Tag: Thiago Eciene

Sem ansiedade, CEC gira a chave: Brasília, sábado, 16h, Serejão

Sem tempo para descansar: no sábado CEC x Brasilia 63
Sem tempo para descansar: no sábado CEC x Brasilia 63. Em 2009, CEC 2 x 1

O Ceilândia chegou à fase mais aguda de sua caminhada em 2013. Em 15 dias serão cinco jogos decisivos. Hora de preparar os jogadores mentalmente para os momentos difíceis que virão.

Na primeira das cinco partidas, o Ceilândia foi derrotado pelo Gama por 3 x 1. O resultado pressionou o CEC no Metropolitano 2013.

Na segunda dos jogos, empatou sem gols com o Ceará pela Copa do Brasil 2013. O resultado não foi um desastre, mas foi ruim. O elenco maduro e rodado do Ceilândia vai saber contornar as dificuldades.

Um dos duelos mais equilibrados da história do DF: 22 v do CEC, 17 empates e 23 derrotas
Um dos duelos mais equilibrados da história do DF: 22 v do CEC, 17 empates e 23 derrotas

No próximo sábado, o CEC volta a campo contra o Brasilia. Agora enfrenta o campeão do primeiro turno numa partida decisiva para as pretensões alvinegras. Qualquer resultado que não seja a vitória faz com que  o campeonato local praticamente acabe para o Ceilândia.

De decisão em decisão, o CEC irá a Fortaleza na próxima quarta-feira levando na bagagem a tentativa de reviver o feito de 2006, quando, após empatar sem gols com o Bahia no Estádio Regional venceu o tricolor baiano na Fonte Nova e foi a segunda fase da Copa do Brasil.

Por fim, no sábado, 13 de abril, encerra a maratona de 15 dias jogando contra o Brazlândia. O CEC só chega vivo nesse jogo se for bem nos demais. O time é experiente… vai ser testado mais uma vez.

Related Images:

De volta ao Serra do Lago

No turno, um empate e uma derrota diante do Luziânia
No turno, um empate e uma derrota diante do Luziânia

Depois das comemorações pela conquista da vaga na final, o Ceilândia retornou aos trabalhos visando a primeira partida da decisão contra o Luziãnia. Em conversa com o SiteCEC, a Comissão Técnica disse que os comemorações foram um tanto quanto efusivas dentro de campo.

No jantar, sem que houvesse qualquer orientação nesse sentido, os jogadores foram muito moderados nessa comemoração. Isso demonstra o quanto o time entra focado para a decisão.

Se o problema do Ceilândia é superar todo o envolvimento na fase final e focar-se no Luziânia, o adversário não tem o mesmo problema. O Luziânia de algum modo sabia que esse adversário seria o Ceilândia, a ponto de ter se dado ao luxo de  o Ceilândia nos jogos decisivos, desde a partida contra o Gama.

CEC teve que remar todo o segundo turno para estar na final
CEC teve que remar todo o segundo turno para estar na final

Conversando com o SiteCEC, João Carlos Cavalo disse que, depois de ter sido campeão do primeiro turno, o time se desconcentrou no returno na medida em que sabia que estava na final. Para ele isso foi importante porque  teve condições de poupar fisicamente e mentalmente os seus atletas.

Nas hostes alvinegras Adelson considera que uma semana de trabalho é suficiente para recuperar o time em todos os aspectos, fisica e mentalmente. A comemoração pela conquista da vaga na final é coisa do passado e  Adelson considera que a decisão coloca os dois times em condições de igualdade: é outra competição.

Related Images:

Uma foto desfocada e que não retira o brilho da união do grupo

Unidos, na vitória ou na derrota: A melhor campanha das últimas décadas

Um campeonato em vários atos: A melhor campanha dos últimos anos
Um campeonato em vários atos: A melhor campanha dos últimos anos

Está tudo  pronto para a final do returno. O Ceilândia tem a consciência de que não há mais o que fazer: o que os times tinham que ganhar em termos de consistência tática e técnica foram conseguidos nos quatorze jogos disputados até agora. Ninguém vai aprender ou desaprender em um jogo.

O Ceilândia está tranquilo e não deve mudar a sua maneira de jogar. Apesar da necessidade da vitória o CEC não deve abrir mão de seu forte sistema de marcação. A expectativa também é a de que o Sobradinho não deva jogar totalmente aberto, porque o adversário também deve saber dos riscos de que vai correr. Em suma: deveremos ter um jogo truncado.

O Ceilândia vem de fazer a sua melhor campanha nas últimas décadas e há tempos não se via um trabalho tão consistente. O futebol é cheio de surpresas e, por isso mesmo, do ponto de vista do torcedor seria realmente uma pena que um trabalho de tanta qualidade viesse a ser esquecido em razão da perda do título.

Adelson de Almeida já tem o time que vai lançar a campo. A dúvida em torno de Allan Dellon continua. Experiente, o jogador precisa estar focado na partida,  esquecendo as provocações do adversário para que não se repita o que ocorreu com Dimba no primeiro turno.

O artilheiro do Gato desta vez está tranquilo, calado, guardando as energias para a partida de hoje.

O Ceilândia acredita que fazer um gol cedo pode ser importante, mas não será decisivo. Será importante manter a concentração a partida inteira e manter equilíbrio: as decisões se ganham primeiro mentalmente. O Ceilândia é um time mentalmente forte e terá pela frente um adversário impetuoso e que não perde em seus domínios há três meses. Time por time, o do Ceilândia é melhor, mas o Sobradinho tem várias vantagens: a de jogar em casa é importante e a vantagem do empate é talvez a mais decisiva. O Ceilândia vai ter que remar bastante.

Related Images:

CEC cumpre obrigação e vence o Gama: 2 x 0

Darci: sem ser espalhafatoso, foi eficiente e contou com a má pontaria do adversário.
Darci: sem ser espalhafatoso, foi eficiente e contou com a má pontaria do adversário.

O Ceilândia cumpriu a sua obrigação e venceu o Gama na tarde deste sábado, jogando no Bezerrão, por 2 x 0.  Para vencer a partida o Ceilândia não precisou ser brilhante: bastou ser minimamente organizado, neutralizar a única jogada do adversário e contar com os inúmeros erros do Gama.

Poucas vezes nesse campeonato e talvez nos últimos anos, o Ceilândia enfrentou um adversário que errasse tanto. O Gama era incapaz realizar três toques de bola em profundidade. Extremamente previsível, o adversário colocou dois atacantes abertos e apelava incessantemente para as ligações diretas.

Para facilitar ainda mais as coisas, defensivamente o time do Gama era uma nulidade: o time marcava de longe e havia demasiado espaço entre as instâncias defensivas.

Pênalti claro em Alcione e que não foi  marcado. Arbitragem perigosamente displicente.
Pênalti claro em Alcione e que não foi marcado. Arbitragem perigosamente displicente.

Sem que o Gama apresentasse qualquer jogada estruturada, bastou a Adelson de Almeida marcar os atacantes homem-a-homem e deixar um zagueiro na sobra para que o Gama fosse neutralizado.

O Ceilândia não foi perfeito, ao contrário. Em alguns momentos foi displicente e isso permitiu ao Gama que criasse situações de gol. Nesses momentos, a incompetência do ataque adversário, aliada a uma boa partida do goleiro Darci, impediram o gol gamense.

Como time, o Ceilândia foi melhor o jogo inteiro. Não lhe interessava ficar trocando contra-ataques com o Gama. Por isso, manteve o seu padrão de jogo, com uma sólida formação defensiva.

Dimba e Allan Dellon: os velhinhos fazem a diferença
Dimba e Allan Dellon: os velhinhos fazem a diferença

Por esses motivos, o  primeiro tempo se encaminhava para o zero a zero quando, após cobrança de falta, Didão desviou de cabeça e abriu o marcador para o Ceilândia. Eram 42 minutos do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o comportamento do Gama não mudou. O CEC tinha as mesmas facilidades e não demorou para que aos 10 minutos Dimba desse um passe magistral para Allan Dellon bater, também com categoria, no canto esquerdo do goleiro Pereira e fazer 2 x 0.

Depois do segundo gol, o CEC caiu e produção e permitiu um breve domínio alviverde. Nas poucas chances que criou, a má pontaria impediu o Gama de diminuir a diferença. Por isso, bastou ao Ceilândia fechar-se na defesa para administrar o placar. No final, o Ceilândia nada tem a ver com a má-fase do adversário e o péssimo futebol por ele apresentado.

Marcação do Gama chega mais uma vez atrasada: daqui prá frente tudo deve ser diferente, mas o Gato está pronto
Marcação do Gama chega mais uma vez atrasada: daqui prá frente tudo deve ser diferente, mas o Gato está pronto

A vitória foi importante e coloca o Gato nas semi-finais do turno. Por isso mesmo, é óbvio que não há como desmerecer a vítória do Ceilândia. O Gato teve méritos porque soube aproveitar os erros do adversário e mostrou que é um time consciente de sua missão.

Daqui para a frente não dá para contar com a sorte ou incompetência do adversário. Cada jogo será uma decisão. O CEC mostrou que está maduro, mas o futebol tem lógicas que a própria lógica desconhece. Time por time, o CEC é melhor, mas futebol é sempre uma caixinha de surpresas…

Related Images:

Dimba contra o Gama em 2011

Desespero do Gama coloca a prova maturidade e evolução do Ceilândia

Dimba contra o Gama em 2011: vitória de nada serviu para o Gato
Dimba contra o Gama em 2011: vitória de nada serviu para o Gato

O Ceilândia enfrenta o Gama na tarde deste sábado, num jogo decisivo para as pretensões do seu oponente.  Para o Ceilândia a partida é importante, mas não é decisiva. É o tipo de jogo perigoso: uma vitória pode levar à falsa sensação de que o objetivo foi alcançado, mas não foi. A partida de hoje é apenas uma etapa visando o campeonato.

Uma derrota pode ser ainda pior. Pode levar ao time a se acomodar. Isso pode ser perigoso nas semi-finais, inclusive porque o CEC perderia a vantagem de decidir em casa. Decidir em casa, pelo simples motivo de decidir em casa, também não muda muita coisa, dado o equilíbrio da competição.

É em meio a esse mar de contradições que o Gato vai para o desafio de hoje. Para que não haja dúvidas, o mais importante é que o time do Ceilândia jogue a sua bola e viva minuto a minuto a partida de hoje.

Breno deve ficar preso na marcação: contra-ataques do Gama preocupam
Breno deve ficar preso na marcação: contra-ataques do Gama preocupam

Para o Gama o problema é ainda maior, mas há esperança. O Brazlândia dispensou boa parte dos jogadores e jogará muito desfalcado diante do motivado Capital. O Capital é favorito,  tão favorito que é capaz de dar zebra.

Em 2011, o CEC enfrentou o Gama na última rodada precisando de combinação de resultado. Venceu, mas foi eliminado. A história se repete, mas com papéis invertidos.

Nessas condições, Ceilândia e Gama tem tudo para ser um bom jogo. Em circunstâncias normais,  o toque de bola e a estrutura tática do Ceilândia tendem a prevalescer sobre a impetuosidade do Gama. Os contra-ataques do Gama trazem uma enorme preocupação e podem desequilibrar a balança para o lado alviverde.

O Gama distribuiu faixas pela cidade convocando a torcida.Promessa de bom público. Isso também pesa para o lado alviverde. Vai ser um bom jogo.

Related Images:

Ceilândia esquece Brazlândia e já foca o Gama

Liel e Didão: Experiência do Gato pode fazer diferença na reta final
Liel e Didão: Experiência do Gato pode fazer diferença na reta final

O Ceilândia retorna às atividades nesta segunda sabendo que a briga por uma vaga na Série D ficou ainda mais complicada com os resultados do final de semana. No grupo A, Sobradinho e Luziânia vão se enfrentar e um empate classifica as duas equipes. O terceiro colocado é o Legião que precisa desesperadamente da vitória sobre o Botafogo-DF para fugir do rebaixamento. Somente então é que aparece o Brasiliense que vai enfrentar o desesperado Dom Pedro num confronto de vida ou morte. Matematicamente as chances do Brasiliense até que são grandes (algo como 7%), mas o time de Taguatinga vai ter que contar com a sorte.

No grupo B, o adversário do Ceilândia vai ter que contar com a ajuda do Brazlândia, que enfrenta o Capital. Precisando do resultado, o Gama recebe um inesperado favoritismo diante do Gato, mas somente se classificará se o Capital não vencer o Brazlândia. Matematicamente as possibilidades do Gama devem se situar em torno de 18%, acreditando-se que o Brazlândia nada mais tem a disputar na competição e o Capital entrará motivado para essa partida.

Allan Dellon é advertido: Cartões amarelos preocupam nesta reta final
Allan Dellon é advertido: Cartões amarelos preocupam nesta reta final

O objetivo do Ceilândia é outro. Com o foco centrado essencialmente na Série D, o Gato precisa garantir a primeira classificação no geral para garantir eventual vantagem nas fases decisivas, tanto do segundo turno, quanto do campeonato.

Adelson de Almeida começa a semana ainda sem saber se algum jogador acusou algum problema no final de semana. O Ceilândia parece tranquilo e está consciente da sua própria capacidade. Teoricamente faltam cinco jogos para terminar o campeonato. Porque o time vem crescendo de produção, a confiança da torcida aumenta.

Related Images:

Liel contra o Formosa

Consciente do dever e em silêncio

Eciene deve formar ao lado de Badhuga e Panda: sem poder tomar gols
Eciene deve formar ao lado de Badhuga e Panda: sem poder tomar gols

Determinado a viver um dilema por vez, o Ceilândia enfrenta na tarde de hoje o Brazlândia. O Brazlândia já escapou do rebaixamento e agora luta por uma das vagas nas semi-finais do segundo turno do Metropolitano 2012.
O Ceilândia precisa vencer a partida, sob pena de perder a liderança do grupo e, de quebra, permitir que o Luziânia se afaste na pontuação geral.

O técnico Adelson de Almeida não deve fazer modificações na equipe que venceu o Formosa no último domingo. Sendo assim o goleiro Darci deve manter a posição de titular. Especulou-se que Cassius deveria ceder a posição para Claudionor apenas como opção tática do treinador que eventualmente gostaria de ter um time mais leve na partida de hoje. O mais provável é que Cassius permaneça.

Didão pode ser o homem-surpresa: um gol no campeonato
Didão pode ser o homem-surpresa: um gol no campeonato

 

Adelson se preocupa com a movimentação do time do Brazlândia, mas também tem a certeza de que o Brazlândia entrará em campo preocupado com alguns jogadores do Ceilândia. A promessa é a de um jogo complicado, mas a obrigação de vitória é do Gato.

 Sendo assim a mais provável formação do CEC terá: Darci, Alcione, Luiz Carlos Badhuga, Panda, Thiago Eciene e Felipe; Liel, Didão e Allan Dellon; Dimba e Cassius.

O último confronto oficial entre as equipes foi em 2009. Naquela ocasião o Gato venceu por 4 x 2.

Related Images:

Em 2008, no Abadião, Brazlândia tirou o Gato da Copa do Brasil

Amanhã será um dia tenso…

Dimba sofre um ippon contra o Formosa: caçado em campo nos últimos jogos
Dimba sofre ippon diante do Formosa: caçado em campo nos últimos jogos. Nesse lance, foi jogado para o alto e precisou de atendimento médico.

A aparente tranquilidade na Cidade do Gato esconde a tensão para a partida de amanhã.

O Ceilândia vem em fase ascendente, com um padrão de jogo definido e com uma média superior a dois gols por partida no segundo turno. Em compensação, a defesa também tomou uma média de quase dois gols por partida.

Para piorar, nas últimas quatro partidas, o CEC teve assinalado contra si três penaltis, quase um por jogo. Embora reclamasse alguns penaltis, o CEC não teve assinalado qualquer penalti a seu favor nos últimos jogos.

Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time
Em janeiro de 2012, China e Tety comemoram na vitória sobre o Brazlândia. Ambos já deixaram o time

Nas últimas duas partidas o time teve que correr atrás do marcador. Contra o Ceilandense chegou a estar perdendo por 2 x 0 e empatou; contra o Formosa, saiu na frente, permitiu que o Formosa virasse e, somente no final, virou novamente.

Se isso pode demonstrar a força de superação do grupo, por outro lado mostra que o CEC está namorando com o azar.

Para a comissão preocupa o fato de que contra o Formosa o CEC sofreu com a bola aérea do adversário. Talvez parte dos problemas estivesse no fato de que Darci, que voltava de longo período de inatividade, estivesse inseguro. Agora, com um jogo e mais uma semana de trabalho, é de se esperar que Darci esteja mais habituado.

Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.
Em 2008, Rodrigo Félix em ação: Brazlândia, com incentivo financeiro dos adversários, tirou o CEC das finais em pleno Abadião.

Adelson sabe que a vitória contra o Brazlândia é importante, mas sabe que é mais importante garantir o primeiro lugar no grupo.  O Brazlândia é um time que mexe bem a bola no meio de campo. Isso vai demandar muita atenção dos volantes e dos laterais para impedir as inversões de bola.

No mais, o CEC vai ter que jogar sério, muito sério e aproveitar as oportunidades criadas. Não se prevê um jogo de muitos gols nesse sábado. Vai ser um jogo tenso, mas o CEC tem tudo para fazer prevalescer a sua melhor técnica.

Somente com o primeiro lugar é que o time pode levar alguma vantagem nas finais do turno. Ganhar o segundo turno para o CEC é uma obsessão. Sem isso, todo o projeto 2012 vai por água abaixo.

Related Images:

CEC vive dias de decisão

Allan Dellon: aos poucos entrando no ritmo
Allan Dellon: aos poucos entrando no ritmo

O Ceilândia enfrentará o Brazlândia no próximo final de semana com uma situação relativamente tranquila na tabela. Quando se diz relativamente tranquila é porque uma derrota pode colocar o CEC na obrigação de ter que vencer o seu último jogo, contra o Gama, no Bezerrão, a qualquer custo.

Com sete pontos, o Ceilândia se classifica antecipadamente desde que vença, independente de qualquer outro resultado. Qualquer outro resultado, aliado a uma vitória do Ceilandense sobre o Capital, coloca o Gato numa situação complicada.

O projeto da Comissão Técnica inclui garantir a primeira colocação do grupo. No turno isso se mostrou muito importante. Na semi, o time soube usar a vantagem e eliminou o Brasiliense. Na final, jogou pressionado e acabou perdendo o título para o Luziânia.

Partida contra o Brazlândia pode definir classificação
Partida contra o Brazlândia pode definir classificação

Para a partida diante do Brazlândia,  Adelson de Almeida não deve fazer alterações. O time entrou muito mudado contra o Formosa e a tendência é que Adelson deva manter a equipe.

 

 

Related Images:

Sem chance de errar

O jogo deste final de semana aparentemente foi confirmado para o domingo, 16h, no Abadião.

A partida envolve os dois times profissionais da cidade e promete levar um bom publico ao Abadiao.

O Ceilandia nao tem problemas graves para essa partida. Nas hostes alvinegras a despeito da juventude adversaria, a partida é encarada com seriedade.

O discurso oficial é o de que o Ceilandense tem qualidades e a vitória sobre o Gama não foi por mero acaso.

20120404-080846.jpg

Related Images:

Panda e Badhuga: a dupla de zaga

Panda e Badhuga em ação: um leão por dia
Panda e Badhuga em ação: um leão por dia

O Ceilândia enfrentou o Capital sem a sua dupla de zaga titular. Panda e Badhuga estiveram afastado por força dos cartões amarelos. Titulares desde 2010, este é o terceiro ano em que os dois jogadores formam a dupla central de zagueiros do Gato.

Com certeza este é o time mais técnico que o Ceilândia conseguiu montar nos últimos anos. Isso significa trabalho em dobro para os zagueiros.

Panda disputa: Badhuga cobre
Panda disputa: Badhuga cobre

De temperamentos tranquilos, Panda e Badhuga diferem dos demais jogadores. Sempre,  antes e ao final da partida,  são dos poucos que se cumprimentam e se apoiam mutuamente independente do resultado. Talvez o façam  porque são sempre muito cobrados.

Distante da badalação dos craques dos times, Panda e Badhuga sabem que precisam matar um leão a cada jogo. Discretamente, de forma viril e eficiente, formam a melhor dupla de zagueiros do Distrito Federal.

Badhuga disputa: Panda cobre
Badhuga disputa: Panda cobre

Se se fosse pedir a ambos que indicassem um jogo marcante, com toda certeza poderiam citar as finais de 2010 ou outra partida. Aos olhos do torcedor, contudo, sempre há a lembrança daquele 13 de fevereiro de 2010, quando Panda e Badhuga fizeram os gols da vitória sobre o Gama no Bezerrão.

Há a previsão de retorno para este final de semana.  O retorno se dá em boa hora. No sábado o Ceilândia enfrenta o Ceilandense precisando da vitória. Vai ser um jogo com certeza mais complicado que no último sábado, mas o Gato sabe que não está na hora de escolher adversários.

Related Images:

CEC vai ter que remar de novo!

Dimba tem muito crédito, mas hoje ficou devendo
Dimba tem muito crédito, mas hoje ficou devendo

O Ceilândia foi derrotado pelo Luziânia por 3 x 2 na partida que decidiu a Taça JK, correspondente ao primeiro turno do campeonato metropolitano. A derrota dá apenas uma possibilidade para que o Ceilândia dispute a Série D em 2012: vencer o segundo turno e vencer a decisão contra o Luziânia. Qualquer outro resultado e tudo o que foi planejado para este ano será jogado por terra.

O Ceilãndia fez uma boa partida na Serra do Lago. O primeiro tempo do CEC poderia ter sido primoroso se o time tivesse aproveitado ao menos a metade das oportunidades criadas. Algumas coisas se pensa, outras se escreve.

Eciene empata a partida: CEC melhor a maior parte do tempo
Eciene empata a partida: CEC melhor a maior parte do tempo

No intervalo da partida  temia-se que as chances desperdiçadas pudessem fazer falta. E fizeram.

O Luziânia saiu na frente um pouco depois da metade do primeiro tempo. Até então o CEC era melhor e o Luziânia tinha chegado apenas em um chute despretensioso e de longa distância. O CEC empatou cinco minutos depois com Thiago Eciene. Um minuto depois, China poderia ter virado. Dez minutos depois, Dimba perdeu cara a cara com o goleiro. Três minutos depois os torcedores do Luziânia viram a arbitragem não reconhecer aquilo que, segundo seus próprios olhos, tinha sido gol do Ceilândia. O lance era difícil e somente a televisão ou uma fotografia sobrenatural podem esclarecer.

Partida disputada ao extremo
Partida disputada ao extremo

Veio o segundo tempo e o Luziânia tentou impor o seu ritmo. Não conseguiu. O CEC voltou a tomar as redeas da partida e perder oportunidades de gol. Em decisão é importante marcar. Como quem não marca,  leva, Zé Ricarte colocou o Luziânia novamente na frente. Não deu tempo para reagir e o Luziania fez tres a um com Chefe.

O Ceilãndia foi valente, mas não foi eficiente como o foi até agora. O CEC empurrou o Luziãnia contra o seu campo, mas conseguiu apenas diminuir para 3 x 2 com Cassius.

Em decisão não vale dizer que jogou bem. O que importa é o resultado final. O resultado de hoje obriga o Ceilãndia a remar novamente.

 

Related Images:

CEC pega o Brasiliense na semi-final da Taça JK

China vem de boas partidas e é esperança do CEC
China vem de boas partidas e é esperança do CEC

Deu a lógica. O Brasiliense venceu o Ceilandense por 1 x 0 no último domingo e terminou em segundo lugar no grupo A, atrás do Luziânia que venceu o Gama por 1×0 e terminou a fase de classificação como o melhor time do campeonato. Com esses resultados, o CEC vai enfrentar o Brasiliense na próxima quarta-feira, provavelmente às 16h00 no Abadião. No mesmo dia o Luziânia enfrenta o Brazlândia por uma vaga na final da Taça JK.

O técnico Adelson de Almeida disse ao SiteCEC que se tivesse de escolher um adversário certamente esse adversário não seria o Brasiliense. Segundo ele a razão é simples: o Brasiliense é um dos favoritos ao campeonato e na briga por uma vaga na série D o CEC esperava encontrá-lo apenas nas finais. Essa combinação de resultados garantiria uma vaga para o CEC na série D.

Alcione, improvisado na lateral-direita, tem dado conta do recado
Alcione, improvisado na lateral-direita, tem dado conta do recado

Adelson disse que o empate é uma vantagem que não deve ser desconsiderada, mas teme o fato de que essa vantagem possa passar uma mensagem equivocada aos jogadores. O Ceilândia é um time que não brinca, joga sério o tempo todo e o empate tem que vir como consequencia do jogo e não como objetivo a ser alcançado. Ninguém nas hostes alvinegras pensa no empate, até porque esse é o primeiro sinal da derrota.

Falando sobre a partida do último sábado, Adelson disse que foi uma partida empolgante sob o ponto de vista do torcedor. Como técnico, reconhece que o time criou boas situações de gol, o goleiro foi bem quando exigido, mas exige que o time dê menos chances aos adversários. Do ponto de vista do torcedor, completou, foi um bom jogo, não mais que isso.

Para a partida desta quarta, Adelson espera poder contar com todos os jogadores e quem sabe até mesmo com Allan Dellon, contratado na última semana. Os jogadores se reapresentam nesta segunda para avaliação e terão pouco tempo para se recuperar para a partida de quarta.

Related Images:

Ricardo Oliveira quer ajustes

Divino Ferreira, preparador físico, Ricardo Oliveira e Adelson de Almeida no primeiro dia do treinador (Crédito: Marcus Pereira - Jornal de Brasília)
Divino Ferreira, preparador físico, Ricardo Oliveira e Adelson de Almeida no primeiro dia do treinador (Crédito: Marcus Pereira - Jornal de Brasília)

O técnico Ricardo Oliveira treinou o Ceilândia pela primeira vez nesta última quarta-feira. Foram 60 minutos de coletivo divididos em dois tempos de 30.  Ricardo Oliveira teve a oportunidade de ter contato com os jogadores e tirar algumas impressões.

A primeira impressão é a de que o elenco é muito pequeno. A segunda é que o CEC tem que correr contra o tempo, porque faltam 13 dias para o início da competição. Por sorte o Ceilândia estréia depois que os outros.

De fato o elenco tem se mostrado reduzido. O Ceilândia tem demonstrado que precisa de zagueiros, laterais e mesmo atacantes para compor o elenco. Panda, por exemplo, não poderá jogar nas primeiras rodadas da competição. Isso trás um problema porque no início dos trabalhos o CEC possuía Diego Morais, Eciene, Luiz Carlos Badhuga e Panda. Agora possui apenas Luiz Carlos e Eciene como opções imediatas para a estréia.

Cassius machucou-se diante do Capital. O CEC não tem uma opção com as mesmas características. De qualquer forma, a se tirar pelo trabalho mostrado em 2008, em que Ricardo Oliveira possuía um time de muita movimentação no ataque, é provável que Cassius fosse a opção numa situação em que precisasse mudar o estilo de jogo. Com eventual lesão, essa opção não mais existiria. Além do mais, é possível que um ou outro jogador pode deixar o elenco a qualquer tempo. É preciso estar preparado para essas situações.

IRANILDO VOLTOU

Ricardo Oliveira ganhou um presente logo em seu primeiro dia. Iranildo treinou nos primeiros trinta minutos do coletivo. Movimentou-se bem e mostrou que está clinicamente curado. É possível que Ricardo Oliveira utilize o jogador no último amistoso deste sábado, no Parque do Sabiá, diante do Uberlândia.

Related Images:

Ceilândia tranquilo: ansiedade é natural!

Tartá entrou no segundo tempo nos dois últimos jogos
Tartá entrou no segundo tempo nos dois últimos jogos

Após três jogos amistosos de preparação para o Metropolitano 2012, o Ceilândia perdeu dois. Logo depois da partida contra o Capital, o SiteCEC conversou com alguns dos torcedores  e observadores que assistiram a partida. Dentre eles o ex-Presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Paulo Araujo, o Paulinho.

De modo geral, os torcedores e observadores afirmaram que esperavam mais do Ceilândia, mas também reconheceram que esses amistosos só servem para ambientar os jogadores. Muito do resultado se deve a opções dos técnicos que preservam um ou outro atleta nesse início de trabalho e fazem observações, muitas observações. O que vai valer mesmo começa em duas semanas.

O grande problema detectado foi o corredor no meio de campo do Ceilândia, que permitia seguidos contra-ataques da equipe adversária. Passados dois dias do jogo fica fácil perceber que a ansiedade teve um papel preponderante nesse problema. O Ceilândia fazia uma ligação apressada do meio de campo para o ataque. Nisso criava-se um espaço enorme entre os meias e os volantes. A ansiedade de chegar ao gol adversário levou a equipe a confundir velocidade com pressa. O Ceilândia era uma equipe apressada e só isso.

Eciene deve substituir Panda
Eciene deve substituir Panda

Outro problema apontado foi a falta de criatividade. O Ceilândia forçava muito as jogadas no primeiro tempo. Desse modo a bola batia no sistema defensivo do Capital e voltava, num circulo vicioso. Obviamente que Marquinhos conta com Iranildo para resolver o problema.

Para esta semana Marquinhos continuará sem Panda e Iranildo. A contusão de Panda traz outro problema: o jogador terá que cumprir suspensão e não poderá jogar nas primeiras partidas do campeonato. O último problema é Cassius, substituído aos 25 do primeiro tempo por Gil Bala após uma entrada dura do adversário.

Nesta semana o CEC começará treinando no Rorizão (provavelmente terça e quarta) e segue para Uberlândia na sexta-feira para enfrentar o time de mesmo nome no sábado. Será o último amistoso antes do campeonato.

Related Images: