Tag: Michel

Perda de invencibilidade não abala Ceilândia

Sequência mostra que o gol foi limpo. Defesa do Luverdense não reclamou e até ela foi pega de surpresa com a anulação do gol
Sequência mostra que o gol foi limpo. Defesa do Luverdense não reclamou e até ela foi pega de surpresa com a anulação do gol

O Ceilândia perdeu no último domingo uma invencibilidade de nove jogos atuando como visitante. A despeito do resultado, as diversas oportunidades de gol mostraram que o Gato Preto entra forte na reta final do Candangão 2017.

Romarinho precisou fazer dois gols para que um valesse
Romarinho precisou fazer dois gols para que um valesse

A invencibilidade alvinegra jogando como visitante foi iniciada ainda na Série D 2016*. No total o Ceilândia conquistou seis vitórias e três empates jogando como visitante  (16 gols marcados e 5 sofridos).  Os números são realmente muito bons.

A eliminação da Copa Verde não afeta o moral do Ceilândia. A equipe sabe que fez boa partida e que a sorte, a trave e a arbitragem desempenharam papéis importantes nesse processo.  

O gol perdido por Michel foi muito lamentado porque seria o gol do empate naquele momento.
O gol perdido por Michel foi muito lamentado porque seria o gol do empate naquele momento.

Os gols desperdiçados ficaram como lição, mas reforçam o mérito do time que criou diversas oportunidades e poderia ter construído uma história completamente diferente.

Os jogadores retornam ao trabalho nesta quarta-feira já de olho no jogo do domingo, diante do Gama. O Gato Preto disputa a liderança da competição ponto a ponto com o rival.

A bola na trave de Badhuga também teria mudado a história do jogo: Ceilândia teve muitas chances de gol
A bola na trave de Badhuga também teria mudado a história do jogo: Ceilândia teve muitas chances de gol

Adelson não tem problemas para enfrentar o Gama. A princípio todos os jogadores estão a sua disposição. Artur, que não jogou diante do Luverdense por uma lesão na coxa,  pode voltar. Didão, recuperando-se de inflamação no pubis, pode voltar, mas é pouco provável. Nesse caso, David, que vem de boas partidas, permanece na equipe. 

Goleiro do Luverdense defende sem querer: há dias em que a sorte não ajuda, mas o Ceilândia mostrou que é forte
Goleiro do Luverdense defende sem querer: há dias em que a sorte não ajuda, mas o Ceilândia mostrou que é forte

Pensando na reta final da competição, o presidente Ari de Almeida fala em reforçar a equipe ainda mais. Willian Carioca já se encontra registrado e em condições legais de jogo. Falta ganhar ritmo.

*Os jogos da invencibilidade como visitante

Aparecidense 3 x 2 Ceilândia
1. Araguaia 2 x 4 Ceilândia
2. Comercial 0 x 2 Ceilândia
3. Aparecidense 0 x 0 Ceilândia
4. Fluminense de Feira 0 x 1 Ceilândia
5. Sete-MS 1 x 1 Ceilândia
6. Luziânia 1 x 3 Ceilândia
7. Formosa 1 x 2 Ceilândia
8. Brasília 0 x 3 Ceilândia
9. Brasiliense 0 x 0 Ceilândia
Luverdense 3 x 1 Ceilândia

 

 

Related Images:

Formiga comemora seu primeiro gol com Allanzinho

Elenco mostra força e Ceilândia vence bem o Brasília

Ceilândia sabe que, para 2017, vai precisar de elenco forte mais que um time forte
Ceilândia sabe que, para 2017, vai precisar de elenco forte mais que um time forte

O Ceilândia vem de uma maratona intensa de jogos. Para isso, é preciso ter elenco. Cada jogador precisa estar preparado a qualquer tempo para mostrar o seu valor e aqueles que entraram em campo na tarde desta quarta-feira mostraram que estão à altura dos desafios que estão por vir.

Wanderson foi uma grata surpresa. David é uma das opções recorrentes de Adelson
Wanderson foi uma grata surpresa. David é uma das opções recorrentes de Adelson

O Ceilândia entrou em campo para enfrentar o Brasília precisando da vitória para encurtar a distância para os líderes da competição. O problema é que no próximo sábado, 16h, no Regional, o Gato Preto vai enfrentar a Luverdense, pelas oitavas de final da Copa Verde 2017. 

Adelson e os suplentes de hoje: certeza de que o elenco corresponderá
Adelson e os suplentes de hoje: certeza de que o elenco corresponderá

Adelson de Almeida confia no seu elenco. Por isso, dos onze jogadores que entraram como titulares nesta quarta, apenas Almeida e Filipe Cirne começaram o último jogo.  Artur, Wanderson, Willian, Wallinson, China; Almeida, David, Filipe Cirne, Allanzinho, Michel e Formiga começaram o jogo de hoje.

O Ceilândia tomou o controle das ações desde o primeiro minuto. A boa movimentação de Filipe Cirne ajudava no trabalho de armação e foi dos pés de Filipe Cirne que saiu o primeiro gol alvinegro. O meia cruzou com perfeição, Michel desviou e a bola sobrou para Formiga fazer o seu primero gol com a camisa alvinegra.

Willian estreou: ainda fora de ritmo, mostrou que pode ser útil
Willian estreou: ainda fora de ritmo, mostrou que pode ser útil

O jogo continuou com o Ceilândia comandando as ações até os 30 minutos.  Nesse período, o Gato Preto poderia ter ampliado o marcador com Formiga e Wallinson, mas em ambas oportunidades a defesa do Brasília salvou sob a linha do gol.

Depois do trigésimo minuto, o Ceilândia perdeu um pouco do ímpeto, principalmente no aspecto defensivo. O time já não marcava com a mesma disposição a partir de sua posição de ataque. O resultado é que o Brasília foi ganhando campo e gostando do jogo. 

Formiga comemora seu primeiro gol com Allanzinho
Formiga comemora seu primeiro gol com Allanzinho

Apesar do domínio territorial do Brasília nos minutos finais, Artur foi incomodado apenas em jogadas de bola parada. Nas poucas vezes que foi exigido, Artur mostrou que não relaxou com a perda da posição e está em condições de ajudar o Gato na sua temporada 2017.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia parecia cômodo com a vantagem conquistada. O time marcava mal e nem a entrada de Alcione no lugar do contundido Filipe Cirne pareceu ajudar. O Brasília passou a rondar a área alvinegra e Artur foi obrigado a fazer ao menos uma boa defesa.

Zagueiro salva o gol certo de Wallinson: Ceilândia apresentou momentos de instabilidades, mas foi melhor o jogo inteiro
Zagueiro salva o gol certo de Wallinson: Ceilândia apresentou momentos de instabilidades, mas foi melhor o jogo inteiro

Passados os minutos iniciais, Alcione acertou o seu posicionamento e o meia passou a conduzir as ações do Ceilândia mesmo jogando aberto pela esquerda, fora de sua posição originária. O Ceilândia voltou a se acertar e aos poucos empurrou o Brasília para o seu campo de defesa.

Embora fosse visível que Formiga, Almeida e David estivessem cansados, pesou, do lado alvinegro, a melhor condição atlética.  Adelson se aproveitou e colocou Romarinho aos 31 no lugar do cansado e feliz Formiga. Aos 33, o artilheiro alvinegro fez Ceilândia 2 x 0.

Artur foi pouco exigido e, nas vezes que o foi, mostrou que Adelson pode contar com eleArtur foi pouco exigido e, nas vezes que o foi, mostrou que Adelson pode contar com ele
Artur foi pouco exigido e, nas vezes que o foi, mostrou que Adelson pode contar com ele

O Brasília sentiu o golpe. Wallinson, por duas  vezes, quase amplia para o Ceilândia.  Aos 39, Michel Platini não perdoou e completou para as redes o escanteio cobrado por Elivelto. Ceilândia 3 x 0, placar final.

Algumas atuações chamaram a atenção. Wanderson não é lateral de ofício, mas mostrou que tem algo muito importante para alguém da posição: explosão. Errou aqui ou acolá fazendo faltas desnecessárias, mas foi uma nota positiva. Willian estreou. Ainda meio fora de ritmo de jogo, fez uma partida discreta. 

Formiga vem de duas boas apresentações
Formiga vem de duas boas apresentações

O assunto mais discutido, contudo, foi a atuação de Formiga. O atacante já fizera bons minutos diante do Taguatinga. Hoje, novamente, fez uma boa partida, embora tenha cansado no segundo tempo. Formiga está se levando a sério e falta muito pouco para que todos o levem a sério. 

Michel fez dois gols nos últimos dois jogos e se credencia como boa opção ofensiva alvinegra
Michel fez dois gols nos últimos dois jogos e se credencia como boa opção ofensiva alvinegra

O resultado deixa o Ceilândia a um ponto do líder da competição. O Gato Preto, contudo, não pode se importar com isso porque no próximo sábado tem jogo importante, e difícil, diante da Luverdense.

Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: virada contou com futebol e superação, como deve ser

Virada com futebol e coração, como tem que ser!!!

O Ceilândia começou muito bem, mas rapidamente perdeu consistência de jogo
O Ceilândia começou muito bem, mas rapidamente perdeu consistência de jogo. O Taguatinga fez 1×0 com Bruno

Aqueles que dizem entender de futebol podem até torcer o nariz, mas não podem negar que Ceilândia x Taguatinga foi um espetáculo: muitos gols, pênalti defendido, expulsão, virada e muita, muita emoção.

Almeida entrou e fez uma partida taticamente à beira da perfeição
Almeida entrou e, discreto, fez uma partida taticamente à beira da perfeição

Minutos antes do jogo caiu uma tempestade sobre Ceilândia. O jogo, contudo, começou sob céu limpo. O Ceilândia parecia que teria facilidades contra o último colocado da tabela. Parecia…

Wallace foi surpreendido com a convocação: um jogador como ele não pode se dar ao luxo de acreditar que não será utilizado
Wallace foi surpreendido com a convocação: um jogador como ele não pode se dar ao luxo de acreditar que não será utilizado

Não demorou muito e, no primeiro ataque, o Taguatinga fez 1 x 0. Cobrança de escanteio pelo lado direito da defesa do Ceilândia, Wallace Tartá desviou e a bola sobrou para Bruno fazer Taguatinga 1 x 0.

O Taguatinga fez 1 x 0 e o cenário seria muito mais surreal se Pedro não tivesse salvado esse gol
O Taguatinga fez 1 x 0 e o cenário seria muito mais surreal se Pedro não tivesse salvado esse gol

O Ceilândia se perdeu um pouco com a desvantagem. Passou a abusar da ligação direta. O time parecia nervoso em excesso, dentro e fora de campo. O Taguatinga aproveitou-se desse momentâneo descontrole alvinegro e poderia ter ampliado se não fossem duas defesaças de Pedro que impediu o Taguatinga de fazer 2 x 0.

Gilmar Erê foi mais uma vez importante: interceptou a bola e serviu Romarinho para empatar o jogo
Gilmar Erê foi mais uma vez importante: interceptou a bola e serviu Romarinho para empatar o jogo

O susto parece ter feito bem ao Ceilândia. O Gato Preto entendeu que apenas força não seria suficiente para vencer o jogo, era preciso jogar futebol. O nervosismo assentou e o Gato Preto assumiu as rédeas da partida.

A chuva castigou e expulsou os torcedores das arquibancadas
A chuva castigou e expulsou os torcedores das arquibancadas

Aos 21, pressão do Ceilândia. A defesa do Taguatinga afastou mal, Gilmar Erê interceptou, perdeu o controle da bola, recuperou-se, bateu firme e Romarinho completou para empatar o jogo: Ceilândia 1 x 1 Taguatinga.
Depois disso, o Ceilândia manteve a iniciativa do jogo, mas sem criar situações claras de gol.

Alguns fiéis torcedores aguentaram firmes e conduziram o time à vitória
Alguns fiéis torcedores aguentaram firmes e conduziram o time à vitória

A chuva aumentou e com ela veio o segundo tempo, com o segundo tempo muitas emoções.

Campo pesado e muitos cartões amarelos, para ambos os times
Campo pesado e muitos cartões amarelos, para ambos os times

O Ceilândia voltou disposto a decidir a partida. Não contava, todavia, que o destino se dispusesse a pregar-lhe uma peça: aos 2 minutos do segundo tempo o Taguatinga fez 2×1. Indecisão da defesa, bola presa na enorme quantidade de água e Sena desempatou a partida.

Há décadas não se via o Regional com tanta água: curva norte ficou alagada
Há décadas não se via o Regional com tanta água: curva norte ficou alagada

A partir daí o Ceilândia teve, talvez, o seu pior momento na partida. O Taguatinga que fizera dois gols em situações esporádicas passou a demonstrar uma consistência de jogo que até o momento não mostrara. O time rubronegro empurrou o alvinegro para o seu campo de defesa fazendo temer-se pelo pior.

Ceilândia comemora o primeiro gol: sofrimento no segundo tempo
Ceilândia comemora o primeiro gol: sofrimento no segundo tempo

Adelson percebeu que era hora de mexer. Antes, contudo, o Ceilândia fez prevalecer a sua melhor condição atlética e retomou a iniciativa do jogo. Ao mexer, Adelson colocou Elivelto  e Michel. Formiga viria a entrar no final (e fazer sua melhor apresentação em anos com a camisa alvinegra).

Eliveto tem trabalhado com afinco e humildade: os resultados são perceptíveis
Eliveto tem trabalhado com afinco e humildade: os resultados são perceptíveis

O Ceilândia partia para uma tática suicída. Adelson simplesmente empurrou seus laterais para o campo de ataque e propôs uma blitz no campo de defesa do Taguatinga.

O Gato Preto começou a criar situações de gol, ora com Romarinho, ora com Michel. De tanto insistir, aos 34 do segundo tempo, Romarinho invadiu a área e foi derrubado. Penalti que Elivelto bateu e converteu para empatar o jogo aos 35: 2 x 2.

Jefferson foi apresentado à dura vida de jogador de futebol profissional: jogar bem uma vez é fácil...
Jefferson foi apresentado à dura vida de jogador de futebol profissional: jogar bem uma vez é fácil…

Com a vitória em perspectiva, o Ceilândia foi para o ataque. Não contava que, três minutos depois, o destino viesse a pregar-lhe outra peça. Na bola parada do Taguatinga o árbitro viu pênalti de Jefferson, que teria segurado um adversário na área. Jefferson havia tomado cartão amarelo no primeiro tempo e foi expulso: penalti para o adversário e o Gato Preto reduzido a 10 jogadores.

Pedro defende o pênalti: Ceilândia viraria com um homem a menos
Pedro defende o pênalti: Ceilândia viraria com um homem a menos

Morrendo de frio e sob a chuva inclemente o torcedor do Ceilândia cruzava os dedos. Deu certo: Pedro fez uma fantástica defesa no pênalti bem cobrado pelo adversário Ramon.

Refeito do susto, o Ceilândia foi à frente. O público diminuto empurrava a cada instante, a cada lance. O prêmio veio aos 46, graças à insistência de Romarinho. Na primeiro vez, Pedro defendeu, Didão e Romarinho devolveram a bola e Michel fez o terceiro gol alvinegro, o gol da virada.

Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: virada contou com futebol e superação, como deve ser
Michel, Didão, Romarinho e Formiga comemoram: virada contou com futebol e superação, como deve ser

A torcida sempre cobra interação com os jogadores. Michel, Didão e Romarinho foram comemorar com eles e os torcedores agradecem. 1, 2, 3… Ceilândia!!! Uma vitória para não esquecer, de um time que pode dar muitas alegrias. Futebol? Bem, futebol é isso: quando não der pela habilidade… que não falte vontade!!!

Bobby foi o nome do amistoso disputado em 2009: Ceilândia 3 x 2 Anápolis

Celândia já foca no Anápolis

No meio de semana, empate em 1 x 1 contra o Anápolis
No último amistoso, Ceilândia e Anápolis empataram em 1 x 1, jogo disputado em dezembro de 2013

O Ceilândia já volta o seus olhos para o amistoso deste sábado diante do Anápolis, na cidade goiana de mesmo nome.  O técnico Adelson de Almeida julga que o amistoso seja importante, mas aparentemente quer dar ao evento a importância que tem: é um simples amistoso, um estágio apenas nessa fase de preparação.

Ceilândia e Anápolis se enfrentaram em amistosos nos últimos 8 anos em três oportunidades. Há um absoluto equilíbrio. Em 2009, no Regional, o Gato venceu por 3 x 2. Em 2010, os times se enfrentaram em Anápolis e os goianos venceram por 2 x 1. Em 2013, no último confronto, houve empate em 1 x 1, com jogo disputado no Regional.

Bobby foi o nome do amistoso disputado em 2009: Ceilândia 3 x 2 Anápolis
Bobby foi o nome do amistoso disputado em 2009: Ceilândia 3 x 2 Anápolis

Para essa partida, o técnico Adelson de Almeida, a princípio, não contará com Luan, Matheuzinho e Michel. Este último é dúvida, os demais certeza de ausência. 

No final de semana seguinte, o Ceilândia fará sua estreia na Copa Verde diante do Sete de Dourados, Mato Grosso do Sul.

Related Images:

Luan e Matneuzinho: longa caminhada até a recuperação

Semana 3: sem queimar etapas

Luan e Matneuzinho: longa caminhada até a recuperação
Luan e Matneuzinho: longa caminhada até a recuperação

O Ceilândia inicia a sua terceira semana de preparação para a temporada 2017 com um desafio: ter o cuidado de não queimar etapas. O mesmo vale para os atletas em recuperação, como Luan, Matheuzinho e Michel.

A temporada 2017 é longa para os padrões do futebol local. O Ceilândia terá quatro competições pela frente e há sempre o risco de o time virar o fio antes da hora.  O desafio é começar na medida certa, nem mais, nem menos que os seus rivais e alcançar o ponto certo nos momentos decisivos do campeonato candango.

Com tudo isso em mente, o Ceilândia retoma as suas atividades nesta segunda. A previsão é que os  treinos físicos prevaleçam na segunda e na terça. 

Quarta e quinta estão reservadas para treinos táticos. No sábado, o Ceilândia enfrentará o Anápolis que, no último final de semana vencem o Real (primeiro adversário do Ceilândia no Candangão) por 2 x 1,

Related Images: