Tag: Gago

Líderes vencem. Ceilândia faz apronto para Bolamense

Gago dispara conta a meta do Bolamense: um dos 3 remanescentes

O início da segunda rodada trouxe vitórias de Gama e Brasiliense, além de vitória do Real. Com esses resultados, Gama e Brasiliense mantiveram cem por cento de aproveitamento. Enquanto isso, o Ceilândia se prepara para enfrentar o Bolamense no domingo, no Abadião.

Cocaca tem sido um dos mais importantes jogadores do Gato Preto em 2018. Superou a infelicidade com o apoio de Cauê e foi importante na vitória
Cocaca tem sido um dos mais importantes jogadores do Gato Preto em 2018. Superou a infelicidade com o apoio de Cauê e foi importante na vitória

Da equipe tida como titular em 2019, apenas Cocada, Gago e Wallace foram titulares no confronto com o Bolamense em 2018.  No único confronto até agora, o Ceilândia foi superior o tempo todo, mas teve que suar bastante para virar um jogo que saiu atrás no marcador (Allan Dellon e Cauê fizeram os gols).

Wallace tem sido importante em 2019: participou da vitória em 2018

Nesta quinta, o Ceilândia entra na fase final da preparação para o jogo  contra o Bolamense. Os resultados de ontem colocam alguma pressão no time alvinegro.  A se tirar pela apresentação de domingo, o Ceilândia tem tudo para conseguir a sua primeira vitória e voltar a encostar nos líderes.

DF-2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
144001101112
2431070710
343017169
442117527
541303126
Gago tem sido peça importante do Ceilândia em 2018

Ceilândia enfrenta Sobradinho numa semana de jogos contra G4

Didão bloqueia na hora da conclusão. Sobradinho deu muito trabalho
Didão bloqueia na hora da conclusão. Sobradinho deu muito trabalho. Empate sofrido em 2017

Durante boa parte do campeonato, Ceilândia, Gama e Brasiliense estiveram no meio da tabela. À medida que a competição se afunila, Ceilândia, Gama e Brasiliense  vão se aproximando das primeiras posições. O Gama dormiu na liderança neste sábado, depois de vencer o Paracatu.

No acumulado dos últimos anos, Sobradinho consolidado como um time que dá trabalho

O Gato Preto tem dois jogos a menos, mas como ainda terá confronto direto contra Gama e Brasiliense, o número menor de partidas pode ser uma armadilha mental.  Isso torna o jogo de hoje, contra o Sobradinho ainda mais importante. Ceilândia precisa pensar o jogo do momento, um jogo por vez.

Gago tem sido peça importante do Ceilândia em 2018
Gago tem sido peça importante do Ceilândia em 2018

O adversário tem um ponto a mais que o Gato Preto e uma campanha que aponta para um jogo complicado.

Contra o Paranoá, Adelson não contou com Adriano, contundido, e Allan Dellon, problemas particulares.

Defesa será exigida contra o bom time do Sobradinho
Defesa será exigida contra o bom time do Sobradinho

No meio de semana Adelson mandou Luiz Fernando, Julio Ferrari, Alcione, Kabrine e Wallace Jesus contra o Paranoá. Formiga ficou no banco ao lado de Elivelton, Dudu e Wendel. Os substitutos estiveram bem contra o Paranoá.

Vavá tem subido de produção: dois gols nos últimos três jogos
Vavá tem subido de produção: dois gols nos últimos três jogos

Para a partida de hoje, expectativa de que Gago e Vavá se mantenham em ascensão e que o sistema defensivo se mantenha equilibrado diante de um adversário que mostrou qualidades nesse começo de competição.

 

Formiga fez uma partida impecável: premiado com o gol da vitória

Ceilândia vence Real de olho no G4

Adriano é derrubado pelo goleiro do Real: penalti claro e Ceilândia 1 x 0
Adriano é derrubado pelo goleiro do Real: penalti claro e Ceilândia 1 x 0

Jogando no Serra do Lago para um público diminuto, o  Ceilândia venceu o Real neste domingo por  2 x  1. Com o resultado, o Gato Preto sobe para a segunda colocação da fase de classificação do Candangão 2018.

Jogo contou com jogadas ríspidas: marcas na panturrilha de Gago
Jogo contou com jogadas ríspidas: marcas na panturrilha de Gago que reclamou muito da falta não marcada

O Ceilândia sofreu mais do que deveria. No primeiro tempo, o Gato Preto foi quase sempre superior ao seu adversário. A superioridade, contudo, foi visualizada principalmente nos 15 minutos iniciais e até que o Ceilândia abriu o marcador em penalti cobrado por Elivelto. Adriano sofreu a penalidade.

Formiga fez uma partida impecável: premiado com o gol da vitória
Formiga fez uma partida impecável: premiado com o gol da vitória

 Depois disso, o Real foi aos poucos assumindo controle da partida. Tal qual o Ceilândia, o Real esteve melhor até conseguir o gol de empate em penalti cobrado por Baiano.

Wendell esteve seguro na meta alvinegra
Wendell esteve seguro na meta alvinegra

Depois do gol do empate, o Ceilândia voltou a ter a iniciativa do jogo. Aos 45, Gustavo Gago aproveitou a falha de marcação da defesa do Real e serviu para que Formiga colocasse o Ceilândia à frente do marcador.

Ceilândia sofreu mais que deveriaCeilândia sofreu mais que deveria
Ceilândia sofreu mais que deveria

O segundo tempo contou quase que integralmente com a iniciativa do Real. O Ceilândia pouco criou em termos de oportunidade de gol no segundo tempo. Apesar disso, a verdade é que o Real sobreviveu de bolas alçadas na área. Também não criou situações claras de gol.

Cauê retornou à defesa do Ceilândia
Cauê retornou à defesa do Ceilândia

O resultado demonstra que o Ceilândia é um time diferente quando o adversário procura o jogo. Nessas condições, o Gato Preto conseguiu trabalhar bem os espaços deixados pelo adversário. O modo como o Ceilândia jogou o segundo tempo, contudo, deixa a torcida alvoroçada.

Com o resultado de hoje, o Ceilândia volta seus olhos para o meio de semana em partida muito difícil contra o Avaí pela Copa do Brasil.

Adriano deu passe para o segundo gol e poderia ter feito o terceiro

Ceilândia passa pelo Formosa: 3 x 0

Adelson optou por Jefferson e deixou Cauê no banco.
Adelson optou por Jefferson e deixou Cauê no banco.

O Ceilândia conquistou a sua primeira vitória no Candangão 2018. Jogando na tarde desta quarta no Abadião, o Gato Preto precisou usar da paciência para furar a retranca adversária.

Didão foi discreto na maior parte do tempo e abriu o caminho para a vitória
Didão foi discreto na maior parte do tempo e abriu o caminho para a vitória

O primeiro tempo foi disputado em banho-maria. O Ceilândia teve a quase totalidade da posse de bola, mas se resumia a trocar passes no próprio campo de defesa. O Formosa não queria atacar, o Ceilândia não conseguia.

Vavá deu muito trabalho para a defesa do Formosa. Esta parou no travessão
Vavá deu muito trabalho para a defesa do Formosa. Esta parou no travessão

Apesar das dificuldades encontradas no primeiro tempo, o Ceilândia ainda consguiu criar duas boas situações de gol. Na primeira, bela jogada pela esquerda de ataque e o passe sob medida para Emerson Martins bater forte da entrada da área para boa defesa de Pedro. 

Formiga foi muito importante. Primeiro taticamente e depois quando fez o segundo gol do Ceilândia
Formiga foi muito importante. Primeiro taticamente e depois quando fez o segundo gol do Ceilândia

Na segunda oportunidade, Vavá, que deu muito trabalho para a defesa goiana, cabeceou no travessão.

O time voltou para o segundo tempo com Adriano no lugar de Kasado. Adelson recuou Emerson Martins e com isso tentava resolver o problema da transição. 

Adriano deu passe para o segundo gol e poderia ter feito o terceiro
Adriano deu passe para o segundo gol e poderia ter feito o terceiro

Não demorou  e o Ceilândia fez 1 x 0. Escanteio cobrado por Kabrine e Didão desviou para o fundo do gol logo aos 6. Com a vantagem, o Ceilândia passou a dar espaços para o Formosa. O time goiano aproveitou-se da falha na marcação e passou a rondar a área alvinegra. Adelson, por sua vez, insistia para que o time subisse a marcação. 

oportunidade do Formosa, o penalti parou na trave
Na melhor oportunidade do Formosa, o penalti parou na trave

O segundo gol do Ceilândia veio quando o Formosa tentava sair para o jogo. Com isso, também deixou espaços. Adriano fez belo lançamento para Formiga que ganhou a dividida com Pedro e tocou para o fundo do gol.

Elivelto deu força ao ataque pela esquerda
Elivelto deu força ao ataque pela esquerda

Após o segundo gol o Ceilândia assumiu o controle do jogo por completo. As oportunidades de gol foram se sucedendo até que Gustavo Gago, aos 40 fez o terceiro. Antes contudo, sobrou emoção.

Gago estufa a rede: Ceilândia 3 x 0
Gago estufa a rede: Ceilândia 3 x 0

O Formosa teve a chance de diminuir na cobrança de penalti. A bola explodiu no poste direito de Wendell e, no contra-ataque, o Ceilândia matou o jogo.

No próximo domingo o Ceilândia vai a Luziânia enfrentar o Real.

Faltou jogar como time

Cassius comemora: tarde ruim. Prevalesceram as individualidades
Cassius comemora: tarde ruim. Prevaleceram as individualidades

O Ceilândia por pouco não foi castigado por haver abandonado o jogo coletivo.

Há quem diga, não sem razão, que não é difícil subir. Difícil, dizem,  é permanecer no topo.

As razões são as mais diversas. A principal causa está no fato de que o sucesso faz aflorar as vaidades individuais.

O somatório dos interesses individuais não é igual ao interesse coletivo: Ceilândia vai precisar jogar como time
O somatório dos interesses individuais não é igual ao interesse coletivo: Ceilândia vai precisar jogar como time

Pode não ter sido isso o que aconteceu na tarde de hoje em Sobradinho, mas é especialmente perigoso ver que o Ceilândia não atuou como equipe. O Ceilândia foi uma equipe pouco solidária.

O resultado foi que o Gato Preto somente não saiu de Sobradinho com uma derrota a vários fatores. O principal, talvez, esteja no fato de que as individualidades bastaram.

A verdade contudo é outra: as individualidades bastam para conseguir um ou outro resultado, num campeonato tão pobre tecnicamente. Mesmo assim não são suficientes para fazer um campeão.

Hora do banco resolver

Alan Delon não joga contra o Brasiliense.
Alan Delon não joga contra o Brasiliense.

O campeonato chega à nona rodada e com ela o acúmulo de cartões. O Ceilândia tem ao menos meio time com dois cartões amarelos, sem contar o desfalque de Allan Dellon, expulso na última rodada.

Nesse momento, o banco de reservas assume especial importância.

Cassius tem sido importante, mas poderia ter feito mais gols
Cassius tem sido importante, mas poderia ter feito mais gols

Adelson de Almeida não é muito de mexer na estrutura do time. Na prática, tem adotado dois esquemas de jogo: um em casa e outro fora. Tem aproveitado,  também, para fazer um rodízio de jogadores.

Adriano Felício e Gago tem sido as mexidas mais comuns de Adelson. Ambos entraram em três jogos. Gago foi titular em quatro outras partidas.

Hora do banco resolver
Hora do banco resolver

Adriano Felício é uma das opções de Adelson para o lugar de Allan Dellon.  A diferença é que Allan Dellon tem feito gols importantes e essa não é uma característica de Adriano Felício ou de Alisson.

Como costuma surpreender, Adelson pode retornar Thiaguinho para o meio, mas Jeff Silva ainda está sem rítmo de jogo.

Em meio a tudo isso, Adelson tenta administrar as suspensões por cartão. Nesse momento, o banco há de estar preparado.

O Maestro dá as cartas

França tem crescido tecnicamente. Ainda há quem diga que precise estar mentalmente forte
França tem crescido tecnicamente. Ainda há quem diga que precise estar mentalmente forte

Allan Dellon fez uma partida impecável na tarde desta quarta-feira e deu a vitória ao Ceilândia sobre o Gama por 1 x 0

Foi uma vitória incontestável. A rigor, o Gama equilibrou o jogo apenas nos últimos trinta minutos do primeiro tempo e à custa de um estilo de jogo que privilegiava as faltas táticas em detrimento do volume de jogo.

Gilson foi mal no primeiro tempo, mas acertou-se no segundo: ganhando ritmo de jogo
Gilson foi mal no primeiro tempo, mas acertou-se no segundo: ganhando ritmo de jogo

Não que o Ceilândia tenha sido um primor em termos de volume de jogo. Absolutamente esta não é a característica do time.

O Gato Preto, contudo, mostrou que sabe marcar bem e que melhorou muito o último passe. Elvis tem dado uma dinâmica muito boa à equipe, enquanto que Allan Dellon tem sido eficiente no último passe.

Gago fez a sua melhor partida pelo Alvinegro: talvez o melhor homem em campo
Gago fez a sua melhor partida pelo Alvinegro: talvez o melhor homem em campo

Os primeiros minutos de jogo foram inteiramente do Ceilândia. O alvinegro perdeu seguidas oportunidades com Cassius (duas vezes), Gilson e Elvis.

À medida em que a partida caminhava, havia sempre o temor de que o futebol castigasse.

Allan Dellon comemora com Thiaguinho:  depois foi expulso injustamente
Allan Dellon comemora com Thiaguinho: depois foi expulso injustamente

O Gama equilibrou na reta final do primeiro tempo, muito à custa das seguidas faltas táticas. O Ceilândia chegou a se incomodar com a estratégia do adversário. O jogo ficou picado. A rigor, contudo, França não trabalhou.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia pressionou o Gama contra o seu campo de defesa. Foi jogo de um time só.

Jeff Silva estreou pelo Ceilândia: muita disposição sob os olhos do comandante
Jeff Silva estreou pelo Ceilândia: muita disposição sob os olhos do comandante

Apesar do domínio e da iniciativa, o Ceilândia não criou oportunidades claras de gol, embora tenha tido chances com Allan Dellon, Gilson e Cassius.

Coube a um lance fortúito definir a partida: no cruzamento, Cassius ajeitou para trás. Allan Dellon bateu e venceu a meta alviverde.

Após o gol, esperava-se que o Gama fosse ao ataque. Não foi o que ocorreu. O Ceilândia continuou a controlar o jogo.

Tudo poderia ter mudado  quando Allan Dellon foi injustamente expulso pela arbitragem.

Cassius recuou para fechar o meio de campo depois da expulsão de Allan Dellon
Cassius recuou para fechar o meio de campo depois da expulsão de Allan Dellon

Com um a menos, o Ceilândia abdicou do ataque, mas ainda assim enfrentou um alviverde sem inspiração e controlou o resultado até o apito final.

Com a vitoria, o Ceilândia chega aos 13 pontos. Ainda não é a classificação ideal, mas ao menos está próxima daquela que se esperava de uma equipe com tais predicados.

Não há tempo para comemoração, nem motivos. No próximo sábado, o Gato Preto enfrenta o Brasiliense. Duelo dos únicos campeões do DF dos últimos anos.

Gato diminui prejuízo ao vencer em Luziânia

Gilson comemora o seu, o  gol do Ceilandia.
Gilson comemora o seu, o gol do Ceilandia.

Ceilândia e Luziânia fizeram na tarde deste sábado, no Serra do Lago,  um jogo cheio de alternativas. Brilhou a estrela do zagueiro reestreante, Gilson.

Foi um jogo cheio de alternativas. No primeiro tempo, o Luziânia tomou a iniciativa do jogo, mas o Ceilândia manteve o azulão da saída sul sob controle. As melhores oportunidades foram do Gato Preto.

Elvis atenazou a defesa do Luziânia: importantíssimo, mas não decisivo
Elvis atenazou a defesa do Luziânia: importantíssimo, mas não decisivo

Veio o segundo tempo e o jogo ganhou em emoção. Logo aos três minutos, Allan Dellon cobrou falta da direita e o zagueiro Gilson, que reestreava no Ceilândia depois de doze anos, cabeceou firme para abrir o marcador.

Depois disso, o Ceilândia perdeu seguidas oportunidades para ampliar o marcador, sempre com Elvis.

Thiaguinho voltou em nova função: hoje, funcionou
Thiaguinho voltou em nova função: hoje, funcionou

Depois das duas oportunidades perdidas por Elvis, foi a vez de Claudio Luiz mostrar que tem algo novo em seu repertório: cobrou falta de longa distância e a bola explodiu no poste direito defendido por Edmar.

O maior temor da torcida alvinegra, naquele momento, era que a máxima do futebol se fizesse presente: Quem não faz… leva.

Caio fez um primeiro tempo impecável, mas no segundo cansou...
Caio fez um primeiro tempo impecável, mas no segundo cansou…

Sorte do Ceilândia que dois milagres aconteceram.

No primeiro, França defendeu e a bola sobrou na pequena área para o atacante do Luziânia.

Badhuga, que fazia sua centésima partida, arremessou-se  no vácuo na esperança que a bola encontrasse o seu corpo. Foi o que aconteceu.

Juninho toma as dores de Thiaguinho, agredido por Thompson. Árbitro teve que intervir
Juninho toma as dores de Thiaguinho, agredido por Thompson. Árbitro teve que intervir

Dois minutos depois, foi a vez de França fazer um milagre frente a frente com o adversário.

Depois disso, o Gato Preto controlou o jogo e administrou a vitória.

Agora, o Ceilândia preocupa-se essencialmente em conquistar uma vaga entre os oito e nos seus três dificílimos adversários.

Sofrimento sem fim… CEC 1×2 Santa Maria

Gol de Allan Dellon não foi o suficiente: desta vez o problema não foi o meio
Gol de Allan Dellon não foi o suficiente: desta vez o problema não foi o meio

O Ceilândia continua sem vencer em 2014. Jogando hoje à tarde no Estádio Bezerrão, o Ceilândia foi derrotado pelo Santa Maria por 2 x 1.

Foi a quarta derrota consecutiva do Gato Preto; a primeiro vitória do Santa Maria em sua história na primeira divisão.

Time jogou mais compacto, mas falhas individuais selaram a derrota
Time jogou mais compacto, mas falhas individuais selaram a derrota

Tal qual prometera, Adelson fez apenas uma substituição no time de linha. A surpresa, contudo, foi na troca do goleiro: nem França ou Pedro, Leonardo. Nos últimos quatro jogos foram três goleiros diferentes !

O Gato Preto começou o jogo dando a impressão que venceria, que seria uma questão de tempo aproximar-se da meta adversária. Foi só a impressão.

Lucas bate equilibrado: Juninho e Gago poderiam ter evitado
Lucas bate equilibrado: Juninho e Gago poderiam ter evitado

Aos nove minutos, Lucas recebeu na lateral direita de defesa do Ceilândia, cortou para o centro e abriu o marcador. A falha defensiva, permitindo que o adversário chegasse inteiro no lance contribuiu decisivamente para o gol adversário.

O primeiro tempo seguiu sem maiores emoções, salvo a clara chance de Allan Dellon, teve um ou outro chute de grande distância do Santa Maria.

Thiaguinho enfim fez boa partida, mas ainda longe do ideal
Thiaguinho enfim fez boa partida, mas ainda longe do ideal

Veio o segundo tempo e o CEC tomou a iniciativa do jogo. Aos cinco, Dudu Gago sofreu falta que Allan Dellon cobrou com maestria empatando o jogo.

Esperava-se que o Ceilândia mantivesse o ritmo e virasse o jogo. Não foi o que aconteceu: aos 19, Leonardo saiu mal do gol. Na sequencia, Robson cabeceou livre desempatando o jogo.

Três do Ceilândia contra o goleiro: Allan Dellon perdeu!
Três do Ceilândia contra o goleiro: Allan Dellon perdeu!

Seria injusto dizer que o Ceilândia partiu para o ataque tal qual o fez na derrota para o Legião. Não o fez.

Hoje, as chances criadas (e não foram poucas) foram fruto de um trabalho minimamente articulado. Isso talvez seja a coisa positiva da partida de hoje.

O meio esteve melhor, mas a defesa comprometeu
O meio esteve melhor, mas a defesa comprometeu

De qualquer forma, há sempre quem diga que o que houve de positivo deve-se à fragilidade do adversário.

O fato é que não deu.  O Ceilândia  troca o glamour do favoritismo pela dura realidade da última colocação.

Cassius comemora diante do Legião: durou pouco

Gato Preto enfrenta Santa Maria: Semana colocada à prova

Ceilândia comemora contra Legião: time sofreu duas viradas consecutivas
Ceilândia comemora contra Legião: time sofreu duas viradas consecutivas

Ceilândia joga hoje às 16h00 no Bezerrão diante do Santa Maria. O confronto opõe duas equipes com ambições distintas no campeonato, mas que o iniciaram com derrota.

O Santa Maria, embora perdendo para o Brasiliense, vem com um discurso positivo. Já o Ceilândia, outrora apontado como um dos favoritos à competição, tenta recuperar minimamente a autoconfiança.

Defesa sofreu 7 gols em quatro jogos: quase dois por partida
Defesa sofreu 7 gols em quatro jogos: quase dois por partida

Para o jogo de hoje, o técnico Adelson de Almeida deve manter a base do jogo contra o Legião, com a entrada de Wisman na lateral esquerda. O resto do time será mantido. O que muda é o posicionamento.

Uma das preocupações de Adelson de Almeida é o número de gols sofridos. Em quatro jogos, foram sete gols. Quase dois gols por partida.  O ataque tem feito metade dos gols sofridos.

Cassius comemora diante do Legião: durou pouco
Cassius comemora diante do Legião: durou pouco

A torcida do Gato Preto está confiante. O trabalho durante a semana mudou em relação ao trabalho anterior. O time trabalhou mais focado. De acordo com a comissão, era o que faltava para o time começar a engrenar na competição.

Provável escalação do Gato Preto Ceilândia: França, Gago, Sandro, Badhuga e Wisman (Valdinei); Juninho Goiano, Goeber, Thiaguinho e Allan Dellon. Cassius e Alisson (Tavares).

Destaque do jogo: Dudu Gago e outros drops

Gago:  personalidade para suportar as críticas
Gago: personalidade para suportar as críticas

Terça-feira é dia de repassar o último jogo. O jogador escolhido para ser destacado na partida foi Dudu Gago. Dudu tem 28 anos e é gaúcho, mas a sua trajetória futebolística tem mais tempo no DF, onde atuou por CFZ, Gama, Brasiliense e, em 2013, no Santa Maria.

Na partida diante do Legião Gago sofreu com a arquibancada. Novo no Ceilândia, talvez não saiba que todos os laterais sofrem com a cobrança da torcida.

Mostrou personalidade ao não se abater com as críticas e reagiu positivamente: Embora tenha tentado discutir com o torcedor, depois disso resolveu que seria de outro modo: Partia para cima dos adversários sem medo.

Defensivamente foi bem, as críticas da torcida eram com relação ao aspecto ofensivo. Talvez devesse cortar para o meio de vez em quando, apenas para não ficar previsível de mais…

Considerando os últimos públicos contra o Legião, público bom no Regional
Considerando os últimos públicos contra o Legião, público bom no Regional

PÚBLICO

O borderô indicou 360 pessoas de público. A impressão é que havia 500 pessoas. Foi o menor público registrado na rodada, mas sabemos que os borderôs normalmente são inflados no Candangâo.

Visualmente havia mais gente no sábado que no domingo no Estádio Regional. O maior público, como sempre, foi registrado no Gama.

CLASSIFICAÇÃO

A grande surpresa foi a derrota do Ceilândia. Segundo time de todo candango, o Gama também perdeu e houve confusão no estádio. No mais, resultados previsíveis.

[standings league_id=10 template=compact logo=true]

ADVOGADO DO DIABO

Hummmm…. Wales Martins parece um para-raios… Segundo o Clube do Esporte DF, na súmula invocou os artigos 19, inciso 6 e  artigo 63 do Regulamento Geral das Competições.

Só por diversão, o advogado do diabo foi checar o que dizem os artigos. O 63 diz:

Art. 63 – No caso de uma equipe não se apresentar em campo para uma partida
previamente programada, o seu adversário será declarado vencedor pelo placar de
três a zero.

Hummm… O Formosa foi a campo ou foi ao Estádio?…. vamos ao 19.

O 19 diz:

Art. 19 – Uma partida só poderá ser adiada, interrompida ou suspensa quando
ocorrerem os seguintes motivos:

6) Ocorrência extraordinária que represente uma situação de comoção
incompatível com a realização ou continuidade da partida.

Hummm… o árbitro parece que não encerrou a partida… parece que ele entendeu que havia uma situação de comoção incompatível com a realização da partida e adiou o jogo… logo…

Para finalizar… ainda por diversão… parece que as Leis do Jogo para 2013/14 não exigem chuteiras: falam em calçados (footwear) e não em chuteiras (boot)…

Saudades de Jorge Martins…