Tag: Gilvan

Gilvan é esperança de gol alvinegra

Reta final de preparação

Willian fez bom segundo tempo contra Aparecidense: Ceilândia vai precisar dele mais que nunca!
Willian fez bom segundo tempo contra Aparecidense: Ceilândia vai precisar dele mais que nunca!

O Ceilândia prossegue em sua preparação para enfrentar o Fluminense-BA, neste domingo, em Feira de Santana. O jogo vale uma vaga na decisão por lugar na Série C 2017.

Mário Henrique passou por exames e a lesão que o afastou do jogo contra a Aparecidense não é grave. Apesar da boa notícia, não é certo que Mário volte neste final de semana. Elivelto, que foi bem contra a Aparecidense, deve ser mantido.

No mais, o Ceilândia deve manter o time dos últimos confrontos.

Gilvan é esperança de gol alvinegra
Gilvan é esperança de gol alvinegra

Do lado alvinegro há poucas informações sobre o adversário. Sabe-se que é um time que era muito bem treinado por Arnaldo Lira e, acredita-se, pouco deve mudar com a entrada de Betinho.

A principal característica apontada está no fato de que o Fluminense é um time paciente e com contra-ataque mortal (nisto muito parecido com o Ceilândia). Mais da metade dos gols marcados foram assinalados nos minutos finais tanto do primeiro quanto do segundo tempo.

O técnico Adelson de Almeida sabe que terá um grande adversário pela frente, mas acredita que tanto Ceilândia quanto Fluminense sabem que  não podem se dar ao luxo de tropeçar no primeiro jogo. Isso tornará o confronto mais nervoso.

Tanto o Ceilândia quanto o Fluminense tem lições da fase anterior a aprender. O Fluminense fez 2 x 0 no primeiro jogo e tornou a essa vantagem praticamente irreversível. Dois gols de diferença é muito, numa competição tão parelha.

Já o Gato Preto sabe que um empate sem gols no campo do adversário equivale quase a uma derrota. Fazer gol no campo adversário é tão importante quanto a compreensão de que essa fase tem 180 minutos… sofridos 180 minutos.

Ceilândia supera jogo truncado da Aparecidense e recupera a liderança do grupo

O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal
O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal

Ceilândia e Aparecidense se enfrentaram na tarde deste sábado, no Regional, em jogo que valia a liderança do grupo A10 da Série D-2016. Como se esperava foi um jogo difícil. O placar final, não diz o que foi o jogo, mas reflete exatamente a diferença entre as equipes.

A proposta de jogo da Aparecidense é simples: jogar e impedir o adversário de jogar. Até aí tudo tranquilo. O problema é que a base da estratégia está centrada em faltas táticas.  Qualquer avanço do adversário, o mais simples que seja, é parado com falta. O bem treinado time da Aparecidense recompõe sua defesa, recupera a bola e avança ordenadamente ao ataque.

Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense
Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense

O Ceilândia sofreu com isso no primeiro tempo. Aos olhos de um observador desatento, apenas um time jogava e esse time era a Aparecidense. A causa, contudo, talvez não fosse observada: abuso das faltas táticas, razão última do domínio exercido.

Foi assim o primeiro tempo quase inteiro, mas o bom time da Aparecidense tinha um problema: o último passe. Fato é que a Aparecidense rondou a área do Ceilândia por diversas vezes, obrigando em ao menos uma delas a boa defesa de Artur. Noutra, Badhuga providencialmente colocou a bola para escanteio. E só.

Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia
Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia

Apesar das dificuldades de conclusão do adversário, a torcida do Ceilândia estava impaciente. O time não conseguia jogar e, talvez, não soubesse a razão. Fato é que temia-se que a qualquer momento a Aparecidense conseguisse uma brecha e abrisse o marcador.

Não foi o que aconteceu.

Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar
Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar

Há muitas diferenças entre os dois times. Uma delas está no fato de que o Ceilândia tem Willian. No apagar das luzes do primeiro tempo, Willian brigou por uma bola perdida, foi a linha de fundo e cruzou. Gilvan, com oportunismo, abriu o marcador. Ceilândia fazia 1 x 0. Logo em seguida o primeiro tempo acabou.

Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol
Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol

Veio o segundo tempo e o cenário aparentemente continuava o mesmo. O time da Aparecidense é uma maquininha. Mantém um padrão desconcertante: falta tática, recompõe a defesa, recupera a bola e avança ordenamente ao ataque.

De qualquer sorte, o Ceilândia também tem um bom time.  Apesar da adversidade, não dava oportunidades para a Aparecidense.  A rigor, nenhum atacante adversário chegava inteiro para concluir.

Badhuga vai fazer o segundo gol
Badhuga vai fazer o segundo gol

Aos 7 minutos do segundo tempo, os times ainda disputavam o domínio da partida. Se fosse uma luta, dir-se-ia que os times trocavam pegadas. Foi nesse cenário de indecisão que tudo mudou.

Cobrança de escanteio, Gilvan cabeceou e a bola sobrou no lado oposto para Badhuga concluir. O goleiro Pedro Henrique ainda tentou tirar, mas a bola já havia atravessado a linha do gol. Ceilândia 2 x 0.

Willian comemora com a torcida
Willian comemora com a torcida

Esse gol mudou por completo o panorama da partida. A Aparecidense desestruturou-se momentaneamente e, antes que se colocasse  de pé, Willlian fez um golaço: Ceilândia 3 x 0.

Depois do terceiro gol, o Ceilândia cuidou em administrar o resultado. Adelson ainda colocou Wanderson, Kabrine e Formiga los lugares de Sandro, Matheuzinho e Willian, mas o Ceilândia já estava satisfeito com os 3 x 0.

Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque
Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque

Algumas lições talvez sejam mais importantes que o resultado em si. A principal lição é a de que podem existir advesários que utilizem o padrão de jogo da Aparecidense: falta tática, recomposição, avanço ao ataque. Isso incomodou o Ceilândia, principalmente diante de uma arbitragem complacente, desmoralizada pelo ato final do volante Geovane que chutou a bola para fora quando essa estava sob a autoridade do árbitro.

Outro coisa importante foi ver Artur fazer defesas importantes. Isso dá confiança de que, se necessário, o arqueiro estará lá. Por fim,  a vitória foi importante porque dá ao Ceilândia, momentaneamente, a primeira colocação do grupo.

20160709cec3x0aparecidense_093

Related Images:

Ceilândia vence Araguaia-MT e fica mais próximo da classificação

Willian sofreu com a marcação individual: perdeu esse gol feito
Willian sofreu com a marcação individual: perdeu esse gol feito

O Ceilândia não repetiu as atuações anteriores. Ainda assim, saiu do Regional com uma importante vitória sobre o Araguaia, jogo válido pela quarta rodada do Grupo A10 da Série D 2016.

O Ceilândia não foi o Ceilândia das primeiras partidas da Série D. Nas partidas anteriores, o Ceilândia dividiu a iniciativa do jogo com o adversário e teve em Klécio, Willian e Matheuzinho suas referências. Hoje, o Ceilândia resolveu fazer um jogo de paciência com o Araguaia.

Baiano fez o primeiro gol alvinegro
Baiano fez o primeiro gol alvinegro

O jogo começou burocrático. O Araguaia precisava do resultado, mas não tinha força para jogar no campo do Ceilândia. O Ceilândia, a seu turno, desejava atrair o Araguaia para o seu próprio campo de defesa.

O que se viu foi que os dois times não se lançavam ao ataque, trocavam a bola nas suas linhas de defesa, sem muita inspiração. Ninguém se prontificava a forçar o erro do adversário. Ambos os times esperavam pelo erro.

Klecio perdeu esse: juntamente com Willian e Matheuzinho, Klécio fez uma partida abaixo das anteriores
Klecio perdeu esse: juntamente com Willian e Matheuzinho, Klécio fez uma partida abaixo das anteriores

Obviamente o Ceilândia é um time superior tecnicamente ao Araguaia. Em situações normais, o Ceilândia provavelmente seria mais eficiente que o adversário. Foi o que ocorreu.

Aos 15 minutos, Willian saiu cara-a-cara com o goleiro adversário e perdeu grande chance. Três minutos depois, Baiano fez o primeiro gol da partida encobrindo o guarda-metas adversário.

Wallace teve uma partida tranquila: defesa, no geral, pouco exigida
Wallace teve uma partida tranquila: defesa, no geral, pouco exigida

Esperava-se que o Araguaia saísse para o jogo, mas não saiu. O Ceilândia estava visivelmente acomodado com a vantagem no marcador e foi cozinhando a partida. Aos 40 minutos ocorreu aquilo que mudaria o tom da partida na segunda etapa: Didão se machucou e foi substituído por Kabrine. Adelson recuou Baiano para a função.

O Ceilândia foi para o intervalo cômodo com a vantagem. Aos olhos do torcedor incomodava o fato de que o Ceilândia aparentava estar com o espírito desarmado ante a falsa resignação do adversário.

Didão saiu: time ficou mais exposto
Didão saiu: time ficou mais exposto

Veio o segundo tempo e o Araguaia voltou melhor. Não que criasse situações claras de gol, mas pelo fato de que chegava mais próximo da grande área alvinegra. O espírito desarmado do Ceilândia cobrava-lhe um preço, deixando que o Araguaia tomasse a iniciativa do jogo.

A sorte é que o Ceilândia vive um bom momento. Aos 8 minutos, Kabrine aproveitou rebote dentro da área e fez um belo gol: Ceilândia 2 x 0.

Wanderson entrou para rearrumar o meio
Wanderson entrou para rearrumar o meio

Esse gol fez muito mal ao Ceilândia. O alvinegro simplesmente passou a assistir o Araguaia jogar. O castigo não demorou muito: aos 18, Marcelo diminuiu.

Adelson possivelmente já antevia o gol adversário. Tanto é verdade que já se preparava para colocar Wanderson no lugar de Matheuzinho, completamente anulado pela defesa adversária. Foi isso que fez. Também tirou Willian, que sofreu muito com a marcação individual, e colocou Formiga.

Gilvan deu números finais ao jogo
Gilvan deu números finais ao jogo

O fato é que o Araguaia não tinha força para buscar o empate. O Ceilândia voltou a equilibrar a partida. Aos 39, Gilvan saiu cara  a cara com Simão, driblou o goleiro e deu números finais ao marcador: Ceilândia 3 x 1.

O resultado em si mesmo é muito bom. O Ceilândia chega a 9 pontos e está em boas condições de se classificar. A questão agora está em saber como o time se comportará contra a Aparecidense no próximo sábado. O jogo praticamente vale o primeiro lugar da chave.

Ceilândia jogou com Artur, Gabriel, Mario Henrique, Wallace, Baiano, Badhuga, Didão (Kabrine), Klécio, Willian (Formiga); Matheuzinho (Wanderson) e Gilvan.

20160702cec3x1araguaia_094_650

 

Related Images:

Gilvan: movimentação não tem se encaixado

Ceilândia vai a Barra do Garças pressionado pelas lembranças de 2010

Em 2012, Ceilândia era líder na última rodada: ficou de fora
Em 2010, Ceilândia era líder na última rodada: ficou de fora

Em 2010, o Ceilândia liderou o seu grupo da primeira à penúltima rodada. Entrou na última rodada precisando de um empate. Se derrotado, ainda assim se classificaria, desde que o Araguaína (Tocantins, não confundir com o adversário deste final de semana),  não vencesse o Botafogo-DF.

O time entrou em campo acomodado e perdeu para o Brasilia por 2 x 0. O Araguaína venceu e o Ceilândia foi eliminado ainda na fase de classificação.

Cassius chega tarde: CENE chegou sempre antes
Em 2012, classificado com duas rodadas de antecedência, time relaxou no final

Em 2012, a história foi diferente, apenas em parte. O Ceilândia entrou nas últimas duas rodadas já classificado. Relaxou na reta final, perdeu os dois últimos jogos e a primeira colocação do grupo. O relaxamento cobrou seu preço também nas semifinais da região centro-sul.

A Série D, o Ceilândia sabe, não é fácil.

Badhuga parece estar voltando à sua melhor forma
Badhuga parece estar voltando à sua melhor forma

Para o jogo deste domingo, o Gato Preto não pode se dar ao luxo de perder. O elenco montado demonstrou que possui qualidades técnicas para avançar à segunda fase. Falta demonstrar que é capaz de transformar essa qualidade em resultados dentro de campo.

Adelson de Almeida a princípio não tem problemas de ordem física. Do ponto de vista do espectador, o Ceilândia foi bem contra a Aparecidense e proporcionou um bom jogo. Para a Série D, todavia, o que importa é o resultado.

Gilvan: movimentação não tem se encaixado
Gilvan: movimentação não tem se encaixado

Para a Comissão Técnica alguns ajustes precisam ser feitos na movimentação, principalmente no ataque. Gilvan não encontrou a sincronia com Willian e Matheusinho. Tem recebido a bola de costas para o gol, sem condições de concluir.

Adelson sabe que o  time melhorou o volume de jogo, mas ainda tem problema na última bola. O fato é que, ofensivamente, o time precisa de pequenos ajustes, desde que esses ajustes não comprometam o sistema defensivo.

A necessidade de resultado pressiona, mas não é o fim do mundo. O que o Ceilândia queria evitar era entrar na última rodada pressionado. A derrota diante da Aparecidense tornou isso um fato inconteste: o Ceilândia terá que lutar pela vaga até a última rodada.

Betinho entrou no segundo tempo: mostrou ser uma boa opção

Ceilândia faz seu primeiro jogo-treino visando a D-2016

Didão avança: Ceilândia é forte, mas teve muita dificuldade com a Ceilandense
Didão avança: Ceilândia é forte, mas teve muita dificuldade com a Ceilandense

O Ceilândia fez o seu primeiro jogo-treino com vistas à estreia na Série D-2015. O adversário foi a Ceilandense, que se prepara para a segunda divisão local,  na Cidade do Gato, manhã desse sábado.

Adelson manteve a  base defensiva do Candangão.  A mudança mais significativa foi a entrada de Arthur no lugar de Léo. A experiência de Arthur pesa, até porque todos reconhecem que Léo fez um campeonato candango impecável.

Gilvan é uma das novidades no ataque
Gilvan é uma das novidades no ataque

Na frente, o Ceilândia entrou completamente mudado. Elivelton, William, Matheuzinho e Gilvan formavam um time completamente novo. No geral, Adelson fez seis alterações em relação ao time do Campeonato Candango.

Em campo, o  Ceilândia teve a iniciativa do jogo a partida inteira, mas foi incapaz de criar situações claras de gol. A Ceilandense dava espaço para o Ceilândia até a entrada de sua grande área.  Esse tipo de confronto será  uma constante na Série D, com a diferença de que o Ceilândia terá pela frente times melhor qualificados.

Adelson utilizou quase todos os jogadores:
Adelson utilizou quase todos os jogadores:

O tempo foi passando e o time foi ficando mais e mais ansioso. Pequenos detalhes chamavam a atenção. O principal foi a falta de sincronia entre os linhas  do time do Ceilândia.

O resultado é que o time principal do Ceilândia somente foi fazer o seu gol no início do segundo tempo em pênalti cobrado por Elivelton.

Betinho entrou no segundo tempo: mostrou ser uma boa opção
Betinho entrou no segundo tempo: mostrou ser uma boa opção

Depois disso o Ceilândia trocou todo o time. Ainda frio, o time suplente sofreu o gol do empate. Não demorou e o Ceilândia reassumiu o comando do jogo, fazendo o seu segundo gol (Jefferson). Para quem assistia não havia grande diferença no futebol jogado entre os dois times utilizados por Adelson. O jogo seguiu  modorrento até o apito final, com a vitória alvinegra por 2 x 1.

Ao final do jogo-treino Adelson procurou minimizar as dificuldades encontradas pelo Ceilândia para derrotar a Ceilandense. O treinador disse que ainda é muito cedo para fazer conclusões. Adelson afirmou que ainda precisa fazer alguns testes, antes de ter a sua equipe definida, inclusive no que diz respeito ao esquema de jogo.

O Ceilândia ainda deve fazer dois jogos-treinos contra equipes amadoras antes da estreia contra o Comercial no dia 12.

Related Images: