Tag: Wendel

Wendel deixa o Ceilândia. Destino: Atletico-GO

Wendel fez boa apresentação contra o agora seu novo time

O Ceilândia corre para contratar novo goleiro depois que negociou a ida de Wendel para o Atletico-GO. Wendel está no Ceilândia desde a temporada 2018, tendo disputado 20 jogos oficiais com a camisa alvinegra. Clique aqui para ver.

Extremamente profissional e discreto, Wendel foi um dos poucos nomes remanescentes de 2018 e merece ter sorte na sua nova empreitada.

Nome
Wendell
Posição
Goleiro
Altura
2,01m
Peso
89kg
Ligas
Campeonato Candango, Copa do Brasil, Copa Verde, Serie D
Temporadas
2018, 2019
Nascimento
30 de dezembro de 1991
Idade
27
Temporada Jogos Titular Entrou Saiu Gols Amarelos Vermelhos
2018 20 20 0 0 0 2 0
Total 20 20 0 0 0 2 0
Por temporada | Vermelhos | Titular | Substituiu | Substituido | Gols | Amarelos | Vermelhos

Nesta sexta, o Ceilândia vai a Pirenopolis para realizar um jogo treino contra o time amador de mesmo nome da cidade goiana.

 

 

 

Kasado batido. Volantes e laterais expostos na saída de bola adversária

Ceilândia reage, busca empate mas volta com derrota para Aparecidense

 

O meio de campo com Gago, Adriano e Willian não funcionou. Willian melhorou com a entrada de Mirandinha, mas ainda longe de encantar
O meio de campo com Gago, Adriano e Willian não funcionou. Willian melhorou com a entrada de Mirandinha, mas ainda longe de encantar

Ceilândia e Aparecidense compartilham diversas qualidades, mas era nos defeitos do Ceilândia que morava o perigo. Sabia-se que seria um jogo em que o Ceilândia não poderia errar. Não poderia errar por diversas razões. A principal é que nenhum jogador do  Ceilândia  tem se mostrado decisivo no ataque. A Aparecidense tem.

Amoroso lutou, deu uma assistência, mas passou o jogo quase todo distante dos meias
Amoroso lutou, deu uma assistência, mas passou o jogo quase todo distante dos meias

O jogo começou com a Aparecidense empurrando o Ceilândia contra o seu campo de defesa. Apesar do maior volume de jogo da Aparecidense, a meta defendida por Wendel não passou por situações claras de gol.

Problemas na marcação do Ceilândia estouravam nos laterais, que ficavam expostos às triangulações da Aparecidense
Problemas na marcação do Ceilândia estouravam nos laterais. Dudu e Kabrine expostos às triangulações da Aparecidense por falhas de marcação dos meias.

O Ceilândia foi aos poucos equilibrando o jogo, mas o time parecia ansioso. O Ceilândia subia desequilibrado da defesa para o ataque. O jogo ficou próximo a uma briga de rua, com a diferença aqui de que a Aparecidense tinha espaço para triangular pelo meio, derrubar os volantes do Ceilândia como peças de dominó e finalizar a jogada pelas laterais.

A rigor, Wendel foi exigido em apenas um lance... e foi bem. Sem culpa nos gols
A rigor, Wendel foi exigido em apenas um lance… e foi bem. Sem culpa nos gols

Foi assim que a Aparecidense chegou a fazer 2 x 0. Erros quando o Ceilândia tinha a posse de bola, triangulações rápidas e os gols de Nonato, aos 18, e Aleilson aos 32. Com a desvantagem, Adelson não perdeu tempo e colocou Mirandinha no lugar de Adriano.

Kasado batido. Volantes e laterais expostos na saída de bola adversária
Kasado batido. Volantes e laterais expostos na saída de bola adversária

A vantagem de dois gols  pareceu ter acomodado a Aparecidense que passou a marcar um pouco mais atrás. Com espaço na saída de bola, o Ceilândia passou a chegar mais equilibrado.  Perigo apenas em bolas paradas. Cocada quase diminuiu, mas aos 47, Kabrine cobrou falta sofrida por Amoroso. A bola passou por todo mundo  e  foi morrer no fundo das redes. Aparecidense 2 x 1 Ceilândia.

Thiago Ulisses, 5 da Aparecidense, jamais foi incomodado pelo Ceilândia
Thiago Ulisses, 5 da Aparecidense, jamais foi incomodado pelo Ceilândia

Veio o segundo tempo e o Ceilândia continuou com maior volume de jogo. Não criava situações claras de gol e ainda sofria com a saída de bola da Aparecidense, mas o Ceilândia era melhor. Aos 12, Amoroso e Mirandinha tabelaram e o estreante Mirandinha empatou o jogo.

Mirandinha comemora o gol de empate. Depois disso, o Ceilândia não conseguiu mais jogar.
Mirandinha comemora o gol de empate. Depois disso, o Ceilândia não conseguiu mais jogar.

Logo em seguida a Aparecidense se viu com 10 homens em campo, com a expulsão de Aleilson. A arbitragem também mudou a partir desse momento. O árbitro claramente passou a controlar o jogo e as ofensivas do Ceilândia.

Kabrine e Judvan: neste momento, Aparecidense apenas se defendia
Kabrine e Judvan: neste momento, Aparecidense apenas se defendia

Aos 20, o árbitro assinalou penalti para a Aparecidense. O problema não foi o penalti, mas os precedentes apitados desde o momento em que a Aparecidense ficara com um homem a menos. Nonato bateu e fez 3 x2.

Adelson tem trabalho: time precisa evoluir coletivamente, mas preocupa ainda mais individualmente
Adelson tem trabalho: Ceilândia coletivamente tem jogado bem. Ainda assim precisa evoluir coletivamente  mas ainda mais individualmente

Adelson percebeu que a arbitragem poderia reduzir o Ceilândia a 10 homens também. Retirou Kasado, que tinha amarelo,  para colocar Mario Henrique. O Ceilândia perdeu em estrutura. Cercou a Aparecidense na intermediária de defesa, mas jamais conseguiu oferecer perigo à meta goiana. Resultado: o Ceilândia mais uma vez jogou bem, mas agora se coloca numa situação em que, mais que jogar bem, precisa de vitórias, três vitórias em quatro jogos.