origem.

Dennys defende, mas a torcida está preocupada
Dennys defende, mas a torcida está preocupada

De qualquer sorte, se o cruzamento foi feito, a defesa tem obrigação de tirar a bola. Traços de indecisão ficaram evidentes. Nesse aspecto sobrou até para o goleiro Dennys. O time precisa mostrar segurança nesse aspecto.

Para a sequência do campeonato, o CEC terá dois adversários perigosos: o Sobradinho, que precisa desesperadamente de uma vitória, o Brasiliense que é sempre uma força do futebol local e o Botafogo-DF. O CEC não pode brincar.

Related Images:

Tabela e lesões: começo complicado para o Gato

Dimba reestreou: pouco tempo em campo
Dimba reestreou: pouco tempo em campo

O término da segunda rodada deixa a classificação do grupo B complicada. Ceilandense, Gama e Ceilândia têm seis pontos, Brasília e Capital  4 pontos.

Os resultados surpreendem e podem complicar a vida do Ceilândia. Na seqüência, CEC terá três jogos complicados: Unaí, Sobradinho e Brasiliense, até ter o jogo decisivo contra o Botafogo-DF.

É justamente nessa fase complicada que Dimba deve voltar por completo. O capitão já esteve nos minutos finais da partida contra o Luziânia, mas sequer pegou na bola.

Rodrigo Cardoso: estréia complicada. Saiu lesionado
Rodrigo Cardoso: estréia complicada. Saiu lesionado

Outros jogadores também preocupam: Rodriguinho mal treinou na semana passada, acometido de uma virose. O meia está tendo dificuldades para entrar na sua melhor forma.

Rodrigo Cardoso e Wisman também preocupam, mas em menor proporção. Rodrigo Cardoso preocupa um pouco mais. A primeira impressão foi a de que teria lesionado a panturrilha, mas depois o atleta deixou claro que sentia o tornozelo esquerdo.

Cassius também saiu reclamando de lesão, mas a princípio não é problema.

Related Images:

Ceilândia vence no Bezerrão e é líder

Cassius comemora o seu gol: vitória importante
Cassius comemora o seu gol: vitória importante

O Ceilândia venceu o Luziânia por 1 x 0, partida realizada na tarde deste sábado, no Bezerrão.

O Ceilândia começou sonolento, como tem sido a tônica neste ano. O resultado dessa sonolência é que por duas ocasiões o Luziânia esteve próximo de concluir para a meta alvinegra.

Clécio: começou mal, mas aos poucos se acertou em campo
Clécio: começou mal, mas aos poucos se acertou em campo

Passados os sustos iniciais, o Ceilândia demonstrou claramente que estudara o Luziânia. Adelson neutralizou as jogadas pelas laterais e obrigou o adversário a afunilar para o centro. O resultado foi que o Ceilândia conteve o adversário.

O jogo ficou feio, mas o Ceilândia deixou claro que não tem vergonha abraçar a sua vocação: marcar forte.

Para os interesses alvinegros, contudo, o jogo seguia conforme o planejado. Num desses lances surgiu a primeira oportunidade, Cassius saiu cara a cara com o goleiro adversário mas perdeu grande oportunidade e a bola foi bater na trave direita.

Forte na defesa
Wisman foi uma das surpresas no jogo

Veio o segundo tempo e o Ceilândia começou mal novamente. Sorte que o Luziânia não estava num dia inspirado e o sistema defensivo do CEC impedia qualquer conclusão para a meta defendida por Dennys.

Aos cinco, veio o inesperado. Cruzamento da direita e Cassius antecipou-se a Perivaldo para abrir o marcador. Um belo gol.

Além do gol, Cassius ajudou na defesa
Além do gol, Cassius ajudou na defesa

Depois do gol o Ceilândia deu campo para o adversário. O Luziânia tinha o domínio das ações, mas não conseguia o último passe.

No último minuto, Cassius deu lugar a Dimba. O capitão enfim fez a sua estréia, mas sequer tocou na bola.

Importante vitória do Ceilândia. Apesar das críticas que podem ser feitas, o time evoluiu em relação aos jogos anteriores. Esse estilo de jogo, contudo, está com os dias contados.

Com a entrada de Dimba será mais natural que o CEC consiga segurar a bola um pouco mais no campo adversário.

No próximo final de semana o CEC vai a Unaí-MG.

Related Images: