Tag: Sobradinho

Kasado é uma das novidades do Ceilândia em 2018

Ceilândia versus Bolamense deve ser no Abadião

Kasado é uma das novidades do Ceilândia em 2018
Kasado é uma das novidades do Ceilândia em 2018

Os resultados do meio de semana levaram o Ceilândia à quinta posição no Candangão 2018. O jogo deste final de semana, contra o Bolamense, provavelmente será disputado no Abadião, domingo,  15h30.

Classificação DF-2018

PosClubeJVSPts
117101333
21710833
31591430
41371024
5154421

Ainda que o jogo seja dispuado no Regional de Ceilândia, o  mando será do Bolamense que já mandou o jogo de ontem, contra o Luziânia, no local. O Ceilândia deve ter alterações.

Bolamense FC

DataJogoResultadosLigaTemporadaEstádio
Brasiliense vs BolamenseCampeonato Candango2019
Elmo Serejo
Bolamense vs FormosaCampeonato Candango2019
Regional de Ceilândia
Santa Maria vs BolamenseCampeonato Candango2019
Walmir Campelo
Bolamense vs Capital FCCampeonato Candango2019
Regional de Ceilândia
Bolamense vs Real FCCampeonato Candango2019
Regional de Ceilândia
Taguatinga EC vs BolamenseCampeonato Candango2019
Elmo Serejo
Paracatu FC vs BolamenseCampeonato Candango2019
Frei Norberto
Bolamense vs SobradinhoCampeonato Candango2019
Regional de Ceilândia
Ceilândia EC vs BolamenseCampeonato Candango2019
Regional de Ceilândia
Bolamense vs LuziâniaCampeonato Candango2019
Gama vs BolamenseCampeonato Candango2019
Walmir Campelo
Bolamense vs Paracatu FCGrupo A, Juniores2018
Bolamense vs Botafogo-DFGrupo A, Juniores2018
Bolamense vs PlanaltinaGrupo A, Juniores2018
Ceilandense vs BolamenseGrupo A, Juniores2018
Bolamense vs Legião FCGrupo A, Juniores2018
Santa Maria vs BolamenseCampeonato Candango2018
Diogo Francisco Gomes
Formosa vs BolamenseCampeonato Candango2018
Diogo Francisco Gomes
Bolamense vs ParanoaCampeonato Candango2018
Elmo Serejo
Samambaia FC vs BolamenseCampeonato Candango2018
Samambaia
Brasiliense vs BolamenseCampeonato Candango2018
Estádio Nacional
Bolamense vs Ceilândia ECCampeonato Candango2018
Regional de Ceilândia
Bolamense vs LuziâniaCampeonato Candango2018
Regional de Ceilândia
Real FC vs BolamenseCampeonato Candango2018
Serra do Lago
Bolamense vs Paracatu FCCampeonato Candango2018
Elmo Serejo
Bolamense vs SobradinhoCampeonato Candango2018
Elmo Serejo
Gama vs BolamenseCampeonato Candango2018
Walmir Campelo

As alterações se devem a questões de ordem física. Formiga saiu lesionado do jogo contra o Avaí pela Copa do Brasil. Kabrine teve tempo para se recuperar e pode ser opção.  Adelson costuma montar a sua equipe conforme suas impressões sobre o adversário e isso pode levar a outras alterações.

O Bolamense surgiu a partir do Armagedon Metropolitana. Na ilustração, o time de 2010
O Bolamense surgiu a partir do Armagedon Metropolitana. Na ilustração, o time de 2010 quando o mascote ainda era um Carcará

Ceilândia e Bolamense jamais se enfrentaram na história da competição. Estreante na competição, o Bolamense encontra-se um ponto atrás do Ceilândia na oitava posição. O jogo desse final de semana ganha contornos interessantes.

 

 

Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá

Sem Badhuga, Ceilândia faz contas

Ceilândia terminou a sua preparação com um rachão
Ceilândia terminou a sua preparação para enfrentar o Paranoá com um rachão – Crédito: CEC Oficial

Com o campeonato entrando na sua reta decisiva e o grau de dificuldade aumentando jogo após jogo, o Ceilândia enfrenta o Paranoá daqui a pouco, 15h30, no Estádio Regional. Empatado com Gama e Brasiliense na primeira colocação, o Gato Preto tem um olho no jogo de hoje e outro no mata-mata.

Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá
Treino descontraído, antes do importante jogo de hoje contra o Paranoá

Para o confronto de hoje o Ceilândia não poderá contar com Badhuga, suspenso com o terceiro cartão amarelo. Adelson continuará sem contar com Kabrine, recuperando-se de lesão na panturrilha.

Badhuga: dois cartões nos últimos dois jogos, a vida não está fácil para o capitão
Badhuga: dois cartões nos últimos dois jogos, a vida não está fácil para o capitão

O adversário da próxima fase ainda não é conhecido. Matematicamente pode-se dizer que até o Formosa tem chances de se classificar, desde que vença o Paracatu e Luziânia e Paranoá percam seus jogos.

O Ceilândia depende de Alcione: se ele vai mal, o time também vai
O Ceilândia depende de Alcione: meia complementa Emerson Martins defensivamente e Filipe Cirne ofensivamente.

O Sobradinho, atualmente na quarta colocação, pode terminar em oitavo, desde que perca o seu jogo e Paracatu, Real e Luziânia vençam. Então é realmente muito difícil fazer prognósticos.

Didão desarmado na entrada da grande área: pegando ritmo para o mata-mata
Didão desarmado na entrada da grande área: pegando ritmo para o mata-mata

É muito provável que Gama e Brasiliense vençam. Assim, o Gato Preto teria obrigação de vencer o Paranoá para manter a posição atual. Se Gama e Brasiliense vencerem e o Ceilândia cumprir sua obrigação, pela ordem, os mais prováveis adversários do Ceilândia seriam Luziânia ou Real.

Related Images:

Em 2007, o meio de campo do Gato tinha Didão e Sérgio Manoel

Ceilândia faz contas ao enfrentar o Paranoá dez anos depois

Em fevereiro de 2006, vitória do Ceilândia no JK por 2 x 0
Em fevereiro de 2006, vitória do Ceilândia no JK por 2 x 0

Ceilândia e Paranoá voltam a se enfrentar neste sábado, 15h30, no Estádio Regional, em jogo válido pela última rodada da fase de classificação do Candangão 2017. 

A última vez que os times se enfrentaram foi há quase dez anos, em 28 de abril de 2007: vitória do Ceilândia por 4×2(gols de Luiz Fernando, Anderson (2) e Didão) enquanto Val e Alisson descontaram para o Paranoá).

Em 2007, o meio de campo do Gato tinha Didão e Sérgio Manoel
Em 2007, o meio de campo do Gato tinha Didão e Sérgio Manoel

O histórico do confronto registra superioridade alvinegra, 9 vitórias contra 4 do adversário e dois empates. As quatro vitórias do Paranoá foram registradas em jogos da extinta Taça Brasília, todas por goleada. A maior ocorreu na final da Taça Brasília quando o Paranoá venceu por 6 x 2. 

O Paranoá está atualmente na nona colocação do Candangão 2017 com 11 pontos. Precisa vencer o Ceilândia e torcer para que Luziânia no máximo empate diante do Brasiliense e o Real perca para o Gama.

Em março de 2007, empate sem gols entre Ceilândia e Paranoá no JK
Em março de 2007, empate sem gols entre Ceilândia e Paranoá no JK: no lance, Klécio, que viria a jogar pelo Ceilândia, perde gol feito.

Já o Ceilândia luta no topo da tabela contra Gama e Brasiliense. Os três estão empatados em primeiro com 21 pontos. A diferença entre os três é de um gol no saldo.  A rigor o Gato Precisa vencer o Paranoá por dois ou mais gols de diferença para sonhar com o primeiro lugar. Fora disso, terá que fazer as contas.

Se der a lógica no futebol, e normalmente não dá, o Ceilândia deve enfrentar Luziânia ou Real no mata-mata. Caso não vença, o Gato Preto enfrentaria Sobradinho ou Santa Maria.

 

Related Images:

Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira

Embolou tudo: Ceilândia, Gama e Brasiliense empatados

Gol de Michel recolocou o Ceilândia na luta pelo primeiro lugar: não vale de nada, mas dá moral
Gol de Michel recolocou o Ceilândia na luta pelo primeiro lugar: não vale de nada, mas dá moral

A reta final do Candangão 2017 promete surpresas. A prova disto é que os líderes não vencem há duas rodadas, no mínimo. Ceilândia vem de dois empates, Gama de um empate e uma derrota e o Brasiliense de dois empates e uma derrota.

Os três times estão empatados na liderança da competição com 21 pontos. O Gama leva a vantagem no saldo de gols: 9 contra 8 do Ceilândia e 7 do Brasiliense. O equilíbrio também é notado  no número de gols sofridos: o Gama sofreu 6, contra 7 de Ceilândia e Brasiliense. 

Elivelto tem mostrado atitude: pode até errar, mas não se esconde
Elivelto tem mostrado atitude: pode até errar, mas não se esconde

Quando se fala em gols marcados o equilíbrio permanece: Gama e Ceilândia marcaram 15, o Brasiliense 14. Uma coisa é certa: a diferença é tão pequena que o saldo de gols do final de semana irá definir a liderança. Assim, Gama, Ceilândia e Brasiliense jogam por vitórias com boa margem de gols.

Os resultados de final de semana definirão o líder. A liderança tem um aspecto mais moral que efetivo. Não garante vantagem concreta no mata-mata. 

Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira
Último jogo entre Ceilândia e Paranoá foi em 2007: Didão contra Clécio em início de carreira

Se der a lógica (e no futebol nem sempre dá) há grande possibilidade dos confrontos de quartas-de-final serem os seguintes:

1. Ceilandia x Luziania, Gama x Real, Brasiliense x Sobradinho e Santa Maria x Paracatu. 
2. Ceilândia x Luziania, Gama x Real, Brasiliense x Santa Maria e Sobradinho x Paracatu
3. Gama x Luziania, Ceilândia x Real, Brasiliense x Sobradinho e Santa Maria x Paracatu
4. Gama x Luziânia, Ceilândia x Real, Brasiliense x Santa Maria e Sobradinho x Paracatu

A diferença entre os líderes é muito pequena. Tudo pode mudar. A rigor, neste momento e se der a lógica, parece claro que  Luziânia e Real são os mais prováveis adversários do Ceilândia nas quartas-de-final. Se não der, Sobradinho ou Santa Maria.

 

Didão bloqueia na hora da conclusão. Sobradinho deu muito trabalho

Em dia de Artur, Ceilândia arranca empate com Sobradinho

Didão bloqueia na hora da conclusão. Sobradinho deu muito trabalho
Didão bloqueia na hora da conclusão. Sobradinho deu muito trabalho

O Ceilândia empatou na tarde desta quarta-feira com o Sobradinho. O resultado deixa o Gato Preto na segunda colocação da fase de classificação do Candangão 2017.

Artur foi o personagem do jogo
Artur foi o personagem do jogo: falha e defesas incríveis

Os 16 primeiros minutos foram mornos. Conquanto tivesse mais posse de bola, o Sobradinho era incapaz de oferecer perigo concreto à meta alvinegra.  O Ceilândia errava muitos passes, principalmente na intermediária. Era nos contra-ataques que o Sobradinho se mostrava mais perigoso.

Ceilândia fazia força para jogar
Ceilândia fazia força para jogar

Foi em um erro de passe  de Alcione somado a uma falha inacreditável  de Artur que o Ceilândia permitiu que o Sobradinho saísse na frente.  Kelvin abriu o placar aos 21 do primeiro tempo: Sobradinho 1 x 0 Ceilândia.

O segundo tempo não começou melhor para o Ceilândia
O segundo tempo não começou melhor para o Ceilândia

Esperava-se que o Gato Preto melhorasse o seu jogo, mas isso não aconteceu. O Ceilândia dependia de Felipe Cirne. Quando,   aos 27 minutos, o meia conseguiu encontrar um buraco na defensiva do Sobradinho, encontrou Romarinho que desperdiçou a melhor chance do Ceilândia no jogo.

Romarinho tentou, mas abaixo do nível dos melhores jogos
Romarinho tentou, mas abaixo do nível dos melhores jogos

A oportunidade criada poderia ter mudado o rumo do jogo, mas o Ceilândia não teve tempo de comemorar. Aos 34 Artur começou a se recuperar e  operou um milagre ao se jogar de encontro a bola para salvar a meta alvinegra do segundo gol. 

Enquanto isso, Artur trabalhava
Enquanto isso, Artur trabalhava para se redimir do erro no gol do Sobradinho

É verdade que o Ceilândia era valente. Aos 37, Emerson Martins chutou de longe e assustou o Sobradinho obrigando o goleiro adversário a boa defesa. 

O problema é que para cada chance criada pelo Ceilândia havia sempre uma de melhor qualidade criada pelo Sobradinho. Aos 46, Artur novamente salvou o Ceilândia de sofrer o segundo gol.

Adelson fez as mexidas possíveis: Willian Carioca entrou no lugar de Emerson Martins
Adelson fez as mexidas possíveis: Willian Carioca entrou no lugar de Emerson Martins

Veio o segundo tempo e a esperança de momentos melhores. Os cinco primeiros minutos mostraram um Ceilândia rondando a área do Sobradinho.

O problema como sempre é que o Sobradinho sempre atacava com mais qualidade. Aos 7, Dudu salvou gol certo ao desviar o chute do atacante adversário.

Formiga quase empatou nesse lance
Formiga quase empatou nesse lance

O Ceilândia fazia força para jogar. O Sobradinho era implacável nos contra-ataques: aos 11 Artur mais uma vez salvou o segundo gol.

A sequencia de gols perdidos pelo Sobradinho incomodavam o torcedor e também incomodou Adelson. O técnico trocou Emerson Martins por Willian Carioca. Pretendia alguém que auxiliasse Felipe Cirne.

Filipe Cirne luta contra meio time do Sobradinho: algo está errado
Filipe Cirne luta contra meio time do Sobradinho: algo está errado

Não demorou muito, Adelson mexeu de vez no time: tirou Alcione e Romarinho e colocou Michel e Formiga. 

Na cabeça do torcedor o time melhoraria. Aos 24, Formiga obrigou o goleiro do Sobradinho a boa defesa. O problema é que a cada bom ataque do Ceilândia havia um ataque mais perigoso do Sobradinho. Aos 27, Artur fez mais outra grande defesa.

Com o time todo ao ataque, sobrou para Artur fazer a cobertura sob o olhar de Adelson
Com o time todo ao ataque, sobrou para Artur fazer a cobertura sob o olhar de Adelson

Depois de mais um gol perdido pelo Sobradinho e diante do espírito de luta do Ceilândia em um dia em que tudo parecia dar errado havia uma certeza: quem não faz leva. Essa certeza aumentou quando Artur, aos 37, Artur fez mais outra importante defesa.

Aos 44 do segundo tempo o que chamava a atenção era o espírito de luta do Ceilândia. Nada parecia dar certo, mas o time lutava e lutava. Tanta determinação foi recompensada.

Sobradinho foi castigado ou o Ceilândia recompensado: Badhuga comemora gol do empate
Sobradinho foi castigado ou o Ceilândia recompensado: Michel comemora gol do empate

Aos 47, Felipe Cirne recebeu a bola na entrada da área. Luta com um aqui, luta com outro acolá até encontrar um espaço. Chuta, a bola explode no poste direito e sobra para Michel, livre, dentro da pequena área, empatar. Gol do Ceilândia: 1 x 1

O empate deixou Ceilândia, Gama e Brasiliense empatados em primeiro. Não importa: o que vale é o mata-mata e para os jogos eliminatórios o Ceilândia precisa estar ainda mais forte.

 

Elivelto e Badhuga: defesa terá trabalho contra o Sobradinho

Dois pontos da liderança: Ceilândia rema em direção ao topo

Artur tem sido importante nos jogos decisivos
Artur tem sido importante nos jogos decisivos

A liderança da fase de classificação não é um fim em si mesmo. Preocupado em alcançar o auge de sua preparação no momento certo, o Ceilândia fixou como estágio dessa preparação o primeiro lugar da fase de classificação. O primeiro lugar será um termômetro.

Emerson Martins foi substituído contra o Gama: apenas discreto nos últimos jogos
Emerson Martins foi substituído contra o Gama: apenas discreto nos últimos jogos

Mas não vai ser fácil. O Ceilândia precisa vencer para passar à primeira colocação. O Sobradinho, por sua vez, luta por um lugar no G4 e vem realizando boa campanha. 

Elivelto e Badhuga: defesa terá trabalho contra o Sobradinho
Elivelto e Badhuga: defesa terá trabalho contra o Sobradinho

A prova da seriedade do Ceilândia nesse início de reta final do Candangão é que o time fez coletivo nesta terça. Adelson sabe que o Ceilândia  precisa controlar o jogo sem se expor aos contra-ataques do Sobradinho. O técnico Adelson de Almeida sabe como ninguém como faze-lo.

No jogo desta tarde, em função das características da partida, espera-se ao menos uma alteração no Ceilândia. Nesse número não entra o possível retorno de Didão que se recupera de lesão no pubis.

A partida começa às 15h30 no Estádio Nacional.

Filipe Cirne pelo Ceilândia, China pelo Sobradinho: ambos no Ceilândia em 2017

Tensão crescente

Betinho deu muito trabalho em 2016 na sofrida vitória do Gato Preto
Betinho deu muito trabalho em 2016. Vitória sofrida do Gato Preto por 2 x 1

O campeonato avizinha-se de sua fase decisiva. Nesta quarta, o Ceilândia volta a campo, 15h30, no Estádio Nacional, para enfrentar o Sobradinho. O Gato Preto precisa vencer os dois jogos que lhe restam para garantir a primeira colocação da fase de classificação.

Embora os últimos resultados do Ceilândia não tenham sido dos melhores,  derrota para o Luverdense e empate contra o Gama, há o consenso de que as atuações do time nesses jogos foram boas, mas ainda há muito que evoluir.

O Ceilândia venceu em 2016 num jogo em que o destaque negativo foi uma péssima arbitragem
O Ceilândia venceu em 2016 num jogo em que o destaque negativo foi uma péssima arbitragem

Contra o Gama o time demonstrou uma preocupante falta de intensidade no primeiro tempo e poderia ter voltado para o segundo tempo com uma desvantagem maior. No segundo,  o Ceilândia compensou com alma e, claro, o time melhorou.

Há consenso  que o nível de exigência nesses jogos decivisos vai aumentar. O jogo desta quarta será o primeiro numa escalada de tensão própria de jogos eliminatórios. Adelson sabe que o time precisa atingir o auge no momento certo. Esse momento está chegando.

Filipe Cirne pelo Ceilândia, China pelo Sobradinho: ambos no Ceilândia em 2017
Filipe Cirne pelo Ceilândia, China pelo Sobradinho: ambos no Ceilândia em 2017

Adelson deve contar com os retornos de Didão e Kabrine para os jogos desta semana. O volante já figurou no banco contra o Gama. Kabrine volta a treinar com bola, depois de recuperado de lesão na panturrilha.

Já classsificado, o  surpreendente Sobradinho encara o jogo como um teste de maturidade para o seu elenco na busca por um lugar no G4. O alvinegro serrano sofreu apenas uma derrota e tem  o melhor ataque da fase de classificação. 

 

Em março de 2015: o quarto empate consecutivo entre CEC e Sobradinho, o segundo por 0x0 no Regional

Ceilândia e Sobradinho: quatro empates nos últimos quatro jogos

Série de empates começou em 2013: 1 x 1 no Bezerrão
Série de empates começou em fevereiro de 2013: 1 x 1 no Bezerrão

O Ceilândia não terá vida fácil esta semana. As razões são simples: a primeira está no fato de que somente agora é possível compreender exatamente o campeonato. O equilíbrio pode ser visto a partir do número de derrotas dos dez times melhor classificados: o que mais perdeu, perdeu apenas duas vezes!

Para que se tenha uma idéia, duas derrotas é o número de derrotas do Brasiliense. Isso demonstra o total equilíbrio da competição: Formosa, Taguatinga, Santa Maria, Paracatu e Brasiliense estão nesse patamar.

Em março de 2015: o quarto empate consecutivo entre CEC e Sobradinho, o segundo por 0x0 no Regional
Em março de 2015: o quarto empate consecutivo entre CEC e Sobradinho, o segundo por 0x0 no Regional

Outro aspecto que demonstra o grande equilíbrio da competição é o número de empates, 15 (quinze) até aqui. Três times empataram quatro jogos, entre eles o Ceilândia.

Ceilândia e Sobradinho tem muito em comum e isso acendeu o alerta do lado do Gato Preto. Foram os únicos times que desperdiçaram pontos contra Cruzeiro e Planaltina, por exemplo. Além disso, a diferença de pontos entre CEC e Sobradinho, nesse momento, se deve à derrota do Leão diante do Luziânia.

Em abril de 2014, outro empate sem gols no Regional de Ceilândia entre CEC e Sobradinho
Em abril de 2014, outro empate sem gols no Regional de Ceilândia entre CEC e Sobradinho

Todo o cenário demonstra que o Gato Preto terá muita dificuldades contra o Sobradinho nessa quarta-feira. O retrospecto entre as equipes também demonstra esse equilíbrio: nos últimos quatro jogos foram quatro empates. Nas duas últimas partidas no Regional de Ceilândia, dois empates em zero a zero.

O CEC terá pela frente um adversário direto no G4. O CEC vem alternando vitórias com empates na competição. Ainda não engatou uma sequência de vitórias por exemplo. Já o Sobradinho vem motivado pela vitória diante do Brasiliense.

Isso tudo reunido mostra que Ceilândia e Sobradinho tem todos os ingredientes de um grande jogo. De um lado, a maturidade e a consistênica do Ceilândia. Do outro, a surpresa representada pela boa campanha do Sobradinho.

Related Images:

Calmaria: daqui a pouco vem a tempestade

Uma semana sem jogo: depois, virão os jogos de mata-mata
Uma semana sem jogo: depois, virão os jogos de mata-mata

O campeonato parou para recuperar os jogos atrasados. Enquanto isso, o Ceilândia, já classificado, se prepara para a reta final.

Meio time possui problemas com cartões. Renato Oliveira tomou o terceiro contra o Sobradinho. É desfalque certo, ao lado de Juninho Goiano, expulso.

Além destes, Alan Delon, Badhuga, Caio, Gato, Cassius e Gilmar Here estão pendurados. Em outras palavras: Adelson vai ter que se virar.

Outro problema está no fato de que o banco não tem resolvido. Uma exceção talvez seja André Tavares, que tem entrado bem.

Não deveria ser assim. Adelson utilizou 22 jogadores como titulares. Isso significa que 22 jogadores fizeram ao menos uma partida como titular.

Ceilândia empata e G4 fica mais difícil

Dimba aproveita vacilo alvinegro e abre o marcador.
Dimba aproveita vacilo alvinegro e abre o marcador.

O Ceilândia não fez uma boa partida na tarde deste domingo diante do Sobradinho e apenas empatou em 2 x 2. O resultado deixa o Ceilândia fora dos G4, embora tenha garantido a classificação.

O primeiro tempo foi muito ruim. O Ceilândia desde os primeiros minutos parecia disperso e incomodado, não sem alguma dose de razão, com a arbitragem.

Sandro foi sacrificado: mudança necessária em um dia complicado
Sandro foi sacrificado: mudança necessária em um dia complicado

O fato é que o time foi incapaz de atuar coletivamente, sobrevivendo das individualidades. Elvis e Allan Dellon, foram figuras apagadas no primeiro tempo.

A sorte do Ceilândia é que o Sobradinho era apenas um time esforçado quando, aos 14, Dimba recebeu de Marcelinho e bateu. A bola desviou em Badhuga e matou França.

Claudio Luiz: defesa sofreu dois gols depois de muito tempo
Claudio Luiz: defesa sofreu dois gols depois de muito tempo

Esperava-se que o Ceilândia deixasse a indolência de lado e ao menos se acertasse em campo. Isso não aconteceu.

Sem muito o que fazer, Adelson tirou Sandro ainda aos 20 minutos do primeiro tempo para a entrada de Gilmar Here.

Na falha de França, o segundo gol do Sobradinho.
Na falha de França, o segundo gol do Sobradinho.

O time melhorou com a entrada de Gilmar Here, não porque tivesse volume de jogo, mas porque passou a disputar a  bola ainda na defesa do Sobradinho.

Mesmo assim o jogo estava amarrado. O Ceilândia levava perigo apenas em jogadas de bola parada e foi numa destas que empatou. Aos 36, Allan Dellon bateu a falta, Donizete falhou e Cassius fez de meia-bicicleta.

Ceilândia comemora o gol do empate: pouco para quem quer ser campeão
Ceilândia comemora o gol do empate: pouco para quem quer ser campeão

O Ceilândia continuou melhor, mas era incapaz de atuar coletivamente. Avançava muito mais por força das individualidades e da vontade.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia poderia ter matado o jogo. Não o fez. O castigo veio aos 10 minutos.

França que vinha tão bem na competição, atrapalhou-se com a bola e serviu nos pés de Dimba. O Capitão do Bicampeonato não teve dó e recolocou 0 Sobradinho em vantagem.

Elvis esteve apagado no primeiro tempo. No segundo, melhorou um pouco, mas não o suficiente para levar o Gato à vitória
Elvis esteve apagado no primeiro tempo. No segundo, melhorou um pouco, mas não o suficiente para levar o Gato à vitória

O Ceilândia teve que remar novamente. Nova bola parada e, aos 31, Claudio Luiz subiu para dar números finais ao jogo: 2×2.

O resultado foi ruim para Ceilândia e Sobradinho.  Para a torcida do Gato Preto fica a certeza de que mentalmente o time ainda não está pronto: para ser campeão, mais que individualidades, é preciso atuar coletivamente. Fica a lição de hoje.

Juninho foi expulso e é desfalque certo no próximo final de semana.

 

Related Images:

Faltou jogar como time

Cassius comemora: tarde ruim. Prevalesceram as individualidades
Cassius comemora: tarde ruim. Prevaleceram as individualidades

O Ceilândia por pouco não foi castigado por haver abandonado o jogo coletivo.

Há quem diga, não sem razão, que não é difícil subir. Difícil, dizem,  é permanecer no topo.

As razões são as mais diversas. A principal causa está no fato de que o sucesso faz aflorar as vaidades individuais.

O somatório dos interesses individuais não é igual ao interesse coletivo: Ceilândia vai precisar jogar como time
O somatório dos interesses individuais não é igual ao interesse coletivo: Ceilândia vai precisar jogar como time

Pode não ter sido isso o que aconteceu na tarde de hoje em Sobradinho, mas é especialmente perigoso ver que o Ceilândia não atuou como equipe. O Ceilândia foi uma equipe pouco solidária.

O resultado foi que o Gato Preto somente não saiu de Sobradinho com uma derrota a vários fatores. O principal, talvez, esteja no fato de que as individualidades bastaram.

A verdade contudo é outra: as individualidades bastam para conseguir um ou outro resultado, num campeonato tão pobre tecnicamente. Mesmo assim não são suficientes para fazer um campeão.

Related Images:

Tribunal em campo: O que muda para o Ceilândia?

Em 2014, com direito a mando no Bezerrão, foram dois empates
Em 2014, com direito a mando no Bezerrão, foram dois empates

A Justiça Desportiva local enfim se reuniu para decidir alguns casos pendentes (e não são poucos).

Na seção desta última quinta-feira, o TJD resolveu marcar um novo jogo para o caso das chuteiras perdidas. Desse modo, Brasília e Formosa irão se enfrentar em campo.

Juninho combate Allan em 2012. Agora do mesmo lado
Juninho combate Allan em 2012. Agora do mesmo lado

Seguindo a mesma linha, o Tribunal manteve os pontos conquistados em campo pelo próprio Brasília em função da utilização do jogador Fernandinho.

Por fim, o Paracatu manteve os pontos da vitória sobre o Gama.

O que muda para o Ceilândia? Pouco. O Gato Preto sabe que tem que remar, utilizar os jogos faltantes para aproveitar a boa base e recuperar o prejuízo do início da competição.

Juninho combate Allan em 2012. Agora do mesmo lado
O jogo valia pela série D: vitória do CEC

Hoje, se as condições climáticas permitirem,  o time faz coletivo-apronto para o So-Cei de número 70.

A última vez que os dois times se enfrentaram no Augustinho Lima foi em julho de 2012.

Em jogo válido A5 da Série D Nacional, o Ceilândia venceu o Sobradinho por 3 x 2, num jogo que ficou marcado pela noite inspirada de Cassius e pelo dia  não muito inspirado do árbitro da partida.

 

.+ +

Related Images:

Nada de folia: trabalho

Ceilândia enfrenta Sobradinho no final de semana
Ceilândia enfrenta Sobradinho no final de semana

Nada de folia para os jogadores. O Ceilândia tem o foco no jogo do próximo domingo contra o Sobradinho.

Tecnicamente classificados, o jogo vale pela disputa da quarta-colocação, a última que dá uma vantagem nas quartas-de-final.

Trabalho duro durante o carnaval
Trabalho duro durante o carnaval
(crédito:Antonio Gomes)(

Adelson de Almeida, que  não gostou do jogo do último sábado, afirma que  o campeonato está chegando na sua reta final e o time precisa chegar no mata-mata no ápice das formas físicas, técnica e mental.

Para isso,  não há espaço para relaxamento. Resultado: trabalho durante o carnaval, muito trabalho.

Equilíbrio perigoso

Gilson ainda está a procura de ritmo de jogo, mas defesa vem fazendo a sua parte
Gilson ainda está a procura de ritmo de jogo, mas defesa vem fazendo a sua parte

Depois de um começo de competição assustador, o Ceilândia parece ter adquirido o equilíbrio defensivo que desejava. Com esse equilíbrio, vieram as vitórias.
A avaliação que se faz, contudo, é que o Gato Preto ainda deixa muito a desejar. Muito das vitórias alcançadas se deve à incapacidade dos adversários de aproveitar as falhas defensivas do CEC, aliás como ocorreu no jogo diante do Gama.
A produção ofensiva do Ceilândia é o maior alvo das queixas. Vencendo sempre pelo placar mínimo, o alvinegro deixa no ar dúvidas quanto à sua capacidade de reação. Em três ocasiões, nessa competição, não conseguiu reagir contra adversários teoricamente mais fracos.
O técnico Adelson de Almeida sabe que ainda é muito cedo para se ter alcançado o equilíbrio entre a produção ofensiva e a produção ofensiva. Por enquanto, as vitórias servem, mas o campeonato muda a cada final de semana.
A dúvida é se o equilíbrio atual será suficiente quando vierem os jogos de mata-mata, principalmente se o Ceilândia tiver que buscar o marcador. O tempo é curto e o Gato preto tem duas semanas para alcançá-lo.

CEC 0 x 0 Sobradinho: Clécio é seguido por Túlio

Deu liga: CEC confirma recuperação e está na final

Cleber e Didão: CEC está na final
Cleber e Didão: CEC está na final

O Ceilândia fez valer o seu bom momento e eliminou o Sobradinho, nas semi-finais do segundo turno do Campeonato Metropolitano de 2013.

Não foi fácil. A partida foi tensa. A vantagem do Ceilândia era pequena: o empate lhe servia. O problema é que qualquer gol do Sobradinho causaria uma reviravolta.
Para não dar chance ao azar, o CEC cuidou-se na defesa, mas não descuidou do ataque.

Dimba jogou bem, mas estava um pouco pilhado
Dimba jogou bem, mas estava um pouco pilhado

As melhores chances no primeiro tempo foram do CEC. Na principal, Dimba cabeceou na travessão e clicou sobre a linha da meta defendida por Donizetti.
a segunda,

Veio o segundo tempo, Zé Carlos, do Sobradinho, foi expulso, o CEC continuou melhor, mas o gol não saía.

Porque o gol não saía, a tensão aumentava dentro e fora de campo. Um gol do adversário mudaria toda a história.

Neste lance, Dimba iria reclamar de pênalti
Neste lance, Dimba iria reclamar de pênalti

O CEC fez bem a lição de casa. Continuou melhor, controlou o jogo, mas foi ineficiente no ataque.

No final, o empate sem gols classificou o Gato para a decisão da Taça Mané Garrincha contra o Brasiliense.

Se no confronto contra o Sobradinho a defesa do Ceilândia tinha a obrigação para o ataque mais positivo da competição, agora a obrigação se inverte.

O Brasiliense tem a vantagem da igualdade e para isso confia na sua forte defesa. O ataque do Ceilândia tem a palavra.

Related Images: