Tag: Real Brasilia

Segundo tempo prova que corre sangue nas veias alvinegras, mas Real 2 x 0.

No primeiro lance do jogo o Real abriu o marcador

O CeilandiaEC Torcedor é acima de tudo torcedor. E como torcedor ainda estava magoado com a derrota e, por momentos, imaginou deixar para amanhã relatos do jogo de jogo. O coração pesou porque a entrega dos jogadores merecia algo mais, merecia que o reconhecimento pela entrega ocorresse hoje e agora.

O Ceilândia errou muito nos primeiros 15 minutos. A defesa segurou as pontas. Jonatan foi quase perfeito.

O primeiro tempo foi difícil para o Ceilândia. O Gato Preto simplesmente não se encontrava, mas era possível ver que os jogadores tentavam de todos os jeitos acertar, encontrar uma saída.

A arbitragem deu gol contra de Filipe no segundo gol do Real. Filipe mais uma vez foi bem.

Os 15 primeiros minutos mostraram um domínio absoluto do Real. Apesar do domínio massacrante, o primeiro  gol saiu cedo, em um escanteio,  e não como fruto de uma jogada estruturada do adversário. Pedrão marcou. Isso não retira o mérito do adversário.

Jonatan jogou na zaga e foi bem.

Também não retira o fato de que se o Ceilândia não saiu do primeiro tempo massacrado pelo Real foi porque os jogadores lutaram, lutaram muito. Pode ter faltado futebol aqui e acolá, mas nunca faltou luta.

Mateus Dias foi muito exigido e não se escondeu.

O time voltou para o segundo tempo como se espera de um time do Ceilândia: Ligado. Historicamente algum time pode ganhar do Ceilândia porque o supera em futebol, mas não no quesito vontade. O time que voltou para o segundo tempo não perdeu dividida. Era isso que se esperava.

Lucas prendeu a bola demais no primeiro tempo. No segundo, melhorou como todo o time

O problema é que o futebol escreve a sua própria história. Wisman tentou cruzar, a bola desviou em Filipe e enganou Leandro. O gol logo aos 6 do 2o tempo foi fatal. O Ceilândia não desistiu. Os jogadores se despiram do figurino para inglês ver e se lançaram com vontade. 

No primeiro tempo o Ceilândia chegou uma vez apenas e em bola parada

Na base da vontade igualaram as ações. Na base da vontade rondaram a área do Real. Na base da vontade chegaram a fazer um gol anulado pela arbitragem. Na base da vontade reclamaram de um pênalti não marcado. Na base da vontade sentiram câimbra. Na base da vontade enfim estrearam no Campeonato Candango 2019.

Vinicius entrou no segundo tempo. A atitude do Ceilândia era outra e o time melhorou

A derrota deixa muitas lições. O Ceilândia ainda tem muito a evoluir como time. O Ceilândia tem alguns jogadores que jogaram muito hoje (defesa principalmente). Com essa vontade é possível sonhar… mas é preciso ter em mente que algum time pode ganhar do Ceilândia porque joga mais e tem o mesmo nível de vontade… mais vontade que o Ceilândia ninguém pode ter.

Esta foi a melhor chance do Ceilândia no jogo. Desperdiçada

Os jogadores tem o nosso respeito por hoje e pelas lições aprendidas.

Ceilândia versus Real: Outro Ceilândia, outro Real.

Formiga fez uma partida impecável: premiado com o gol da vitória
Historicamente o Ceilândia vai bem diante do Real: Em 2018, vitória fora de casa. Em 2019, empate em casa.

O Ceilândia  enfrenta o Real daqui a pouco, 15h30, no Regional, com portões fechados. O técnico Marcelo Conte terá a sua disposição o atacante Vinicius e o meia Evandro cujos contratos foram registrados no dia de ontem.

Rodolfo treinou muito bem, mas não vai enfrentar o Real: documentação. Jordã, está garantido.

O time está preparado. A evolução física do bom elenco do Ceilândia será posta a prova em teste importante. O Real venceu o seu primeiro jogo por 4 x 0 diante do Formosa. O jogo foi definido nos 17 primeiros minutos, quando o Real fez 3×0. Os dois primeiros gols, que definiram o jogo,  vieram de bolas paradas. 

Lucas tem sido muito exigido: o time depende muito dele. Se Lucas joga bem, o time joga bem.

O Real não é apenas bola parada, o Ceilândia sabe disso. O time alvinegro está ciente da importância de manter o foco e a concentração o tempo todo. O Real também sabe que o Ceilândia tem time para brigar pelo Top4 e que a semana de trabalho foi suficiente para que o time ganhasse ainda mais corpo. Será outro Ceilândia. Será outro Real. 

Marcone, Vinicius e Evandro disputam a bola: missão de levar o Ceilândia à primeira vitória

O Ceilândia evoluiu bem fisicamente. Contra o Unaí o time manteve-se organizado defensivamente o tempo todo. Em termos ofensivos deixou a desejar, talvez porque treinara com Sandro e Alex e os dois não puderam jogar. O primeiro teve problemas com a documentação. O segundo lesionou-se. Foi um contratempo importante.

Este é o primeiro jogo do Ceilândia em casa. A partida será disputada com portões fechados ao público.

Apronto para enfrentar o Real: Ceilândia tem muito que evoluir.

Evandro na disputa com Wallace. Time titular, de vermelho, venceu, mas não foi bem.

O Ceilândia fez nesta quinta, no Abadião, o treino apronto para a partida deste sábado, 15h30, com portões fechados ao público, contra o Real.

A se tirar pelo treino, o técnico Marcelo Conte tem motivos para estar preocupado. Apesar da vitória por 1×0, gol marcado por Michael, o time principal foi envolvido na maior parte do tempo pelos suplentes. O time pouco funcionou como equipe, dependeu muito dos esforços individuais.

Vinicius começou entre os suplentes, mas ainda não está regularizado

A verdade é que não foi o melhor treino do time principal. Havia dificuldade na saída de bola e principalmente na transição. Na transição o time avançava muito rápido,  abria espaços entre as linhas e esses espaços eram bem aproveitados pelo time suplente. 

O time suplente também tem os seus pecados porque foi incapaz de aproveitar as seguidas chances criadas, além de ter errado gravemente na saída de bola por diversas vezes.

Michael fez o gol dos titulares em jogada individual. Rodolfo, ao fundo, fez bom treino

O saldo do treino mostra que Marcelo Conte tem muito com que se preocupar para o jogo de amanhã. Os erros cometidos ontem, não podem em hipótese alguma se repetir amanhã. O time ainda procura um jogo mais estruturado e menos improvisado.

As noticias positivas estão em termos individuais. Alguns jogadores novos mostraram talento suficiente para acreditar que podem ajudar no DF2020. O problema é que nem todos estão registrados. 

O momento exige muita calma, concentração e, acima de tudo, trabalho… muito trabalho. 

 

 

Ceilândia surpreendeu fisicamente. Agora, o mais difícil.

Roni mal chegou e foi para o jogo: Sem ritmo de jogo, mas aguentou os 90 minutos

O Ceilândia está entrando na sua terceira semana de treinamento. No jogo do último domingo, no campo pesado e gramado alto de Unaí, a aplicação dos jogadores nos treinamentos levou a que o Ceilândia surpreendesse fisicamente.

Ceilândia surpreendeu fisicamente: comprometimento dos jogadores

Com esta semana inteira pela frente é natural que o Ceilândia chegue próximo da curva de treinamento dos demais times. Enquanto os adversários estão focados na manutenção da atual forma física, o alvinegro ainda trabalha para chegar em alto nível.

Lucas sofreu em Unaí: Problema para Marcelo Conte é fazer o time evoluir técnico e taticamente agora.

A distância no aspecto físico deve diminuir bastante nesta semana. Isso é uma boa notícia porque no sábado terá pela frente o Real, que goleou o Formosa por 4×0 no último sábado. Intensidade, volume e repouso são palavras da moda no CT do Gato Preto.

Marcelo Conte: foco nos aspectos técnicos e táticos.

Para esse jogo o técnico Marcelo Conte aparentemente não tem nenhum problema novo. Marcelo ainda procura o time ideal e não contou com alguns jogadores na partida de estreia, seja por problemas físicos ou administrativos.