Tag: Som

12 anos depois, Gilson retorna ao Ceilândia

Gilson, Alemão, Cassius e Pituca. Maninho e Som. Grande time do CEC em 2002
Gilson, Alemão, Cassius e Pituca. Maninho e Som. Grande time do CEC em 2002

Acabou o suspense. Gilson volta ao Ceilândia doze anos depois.  O zagueiro criado no P Sul enfim retorna a cidade que o projetou.

Gilson saiu do Ceilândia juntamente com Pituca, Ricardinho e Bobby, mais o técnico Sergio Alexandre numa transação jamais resolvida com o Brasiliense.

2002: Para jogar em casa e sem dinheiro, até o presidente plantou grama
2002: Para jogar em casa e sem dinheiro, até o então presidente José Beni plantou grama

No Brasiliense, o atleta permaneceu até 2006, indo para o Atletico Goianiense, onde participou das maiores conquistas do clube goiano. Pituca ainda continua no Atlético.

O atleta estava no ABC de Natal e retorna para estar próximo da família. Gilson já treina com o restante da equipe e vem para ser reforçar a defesa alvinegra, tão criticada no início da competição.

Adelson de Almeida ainda era um menino em 2002, mas montou um time fortíssimo
Adelson de Almeida ainda era um menino em 2002, mas montou um time fortíssimo

Nesta sexta, o Ceilândia deve fazer um recreativo no Estádio Regional de Ceilândia. Uma das evidências que o Ceilândia se prepara com muita seriedade para o jogo de amanhã é que  Adelson de Almeida  não divulga o time que enfrenta o Ceilandense.

O único desfalque certo é o de Tavares que cumpre suspensão automática pela expulsão diante do Paracatu.

Related Images:

Morre Eurípedes Bueno, ex-técnico do Ceilândia

Ceilândia x Tiradentes em 1982: Wilmar Gato era o goleiro e Eurípedes Bueno o treinador.
Ceilândia x Tiradentes em 1982: Wilmar Gato era o goleiro e Eurípedes Bueno o treinador.

Faleceu nesta quinta-feira, vítima de complicações cirúrgicas, uma das principais figuras do futebol profissional do Distrito Federal: Eurípedes Bueno. Eurípedes Bueno é um ícone do futebol da região mais populosa do Distrito Federal, representada por Taguatinga e Ceilândia. Nas décadas de 70 e 80,  Eurípedes Bueno despontou como uma das maiores referências do futebol do Distrito Federal, tendo se sagrado campeão por seis vezes. Foi campeão com o Gama (1979), Taguatinga (1989, 1991, 1992 e 1993) e com o Guará (aqui como gerente de futebol), em 1996. Eurípedes Bueno treinou o Ceilândia em duas oportunidades. Em 1982 e 1984.

No total Eurípedes Bueno conduziu o Ceilândia em 25 partidas oficiais, com sete vitórias, cinco empates e doze derrotas. Eurípedes Bueno estreiou comandando o Gato em 19 de julho de 1982,  no empate sem gols com o Taguatinga.  O gato, na oportunidade jogou com Wilmar Gato, TEixeira, Eudes, Lorival e Zé Nilson; Alves, Messias e Marcos Torpedo. Zecão e Piau no ataque. O Taguatinga formou com Dico, Edson, Duda, Carlos Roberto e Cuca; Alencar, Wander e Janio (Paulo Hermes); Mario Jorge, Roque e Geraldinho. O técnico do Taguatinga era Carlos Morales.

Teixeira: o maior lateral esquerdo do CEC de todos os tempos
Teixeira: o maior lateral esquerdo do CEC de todos os tempos

Ao longo da competição, Eurípedes foi moldando o Ceilândia. Jogadores como Joãozinho, o segundo maior artilheiro do DF em todos os tempos, e Som (a dupla de Brazlândia) juntaram-se a Zé Vieira, Tião e Teixeira para formar um belo time. Mais importante: esse time assistiu o nascimento do maior ídolo do Gato em todos os tempos: Dorival.

O último jogo em que Eurípedes Bueno comandou o CEC foi contra o Brasília, então bicho-papão da época, em 7 de julho de 1984: vitória do Ceilândia por 1 x 0. No turno, com Eurípedes no comando, o Gato também vencera: 2×1.

Técnico Jogos V E D GF GS S
Adelson de Almeida 82 27 29 26 107 107 0
Mauro Fernandes 40 17 10 13 81 55 26
José Antônio 34 7 14 9 21 20 1
Seu Chicão 30 7 10 13 23 49 -26
Brito 28 10 9 9 29 24 5
Rubens Meirelles “Rubinho” 26 7 5 11 20 35 -15
Euripedes Bueno 25 7 5 12 17 31 -14
Renê 21 3 9 7 11 17 -6
Zé Vieira 18 10 3 4 25 12 13
Décio Leal 14 8 5 1 15 6 9