Tag: Unai

Em 2015: Paracatu foi a campo com sete jogadores. Jogo terminou nos primeiros minutos

Ceilândia vai a Paracatu defender a boa fase

CEC treinou forte: time ainda sofre questionamentos
CEC treinou forte: time ainda sofre questionamentos

Toda a logística montada demonstra o quão sério o Ceilândia está levando a partida deste sábado, 15h30, no Freio Norberto, diante do Paracatu. Os resultados recentes, para além de confirmar que o CEC é um dos candidatos ao título, transformou o alvinegro em um dos times a serem batidos. O time precisa conviver com isso se quiser consolidar a sua posição.

Alheio aos problemas do adversário fora de campo, o CEC tem em mente que o Paracatu venceu as suas duas últimas partidas. Além disso, o CEC sabe que não pode tropeçar, sob pena de desgarrar-se ainda mais dos líderes e colocar em risco a sua posição no G4.

O técnico Adelson de Almeida está tranquilo, apesar dos problemas. Para o treinador o seu elenco é qualificado: acredita que os jogadores escalados irão corresponder à altura.

Em 2015: Paracatu foi a campo com sete jogadores. Jogo terminou nos primeiros minutos
Em 2015: Paracatu foi a campo com sete jogadores. Jogo terminou nos primeiros minutos

Clécio e Didão estão em recuperação. A situação de Didão é mais complicada. Allan Dellon cumpre automática.

Se Clécio não jogar, o Ceilândia muda a sua maneira de jogar. O meia tem a característica de carregar a bola, algo que pode ser perigoso em campo pequeno e com marcação sob pressão do adversário. Talvez até por isso Adelson opte por um jogador de passe mais rápido.

O confronto entre Ceilândia e Paracatu FC é um dos mais complexos. O CEC registra confrontos contra o Itapuã, o Unaí Itapuã e agora contra o Paracatu, que não se confunde com o União Paracatu, time que disputou a segundona local nos anos 90.

Em 2015, o jogo entre Ceilândia e Paracatu FC terminou com menos de quatro minutos de jogo porque o adversário ficou reduzido a número insuficiente de jogadores.

Related Images:

Enfim, a primeira vitória em 2014

Pela primeira vez no ano, a defesa não sofreu gol
Pela primeira vez no ano, a defesa não sofreu gol

O Ceilândia enfim venceu em 2014. Não foi brilhante, mas venceu.

O jogo foi muito equilibrado. As equipes alternaram bons e maus momentos na partida. Desta vez, como fora diante do Brasília, o Ceilândia foi consistente defensivamente. França pouco trabalhou. Foi exigido apenas em bolas paradas.

No gol de Cassius, a comemoração de Caio Chulapa
No gol de Cassius, a comemoração de Caio Chulapa

Em um jogo tão igual, a primeira chance viria em uma bola parada. Escanteio e Cassius cabeceou para abrir o marcador aos 34 do primeiro tempo.

Depois de fazer o gol, o Ceilândia desarticulou-se na função desempenhada por Gilmar Herê e Alisson. O Paracatu saía com a bola dominada em seu campo de defesa. Por sorte, rondava, rondava, rondava e não concluía.

Alisson cansou ainda no primeiro tempo, mas foi importante enquanto teve pernas
Alisson cansou , mas foi importante enquanto teve pernas

Veio o segundo tempo e Adelson mexeu no time, colocando Valdinei no lugar de Gimar Herê. A mudança era essencialmente tática.

Os dez primeiros minutos foram do Paracatu. O Ceilândia dominou os dez minutos seguintes. Foi quando poderia ter ampliado, mas a bola não chegou em Valdinei, na primeira, e, na segunda, Cassius acertou a trave.

No contra-ataque, CEC poderia ter ampliado, mas as chances foram poucas
No contra-ataque, CEC poderia ter ampliado, mas as chances foram poucas

O jogo ficou truncado até o final: o Ceilândia controlava o Paracatu. Chances de gol? Nenhuma, para qualquer lado.

Para dizer que não houve emoção, houve duas expulsões, uma para cada lado (Tavares do Ceilândia foi expulso após trocar agressões com adversário).

Adelson conduz o time para o agradecimento final
Adelson conduz o time para o agradecimento final. Enfim o time interagiu com a torcida

No final, o comandante Adelson de Almeida discretamente cerrou os punhos e comemorou a vitória. Exigiu que o time fosse ao centro do campo e agradecesse por, depois de dois meses de trabalho árdu0, haver conquistado a primeira vitória.

O resultado tira o Gato Preto da última colocação e dá esperança de dias melhores.

 

 

Related Images:

A batalha agora é em Ceilândia

O desafio de vencer!

Renato foi uma das novidades contra o Brasilia. Em 2013, importante na vitória em Unaí
Renato foi uma das novidades contra o Brasilia. Em 2013, importante na vitória em Unaí

O Ceilândia vai colocar à prova, hoje, às 16h, no Estádio Regional de Ceilândia, se o empate contra o Brasília foi um acidente ou se o time efetivamente deixou a série de derrotas para trás.
Sem ter vencido em 2014, são sete jogos, o Gato Preto, antes apontado como um dos favoritos, enfrenta o Paracatu em um jogo absolutamente importante.

Alisson mostrou contra o Brasília uma maturidade que ainda não mostrara. Também esteve em Unaí em 2013.
Alisson mostrou contra o Brasília uma maturidade que ainda não mostrara. Também esteve em Unaí em 2013.

O técnico Adelson Almeida fez várias mudanças contra o Brasília. Ganhou uma solução e um problema.
A solução está no fato de que quem entrou mostrou que não fica devendo a quem saiu.

Os meninos estavam em Unaí em 2013 na vitória por 4 x 2. Hoje, terão prova de fogo
Os meninos estavam em Unaí em 2013 na vitória por 4 x 2. Hoje, terão 90 minutos de prova de fogo

O problema é que vai precisar de todo mundo, mas nessas horas alguém que não está sendo utilizado sempre espana e a motivação já não é a mesma. Os meninos ganharam o lugar justamente porque os mais rodados não trouxeram resultado.
Já escaldado, Adelson segue em frente e não terá problema em tomar decisões adequadas ao momento.

Alisson ganha da defesa do Brasília: CEC teve uma oportunidade e a aproveitou
Alisson ganha da defesa do Brasília: CEC teve uma oportunidade e a aproveitou

O clima melhorou muito com o último resultado, mas o time precisa melhorar. Mais que isto, o Ceilândia precisa vencer.
O Ceilândia sofreu gol em todas as partidas que disputou neste ano. A defesa mostrou evolução no último jogo, particularmente o meio de campo, muito mais participativo defensivamente com Alisson e Elvis.

Contra o Brasilia, França foi exigido apenas em chutes de longa distância
Contra o Brasilia, França foi exigido apenas em chutes de longa distância

Ao voltar para buscar o jogo, Alisson deu uma alternativa que o Ceilândia antes não possuía. Elvis ainda foge um pouco do contato, mas é inteligente na aproximação e no toque de primeira. Com isso, Chulapa e Juninho Goiano subiram de produção. De quebra, Badhuga voltou a ser consistente defensivamente e isso também ajudou a Claudio Luiz, em busca de ritmo de jogo.

O time ainda sofre um pouco com a consistência de seu jogo ofensivo, mas convenhamos que a vida do Gato Preto sempre foi assim: muito sofrimento.

A batalha agora é em Ceilândia
A batalha agora é em Ceilândia

Além do mais, Gilmar Herê e Tavares mostraram  muita determinação e determinação é o que o time vai precisar hoje, não apenas em uns poucos minutos, mas nos noventa e quem sabe manter essa determinação até dez minutos depois do árbitro encerrar a partida (nunca se sabe o que pode acontecer, mas se acontecer é necessário estar pronto!)
Então, para hoje, também teremos sofrimento e que assim seja!

Related Images:

O amarelo não lhe cai bem!

Elvis é uma das jovens apostas de Adelson
Elvis é uma das jovens apostas de Adelson

Em situação cada vez mais complicada no campeonato, o Ceilândia enfrenta neste sábado, 16h, no Abadião, o Paracatu, no Estádio Regional.

Em jogo de seis pontos, o Ceilândia não poderá se dar ao luxo de sequer empatar. Qualquer resultado que não seja a vitória, ferirá de morte as chances que a equipe tem na competição.

Tavares ganhou a posição de Cassius: time cada vez mais jovem
Tavares ganhou a posição de Cassius: time cada vez mais jovem

Na última quarta-feira, o Ceilândia empatou com o Brasília, 1×1, em jogo adiantado da quinta rodada. O alvinegro tem agora um jogo a mais que seus adversários.

O clima na equipe é de confiança. O time tem perdido muitos gols e, talvez por isso, as vitórias não tem vindo.

Para essa partida, Adelson já terá à sua disposição o volante Tales e o zagueiro Fabio Paulista, já regularizados perante a CBF.

Related Images:

4 jogadores e uma vaga

Rodriguinho contra o Unaí: lateral
Rodriguinho contra o Unaí: lateral

Adelson testou quatro jogadores na lateral-esquerda. Willian, Igor, Rodrigo Cardoso e Rodriguinho e até agora não encontrou a formação ideal. Adelson também mexeu na direita.

Cada jogador tem uma característica bem definida. Para o treinador isso é positivo, porque lhe permite mexer na forma de o time jogar. Ele tem opções.

Para a partida deste final de semana, Adelson tanto pode repetir a formação do último final de semana, com Rodriguinho pela lateral esquerda, quanto promover o retorno de Willian. Rodrigo Cardoso voltou a treinar esta semana, depois da contusão sofrida no jogo contra o Luziânia.

 

Related Images:

Alerta alvinegro!

Clécio: aos poucos garantindo seu lugar no time
Clécio: aos poucos garantindo seu lugar no time

O Ceilândia volta a campo no próximo sábado, 16h, no Bezerrão, contra o Sobradinho. O time da cidade serrana tem o melhor plantel da competição, mas vive má fase. O Ceilândia sabe que essa má fase não será eterna.

O Ceilândia também tem os seus problemas. O time ainda está se amoldando ao estilo de jogo desejado por Adelson de Almeida. Apesar das três vitórias, o Ceilândia deixou claro que ainda não está no ideal.

Um dos problemas está na lateral-esquerda. Adelson de Almeida já testou três jogadores na posição, mas até o momento parece não estar satisfeito com a atuação de seus comandados.

Cleber tem sido coringa de Adelson
Cleber tem sido coringa de Adelson

Outro problema encontrado está no fato de que o time tem sido displicente no início das partidas. Contra o Unaí o fato se repetiu e Badhuga por pouco não complica o jogo. Dennys fez excelente defesa.

O time parece precisar de um tempo para se adaptar ao adversário, algo normal numa competição em que não se conhece como o adversário atua.

Para o próximo jogo, Rodrigo Cardoso e Didão devem voltar à equipe. Dimba pouco tem jogado, mas aos poucos deve aumentar a sua participação nos jogos.

CEC estréia dia 3 de abril na Copa do Brasil

Rodriguinho comemora em Unaí: para ganhar confiança
Rodriguinho comemora em Unaí: para ganhar confiança

O Ceilândia reapresentou-se ontem com vistas aos treinamentos da semana. Trabalho regenerativo para os jogadores. Nesta terça, trabalhos físicos.

Adelson de Almeida não deve ter problemas médicos importantes para o jogo do próximo sábado, diante do Sobradinho. Didão, sentiu desconforto antes da partida contra o Unaí, mas deve estar à disposição.

No último final de semana o CEC venceu o Unaí por 4 x 2. Destaque para o gol de Rodriguinho. O meia, contratado para substituir Allan Dellon, vinha de atuações apagadas e passou uma semana sem treinar por conta de uma virose. Recuperado, foi peça importante na vitória alvinegra em Minas Gerais.

A CBF divulgou a tabela detalhada da Copa do Brasil. O Ceilândia enfrenta o Ceará na primeira fase da competição. A primeira partida foi marcada para o Estádio Maria Abadia e será disputada no dia 3 de abril, às 16h00.

O segundo jogo está marcado para o dia 10 de abril, às 20:30h, no Estádio Presidente Vargas.

 

Related Images:

O perigo que vem do alto

Dennys salva o Ceilândia. Indecisão nas bolas aéreas
Dennys salva o Ceilândia. Indecisão nas bolas aéreas

A vitória em Unaí deixou algumas lições: a primeira é a de que o CEC foi eficiente. A segunda, é a de que não pode dar sopa para o azar.

No início da partida, o Unaí perdeu uma boa chance de abrir o marcador. Aqui, brilhou a estrela de Dennys, responsável por uma defesa importante.

Na seqüência da partida, enquanto o adversário rondava, rondava e rondava a meta alvinegra, uma coisa ficou clara: o CEC está com dificuldade nas bolas aéreas adversárias. O problema pode não ser da defesa, pode estar na origem.

Dennys defende, mas a torcida está preocupada
Dennys defende, mas a torcida está preocupada

De qualquer sorte, se o cruzamento foi feito, a defesa tem obrigação de tirar a bola. Traços de indecisão ficaram evidentes. Nesse aspecto sobrou até para o goleiro Dennys. O time precisa mostrar segurança nesse aspecto.

Para a sequência do campeonato, o CEC terá dois adversários perigosos: o Sobradinho, que precisa desesperadamente de uma vitória, o Brasiliense que é sempre uma força do futebol local e o Botafogo-DF. O CEC não pode brincar.

Related Images:

CEC enfrenta o Ceará na Copa do Brasil

Março de 2006: Ceilândia elimina o Bahia na Fonte Nova: 2 x 1
Março de 2006: Ceilândia elimina o Bahia na Fonte Nova: 2 x 1

A CBF divulgou os emparelhamentos da primeira fase da copa do Brasil. O Ceilândia enfrentará o Ceará.

A tabela será divulgada na segunda-feira. A princípio o primeiro jogo será realizado no Distrito Federal. Nessas primeiras fases a CBF leva em consideração o ranking dos clubes. O Ceará é o 21º e o Ceilândia apenas o 91º.

Os demais clubes do DF, Sobradinho e Luziânia, enfrentam Botafogo-RJ e Fortaleza.

2011: Derrota humilhante em pleno Abadião
2011: Derrota humilhante em pleno Abadião

O Ceilândia disputará a sua terceira Copa do Brasil. Em 2006, o CEC  passou pelo Bahia na primeira fase e foi eliminado pelo Fortaleza na segunda.

Em 2011, sem ter tido uma preparação adequada, o Ceilândia foi humilhado pelo Caxias-RS em pleno Abadião: 5 x 0.

Adriano e Daniel regularizados. Wudson sai

Adriano treina: registro no BID
Adriano treina: registro no BID. Foto: Antonio Gomes

Adriano e Daniel já estão regularizados. As inscrições dos dois jogadores já foram publicadas no boletim da CBF. Com isso, os dois atletas já possuem condições de jogar pelo Ceilândia.

Wudson em ação: competição difícil por uma vaga no ataque
Wudson em ação: competição difícil por uma vaga no ataque

Se, por um lado, Adriano e Daniel  reforçam o alvinegro, o atacante Wudson deixou o CEC. Wudson até que teve um bom começo com a camisa alvinegra, mas enfrentava dificuldades por uma vaga num ataque que tem Dimba e Cassius.

 

Related Images:

Unaí e Brasília estão de volta à primeira divisão

Sergio Manoel comandou o CEC na vitória em Unaí: 2 x 1
2007 – Sergio Manoel comandou o CEC na vitória em Unaí: 2 x 1

O campeonato metropolitano de 2013 promete. Terminada a segunda divisão da região metropolitana em 2012, Unaí – MG e Brasília subiram para a divisão principal do futebol local.

A competição em 2013 promete. Além de Ceilândia, atual campeão, Gama, Brasiliense, Luziânia, atual vice-campeão, o campeonato de 2013 trará os novos ricos Sobradinho e Brasilia com a promessa de boa disputa dentro e fora de campo.

Além disso, o Unaí sempre foi forte em seus domínios. O alviverde mineiro substituirá outro alviverde, o Formosa. Coincidência ou não, o Brasília substituirá outro alvirrubro, o Dom Pedro.

2011: Ceilândia vs Brasília, um dos mais tradicionais confrontos do DF
2011: Ceilândia vs Brasília, um dos mais tradicionais confrontos do DF

Outro aspecto interessante para 2013 é que, depois de muito tempo, os pioneiros Ceilândia, Brasília, Gama e Sobradinho voltarão a estar juntos numa mesma competição.

De qualquer forma, apesar da promessa fora de campo, o futebol local precisa de socorro urgente. A média de público tem sido muito baixa. O Ceilândia, que nos piores tempos jamais jogara para menos de mil pessoas, acostumou-se a jogar para cem, duzentas pessoas.

Uma das possibilidades sempre foi a de trocar notas fiscais por ingressos. O critério pode ser simples, como, por exemplo, ganhar uma carona no CPF na nota. Ganha o governo, ganha o futebol local.

O subsídio no ingresso poderia ficar condicionado a outras coisas, como por exemplo, a de obrigar os clubes profissionais a disputarem as categorias infantil e juvenil do futebol local.