Tag: Mario Henrique

Ceilândia volta ao Annibal Batista de Toledo

De volta ao Anibal Batista de Toledo

Ceilândia volta ao Annibal Batista de Toledo
Ceilândia volta ao Annibal Batista de Toledo

Com uma tabela mais difícil que o seu adversário, o  Ceilândia não poupou esforços para fazer uma boa partida na noite de hoje contra a Aparecidense.

Klécio ficou um mês afastado: mesmo sem ritmo e longe da melhor forma, tornou-se o jogador mais perigoso do ataque alvinegro
Klécio volta ao Ceilândia: gols importantes. Dúvida quanto aos estágios técnico e físico

O Gato Preto viajou para Goiânia ainda ontem e com isso reduziu o impacto de uma viagem de última hora. O Ceilândia sabe o que é jogar no Anibal Batista de Toledo, onde sempre fez bons jogos contra o seu adversário.

Cauê vai ao ataque: zagueiro quase empatou
Cauê e seu companheiro Cocada terão a missão de fazer com que o Ceilândia não sofra gol

Para esta partida, Adelson, se quiser, já poderá contar com Amoroso, Klécio,  Mário Henrique e Mirandinha. Os nomes dos atletas foram publicados no BID. Contar com eles ou não, agora é um problema de Adelson.

Emerson Martins saiu contundido: motor do time, preocupa
Emerson Martins volta de contusão: motor do time, preocupa

Do time que vem atuando, Adelson deposita especial confiança no seu sistema defensivo. Se quiser sair do jogo de hoje com um resultado positivo é fundamental não sofrer gol.  Daí pra frente a responsabilidade será do ataque.

Didão, Mário Henrique, Klécio e Willian: reencontro. Vai dar liga?

Últimos ajustes antes da Aparecidense

Alcione sofreu com as lesões e pouco jogou no último ano.
Nome por nome, o Ceilândia tem um time que pode ir longe na D-2018. A questão é que precisa dar liga. Para tornar o time ainda  mais cascudo, a direção fez pontuais alterações no elenco. Alcione sofreu com as lesões e pouco jogou no último ano: está de saída.

O técnico Adelson admitiu ao GloboEsporte que a estreia do Ceilândia na Série D 2018 foi apenas razoável.   De fato o resultado não foi o esperado, mas é natural que os tropeços aconteçam em uma competição tão difícil e curta. Resta ao time corresponder à confiança da torcida e recuperar os pontos perdidos o quanto antes.

Com a contratação de mais um lateral, Elivelto volta a ser opção para o meio
Com a contratação de mais um lateral, Elivelto volta a ser opção para o meio

Nome por nome, o Ceilândia tem um time que pode ir longe na D-2018. A questão é que precisa dar liga. Para tornar o time ainda  mais cascudo, a direção fez pontuais alterações no elenco.

Adelson terá uma semana para trabalhar a equipe.
Adelson tem muito trabalho pela frente: Ceilândia precisa de resultados

A Série D é curta. Não dá muito tempo para o time ficar encontrando soluções. Em seis jogos difíceis, mais da metade dos competidores serão eliminados. Sabendo disso, a direção correu para contratar. Trouxe Mário Henrique e Klécio,dois velhos conhecidos. Apesar de bons nomes, não se sabe em que condições os dois chegam. Carlinhos é outro nome cogitado. O time atual é que terá de dar conta do resultado.

Didão, Mário Henrique, Klécio e Willian: reencontro. Vai dar liga?
Didão, Mário Henrique, Klécio e Willian: reencontro. Vai dar liga?

Enquantos uns chegam, outros estão de saída.  Com uma lesão crônica, Alcione pouco jogou e, nos nove jogos que participou em 2018, normalmente vindo do banco,  fez apenas um gol.  Klécio deve ser o nome a ocupar a  função.

De qualquer sorte, é o elenco atual que terá que enfrentar a Aparecidense. Os reforços devem estar disponíveis a partir do terceiro jogo.  O Gato Preto, depois do tropeço em casa, já sabe que vai decidir fora de casa. O primeiro jogo da decisão será nessa sexta.

 

Related Images:

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras

Direção busca reforços para sequência da D-2018

Empate contra Sinop coloca pressão no Ceilândia para o jogo de sexta
Ceilândia busca reforços, mas sem fazer loucuras. Empate contra Sinop coloca pressão para o jogo de sexta

O Ceilândia retornou aos treinamentos com vistas ao jogo desta sexta, 19h30, contra a Aparecidense.  Os quatro times estão empatados na classificação do grupo A11 com um ponto cada.

Igualados na disposição e na concentração: Mário Henrique teve a melhor chance do primeiro tempo
Mário Henrique interessa, mas direção vê contratação complicada

O presidente Ari de Almeida informou ao CeilandiaEC que corre para reforçar a equipe. Segundo o presidente do Ceilândia, alguns reforços estão a ponto de serem anunciados. Faltam pequenos detalhes para os anúncios. Segundo Ari de Almeida, embora o Ceilândia precise, ainda não será dessa vez que um atacante será anunciado.

Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras
Ari de Almeida: reforços, mas sem fazer loucuras

Um dos nomes cotados na imprensa é o de Mário Henrique. A direção do Ceilândia admite que é um bom nome, mas desconversa sobre possível acerto. O jogo da próxima sexta será disputado com portões fechados ao público.

Willian não brilhou sábado: esperança na decisão

Ceilândia espera Regional lotado para decisão contra Aparecidense

Mario Henrique tem sido um dos destaques alvinegro: preocupa para sábado
Mario Henrique tem sido um dos destaques alvinegro: preocupa para sábado

O Ceilândia EC vai colocar à venda 2000 ingressos para a decisão deste sábado, 15h30, no Regional, contra a Aparecidense. Os primeiros 200 torcedores que comparecerem ao Regional, na próxima sexta, um dia antes do jogo,  receberão os ingressos gratuitamente, uma cortesia dos patrocinadores do Gato Preto. Esses ingressos de cortesia serão entregues nas bilheterias do Estádio Regional de Ceilândia entre 14h00 e 16h00 (retificado: antes seria no sábado). Os demais serão vendidos por preços a partir de R$10,00 (dez reais).

Ainda não foi definido, mas os ingressos devem ser vendidos antecipadamente no Supermercado Dia-a-Dia. O CeilandiaEC fará a divulgação. No mais, os ingressos poderão ser comprados no estádio.

O resultado do último sábado não foi o esperado. Numa competição em que o gol fora de casa é decisivo, não fazer gol no campo do adversário aumenta a responsabilidade jogando em casa.

Willian não brilhou sábado: esperança na decisão
Willian não brilhou sábado: esperança na decisão

De qualquer forma, o Ceilândia confia na força de jogar em casa. A avaliação geral é a de que se o Ceilândia igualar-se ou superar a Aparecidense em vontade, a técnica e a experiência alvinegras tendem a fazer a diferença.

O Ceilândia vai se reapresentar nesta segunda, para avaliação médica. Mário Henrique preocupa. O lateral-esquerdo alvinegro deixou o jogo de sábado nos minutos finais, substituído por Elivelto.

Ceilândia supera jogo truncado da Aparecidense e recupera a liderança do grupo

O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal
O Ceilândia sofreu com as faltas táticas da Aparecidense: arbitragem mais uma vez longe do nível ideal

Ceilândia e Aparecidense se enfrentaram na tarde deste sábado, no Regional, em jogo que valia a liderança do grupo A10 da Série D-2016. Como se esperava foi um jogo difícil. O placar final, não diz o que foi o jogo, mas reflete exatamente a diferença entre as equipes.

A proposta de jogo da Aparecidense é simples: jogar e impedir o adversário de jogar. Até aí tudo tranquilo. O problema é que a base da estratégia está centrada em faltas táticas.  Qualquer avanço do adversário, o mais simples que seja, é parado com falta. O bem treinado time da Aparecidense recompõe sua defesa, recupera a bola e avança ordenadamente ao ataque.

Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense
Matheuzinho deu muito trabalho no início. Depois, foi dominado pelo sistema defensivo da Aparecidense

O Ceilândia sofreu com isso no primeiro tempo. Aos olhos de um observador desatento, apenas um time jogava e esse time era a Aparecidense. A causa, contudo, talvez não fosse observada: abuso das faltas táticas, razão última do domínio exercido.

Foi assim o primeiro tempo quase inteiro, mas o bom time da Aparecidense tinha um problema: o último passe. Fato é que a Aparecidense rondou a área do Ceilândia por diversas vezes, obrigando em ao menos uma delas a boa defesa de Artur. Noutra, Badhuga providencialmente colocou a bola para escanteio. E só.

Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia
Sandro entrou no lugar de Didão. Não comprometeu, mas a falta de ritmo comprometeu a fluidez do jogo do Ceilândia

Apesar das dificuldades de conclusão do adversário, a torcida do Ceilândia estava impaciente. O time não conseguia jogar e, talvez, não soubesse a razão. Fato é que temia-se que a qualquer momento a Aparecidense conseguisse uma brecha e abrisse o marcador.

Não foi o que aconteceu.

Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar
Nessa sequencia, a maior oportunidade da Aparecidense: Badhuga e Artur Junior vão salvar

Há muitas diferenças entre os dois times. Uma delas está no fato de que o Ceilândia tem Willian. No apagar das luzes do primeiro tempo, Willian brigou por uma bola perdida, foi a linha de fundo e cruzou. Gilvan, com oportunismo, abriu o marcador. Ceilândia fazia 1 x 0. Logo em seguida o primeiro tempo acabou.

Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol
Quando tudo parecia complicado, Willian deixou Gilvan na cara do gol

Veio o segundo tempo e o cenário aparentemente continuava o mesmo. O time da Aparecidense é uma maquininha. Mantém um padrão desconcertante: falta tática, recompõe a defesa, recupera a bola e avança ordenamente ao ataque.

De qualquer sorte, o Ceilândia também tem um bom time.  Apesar da adversidade, não dava oportunidades para a Aparecidense.  A rigor, nenhum atacante adversário chegava inteiro para concluir.

Badhuga vai fazer o segundo gol
Badhuga vai fazer o segundo gol

Aos 7 minutos do segundo tempo, os times ainda disputavam o domínio da partida. Se fosse uma luta, dir-se-ia que os times trocavam pegadas. Foi nesse cenário de indecisão que tudo mudou.

Cobrança de escanteio, Gilvan cabeceou e a bola sobrou no lado oposto para Badhuga concluir. O goleiro Pedro Henrique ainda tentou tirar, mas a bola já havia atravessado a linha do gol. Ceilândia 2 x 0.

Willian comemora com a torcida
Willian comemora com a torcida

Esse gol mudou por completo o panorama da partida. A Aparecidense desestruturou-se momentaneamente e, antes que se colocasse  de pé, Willlian fez um golaço: Ceilândia 3 x 0.

Depois do terceiro gol, o Ceilândia cuidou em administrar o resultado. Adelson ainda colocou Wanderson, Kabrine e Formiga los lugares de Sandro, Matheuzinho e Willian, mas o Ceilândia já estava satisfeito com os 3 x 0.

Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque
Mario tem sido importante. Hoje, subiu pouco ao ataque

Algumas lições talvez sejam mais importantes que o resultado em si. A principal lição é a de que podem existir advesários que utilizem o padrão de jogo da Aparecidense: falta tática, recomposição, avanço ao ataque. Isso incomodou o Ceilândia, principalmente diante de uma arbitragem complacente, desmoralizada pelo ato final do volante Geovane que chutou a bola para fora quando essa estava sob a autoridade do árbitro.

Outro coisa importante foi ver Artur fazer defesas importantes. Isso dá confiança de que, se necessário, o arqueiro estará lá. Por fim,  a vitória foi importante porque dá ao Ceilândia, momentaneamente, a primeira colocação do grupo.

20160709cec3x0aparecidense_093

Related Images:

Ceilândia enfrenta um novo Araguaia

Ceilândia sabe que não pode menosprezar a bola
Ceilândia sabe que não pode menosprezar a bola

Ceilândia e Araguaia fazem na tarde deste sábado, 15h30, no Estádio Regional, jogo que decide qual dos dois se habilita a decidir com a Aparecidense a liderança do grupo A10 da Série D 2016.

Sabedor da importância do jogo, o Araguaia resolveu mudar meio time para a partida deste sábado. Embora não se tenha informações precisas, o mais certo é que o técnico Kiko Araujo privilegie os jogadores recém contratados, casos de Alaor, Renteria, Café e Jeanzinho.

Kiko Alagoano fez dois e preocupa o Ceilândia
Kiko Alagoano fez dois e preocupa o Ceilândia

Em entrevista ao GloboEsporte que você lê clicando aqui o técnico do Araguaia, Kiko Araujo, prometeu time ofensivo para o jogo deste sábado:

– Infelizmente sofremos com falhas individuais e perdemos mais uma dentro de casa. Agora para ainda pensar em classificação precisamos ir lá e recuperar os pontos perdidos aqui em Barra do Garças. Só a vitória nos interessa e vamos jogar ofensivamente buscando voltar de lá com os três pontos .

 

Adelson tem a responsabilidade de preparar o time nessa reta final
Adelson tem a responsabilidade de preparar o time nessa reta final

O CeilândiaEC apurou que as prováveis mudanças se darão do meio para a frente. No meio, o técnico Kiko Araújo conta com as entradas dos recém contratados Alaor  e do colombiano Renteria. Na frente, a principal alteração estaria na entradas de Café ao lado de Marcelo, este no lugar de Gaúcho.

Alaor tem 20 anos. No campeonato brasileiro sub20 de 2015, marcou gols de média distância e pelo alto. Renteria combina força com alguma técnica. Essas duas entradas mudam a forma de jogar do Araguaia.

Willian e Baiano: equilíbrio do time precisa ser mantido
Willian e Baiano: equilíbrio do time precisa ser mantido

Dessas alterações, contudo, apenas uma indica uma mudança significativa no sistema de jogo do Araguaia: a entrada de Café indica que o Araguaia procura espelhar o sistema de jogo do Ceilândia. Café é um atacante de lado de campo, tanto pela direita quanto pela esquerda.

O Ceilândia, a seu turno, também fará alguns ajustes, mas taticamente. O time faz nesta quinta-feira o seu treino apronto. Adelson desconversa quanto a mudanças no time, o que é pouco provável.

Ceilândia está confiante, mas o Araguaia nada tem a perder

A principal preocupação do treinador está na mudança de mentalidade da equipe. Preparar a o time para que se adapte rapidamente às exigências de cada rodada daqui por diante, deixando o jogo passado no passado, é a tarefa mais urgente. Para o treinador, o Ceilândia precisa se preocupar com um jogo por vez daqui em diante, se quiser chegar à Série D.

Se não houve mudança de última hora, o Ceilândia deve mandar a campo Artur, Gabriel, Badhuga, Wallace e Mario. Didão, Klécio, Baiano e Willian; Matheuzinho e Gilvan.

 

Related Images:

Mario esteve abaixo das últimas apresentações: o Ceilândia também

Em ritmo de treino: Ceilândia empata com Formosa e pega Brasília

 

Jogo atrasou quase 15 minutos. CEC entrou em campo, mas o Formosa sequer havia terminado o aquecimento
Jogo atrasou quase 15 minutos. Na hora de começar,  Formosa sequer havia terminado o aquecimento

O Ceilândia tinha tudo para fazer uma boa partida no dia de hoje e entrar com moral na fase de mata-mata. Ao contrário, não fez. O Ceilândia foi um time burocrático e limitou-se a defender-se diante de um Formosa que termina a competição na 1oª colocação.

O técnico Adelson de Almeida surpreendeu e mandou a campo o que tinha de melhor. A única exceção era Badhuga, que não pode jogar por problemas de saúde. Em seu lugar jogou Cristiano.

Liel voltou. CEC não sofreu, mas também não fez
Liel voltou. CEC não sofreu, mas também não fez

Adelson promoveu a entrada de Gabriel no lugar de Dudu, na lateral direita. No lugar do suspenso Sandro, Adelson promoveu o retorno de Liel. Wisman também voltava de suspensão.

Apesar de jogar com o seu time principal, o Ceilândia se viu na defensiva desde os primeiros minutos. O Formosa tinha a iniciativa do jogo. O Ceilândia até equilibrou um pouco a partida, mas jamais teve o domínio das ações.

Cristiano entrou no lugar de Badhuga:não comprometeu
Cristiano entrou no lugar de Badhuga:não comprometeu

O Ceilândia repetiu, também, as mesmas dificuldades que enfrentou contra o Luziânia. O Gato Preto somente conseguia retomar a bola na entrada de sua grande área.

Durante o primeiro tempo retomou a bola no campo adversário apenas uma vez e duas no primeiro terço do campo defensivo. Pouco para um time que se pretende seja finalista.

Wallace trabalhou muito. Deu um susto, mas esteve seguro na maior parte do tempo
Wallace trabalhou muito. Deu um susto, mas esteve seguro na maior parte do tempo

Apesar do Formosa ter a iniciativa, Léo pouco trabalhou. A defesa conseguiu conter o adversário. Além disso, ainda que em jogadas de bolas aéreas, o Ceilândia chegou a incomodar a meta do Formosa. Com a bola rolando, incomodou apenas em um belo chute de Gabriel.

Veio o segundo tempo e o Formosa manteve o Ceilândia na defensiva. Há algo mais grave: o Ceilândia passou a apelar para a ligação direta buscando Chefe, que lutava contra dois zagueiros. Wisman e Filipe não conseguiam render. O time como um todo, tinha dificuldade em jogar.

Gabriel substituiu Dudu: fez uma partida correta
Gabriel substituiu Dudu: fez uma partida correta

O jogo mantinha-se mais ou menos como no primeiro tempo até os 32 minutos. Foi a partir desse momento que o Formosa começou a aproximar-se mais e mais da meta alvinegra.

Naquele momento, Adelson já fizera todas as alterações possíveis. Sorte do CEC que faltava o último passe para o Formosa, graças, obviamente, ao trabalho defensivo dos volantes alvinegros.

Mario esteve abaixo das últimas apresentações: o Ceilândia também
Mario esteve abaixo das últimas apresentações: o Ceilândia também

O Ceilândia foi um time dominado pelo Formosa, mas defender-se também é uma arte. O CEC defendia-se bem e contou com alguma sorte. A sorte poderia ter sido maior se Wisman conseguisse fazer o gol na chance mais clara do Gato durante o jogo.

A partida já se encaminhava para o seu final, quando Wisman teve a oportunidade. O gol seria injusto com o Formosa que, com o empate, terminou desclassificado.

O Ceilândia? Bem, o Ceilândia vai enfrentar o Brasília na disputa por uma vaga nas semifinais.

Related Images:

Metade do elenco já jogou pelo Ceilândia

Didão e Cassius jogando pelo CEC contra o CR Guará em 2006
Didão, à frente,  e Cassius, último homem,  jogando pelo CEC contra o CR Guará em 2006

Ao ser dada a largada para 2016 e atento às particularidades do futebol local, pode-se dizer que o Ceilândia não começa do zero. Do total de 27 jogadores que se apresentaram ao técnico Adelson de Almeida, 14 já tem experiência no alvinegro.  São eles:

1. LÉO – Goleiro – Léo vai para a sua terceira temporada com a camisa alvinegra. No total são 13 partidas jogando pelo Ceilândia, 12 delas em 2015.
2. MARCELO RIBEIRO – Marcelo é um jovem goleiro. Compôs a equipe de 2015, mas não teve a oportunidade de começar jogando.
3. MICHAEL – Michael é também um jovem goleiro. Compôs o elenco do Ceilândia de 2013, ocasião em que, tal como MARCELO RIBEIRO, não teve oportunidade de jogar.

Liel estreou pelo CEC em 2010, na vitória por 2 x 0 contra o Luziania
Liel estreou pelo CEC em 2010, na vitória por 2 x 0 contra o Luziânia

4. MARIO HENRIQUE – Lateral-esquerdo – Mário Henrique disputou o campeonato candango de 2015 pelo Ceilândia. Disputou 9 partidas, 7 como titular,  e marcou um gol na vitória diante do Luziânia por 2 x 0 ainda pela fase de classificação.

5. DUDU LOPES – Lateral direito – 23 anos – estreou pelo CEC em 2015, no título candango. Jogou 22 partidas com a camisa alvinegra. Volta de cirurgia no joelho. Dudu, aos 20 anos, fez a sua estreia num jogo duríssimo diante do CRAC em Catalão, na disputa da Série D 2012, empate em 2×2.

Dudu em sua estreia pelo Ceilândia contra o CRAC em Catalão
Dudu em sua estreia pelo Ceilândia contra o CRAC em Catalão

5. DIDÃO – meio de campo –  34 anos – estreou pelo Ceilândia em 2004. São 7 temporadas com a camisa alvinegra tendo sido expulso apenas uma vez, em 2005. Marcou 13 gols com a camisa do Ceilândia. Sua última partida com a camisa alvinegra foi em maio de 2013, na final da Taça Mané Garrincha, derrota do CEC para o Brasiliense por 2 x 0.

6. FILIPE CIRNE – meio de campo – Tem 23 anos. Estreou pelo CEC em 2015 na estranha vitória do CEC sobre o Paracatu no jogo que durou 4 minutos. Tem três gols com a camisa alvinegra. De seus pés nasceram a maior parte dos gols do CEC em 2015. Tem 12 jogos com a camisa alvinegra.

Filipe Cirne contra o Brasília: grata revelação num estilo que lembra o saudoso Dorival
Filipe Cirne contra o Brasília: grata revelação num estilo que lembra o saudoso Dorival

7. KABRINE  – meio de campo –  é um jogador que tem Ceilândia na sua origem, afinal nasceu na cidade. Tem 28 anos de idade.Tem 10 jogos com a camisa do Ceilândia todos na campanha da série D de 2012 quando o CEC foi eliminado na semi-final da região sul-sudeste diante da Friburguense em setebmro de 2012. Kabrine fez um gol pelo Ceilândia, na vitória diante do CENE por 3 x 2.
8. LIEL – O homem de ferro, meio de campo. Disputou todos os jogos na conquista do campeonato Candango de 2012. Embora muito identificado com o Gato Preto, Liel, que tem apenas 26 anos, disputou apenas duas temporadas com a camisa alvinegra, justamente nos anos em que o Ceilândia foi campeão. Disputou 36 partidas com a camisa do CEC e, se não foi expulso, também não marcou gol a camisa alvinegra. Na primeira, entrou no lugar de William, na vitória contra o Luziânia na Serra do Lago, ainda em 2010. Seu último jogo pelo Ceilândia foi diante da Friburguense, em 09 de setembro de 2012.
9. VINICIUS – Meio de Campo – Vinicius disputou o Candangão 2015 pelo Ceilândia. Entrou em 9 partidas, 7 delas como titular. Nâo fez gol. É irmão de CHEFE, centro-avante alvinegro em 2016.
10. CHEFE – Atacante – Chefe

Marcelo Ribeiro no banco: vida de goleiro é difícil
Marcelo Ribeiro no banco: vida de goleiro é difícil

compôs o elenco do CEC em 2010, na disputa da Série D. Disputou cinco partidas, três como titular, e ainda não fez gol com a camisa alvinegra.
11. CASSIUS – Atacante – Uma verdadeira lenda do futebol local. Registrados pelo CeilandiaEC já são 183 partidas com a camisa do Ceilândia e 96 gols. O número de partidas com quase toda a certeza é maior… e o de gols também (há uma deficiência de dados das campanhas de 1998 e 1999). O último gol marcado por Cassius foi diante do Brasilia, na 6a rodada, no empate em 1×1. Desde 2000 só não jogou pelo CEC em 2003, quando foi artilheiro do campeonato local pelo CFZ e 2007.
12. CLÉCIO – Meio de Campo – Clécio compôs o elenco do CEC em 2013. Disputou 11 partidas com a camisa alvinegra, 10 delas como titular. Fez dois gols (contra Brazlândia e Brasiliense). A sua última partida foi exatamente contra o Brasiliense, na final da Taça Mané Garrincha em 2013.
13. WISMAN – Wisman é lateral e compôs o elenco do CEC de 2012 a 2014. No primeiro ano sequer foi utilizado na conquista do campeonato. No geral, disputou 7 partidas com camisa do Ceilândia, a última em março de 2014, na eliminação diante do Brasília.

Amanhã falaremos das novas aquisições do Ceilândia.

Related Images:

Ceilândia termina fase de classificação no G4

Felipe Cirne deu muito trabalho a defesa do Luziania
Felipe Cirne deu muito trabalho a defesa do Luziania

O Ceilândia surpreendeu a todos ao terminar a fase de classificação do Candangão na G4. O resultado foi decorrência direta da vitória diante do Luziânia por 2 x 0, em partida disputada na tarde desta quarta-feira no Serra do Lago.

Foi uma partida equilibrada. No primeiro tempo as equipes se alternaram no domínio, mas nenhuma delas conseguiu criar efetivamente uma situação clara de gol. O Ceilândia jogava com Wanderson e Dedé na defesa. A nova dupla não decepcionou.

Jogo muito disputado: Ceilândia soube se aproveitar dos erros do adversário
Jogo muito disputado: Ceilândia soube se aproveitar dos erros do adversário

As maiores emoções ficaram para o segundo tempo. O time da casa tomou a iniciativa do jogo e partiu para o abafa. Bem postado defensivamente, o Ceilândia controlou as investidas do adversário e, na primeira oportunidade, aproveitou um contra-ataque bem sucedido para que Mário Henrique abrisse o marcador (aos 17 do segundo tempo).

Com a vantagem, o Ceilândia manteve-se firme na sua proposta de jogo. O time não se abalou com a pressão do Luziânia e, na única chance clara de gol do adversário, Léo fez uma belíssima defesa.

Tartá voltou ao time
Tartá voltou ao time

Não demorou muito e o Ceilândia aproveitou novo vacilo da equipe do Luziânia e Caio fez o segundo do CEC (aos 34 do segundo tempo).

O resultado em si mesmo nada mudou tem termos de campeonato, mas definiu, como se previa, que Ceilândia e Luziânia farão uma das quartas-de-final.

Mario comemora o seu gol
Mario comemora o seu gol

Do ponto de vista do projeto alvinegro há uma vitória a comemorar. No início da competição havia uma desconfiança generalizada sob o quão longe os meninos do Gato Preto iriam.  A quarta colocação, nesse particular, é uma boa prova.

O técnico Adelson de Almeida falando ao CeilandiaEC concordou que há de fato algo para se orgulhar dos meninos do Gato Preto. Mais que a classificação, disse Adelson, o compromisso de todos os jogadores nesses últimos dez dias é algo a se comemorar. Adelson disse que o time treinou inclusive no domingo e os sacrifícios não poderiam ter sido em vão.

20150325luziania0x2cec_094
Gol de Mário Henrique selou a boa campanha do CEC na fase de classificação

Indagado sobre o que isso representa em termos de campeonato, Adelson de Almeida foi mais pés-no-chão. O treinador disse que o terminar em quarto lugar é importante porque garante o direito de decidir em casa. Acrescentou, contudo, que na próxima rodada começa outro campeonato, os jogos serão diferentes e qualquer erro poderá ser fatal.

As partidas de quartas-de-final, a princípio, começarão no próximo final de semana. Haverá reunião nessa quinta para se definir concretamente a data. Existe uma possibilidade, ainda que pequena, das partidas começarem no próximo meio de semana, dando um prazo a mais para as equipes habilitarem seus estádios para a presença de público.

Related Images: