Um prá lá, um prá cá: empate sem graça

20080119cecxdpd.gifO Ceilândia iniciou a sua campanha em 2008 com um empate em 1 x 1 diante do Dom Pedro II.O jogo não foi agradável de se assistir. Apesar do pobre espetáculo, o Ceilândia foi sempre melhor que o adversário. Não se pode falar que houve um domínio do Ceilândia, mas é verdade que o Gato teve a iniciativa do jogo. Essa iniciativa não deu, em nenhum momento, a certeza de que o time conseguiria a vitória.

Apesar dessa desconfiança, o Ceilândia teve inúmeras oportunidades de gol. Essas oportunidades, todavia, foram resultados de jogadas individuais e não decorrência de um consistente trabalho coletivo. No intervalo o medo da torcida era de que o Dom Pedro fizesse o primeiro gol.

Veio o segundo tempo e com ele o Ceilândia foi sorteado com um gol logo aos 3 minutos. Carlos Lima desviou a falta cobrada por Andrei e abriu o marcador. O gol não mudou a dinâmica do jogo: o Ceilândia era um time sem inspiração e o Dom Pedro apenas um time esforçado.

A falta de inspiração do CEC foi castigada aos 32 minutos: Darley empatou para o Dom Pedro.

Sem inspiração, sem pernas e, sem Bruno Ramos, expulso, o CEC não teve forças para conquistar os três pontos.

271 pessoas assistiram à partida.

Comentarios

Comentarios