Tag: Santa Maria

15 dias para subir de nível: mais consistência, mais intensidade.

Romário comemora com Cocada e Gago: gol importante para ganhar confiança

O Ceilândia retorna aos trabalhos com muito que fazer antes de enfrentar o Gama: duas semanas para diminuir a diferença em  consistência e intensidade para os líderes .   Esse período vai ser muito importante para o Ceilândia.

Tatuí corre, se esforça, luta: time ainda procura forma de jogar

Nas análises realizadas nos últimos dias chegou-se à conclusão que esses três times estão à frente do Gato Preto e a pontuação no campeonato reflete a diferença: o Gama tem mais intensidade e um pouco menos de consistência que o Brasiliense. Os amarelos tem um pouco mais de consistência e menos intensidade que o Gama. O Luziânia mescla um pouco de cada, com um pouco mais de consistência que intensidade.

Sami ganhou alguns minutos: Jairo tenta variações

O Ceilândia não foi perfeito, mas a  vitória sobre o Santa Maria trouxe algum alívio. Mais que jogar bem, o time precisava que a sorte virasse. Há muito trabalho a ser feito e todos concordam com isso.

Cocada e Romário reclamaram de dores musculares. O atacante deu lugar a Wallace e o zagueiro continuou até o final. Os quinze dias serão úteis também para que se recuperem.

Gago fez de barriga: a sorte pode estar mudando

Jairo Araújo mexeu bastante no time por necessidade ou não: Jefferson e Gabriel, duas figuras sempre à disposição, não foram ao Gama. Sami, por sua vez,  teve oportunidade de jogar. Ainda sem ritmo, desviou Kabrine para o meio. Jairo ainda procura o time ideal.

Em 15 dias, Ceilândia e Gama. O Gato Preto vai enfrentar 3 dos 4 primeiros colocados. Além disso terá confronto direto contra 2 concorrentes diretos a uma vaga no mata-mata.  Vai ser outro campeonato.

Candangão 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215
9113351110112
1011146511-67
1111038627-213
12110110438-341

 

 

 

Ceilândia não está morto: 4 x 1

Formiga jogou coletivamente. Serviu seus companheiros e foi muito útil

É muito cedo para comemorar a morte do Ceilândia. Óbvio que o mundo do futebol encarava com um misto de surpresa e desprezo o início irregular do Ceilândia. O Gato Preto  não morre fácil.  Se do lado de lá é cedo para comemorações, o mesmo se diga do lado de cá.

Kabrine cobra falta com perfeição: Ceilândia 1 x 0

O Ceilândia foi ao Gama na tarde deste sábado e venceu o Santa Maria por 4 x 1. O resultado é para ser comemorado, apenas o resultado. O Ceilândia vem evoluindo lentamente, mais lento que a pequena, fiel  e exigente torcida gostaria. O time ainda tem muito que evoluir. É melhor pensar e agir assim.

Querido por todos, Kabrine é abraçado pelo Ceilândia. Tatuí e Luciano foram importantes… e podem render ainda mais!

O Ceilândia começou com uma formação diferente: Tatuí, Romário e Formiga no ataque. Luciano Mandi no enganche. Gago de volta à cabeça de área. O Gato Preto começou melhor.

Gago comemora: um gol na melhor atuação do meia alvinegro

Tatuí foi decisivo. Tatuí tem um jeito provocante de enfrentar os adversários. Parte para cima. Pode-se até questionar se joga coletivamente, mas o fato é que, no jogo de hoje, foi decisivo. Agredido pelo adversário, deixou o Santa Maria com dez homens.

Gago fez sua melhor partida: meia pode ser o líder técnico do time. Precisa querer ser o líder técnico e atuar como líder

O Ceilândia é um time sem pressa. A torcida sofre com isso. O Ceilândia é um time à procura de um estilo. A torcida sofre com isso. O fato é que o Ceilândia não sofreu. Controlou o jogo, perdeu oportunidades, mas precisou de uma bola parada para sair na frente. Kabrine cobrou falta com perfeição e fez Ceilândia 1 x 0 na final do primeiro tempo.

Vitor fez uma partida segura: merecia ter saído sem sofrer gol

Veio o segundo tempo e o Ceilândia rapidamente construiu o marcador com jogadas pelo lado direito de ataque. Logo no primeiro minuto, Gago recebeu o cruzamento e, de barriga, fez Ceilândia 2 x 0. O gol de barriga parecia um sinal de que a sorte estava mudando. E estava…

Romário faz o terceiro. Importante na vitória

Dois minutos depois, cruzamento sobre a área, Cocada desvia e Romário faz 3 x 0. O gol de Romário é tanto um alívio para o atacante quanto para a torcida que dele espera gols decisivos.

Cocada fez sua melhor partida: pareceu incomodado com a coxa no final

Com 3 x 0 no marcador, o Ceilândia tentou controlar o jogo. A torcida queria mais. Não é que quisesse mais gols, queria um padrão de jogo que pudesse dar a certeza de que a página estava virada. A lógica de campo é diferente da lógica de arquibancada.

Murilomarca: Ele  e Formiga fizeram boa dupla pela direita

O Ceilândia se desinteressou do jogo. Jairo fez diversas mudanças. Colocou Samy, Wallace e Wilker. Os três sofreram com a falta de entusiasmo do time com o jogo.

No final da partida, Kabrine abriu 4 x 0 num belíssimo gol. Em seguida, o Santa Maria diminuiu (Wallace?).  Não importava. O Ceilândia voltava a vencer.

Helinho foi mais uma vez o ponto de equilíbrio do time

Haverá sempre quem diga que não passou de obrigação. De fato: não passou de obrigação… e nos tempos de hoje é sempre bom quando cumprimos nossas obrigações.

A vitória serve para recolocar o Ceilândia na briga. Serão 15 dias até o próximo compromisso, no Abadião, diante do Gama. O Ceilândia vive!

Precisando vencer, Ceilândia enfrenta Santa Maria neste sábado

Felipe é dúvida para este sábado: Ceilândia precisa da vitória.

O Ceilândia volta a campo neste sábado, 15h30, no Bezerrão, contra o Santa Maria. A derrota para o Brasiliense fez aparecer muitas críticas nas redes sociais.

Gago é um jogador de talento, mas tem sido um dos mais cobrados pela torcida.

Para o jogo de hoje, o técnico Jairo Araújo provavelmente ainda não terá o zagueiro Felipe Marcelino. Jefferson foi bem diante do Brasiliense e deve ser mantido. Michel saiu do último confronto ainda no primeiro tempo com dores lombares. A princípio está à disposição de Jairo Araújo.

Jefferson, como a defesa, esteve bem. Ceilândia precisa manter desempenho da defesa e fazer gols

São esperadas mudanças no modo de atuar da equipe. Romário voltou de lesão, jogou um tempo contra o Brasiliense e é opção.

Romario é opção para o jogo de hoje

O Ceilândia não tem problema com cartões. O jogo tornou-se decisivo para as pretensões alvinegras. É também importante para o adversário. O Ceilândia começa a fase decisiva um pouco antes que as demais equipes.

Os problemas são menores que parecem: simples contra Santa Maria

Comemoração dura pouco: Ceilândia já pensa no Capital.

Uma derrota para o Brasiliense sempre incomoda. É de se imaginar que,  em meio a diversas dificuldades, este tenha sido mais um problema a ser enfrentado pelo Ceilândia. No mais, o único ponto fora da curva foi a derrota para o Capital. O que é preciso ser visto é que o time já mostrou evolução nos jogos contra o Taguatinga e Brasiliense.

Time já esteve melhor contra o Taguatinga: o copo está meio cheio

Quando os resultados não vem há uma tendência a potencializar as dificuldades e neste momento o trabalho tem sido o de mostrar que o copo está meio cheio. O time tem evoluído. Trabalhar psicologicamente o grupo é um trabalho à parte. Só há uma maneira de seguir adiante:  foco e trabalho. A derrota do final de semana não foi o fim do mundo, nem pode ser.

Defesa tem funcionado. Uma hora a sorte muda

Para o jogo do próximo final de semana, contra o Santa Maria, o Ceilândia já terá Romário e Miranda com mais ritmo e isso é muito importante. Hora de fazer o simples. A defesa está bem. Não há queixas com relação à defesa. O sistema de proteção da defesa também está funcionando.

Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo
Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo: Ceilândia tem apenas que aprender com seus erros

A questão agora é resolver onde o time recupera a posse de bola. O Ceilândia está recuperando muito atrás e perdendo na intermediária de campo.  Tudo é questão de ajuste.

Muita união nessas horas: Romário reacende as esperanças

Formiga vinha de boas atuações: confuso e individualista na tarde desta quarta
Formiga foi bem contra o Brasiliense: solidário na defesa e no ataque

A campanha do Ceilândia em 2019 lembra de algum modo a campanha de 2016. Nas três primeiras rodadas o Gato Preto teve maus resultados contra o Santa Maria fora e em casa contra o Planaltina de Goiás.  Depois o time foi se acertando aos poucos e, se não foi campeão, chegou ao vice-campeonato.

Gago teve uma tarde infeliz: queda de produção preocupa
Gago foi muito criticado pela torcida: Há alguma injustiça nisto. O time tem dificuldades tanto de sair quanto de marcar a saída de bola adversária

Há razões para preocupação, mas sabe-se que o  Gato Preto pode não ter o melhor elenco da competição, posto que incumbe ao Brasiliense, mas tem time para recuperar-se. E há um motivo a mais para acreditar.

Thiago Silva estreou contra Santa Maria
Ceilândia tem o desafio de vencer o Santa Maria fora de casa

Romário sofreu uma lesão de grau dois do biceps femoral e por isso ficou um mês fora dos gramados.  Romário teve boas participações nos jogos-treinos e era esperança de gols. A lesão atrapalhou tudo.  Entrou contra o Brasiliense, o Ceilândia fez 10 minutos muito bons, mas o segundo gol adversário mexeu com o time alvinegro.

Romário é esperança de gol contra Santa Maria

Para o jogo deste sábado, 15h30 no Bezerrão, Romário é uma opção viável. Mais que isso: o Ceilândia precisa vencer a zica dos últimos jogos e nada melhor que um artilheiro para fazer isso.

SUB-20

A CBF divulgou a tabela da primeira rodada do Brasileiro Sub-20. O Ceilândia estreia dia 13 de março diante do Flamengo-RJ. O sorteio do mando será na próxima quinta-feira.  O confronto da primeira fase será decidido em jogo único.

Cauê vai ao ataque: zagueiro quase empatou

Muita calma nesta hora: Hoje já é outro dia!

Jairo colocou dois meias: funcionou enquanto se prontificaram a marcar mais alto. Depois, recuaram demasiadamente

Hoje já é outro dia. O jogo de ontem ficou no passado. Qualquer pessoa em sã consciência admite que uma derrota para o Brasiliense, por mais que doa, é possível e provável.  O mais importante se viu em campo: o time lutou. Não conseguiu, mas é do futebol.

O 4-2-3-1 do Ceilândia é muito rígido e sobrecarrega o meio de campo.

É com esse espírito que o Ceilândia deve voltar aos trabalhos nesta semana para enfrentar o Santa Maria. Contra os demais adversários e embora o time ainda não tenha dado liga, a obrigação de vitória é sempre do Ceilândia. Ontem, foi um jogo em que a vitória poderia ser de qualquer um.

Não faltou vontade, faltou um pouco mais de futebol ao Ceilândia contra Santa Maria
O Ceilândia vai precisar de algo mais que vontade para vencer o Santa Maria e deixar este momento para trás.

Óbvio que se deve ter a humildade de reconhecer que o time tem problemas e é desnecessário ficar aqui elencando. O mais importante: o Ceilândia tem bons valores e ainda não se distanciou do meio da tabela. Deve cuidar para que isso não ocorra. No mais, calma… futebol o time tem.

Candangão 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215

Romário voltou e isso ajuda. A defesa tem funcionado. Os cabeças de área tem funcionado defensivamente com um ou outro probleminha na saída de bola. Daí para a frente começam os problemas. Jairo tem tentado diversas formações e não tem encontrado.

Hora de separar os meninos dos homens.

Levanta e anda!

Victor vinha fazendo boa partida: falha complicou a vida do Ceilândia

O Ceilândia perdeu para o Brasiliense na manhã deste domingo. Lá se vão três jogos sem vitória, três jogos sem fazer gol, cinco pontos em quinze possíveis. Haverá sempre que diga que está faltando isso, faltando aquilo. Não tem faltado vontade. Tem faltado um monte de coisas, dentro e fora de campo, mas não tem faltado vontade. Isso é suficiente para que sempre tenhamos fé.

Há tempos não se via um Ceilândia x Brasiliense em que o adversário fosse tão superior em campo. A rigor, o Ceilândia esteve melhor durante dez minutos… chegaremos lá.

Murilo fez uma partida discreta, mas eficiente defensivamente. Deveu ofensivamente, mas aqui não está só

O jogo começou com  o Brasiliense propondo o jogo. O Ceilândia vinha com uma postura tática diferente, com Gabriel e Gago compondo o meio. No começo do primeiro tempo essa postura tática funcionou. A marcação, embora recuada, pressionava o Brasiliense a partir da linha divisória.

O Ceilândia conseguiu marcar assim apenas parte do começo do jogo. Aos poucos o Ceilândia recuou sua linha de marcação para a intermediária do próprio campo de defesa.  O resultado é que o Brasiliense recuperava a bola já no meio de campo e ficou um jogo de ataque contra defesa.

Formiga lutou muito e foi um dos poucos que se salvou na derrota de hoje

Ao Brasiliense faltava o último passe. Wallace e Formiga jogavam quase de lateral. O Ceilândia não conseguia jogar. O primeiro tempo encaminhava-se para um zero a zero, mas quis a sorte que fosse diferente. Na cobrança de falta de Almir a bola bateu no travessão e sobrou para Gleissinho fazer Brasiliense 1 x 0.

Victor Brasil fazia uma partida até então segura e não teve chance no gol. O segundo tempo viria contar uma história diferente.

Helinho:um dos mais lúcidos em campo

O segundo tempo começou com o Ceilândia bem melhor. O Gato Preto empurrou o adversário para o próprio campo de defesa. Helinho aparecia à frente como surpresa e Romário abria espaço para as movimentações de Formiga e Wallace. O Ceilândia mostrava um futebol que até então não mostrara.

Jefferson, como a defesa, esteve bem. Ceilândia tem problemas mais a frente

Durante treze minutos o Ceilândia foi melhor. Não criou situação clara de gol, mas jogava um bom futebol. O destino, como sempre, pensava diferente. Até os treze minutos o Brasiliense mal passara do meio de campo. A chance de chegar à área do Ceilândia viria numa cobrança de falta da intermediária ofensiva. Muito longe. Muito despretensiosa. Victor Brasil que até então fazia boa partida falhou. Desistiu de fazer o corte e a bola sobrou para Gleissinho. Brasiliense 2 x 0.

O Ceilândia sofreu psicologicamente com o gol. Ainda faltavam 32 minutos, mas o Gato Preto jamais recuperou o futebol daqueles treze minutos iniciais do segundo tempo. O Brasiliense cozinhou o jogo como quis até o final: Ceilândia 0 x 0 Brasiliense.

 

Candangao 2019

PosClubeJVEDGPGCSPts
11714303492545
217113331112036
3156451512322
4155731810822
5135532012820
6135351720-318
7134451215-316
8133641513215

Feminino: Ceilândia sobe um degrau, mas título fica para 2019

Lauana disputa no alto: Ceilândia e Cresspom fizeram mais uma partida equilibrada

O time feminino do Ceilândia caiu nas semifinais do Candangão 2018 para o Cresspom. Jogando neste domingo na Cidade do Gato, o Ceilândia voltou a ser derrotado por seu advesário e o sonho do título Candango fica para 2019.

Juciara, Camila e Eliane: Barreirão contra o Cresspom

Novamente foi uma partida bastante equilibrada, decidida no detalhe. No primeiro tempo, os times alternaram a iniciativa do jogo. Não é possível dizer que um time teve o domínio sobre o outro. Ora o Ceilândia rondava a área adversária, ora o Cresspom chegava à área alvinegra.

Mais entrosada, Karine deu equilíbrio pelo lado direito e fez boa partida. Fisicamente, contudo, ainda longe do ideal.

O ponto positivo é que o Ceilândia tocava bem a bola. A transição defesa para o ataque se fazia com toques precisos e rápidos até a entrada da área adversária. O Cresspom, a seu turno, tem uma defesa forte e fazia da retomada da posse de bola e da progressão nos espaços vazios o seu forte. Era um bom jogo de se assistir.

Valéria foi o grande nome do Ceilândia em 2018 e permitiu que o Gato Preto subisse mais um degrau na guera contra Minas e Cresspom

Havia, como há, uma grande diferença entre Ceilândia e Cresspom. Tecnicamente os times se equivalem, mas atleticamente o Cresspom é um time mais inteiro. Essa foi a diferença o jogo inteiro. Essa diferença atlética permitiu ao Cresspom levar mais perigo à meta do Ceilândia que o inverso. E isso se devia às bolas longas.

Isabela estava devendo contra os grandes: Desta vez fez um jogo maduro, como se esperava

Graças às bolas longas, o Cresspom teve ao menos duas grandes oportunidades de abrir o marcador na primeira etapa.  Em ao menos uma delas Valéria, talvez o grande nome do Ceilândia no campeonato, fez bela defesa.

Veio o segundo tempo e o panorama da partida se manteve. Ora o Cresspom tinha a iniciativa, ora o Ceilândia tinha a iniciativa das jogadas.

Juciara dando combate: Dupla de área com Laiane segurou o Cresspom.

A diferença atlética dava ao Cresspom uma vantagem na disputa no um contra um e lhe permitia a ligação direta. O primeiro gol veio quando o Ceilândia tinha a iniciativa da partida. A bola longa no contra-ataque do Cresspom era um problema.

Logo no primeiro minuto da segunda etapa o Cresspom tivera um penalti a seu favor e que fora desperdiçado por Cirlene. Na origem da jogada uma bola longa. A diferença de força física, embora não preponderante, fazia a diferença.

Kaká foi uma das jogadoras que mais evoluiu em 2018. A manter a progressão será bom nome para 2019

Aos 20, bola longa, travessão e Joyce abriu o placar. O gol contudo não mudou o ritmo do jogo. O jogo continuava equilibrado. Ceilândia mudou o esquema tático. Dayana entrou para compor três zagueiros.

O jogo seguiu equilibrado até os 40, mas agora com um leve predomínio nas ações por parte do Cresspom. Quis o destino que o segundo gol adversário viesse em um lance casual no qual o árbitro viu pênalti de Dayana. Pitti cobrou com perfeição e fez 2 x 0, resultado final.

Alane sempre esteve bem marcada, mas deu muito trabalho à defesa do Cresspom

Ao final, mesmo eliminado, o Ceilândia tem algo a comemorar. Tecnicamente o time não mais fica devendo a Minas e Cresspom.  A diferença atlética, contudo, é palpável. A diferença na intensidade da preparação, na quantidade de dias de treinamento, cobra seu preço em dias decisivos.

Com méritos, o Cresspom vai jogar a final contra o Minas. Ao Ceilândia resta comemorar ter subido mais um degrau e se preparar para subir mais outro degrau em 2019. Esse salto de qualidade que precisa dar é muito mais difícil e vai exigir mais dedicação e investimento. Torcer para que seja possível.

Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole

Com quatro gols de Alane, Ceilândia goleia Santa Maria

Erika fez uma bela partida. Amanda aprovaria
Erika fez uma bela partida. Amanda aprovaria

O Ceilândia venceu o Santa Maria na manhã deste domingo por 6 x 0 e agora está na dependência do resultado de Minas/ICESP versus Gama para conhecer o seu adversário na semifinal do Candangão Feminino 2018.

Kaká teve uma atuação lúcida: equilibrou o time a partir da defesa

O Ceilândia jogou bastante desfalcado em razão das provas de concurso para a carreira de Sargento do Exército Brasileiro.  Mesmo assim, o Gato Preto não teve dificuldade para vencer o valente time do Santa Maria.

Gabi sai chorando de campo: desfalque sério e quase certo para semifinais

O  jogo foi disputado em ritmo de treino. O Ceilândia precisou valer a sua melhor técnica e de 21 minutos para fazer o primeiro gol com a estreante Alane.  A mesma Alane ampliou aos 35, fazendo Ceilândia 2 x 0.

Suyanne entrou, fez um gol, mandou outra na trave: pegando ritmo, pode ser importante

Veio o segundo tempo e Suyanne ampliou aos 10, Alane fez mais dois gols, aos 17 e 36. Isabela fechou o placar aos 47: Ceilândia 6 x 0.

Apesar do placar elástico, ficou a certeza de que o time do Ceilândia joga mais do que mostrou em campo.  E vai precisar.

Isabela teve liberdade e, com liberdade, Isabela é mortal
Isabela teve liberdade e, com liberdade, Isabela é mortal

Nas semifinais o Ceilândia provavelmente enfrentará o Cresspom, visto que o Minas provavelmente derrotará o Gama e conquistará a primeira colocação no geral. No jogo da fase de classificação, o Cresspom foi muito superior ao Ceilândia, apesar do placar apertado de 2 x 1.

Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole
Alane faz o primeiro de seus quatro gols: Lembrou Nycole

Tudo aponta para que os jogos das semifinais seja diferente. O Ceilândia completo é um time mais forte, mas o Cresspom é outro patamar.  Vai ser difícil, mas não é impossível.

Alane fez o 3 gols da decisão

Alane e Karine podem enfrentar Santa Maria

Isabella pareceu desconfortável com a cobrança: apagada em campo
Isabella ganha reforços de peso: time depende muito de sua principal jogadora

O Ceilândia já pode contar com o retorno de Alane e com a estreia de Karine nessa reta final do Candangão Feminino 2018.

As duas atletas tiveram seus registros publicados no BID e estão à disposição do treinador Moacir Junior para o confronto deste domingo, no Abadião, diante do Santa Maria.

Alane fez o 3 gols da decisão
Alane retorna ao Ceilândia depois de disputar o Brasileirão A2 pelo Embu das Artes-SP

O Ceilândia tem a classificação tecnicamente assegurada para as semifinais da competição. Mais que a terceira colocação na classificação, o jogo é importante para dar moral à equipe.

Qualquer que seja o adversário das semifinais será um adversário praticamente intransponível e vai exigir de nossas jogadoras o máximo. O Cresspom, mais provável adversário, também se reforçou: trouxe a meia Vilma e a defensora Lusinete que disputaram o Brasileiro A2 pelo Tiradentes do Piaui.

Candangão Feminino 2018

PosClubeJVEDGPGCSPts
175202542117
275202041617
362048716
461051120-93
500000000
Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final

Alane e Isabella são destaques em Goiás. Ceilândia, invicto, é vice

Ceilândia posa com troféu e premiações do Interestadual de Damolândia
Ceilândia posa com troféu e premiações do Interestadual de Damolândia

O time feminino do Ceilândia foi ao Estado de Goiás para disputar o Torneio Interestadual de Damolândia. Em campo o Divas de Uberlândia-MG, o Ilha Bela de Goiânia-GO e o Aliança-GO, mais o alvinegro.

Ceilândia terá o Santa Maria neste final de semana
Ceilândia terá o Santa Maria neste final de semana

No primeiro confronto, sábado pela manhã, o Ceilândia enfrentou o Divas-MG e venceu por 5 x 0. No sábado à tarde foi a vez do Ceilândia enfrentar o Ilha Bela. Nova  vitória alvinegra, desta vez por 6 x 0.

Ceilândia agora volta suas baterias para o Candangão Feminino
Ceilândia agora volta suas baterias para o Candangão Feminino

A decisão ficou para o domingo, quando o Ceilândia enfrentou o Aliança-GO. O Gato Preto saiu à frente no marcador. Fez 2×0. O Aliança diminuiu, o Gato Preto aumentou para 3 x 1, mas permitiu a reação do Aliança que empatou.

O empate favoreceu o Aliança que tinha melhor saldo de gols. No final, o Ceilândia acabou com sagrando-se vice-campeão invicto. Destaque para o retorno de Alane. A atacante foi artilheira da competição com sete gols. Isabela foi eleita a melhor jogadora.

Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final
Ceilândia e Aliança posam para fotografia conjunta: Karine pode reforçar o Gato Preto na reta final

Agora o Ceilândia volta suas baterias para o jogo deste domingo diante do Santa Maria. Para esse encontro, além do retorno de Alane, que disputou o Brasileiro A2 e o Paulista pelo Embu das Artes, o Gato Preto poderá contar com Karine, meia-atacante do Aliança.

Derrota para o Santa Maria ainda incomoda

Só o primeiro lugar interessa

Como seria o chaveamento das oitavas se tudo terminasse hoje
Como seria o chaveamento das oitavas se tudo terminasse hoje

Em um campeonato tão equilibrado, a mínima vantagem é importante. Assim, não é possível qualquer tipo de relaxamento, daqui até o final. É com esse pensamento em mente que o Ceilândia se prepara para o encontro desta quarta, 15h30, no Abadião, diante do Samambaia: O Gato Preto precisa terminar a competição na primeira colocação.

Depois de Bolamense, Ceilândia terá pela frente o Paranoá
Bolamense luta pela oitava colocação: precisa ganhar do Santa Maria e torcer contra o Formosa

O Ceilândia está preocupado apenas com as suas necessidades. Precisa vencer o Samambaia para assegurar a primeira colocação desta fase do Candangão. O resultado dará ao Gato Preto a opção de decidir em casa o jogo das quartas. Jogando no Abadião, o  Ceilândia ainda está invicto no Candangão 2018.

O Formosa é o atual oitavo colocado: quatro jogos sem perder
O Formosa é o atual oitavo colocado: quatro jogos sem perder

 

Para a Comissão Técnica e jogadores a mínima vantagem conferida ao primeiro colocado  é o que importa. Não é possível escolher adversários e qualquer adversário promete jogos difíceis. O Formosa, atual oitavo colocado, vem de quatro jogos sem perder e seria, hoje, o adversário do primeiro colocado.

Derrota para o Santa Maria ainda incomoda
Derrota para o Santa Maria ainda incomoda

O presidente Ari de Almeida informou ao CeilandiaEC que corre atrás de reforços. Com orçamento curto. O Ceilândia precisa recompor o elenco principalmente no meio e no ataque: o Gato Peto não conta mais com os atacantes Vavá e Batata, nem com o meia Allan Dellon.

Ari não adiantou quais nomes procura, mas disse que enfrenta dificuldade para encontrar jogador que se adeque física e tecnicamente às necessidades do momento e que se encaixe nas possibilidades financeiras do Gato Preto.

 

Emerson Martins procura: cadê o time?

Derrota na hora possível: levantar a cabeça e seguir adiante

Thiago Silva estreou contra Santa Maria
Thiago Silva estreou contra Santa Maria

Não existe hora boa para ser derrotado, mas o Ceilândia admite que a derrota deste meio de semana não trouxe graves prejuízos. Qualquer que fora o resultado, o Gato Preto decidiria o primeiro lugar da fase de classificação no confronto direto deste domingo contra o Brasiliense. Sob essa perspectiva, o argumento é correto.

Não faltou vontade, faltou um pouco mais de futebol ao Ceilândia contra Santa Maria
Não faltou vontade, faltou um pouco mais de futebol ao Ceilândia contra Santa Maria

O íncômodo pela derrota vai ficando no passado e as preocupações se voltam para o jogo deste domingo. O retorno de Didão é bem recebido. O capitão dá rítmo ao meio de campo, mas talvez não resolvesse a enorme distância entre as defensiva e ofensiva ou a ausência do enganche no esquema adotato contra o Santa Maria.

Emerson Martins procura: cadê o time?
Emerson Martins procura: cadê o time?

Adelson ainda não deve contar com Vavá e isso limita suas opções de ataque. O esquema de jogo utilizado no começo da competição já começa a dar sinais de desgaste, com os adversários bloqueando as ações ofensivas.  Não se pode negar que contra o Santa Maria, a má tarde do Ceilândia contribuiu muito.

Cauê vai ao ataque: zagueiro quase empatou
Cauê vai ao ataque: zagueiro quase empatou

Na defesa, espera-se o retorno de Cocada. Fagner fez a sua estreia contra o Santa Maria. Fez uma boa partida. O miolo da defesa não teve culpa no gol sofrido. Conquanto as maiores críticas tenham sido dirigidas à ligação defesa ataque, o gol ocorreu num lance em que a bola foi mal rebatida na cabeça de área. A enorme distância entre as linhas alvinegras cooperou com o resto.

O jogo do meio de semana também foi o de estreia de Thiago Silva. O jovem jogador esforçou-se, mas o time do Ceilândia não estava num bom dia.

Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo

Pouco solidário, Ceilândia é derrotado pelo Santa Maria

Gago teve uma tarde infeliz: queda de produção preocupa
Gago teve uma tarde infeliz: queda de produção preocupa

O Ceilândia teve um dia para esquecer na tarde dessa quarta-feira. Jogando muito mal, coletiva e individualmente, o Gato Preto foi derrotado pelo Santa Maria, que mesmo com  a vitória permanece na última colocação do Candangão 2018.

Formiga vinha de boas atuações: confuso e individualista na tarde desta quarta
Formiga vinha de boas atuações: confuso e individualista na tarde desta quarta

Não há muito o que dizer. O Ceilândia mostrou-se um time sem inspiração e criou poucas oportunidades de gol. Das poucas oportuniades criadas, apenas uma resultou de uma jogada coletiva: aos 24, Elivelto recebeu de Formiga e poderia ter aberto o marcador. Aos 44, Wallace Jesus mandou a bola na trave, nouta situação em que o Ceilândia esteve por marcar.

Elivelto foi um dos poucos a se salvar: sofreu com marcação individual. Mudança para lateral dividiu o Ceilândia
Elivelto foi um dos poucos a se salvar: sofreu com marcação individual. Mudança para lateral dividiu o Ceilândia

Ao final do primeiro tempo, a sensação era a de que o Ceilândia era um time sem fome.  Lembrava muito o time do jogo contra o Gama. Não forçava o erro do adversário e, pior, fazia uma linha de quatro no ataque que pouco ou nada marcava. Para piorar, o único jogador que parecia capaz de fazer o time subir organizadamente sofria com a marcação individual e, por vezes, violenta: Elivelto.

Ceilândia consegue perder para o último colocado do campeonato: para esquecer
Ceilândia consegue perder para o último colocado do campeonato: para esquecer

Veio o segundo tempo e, logo ao primeiro minuto, a punição: displicência com a bola, contra-ataque do Santa Maria e o gol de Thompson. Com o gol, Adelson resolveu mexer no time e colocou Ronan no lugar de Kabrine e colocou Elivelto na lateral. Teoricamente poderia dar certo, isso se Gago e Formiga estivessem em um bom dia. Não estavam.

Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo
Individualismo transforma situação de gol em um lance a mais do jogo

O Ceilândia foi à frente na base da vontade. Pressionou o Santa Maria essencialmente em jogadas de bolas paradas. O Ceilândia era um time pouco solidário, valente é verdade, mas sem sentido de coesão. Isso acontece sem que se perceba, na maior parte das vezes decorre de uma queda na preparação mental para o jogo, da desconcentração.  O time estava fora de sintonia. Estava em qualquer jogo, mas não na partida de ontem. Um jogo que mentalmente não existiu para os jogadores do Ceilândia, um jogo para esquecer. Vitória do Santa Maria por 1 x 0.

 

 

Do time que começou contra o Santa Maria em 2017, apenas Emerson Martins é titular indiscutível em 2018

Vale vaga no G4

Cocada acusa desconforto muscular contra o Paracatu: Dúvida
Cocada acusa desconforto muscular contra o Paracatu: Dúvida

Um ano depois, um time completamente reformado. O Ceilândia que enfrenta o Santa Maria  na tarde desta quarta-feira, 15h30, no Bezerrão, é um time completamente reformulado em relação ao do último confronto entre essas equipes, em 2017. Do time que começou e venceu o último confronto, apenas Emerson Martins e Elivelto permanecem no alvinegro.

Kasado tem crescido na produção defensiva, mas parece que pode oferecer mais
Kasado tem crescido na produção defensiva, mas parece que pode oferecer mais

Os dois times entram motivados para o jogo por razões diversas: o Gato Preto precisa da vitória para garantir matematicamente uma vaga no G4. O adversário precisa da vitória para manter vivas as chances de fugir do rebaixamento.

Do time que começou contra o Santa Maria em 2017, apenas Emerson Martins é titular indiscutível em 2018
Do time que começou contra o Santa Maria em 2017, apenas Emerson Martins é titular indiscutível em 2018

Maturação do trabalho é uma das palavras da moda na Cidade do Gato. A avaliação geral é a de que o time tem ganhado “casca”,  mas ainda aquém do que pode oferecer. Muito disso se deve ao fato de que alguns atletas tem caído física e tecnicamente, o que seria natural nesse momento de maturação. Em contrapartida, a compensação tem vindo  pela subida de produção de outros, situações de Kasado, Ronan e Kabrine.

Para o jogo desta tarde, é provável que Adelson mantenha a equipe do final de semana, com o retorno de um ou outro atleta que estava no DM.  Como sempre, não dá para cravar, mas seria uma surpresa ter Alcione, Wallace Jesus, Allan Dellon ou Vavá no jogo de hoje.  Como opção, Vavá é a ausência mais sentida. Veremos.